História All We Know - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chandler Riggs
Personagens Chandler Riggs, Personagens Originais
Tags Amor, Andrew Lincoln, Brigas, Chandler Riggs, Drama, Escola, Katelyn Nacon, Lauren Cohan, Mingus Reedus, Norman Reedus, Romance, Sam Elicad
Visualizações 103
Palavras 3.670
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Heeey aqui estou eu de novo, mas antes de qualquer coisa gostaria de dar alguns avisos rápidos:
-O começo da fanfic se passa em agosto de 2015, já que nos EUA as aulas começam nessa época e nesse ano Chandler ainda tinha 16 aninhos.
-Algumas partes da minha fanfic são inspiradas em meu livro preferido chamado Por Lugares Incríveis
-Eu sei que a fanfic não é movida por comentários, mas eu gostaria de pedir para que vcs deixassem sua opinião pq é muito importante para mim, poucas pessoas estão comentando e isso me desmotiva MUITO. Então, por favor, apenas digam se estão gostando ou qualquer coisa. É muito importante para mim.
Espero que gostem do capitulo e não se esqueçam de favoritar e comentar, desculpem por qualquer erro e até o próximo. Beijinhos <3

Capítulo 3 - Hit me with your best shot


Fanfic / Fanfiction All We Know - Capítulo 3 - Hit me with your best shot

|Melanie Clark|

-Aqui é a biblioteca. Ninguém costuma a vir muito por aqui porque são todos um monte de músculos sem cérebros. Mas é um bom lugar para ficar quando você quiser estudar ou apenas ler alguma coisa em silencio.

Eu escutava atentamente as palavras de Zoey enquanto a mesma parecia empenhada em me apresentar cada pedaço dessa escola. Carson estava ao meu lado com uma expressão entediada em seu rosto enquanto teclava em seu celular e fazia alguns comentários aleatórios de vez em quando. Era a primeira vez que eu o via ficar quieto por tanto tempo. Tudo bem que era apenas meu segundo dia de aula, mas o garoto realmente gostava de falar sobre tudo e todos.

-Aqui é o vestiário. Feminino no lado direito e masculino no esquerdo- Ela falava enquanto gesticulava em cada direção citada- Vamos ter que nos trocar aqui hoje para a educação física. Mas tome cuidado porque alguns meninos safados ficam espiando pela janela.

-Esse é um dos lados positivos de ser gay- Carson comenta ao meu lado e nós o olhamos- Não tenho que espiar pela janela para ver os garotos de cueca.

-Você é impossível- Eu solto uma risada balançando a cabeça em negação –E o que é aquilo?

-É o nosso auditório- Zoey explica enquanto eu encaro as duas grandes portas azuis- Ele fica trancado durante o dia. Apenas abrem para peças, palestras ou algo do tipo.

Continuamos nosso caminho pelos corredores do colégio e eu já começava a sentir meus pés doerem em meus tênis pretos. Esse lugar estava conseguido ser muito maior do que eu imaginava e nós tínhamos apenas alguns minutos até o sino para a primeira aula tocar. Obviamente não conseguiríamos terminar o nosso tour que havia me feito acordar mais cedo do que o normal naquele dia. Zoey fazia questão em me apresentar todos os detalhes de Atlanta High School mesmo eu insistindo que não era necessário e que eu poderia muito bem conhecer a escola aos poucos.

O primeiro sinal tocou quando estávamos na área da piscina vendo o senhor que havia me encontrado perdida ontem limpar a agua com uma rede. Ele pareceu me reconhecer e mandou um aceno me fazendo sorrir como resposta. Para minha sorte teria a primeira aula de matemática junto com Carson, enquanto Zoey resmungava mal-humorada por ter que ir sozinha para sua aula de informática. O garoto entrelaçou seu braço com o meu e juntos caminhamos em direção a nossa primeira sala. A sala já estava cheia quando entramos e todos os olhares viraram-se em nossa direção fazendo Carson bufar em alto e bom som ao meu lado.

-Cuidem das suas vidas urubus- Ele disse alto para que todos ouvissem e eu segurei minha risada enquanto seguíamos para duas cadeiras vazias lado a lado.

-Bom dia para você também Lord Hummel- Uma garota morena diz do outro lado da sala fazendo com que as pessoas a sua volta rirem e meu amigo revira os olhos.

-Suas piadas já estão ficando velhas e sem graças, Amber- Ele diz em um tom entediado enquanto analisa suas unhas e escuto mais risadas ao nosso redor- Meu nome é Carson. Ou você me chama de Carson ou de nada.

-Tudo bem então, nada- Ela diz e eu reviro os olhos discretamente enquanto todos voltam a rir das piadas sem graça da garota.

-Bom dia pessoal.

O professor entra na sala usando um paletó de cor azul bebê e eu seguro a risada quando Carson finge que está vomitando ao ver a roupa do homem.

-Como foram suas férias? –Ele pergunta enquanto começa a passar algumas formulas de equação geométrica no quadro.

-Disseram que eu estava viajando nas férias, mas na verdade eu fui raptada por extraterrestres –A garota que havia discutido com Carson agora pouco disse fazendo com que todos nos virássemos em sua direção- O que?

-Deve ter sido uma experiência incrível, Amber- O professor diz fingindo entusiasmo e eu faço uma careta enquanto começo a copiar seus exercícios em meu caderno.

-Nós já estamos acostumados com isso- escuto Carson cochichar ao meu lado- Amber é a garota mais tonta que você vai conhecer na sua vida. Eu juro que eu não sei como ela conseguir entrar no ensino médio.

Solto uma risada fraca por conta da sua cara de indignação e permaneço em silencio quando o professor começa a falar. Observo ao meu redor e já consigo reconhecer alguns rostos familiares. O garoto chamando Chandler Riggs estava sentado na última carteira da fileira do meio e tentava conversar com um garoto loiro ao seu lado por meio de cochichos. Ele parece notar meu olhar sobre ele e se vira em minha direção fazendo com que eu volte meu olhar para o professor rapidamente. Olho para o lado e vejo que Carson me olha com um sorriso debochado em seu rosto. Reviro meus olhos e decido começar a resolver os exercícios. Ou pelo menos tentar.

(...)

Minha segunda aula do dia era de inglês e eu acabei me perdendo naqueles infinitos corredores até conseguir finalmente encontrar minha devida sala. Por sorte acabei chegando junto com a professora e peguei um lugar ao lado da janela. Era uma manhã de tempo muito ruim, com nuvens baixas e uma chuva fraca batendo contra a janela. Não era novidade que eu estivesse carrancuda em um dia como esse. Ainda mais depois de uma péssima noite de sono por ficar até tarde cuidando dos caprichos de Cassandra Montgomery.

Eu estava pensando em como seria minha vida daqui para frente, tendo que conviver frequentemente com minha madrasta e meia-irmã malvada, estudando em uma escola nova, com amigos novos, quando ouvi meu nome. Olhei para frente e me deparei com os olhos acinzentados da Sra. Baker me encarando fixamente.

-Melanie, você pode ler o texto para a turma?

Eu não sabia nem em que página estávamos. Meu livro recém-aberto estava em uma página repleta de imagens e eu me perguntava onde estaria este bendito texto. Então, uma garota sentada atrás de mim se inclinou e colocou meu livro na página certa. Lhe lancei um pequeno sorriso em agradecimento e me permiti analisa-la por alguns segundos. Cabelos castanhos longos e extremamente lisos, olhos verdes quase azuis e bochechas adoráveis. Ela sorriu de volta e eu comecei a ler o poema de Denise Levertov.

-O que vocês acharam?

Quando terminei, a sala estava em completo silencio e todos me encaravam como se esperassem que eu dissesse mais alguma coisa. A garota ao meu lado lançou mais um olhar em minha direção e pareceu se sentir mal com o meu constrangimento. Então, ela levantou a mão e logo todos os olhares se desviaram em sua direção.

-Ham...Eu posso ir ao banheiro? –Ela perguntou fazendo com que todos ao nosso redor rissem e a professora suspirasse de maneira decepcionada

-Claro, Katelyn.

A garota, na qual descobri se chamar Katelyn, levantou em um movimento rápido e me lançou um último sorriso antes de seguir em direção a porta da sala. Depois disso, a professora pediu para que um garoto asiático lesse outro poema e esqueceu completamente da minha presença. Me lembraria de agradecer a garota de bochechas adoráveis mais tarde.

(...)

Haviam apenas algumas garotas se trocando quando entramos no vestuário feminino. Coloquei minha bolsa sobre um banco que ficava em meio a um pequeno corredor de armário e peguei meu uniforme de educação física começando a me vestir. O uniforme consistia apenas em uma blusa sem mangas com o símbolo da escola desenhado no peito enquanto a parte de baixo ficava a seu critério. Optei por colocar uma calça de moletom vermelho vinho como a cor padrão da nossa escola e notei que Zoey usava uma bermuda de malha preta. Por fim, prendi meu cabelo e juntas saímos do banheiro indo em direção a quadra fechada de esportes.

O lugar não era muito diferente da outra na qual frequentava em minha antiga escola. Haviam extensas arquibancadas próximas as paredes, dois gols para jogar futebol e duas cestas para o basquete. A maioria dos alunos já haviam chegado e se encontravam espalhados pelo local enquanto conversavam entre si, alguns se entretêm arremessando as bolas um para os outros e outros apenas estão sentados na arquibancada ouvindo música enquanto o professor não chegava.

Ao meu lado, Zoey começou a acenar freneticamente para Carson que estava sentado na arquibancada enquanto nos esperava e ele caminhou em nossa direção me dando uma bela visão de suas pernas magras desvestidas por conta da bermuda vermelha que usava.

-O quão nuas estão as garotas do time de torcida? - Disse nos olhando com um sorriso sínico estampado em seu rosto e eu soltei uma risada enquanto analisava o lugar a minha volta.

-Me sinto em um mar de tubarões- Ela murmurou ao meu lado

-E nós somos as sardinhas- Carson completou e em seguida mirou seu olhar em minha direção- Aposto vinte dólares que a Mel vai receber uma bolada na cara até o final da aula.

-Ei! –Exclamei o olhando indignada e Zoey soltou uma risada

-Apostado- Ela disse estendendo a mão para o garoto- Estou confiando em você, Mel.

-Eu não vou receber nenhuma....

Fui interrompida por um som alto e estridente de apito antes que pudesse terminar minha frase contra o que os dois diziam ao meu respeito. O professor alto e musculoso entrou na quadra segurando uma bola vermelha entre os braços e a arremessou para um garoto enquanto todos nos reuníamos ao seu redor. Troquei um olhar rápido com os dois ao meu lado e soltei um suspiro cansada antes de seguir junto com os outros alunos.

-Podem se dividir. Garotos contra garotas- Ele ordenou fazendo com que eu e Zoey nos entreolhássemos- Hoje é dia de queimada.

Sorri achando graça enquanto Carson e Zoey faziam um pequeno drama por terem que se separar e fui em direção ao fundo da quadra esperando que todos encontrassem seus devidos lugares antes de começar a jogo. Quando o primeiro apito soou pela quadra tudo ficou uma completa bagunça. Todos corriam de um lado para o outro tentando acertar os oponentes do time adversário e eu apenas me mantinha concentrada em desviar das bolas vermelhas que voavam em minha direção.

Tive de segurar o riso quando Carson foi atingido em sua parte traseira fazendo com o mesmo soltasse um grito assustado antes de resmungar sendo desclassificado do jogo. Minutos depois, Zoey foi atingida no braço e bufou se junto ao amigo nas arquibancadas. Em meu time restávamos apenas eu, a garota que havia me ajudado na aula de inglês, a tal Brianna Maphis, e mais duas garotas que eu não conhecia, enquanto no outro time ainda restavam seis garotos. Consegui reconhecer dois deles como Chandler e o menino loiro que estava junto com ele na aula de matemática. Eles eram os que mais pareciam se divertir entre seu grupo.

Fui dispersa de meus pensamentos quando quase fui atingida por uma bola que Chandler havia arremessado, porém eu consegui ser mais rápida e desviei me abaixando no chão. Sorri de maneira convencida e percebi que o mesmo me encarava com os lábios levemente curvados em um pequeno sorriso. Balancei a minha cabeça em negação enquanto ele ainda me olhava, e arqueei minha sobrancelha de maneira desafiadora.

E em um segundo, senti minha cabeça ser atingida fortemente por um objeto pesado, que logo constatei ser uma bola e automaticamente cai no chão sentindo minha vista embaçar por alguns segundos. Franzi meu nariz confusa, afinal, nenhum dos meninos havia arremessado em minha direção, até que então comecei a ouvir gritos ao meu redor.

-Qual o seu problema?

A garota da minha aula de inglês gritava com Brianna enquanto a mesma a encarava com uma expressão entediada em seu rosto. Talvez elas não fossem tão amigas assim.

-Foi apenas uma bola, Katelyn. Ela não vai morrer.

-Ela é do nosso time, idiota- A garota parecia inconformada com o que havia acabado de acontecer- Você acabou de atingir alguém do nosso time. Por acaso seu cérebro derreteu com tanta tinta no cabelo?

-Ei garotas! –O treinador gritou enquanto entrava no meio das duas- Katelyn e Brianna, parem de gritar, isso aqui não é um ringue de luta.

-Ham...Não deveríamos ajudar a garota no chão?

Finalmente alguém pareceu notar que eu ainda estava sentado no chão, com a mão sobre a cabeça enquanto observava aquela cena confusa. Chandler Riggs se aproximou de mim e se abaixou ao meu se apoiando com os joelhos sobre o chão. Mesmo que ainda estivesse meio tonta, não pude deixar de perceber que seus olhos eram azuis e me encaravam com uma expressão preocupada.

-Ei- Ele estalou os dedos em frente ao meu rosto- Você está bem? Precisa ir à enfermaria?

-Ela está bem, Chandler. Vamos embora.

-Cala a boca, Brianna- Carson entrou no meio da multidão, fazendo com que a garota o encarasse furiosa- Ei querida, você está bem?

-Acho que ela perdeu os sentidos- Foi a vez de Zoey se pronunciar- Mel, quantos dedos tem aqui?

Arregalei meus olhos quando a garota praticamente esfregou os seus dedos magros em meu rosto, com dois deles levantados e os outros abaixados.

-Dois- murmurei em resposta

-Ela está bem, pessoal!

Aos poucos, a multidão em minha volta foi se dispersando e eu observei o garoto se levantar arrumando sua bermuda amassada. Ele me olhou e sorriu antes de estender a mão em minha direção. Fiquei o encarando por alguns segundos até aceitar sua ajuda e segurar sua mão, recebendo um impulso ao ser puxada para cima. Ao meu redor restavam apenas algumas pessoas. Carson e Zoey, que me olhavam ainda preocupados com o que havia acontecido. Brianna parecia entediada enquanto analisava suas unhas perfeitamente pintadas de vermelho. A garota das bochechas adoráveis estava ao lado do garoto alto de cabelos loiros que encarava tudo com um sorriso divertido no rosto. E por fim, Chandler Riggs ainda estava ao meu lado e mantinha a mesma expressão preocupada em seu rosto.

-Tem certeza de que está bem? –Ele perguntou, novamente, ouvindo Brianna bufar ao seu lado.

-Ham...sim.

-Brianna- Ele olhou para a garota ao seu lado e ela levantou o olhar em sua direção- Não tem nada a dizer para...

Ele me olhou esperando que eu completasse sua fala e eu o encarei confusa.

-Mel- Zoey respondeu por mim e eu assenti rapidamente

-Isso- Ele sorriu antes de voltar seu olhar para a garota de cabelos platinados- Não tem nada a dizer para Mel?

-Sinto muito se você não presta atenção em um jogo de queimada- Ela disse sorrindo cinicamente, antes de se virar indo em direção a saída da quadra- Chandler!

-Me desculpe por ela- Ele disse, me olhando um tanto constrangido- Nos esbarramos por aí. Até mais.

O garoto, no qual descobri se chamar Chandler, saiu correndo na mesma direção na qual Brianna havia saído e eu serrei os olhos ainda confusa com tudo o que havia acabado de acontecer. Ouvi alguém tossir ao meu lado e me virei olhando para os dois desconhecidos que ainda estavam por perto. A garota da aula de inglês abriu um grande e simpático sorriso em minha direção antes de se pronunciar.

-Sou Katelyn- Ela se apresentou de maneira simpática- Esse é o Mingus. E aquele que acabou de sair correndo atrás da namorada é o Chandler.

-Desculpe por Brianna- Mingus finalmente se pronunciou- Ela sempre foi meio...

-Escrota? –Zoey o interrompeu com os braços cruzados em frente ao seu corpo

-Ridícula? –Carson completou

-Bem, sim- Mingus concordou, soltando uma risada- Ela consegue ser um tanto irritante quando quer.

-Sem problemas- Disse, dando de ombros- Sempre fui bem cabeça dura.

Sorri quando todos soltaram uma risada pelo meu comentário. O sinal tocou interrompendo nossa conversa e eu me despedi dos quatro antes de apressar meus passos em direção ao meu armário, ainda me sentindo um pouco tonta. Minha cabeça doía e eu resmungava mentalmente por Brianna ter me acertado com tanta força. Ainda tinha mais dois tempos de história geral antes do horário do almoço e tudo o que eu queria era dormir um pouco para ver se essa dor não passava.

-Olha por onde anda.

Senti meu corpo se chocar contra Holly e ela me olhou mal-humorada antes de voltar a desfilar ao lado de Amber. Solto um suspiro alto e balanço minha cabeça em negação voltando a caminhar pelos corredores. Minha primeira semana de aula não poderia ter começado de um jeito melhor.

(...)

Na hora do almoço, todos já pareciam saber do pequeno incidente na aula de educação física. Estávamos sentados em uma mesa retangular na área aberta do colégio e eu forçava meus olhos incomodada com a claridade sobre eles enquanto comia uma porção de batata-fritas. Ao meu lado, Zoey tinha voltado a ficar pendurada em seu livro que eu descobri ser um romance policial e Carson folheava as páginas de uma revista de moda adolescente. Minha cabeça ainda latejava de vez em quando, mas nada que fosse insuportável.

-E aí, nada- Um garoto vestido com uma jaqueta do time de futebol passou pela nossa mesa puxando a revista das mãos de Carson e a jogando no lixo mais próximo fazendo com que seus amigos rissem- Bem-vindo de volta ao inferno.

-Ei seu...

-Relaxa, princesa das trevas- Carson segurou o braço de Zoey antes que a mesma se levantasse irritada e ela bufou se sentando novamente- Não é como se eu me incomodasse com o que esse ogro fica falando.

-Quem é ele? –Pergunto confusa

-Matt Stonem- O garoto revira seus olhos ao citar o nome do jogador de cabelos loiros- Ele é só mais um babaca do time de futebol que sai com uma garota por semana.

-E é apaixonado pelo Carson- Zoey completou e eu franzi a sobrancelha confusa enquanto nosso amigo revirava os olhos mais uma vez- Fala sério, ele pega no seu pé desde quando começamos a estudar nessa escola. Se isso não é amor, eu não sei o que é.

-Muito engraçada- Ele diz irônico antes de se virar em minha direção de repente- Já sabe qual atividade extracurricular vai fazer?

-Atividade extracurricular? –Pergunto confusa enquanto volto a comer minhas batatas

-As inscrições começam na segunda semana de aula- Ele completa- Temos esportes, teatro, música, jornal da escola e mais um monte de coisas.

-E o que vocês vão fazer?

-Eu sou do clube de teatro e a Zoey faz parte do jornal da escola- Carson diz roubando uma batata do meu prato- O que gosta de fazer?

-Ham...Eu não sei- dou de ombros

-Ainda não sabe o que pretende fazer depois que terminar o colégio? –Zoey pergunta parecendo se interessar no assunto

-Bom...eu gosto de escrever.

-Você poderia escrever um livro sobre a gente- Carson diz se animando e eu prendo minha risada- O tigre e a princesa das trevas desvendando mistérios pela cidade de Atlanta.

Eu e Zoey no entreolhamos e rimos de seu comentário enquanto o garoto ainda parecia animado com a ideia de ser personagem de um livro. Quando terminamos de devorar toda aquela porção de batata-frita, entramos na escola novamente e seguimos em direção a nossos armários. A próxima aula ainda demoraria um pouco para começar e Carson estava desesperado para copiar uma tarefa de física que ele havia esquecido de fazer.

-Vai ficar me devendo um copo de café- Zoey disse enquanto entregava seu caderno para o amigo e ele a abraçou de maneira desesperada fazendo com que eu risse da cara de mal humor da garota- Sem contato físico.

-O que acham de irmos fazer alguma coisa depois da aula? –Carson pergunta após se soltar de Zoey- Podemos ir ao shopping e comprar alguma roupa colorida para a Zoey.

-Preto é uma cor.

-Só no seu mundo das trevas- Ele diz enquanto copia todas aquelas formulas de física em seu caderno- Estou brincando, Zozo. Mas nós poderíamos ir no shopping.

-Eu não vou poder- Digo atraindo seus olhares em minha direção- Preciso terminar alguns serviços em casa.

-Que tipo de serviços?

-Cassandra quer que eu de um banho no gato bizarro dela- Eu digo enquanto brinco com as pontas do meu cabelo- E depois preciso arrumar o quarto e preparar o jantar...

-Que horror- Carson comenta espantado- Você é empregada daquelas duas por acaso?

-Quase isso.

(...)

Coloquei meus fones de ouvidos dando play em uma música agitada da Bebe Rexcha e comecei a contar meus passos enquanto caminhava em direção a minha casa. Havia acabado de descer no ponto de ônibus e o céu ganhava um tom alaranjado indicando que a noite já se aproximava. Abri o snapchat no meu celular soltando uma risada quando Carson me mandou uma foto engraçada de Zoey tomando sorvete no shopping e desejei que pudesse estar com eles.

Era difícil eu conseguir sair para qualquer outro lugar quando meu pai estava viajando e eu ficava sobre os cuidados de Cassandra. Ela não me deixava com tempo nem para respirar direito e mal me deixava ir até o mercado da esquina comprar alguns doces. Mas eu nunca me importei muito com isso, pelo menos até agora. Eu estava alegre por ter conhecido aqueles dois que eu já poderia considerar meus amigos e queria que tivéssemos mais tempo de sair juntos para algum lugar que não fosse a escola. Talvez pudéssemos fazer isso quando meu pai voltasse de viagem e eu o apresentasse para eles. Droga. Isso iria demorar tanto.

-Ei, irmãzinha.

Sou desperta de meus pensamentos quando um carro conversível passa ao meu lado por cima de uma poça de agua fazendo com que eu me encharcasse dos pés a cabeça. Abro minha boca incrédula e passos minhas mãos pelo rosto limpando o mesmo daquela agua suja. Escuto risadas e vejo Holly acenar junto de Brianna e Amber enquanto elas se afastam para longe. Solto um suspiro e torço meu casaco molhado fazendo a agua caia sobre meus pés.

-Que ótimo- murmuro sozinha voltando a caminhar e chuto uma pedra para longe- Minha vida não poderia estar melhor.

CONTINUA...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...