História All things go - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bruno Mars, Kylie Jenner
Personagens Bruno Mars, Personagens Originais
Tags Bruno Mars, Kylie Jenner, Modelo
Exibições 12
Palavras 544
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Bebida


Kylie estava animada, e com um copo de bebida em suas mãos...

Kylie

-Me desculpe. -Olhei assustada para o homem um pouco mais baixo que eu.

O mesmo olhou frustrado para sua camisa xadrez e depois para mim.

-Tudo bem. -Deu de ombro e esboçou um sorriso.

E que sorriso!

-Sinto muito. -Estava tentando reprimir, mas o riso saiu abafado.

-O que foi? -Ele me encarou e franziu o cenho.

-Nada. -Levantei os braços.

Ele parecia um ursinho.

-Fala. -Ele começou a sorrir.

-Não. -Arqueei a sobrancelha.

-Vai, fala.

-Não engraçado, é fofo, você parece um ursinho de pelúcia. -Sorri.

-A como você é sem graça. -Ele fez biquinho e sorriu.

-Nem vem, porque você quem quis saber. 

-Quer sair? 

-Oi?

-Ir para um lugar mais calmo. 

-Ta, vou avisar minha amiga.

-Não precisa. -Ele me puxou para fora da boate.

-Aonde vamos? 

-Você vai ver. -Ele exalava confiança.


Entramos em um beco escuro e eu já estava planejando uma fuga, ou o que eu vou gritar se ele tentar algo.

Havia um homem, porte militar, em frente a uma porta no meio daquela escuridão.

-Bruno! -O homem sorriu e abriu a porta.

-Vem cá, não é nada demais. -Bruno? Me puxou para um barzinho cheio de garotas e homens jogando sinuca.

Apesar da música baixa ao fundo e os gritos de quem jogava truco, o lugar estava calmo.

Nos sentamos em uma mesa perto da entrada. Bruno chamou o garçom e pediu uma taça de vinho tinto e uma dose de whisky.

-E então? -Perguntei olhando em minha volta.

-Como você se chama?

-Kylie, e você? Deve ser Bruno, ou eu ouvi errado. -Dei de ombros.

-Na verdade é Peter.

Fiz careta e sorri.

-Prazer.

-Mas pode me chama de Bruno, é o meu apelido. -Ele deu ombros e o garçom logo trouxe nossas bebidas.

-Não faz sentido. -Sorri.

-Meu pai me deu esse apelido quando eu era pequeno, e ficou. -Bebericou um pouco de whisky e limpou a garganta. -O que você faz? 

-Sou modelo, e você?

-Cantor. 

-Que legal. -Sorri. -Você não é o carinha que canta com o B.O.B?

Ele riu. -Sim.

-Vai lançar algo solo? 

-Na verdade eu tenho coisas "solos", mas não fizeram sucesso. -Ele deu de ombros. -E sim, eu vou lançar um álbum.

-Que legal, o que você faz além de cantar? 

-Toco alguns instrumentos, sei dançar -Ele riu. -E escrevo músicas para outros artistas, mas isso vai continuar por pouco tempo, parece que as coisas vão dar certo dessa vez...

-Com certeza vai dar certo, você é talentoso, carismático, muito bonito. -Sorri. 

-Se você me comparou com um ursinho de pelúcia é porque deve ser verdade. -Ele sorriu. -Quantos anos você tem?

-Vou fazer vinte e três mês que vem, e você? -Beberiquei o vinho, que por incrível que pareça, me agradou.

-Vinte e quatro. 

-Você é de onde? 

-Sou havaiano. -Ele sorriu exalando orgulho de "sua terra".

-Que legal, sempre quis conhecer.

-E você?

-Bom, eu sou daqui mesmo.

-Me fale um pouco de você.

-Faça perguntas.

-Hum, ta, vamos ver... Namora?

-Não, mas quase fiquei noiva. -Ri ao lembrar.

-Você sairia comigo mais vezes?

Ri e balancei a cabeça. -Claro, por que não?

-Era só isso que eu queria saber. -Ele riu. -Meus amigos estão chegando, por isso precisei ser direto, eles são legais, mas vão ficar no nosso pé.

-Tudo bem. -Dei de ombros.

Parecia uma gangue se aproximando, mas como Peter, ou Bruno, falou, eram só seus amigos.

-Amy? -Olhei surpresa para a minha amiga que entrou acompanhada com um homem de cabelos compridos.







Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...