História Alladius - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Draco Malfoy, Harry Potter
Tags Alladius, Drarry, Magia, Romance, Yaoi
Exibições 231
Palavras 1.547
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Magia, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


OI OI!!
Essa é nossa primeira fic de Harry Potter, e sera uma Drarry! WEEEHHHH!!!
Bem, primeiramente eu vou deixar algumas informações para não ficarem confusos

1 - A história se passa depois de Calice de Fogo, porém não necessariamente em Ordem da Fenix, sim é uma nova "saga" então se voce for aquele ou aquela fã mimizento de Harry Potter nem leia, se não voce é bem vido sweet.

2 - Toda historia foi inteiramente construida por nós, tanto como algumas criaturas como alguns personagens.

3 - A fanfic contém Yaoi, e alguns casais alternativos - Não incluem Rony e Hermione - Então se shippa Harry e Gina, sorry fanfic errada </3

4 - Fanfic totalmente original, pfv sem plágio, assim como a capa feita por mim @Ruki-

5 - Dependendo do desenrolar da histórias, cenas futuras dos filmes e livros podem ser alteradas, enfim não sei se chegaremos a escrever até Ordem da Fenix.

Boa leitura anjos <3

Capítulo 1 - Capítulo I - Olhos verdes


 

A manhã começava calma na rua dos Alfeneiros n° 4, os raios frescos de sol davam seus primeiros sinais de vida entre as nuvens branquinhas atravessando os vidros da janela de Harry que se encontrava dormindo profundamente, os cabelos negros e bagunçados caiam de forma desleixada sobre o rosto adormecido e cobriam sua cicatriz. O mesmo parecia estar tendo um sonho bom, e a coberta e o sol quentinho esquentavam ainda mais o corpo do garoto lhe causando uma sensação gostosa.

 

__ ACORDA! AGORA! – Seu sono havia sido brutalmente interrompido por Tio Valter que dava fortes socos na porta e gritava com sua voz extremamente desagradável.

 

 Harry se assustou com os berros de seu tio e se levantou se sentando na cama coçando os olhos, e levou mais um susto ao tirar a mão dos olhos percebendo que sua visão estava estranhamente perfeita. Levou a mão aos olhos para ver se não andara dormindo de óculos como nas noites retrasadas, porém não havia nada ali.

 

 Coçou os olhos mais uma vez de forma um pouco mais forte e em seguida piscou duas vezes olhando em volta, tudo estava bem mais claro e colorido, parecia que nunca havia tido miopia.

 

__ “Estou sonhando” – Pensou de forma assustada olhando em volta rapidamente se deparando com seu óculos na cômoda ao lado o que aumentou ainda mais confusão. Levou a mão seu ombro esquerdo e beliscou uma, duas, três vezes... E ainda sim continuava bem acordado, e sua miopia não havia voltado. Tentou racionar as possíveis maneiras para sua visão ter ficado boa do nada, mas nenhuma era válida ou fazia menor sentido, porém seus devaneios foram interrompidos por mais um grito de Tio Valter.

 

__ TEM MUITA COISA PRA VOCÊ FAZER! – Disse Tio Valter em um tom totalmente seco irritado dando um último soco na porta com a mão grande e gorda. – VAI FAZER EU ARROMBAR ESSA PORTA MOLEQUE?

 

 Se levantou rapidamente não querendo arrumar confusão de logo de manhã, mas na correria acabou esquecendo de pegar seu óculos apenas para disfarçar. Abriu a porta do quarto dando de cara com Tio Valter, que tinha uma expressão raivosa do rosto e os dentes cerrados por debaixo do bigode que Harry particularmente achava ridículo.

 

__ Vá fazer o café da manhã! Onde estão seus óculos? – Tio Valter perguntou desconfiado mirando no rosto de Harry, que desviou o olhar.

 

__ Estou enxergando sem eles – Disse um sussurro quase inaudível, mas que foi ouvido por Tio Valter.

__ Como? – O mais velho arregalou os olhos e logo o rosto gordo ficou vermelho de raiva – VOCÊ NOS FEZ GASTAR DINHEIRO EM UM ÓCULOS QUE VOCÊ NÃO PRECISA USAR? – Gritou de raiva, fazendo os ouvidos de Harry protestarem doloridamente por causa dos berros.

 

__ Mas... Eu também não entendo como... – O menino fora cortado por Tio Valter sem muita paciência.

 

__ Não importa, vá logo! Estamos com fome – Disse de modo seco fazendo Harry se segurar para não dizer “Se está com fome, desça você e faça sua comida”.

 

__ Sim Tio Valter – Suspirou derrotado e desceu para a cozinha, onde Tia Petúnia se encontrava arrumando os talheres na mesa e Duda que reclamava incessavelmente de fome enquanto batia os talheres no prato de porcelana fazendo uma barulheira infernal.   

 

 Tia Petúnia se virou para Harry e arqueou a sobrancelha o olhando de forma reprovadora.

 

__ Onde estão seus óculos moleque? – Perguntou de forma seca, e na mesma hora Duda parou de bater os talheres no prato se virou para encarar Harry de forma curiosa.

 

__ Acordei enxergando sem eles – Murmurou sem vontade começando a fritar os bacons sem muita vontade, ouvindo uma exclamação indignada da mulher.

 

__ Ora essa, nos fez gastar dinheiro com aquela porcaria e agora diz que está enxergando sem eles? Você vai ficar sem almoço hoje e vai limpar todo o chão da sala! – Disse Tia Petúnia de forma arrogante, Harry nem iria contestar se não ele iria ficar sem jantar também, se é que aquilo poderia ser chamado de jantar.

 

__ Que pena eu não vou poder mais quebrar os óculos dele, mas agora vou poder deixa-lo de olho roxo – Duda comentou de forma divertida imaginando as possíveis formas de como iria bater em seu primo já que agora o mesmo estava sem óculos.

 

__ Anda Potter! Eu estou com fome – Reclamou Tio Valter de forma aborrecida fazendo Harry fechar os olhos de forma irritada e se virar para servir o café para os Dursley mesmo sem vontade alguma.

 

 Quando terminou ali, saiu da cozinha sem mesmo olhar para trás ou ouvir os comentários maldosos a seu respeito, disparou em subir as escadas rapidamente indo em direção ao seu quarto fechando a porta logo em seguida com força.

 

 Se sentou na cama tentando reorganizar seus pensamentos, ficou ambas as mãos pequenas de forma curiosa, mesmo com os óculos sua visão ainda era meio ruim, era tão estranho continuar sem eles, mas de certo forma era bom poder enxergar as coisas como realmente eram. Tudo parecia mais vivo, mais detalhado, com mais cores. Estava confuso entre se sentir feliz por enxergar melhor e assustado por ter acordado assim de uma hora pra outra.

 

 Suas divagações foram interrompidas por uma coruja que bicava em sua janela, caminhou até lá rapidamente e ao abrir a janela viu que se tratava de Hermes, a coruja de Percy. Deixou a mesma entrar, que pousou no batente de sua janela e percebeu que a mesma trazia com isso um pequeno envelope em suas garras.

 

 Harry pegou o envelope curioso e sorriu internamente ao ver que se tratava de uma carta de Rony, com pressa abriu o envelope ansioso para ler o que seu amigo havia escrito.

 

“Harry, você vai vir para casa não é? Venha, estamos com saudades, mamãe está quase pirando por não ter notícias sua.

 

Rony.”

 

 Harry riu baixinho, também estava morrendo de saudades de Rony, da senhora Weasley, de Hermione, Hogwarts... Suspirou pesadamente ao lembrar que ainda faltava um mês para as aulas regressarem novamente, não aguentava nem mais um minuto naquela casa. Rapidamente pegou uma pena e pegou um papel e começou a escrever a carta rapidamente contando tudo o que havia acontecido ao seu amigo, deu a carta para Hermes que a pegou com o bico e saiu voando pela janela sumindo pelo céu azul.

 

 Apoiou o queixo no batente da janela fitando o céu com admiração, vendo alguns pássaros passarem voando pelo mesmo, eles tinham algo que Harry buscava a anos, liberdade. Sentia seu estomago gelar de ansiedade somente ao pensar na escola de Hogwarts, era quase uma tortura ter que esperar tanto tempo para voltar para lá novamente.

 

 Já sentia falta do cheiro da comida da senhora Weasley, das broncas de Hermione quando fazia algo errado, do chá de Hagrid – Embora não fosse muito bom as vezes – de conversar com Dumbledore, enfim, ele poderia fazer uma lista do que ele sentia saudades que nunca terminaria.

 Se desapoiou da janela e se jogou na cama fitando Edwiges, ele parecia tão entediada quanto ele, novamente Tio Valter havia a trancado na gaiola e escondido a chave em algum lugar que tinha certeza Harry não iria encontrar.

 

 Fechou os olhos desejando com todas suas forças acordar no dormitório de Hogwarts novamente...

 

. . .

 

 Harry acordou meio zonzo com os berros de Tia Petúnia dizendo que ele deveria ir limpar o chão da sala, sem vontade se levantou se sentindo meio mole e com calor pelo quarto estar abafado. Saiu do quarto descendo as escadas lentamente e fora surpreendido pelo pano de chão Petúnia havia tacado em si, ordenando que ele deixasse o chão brilhando.

 

 Havia perdido a conta de quantas vezes havia soltado um longo suspiro naquele dia, e pois se a limpar o chão com dificuldades, não que fosse uma tarefa difícil de se fazer, difícil era que Duda entrava quase toda hora com os pés sujos de terra e pisava de proposito no chão tendo que fazer Harry limpar tudo novamente.

 

 O tormento durou quase meia hora, até que Duda se cansou e subiu para tomar banho deixando Harry finalmente poder limpar o chão em paz, quando acabou deu graças a Merlim, suas mãos doíam e estavam vermelhas de tanto esfregar o chão e suas costas e joelhos estavam doloridos por ficar na mesma posição seguidamente.

 

 Subiu as escadas depois de terminar tudo, retornando para seu quarto totalmente cansado e notou uma coruja cinzenta que segurava um envelope branco, ao ver Harry a mesma deixou o envelope sobre o chão e saiu voando pela janela rapidamente.

 

 Curioso o garoto pegou o envelope e viu que era uma carta de Hogwarts, abriu a mesma e começou a ler a lista de materiais e no final dizendo que o trem sairia as 11:00h da manhã do dia um de setembro.

 

 Colocou a carta sobre a cama e se sentou esticando as pernas na esperança de fazer a dor do joelho sumir.

 

__ Sente saudades de Hogwarts Edwiges? – Perguntou olhando para a coruja enquanto ainda esticava os joelhos.

 

__ Muita, eu estou me sentindo enferrujada de não poder voar – A coruja respondeu.

 

 Espere Edwiges havia respondido? Harry se levantou rapidamente com os olhos verdes arregalados como se fossem saltar para fora de suas orbitas... Sim ela havia respondido.

 

 Edwiges tinha respondido.


Notas Finais


Ficou bem curtinho mesmo, eu não queria colocar muitas informações aqui no capítulo um, mas não se preocupem logo logo as bombas virão q


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...