História Allana And The Boys - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Álcool, Allana Casting, Brigas, Comedia, Drama, Drogas, Festas, Incesto, Romance, Spoilers, Wolf Kawaii
Exibições 32
Palavras 1.784
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Brotei u.u
Como sempre, falo com vocês lá em baixo
Boa leitura

Capítulo 4 - Let's play?


Fanfic / Fanfiction Allana And The Boys - Capítulo 4 - Let's play?

Nova York - Manhattan - Segunda, 10:10 A.M

Point Of View Allana Casting

 

O frio tinha tomado conta de Manhattan, alertando a todos que o inverno estava chegando, junto com ele o natal, o termômetro que havia na parede de casa mostrava que aqui dentro estava 22 graus. Graças a Deus mandei intalarem o aquecedor antes de vim para aqui. Vou até a cozinha e coloco o pó de café na cafeteira, me apoio na bancada e mexo no meu celular enquanto o café não fica pronto, meu celular começa a tocar e o nome da minha mãe aparece na tela, atendo o mesmo

 

| Ligação On |

- Oi mãe, aconteceu alguma coisa? -pergunto já me preocupando

- não, eu não posso ligar porque estou com saudade?

- sim, pode sim

- porque não me ligou assim que chegou? - coloquei o celular entre meu ombro e minha orelha e fui até a cafeteira

- mãe, eu esqueci, estava arrumando tudo aqui - coloquei um pouco de café em uma xícara e o adocei 

- isso não é motivo para não me ligar Allana - tomei um pouco de café esquecendo de assopra-lo um pouco para esfriar, resultado, acabei queimando minha boca

- aiii - resmunguei e coloquei a xícara em cima da mesa

- oque aconteceu?

- queimei minha boca com café quente, mãe, vou desligar assim que tiver tempo te ligo

- vê se não vai esquecer...

- mãe eu vou ligar

- eu te conheço Allana

- tudo bem mãe, tchau

 

| Ligação Off |

 

Deixei meu celular na mesa e fui até o armário, pegando de lá um pacote de Cookies tradicionais, coloquei meu café e os biscoitos em uma bandeja, fui para a sala e me enrolei com o cobertor que estava em cima do sofá. Coloquei tudo ao meu lado e liguei a televisão, estava passando jornal em praticamente todos os canais, tenho que assinar uma TV à cabo senão não irei aguentar ficar sem filmes e séries. Deixei no canal que estava passando desenho e fiquei assistindo enquanto comia, dês de que cheguei percebi que aqui ficou bem solitário sem a Diana, eu posso não conhecê-la mas ela tem alguma coisa que me faz gostar muito dela.

 

 

Logo escutei batidas na porta, de princípio achei que fosse a Diana mas depois vi que era o carteiro, fui até minha caixa de correio e peguei as cartas que estavam lá, joguei as cartas em cima do sofá enquanto fechava a porta, voltei para a posição que estava e olhei todas as cartas, uma se dirigia a mim, assim que vi o carimbo da NYU me animei, eles tinham que ter me aceitado. Quando abro o envelope começo a ler, e vejo que eles ainda não tem vagas, pediram para mim voltar lá daqui a três mêses, ainda é muito tempo, quero começar a faculdade de artes o mais rápido possível. Olho o resto das cartas e percebo que a maioria estão no nome de um certo John Detytloff. Quem diabos é esse? Jogo as cartas no sofá e subo para meu quarto, pego uma jaqueta de couro e volto para a sala, vou até a casa do meu vizinho da esquerda com as cartas e bato na porta do mesmo, pouco tempo depois uma velhinha de cabelos brancos aparece na porta com um sorriso acolhedor nos lábios

 

- com licença, eu recebi essas cartas por engano, está no nome de John Detytloff, ele mora aí? - perguntei mostrando as cartas para ela que ajeitou o óculos

 

 

- não minha jovem, deve ser de alguém da rua

 

 

- ata, obrigado, boa tarde - falei e fui até a casa do outro lado da minha. E se eu bater na porta e algum daqueles idiotas de ontem atenderem? To nem aí. Fui até a porta dele ou deles, toquei a campainha que não percebi até agora que havia ali e esperei por alguns minutos, escutei a porta sendo destrancada, logo a figura de uma garotinha de cabelo castanho apareceu

 

 

- Diana? - perguntei não acreditando, o que ela tá fazendo aqui?

 

 

- oi tiaaa! - ela me abraçou com força enquanto gritava eu ri e passei minha mão em seu cabelo

 

 

- oi flor, oque você tá fazendo aqui?

 

 

- eu moro aqui - ela repondeu me soltando dando um sorriso doce logo em seguida

 

 

- amorzinho, na sua casa mora algum John? - perguntei

 

 

- sim, ele é meu titio porque? - ela respondeu, eu entreguei as cartas para ela e a olhei

 

 

- é que o carteiro colocou as cartas dele na minha caixa de correio - expliquei o ocorrido, ela correu para dentro de casa e voltou sem as cartas

 

 

- tia você quer vir brincar na minha casa? - a Diana perguntou, fiquei com um pouco de receio mas assenti

 

 

- vou só trancar a minha casa - falei com um sorriso e fui até minha casa, tranquei a porta de entrada pegando meu celular antes, guardei a chave no bolso da minha jaqueta e voltei para a porta da casa ao lado, a Diana começou a pular e segurou minha mão para me puxar pra dentro, eu ri da sua empolgação - você vai cair de novo mocinha

 

 

- não vou não tia, vo te mostrar meu quarto, é lindo - ela se gabou e me levou até um corredor, ela abriu a segunda porta à direita e entrou me puxando, aquele obviamente era o quarto dela, as paredes eram pintadas em um tom de azul claro, uma cama braca estava no meio da parede à frente, havia adesivos de princesas grudados em uma parede, prateleiras enfeitavam a outra parede com livros de princesas e brinquedos, um guarda-roupa branco e azul estava na parede do lado da porta e uma comoda azul bebê estava ao lado da cama dela - olha tia! Eu tenho a Bela Adormecida - ela correu até um baú que estava ao lado da sua cama e tirou de lá uma boneca de plástico da princesa - é bonita?

 

 

- é linda Diana - falei dando um sorriso enquanto caminhava até ela - você gosta mesmo das princesas não é?

 

 

- sim, porque elas são lindas - ela disse arrumando o cabelo da boneca - eu gosto da Bella por que ela nem teve medo da Fera

 

 

- e eu gosto da Elsa porque ela tem poderes de gelo - falei

 

 

- tia me arruma igual a Bella? - ela perguntou fazendo um biquinho, eu ri e passei a mão no seu cabelo

 

 

- tudo bem, pega as coisas que eu te arrumo

 

 

- EBAAA

 

 

[…]

 

 

A Diana estava linda, ela tinha praticamente tudo que precisava para ela se fantasiar de princesa, dês de vestido à coroa e sapatilha, ela estava vestida com o vestido amarelo da Bella, o cabelo estava em um coque que eu fiz o máximo para ficar igual ao da princesa que ela escolheu, eu estava passando baton nela, e todo segundo eu borrava porque ela não para de falar e rir

 

 

- Diana cheguei! - alguém fala e eu me viro para ver quem abriu a porta do quarto dela

 

 

- não acredito que você é o pai dela - falo com em choque, o garoto que carregou as sacolas é o pai dela?

 

 

- Brianna? - ele perguntou errando meu nome, eu ri

 

 

- é Allana - o corrigi, ele riu sem graça e olhou para a Diana que estava sentada na cama dela

 

 

- Que princesa mais linda - o loiro elogiou e veio até nós duas

 

 

- gostou titio? A tia que me arrumou igualzinho à Bellaaa - ela subiu em cima da cama e começou a pular na mesma

 

 

- você que arrumou ela? - ele perguntou, afirmei com a cabeça e dei um sorriso para a Diana que ainda pulava na cama - sem ser indelicado nem nada do tipo, mas, de onde você conheceu minha sobrinha?

 

 

- ela caiu na rua de bicicleta e eu limpei o machucado dela

 

 

- entendo, não me apresentei ainda, meu nome é John - ele disse extendendo a sua mão para mim, eu apertei a mesma e sorri

 

 

- você já sabe o meu nome, e não é Brianna - nós rimos e ele pegou a Diana no colo

 

 

- tio, meu papai chegou? - a Diana perguntou, John fez uma careta mas logo depois deu um sorriso para a garota

 

 

- acho que sim amor

 

 

- bom... Eu acho que já vou indo - falei e dei um beijo na bochecha da Diana - tchau pequena

 

 

- tchau tia, amanhã eu vou pra escola mas eu posso ir pra sua casa quando eu voltar? - ela perguntou

 

 

- Diana! Oque o tio já falou sobre se convidar? - John a repreendeu

 

 

- não, não tem nada, eu gosto da compania dela, e pode ir sim tá bom? Vou te esperar lá - eu sorri

 

 

- vamos levar a visita até a porta? - o loiro perguntou se aproximando de mim

 

 

- não, não precisa se incomodar eu sei o caminho - falei tentando ser o mais educada possível e saí do quarto da Diana, quando eu ia virando o corredor para ir em direção à sala dou de cara com o garoto tatuado de ontem

 

 

- oque merda você está fazendo aqui? Já não basta ter criado um tulmuto fora da minha casa agora quer criar outro dentro dela? - ele perguntou cruzando os braços

 

 

- to escultando algum cachorro latindo... Não sabia que aqui tinha cachorro - falei me referindo a ele e saí pela porta de entrada, assim que pisei o pé fora da casa sinto uma mão ao redor do meu braço

 

 

- quem você chamou de cachorro? - o garoto perguntou

 

 

- larga meu braço agora ou te arrebento - ameacei, ele riu e continuou a segurar meu braço

 

 

- vai! me soca, você não tem forças nem para... - não deixei ele terminar, fechei minha mão em um punho e o acertei na boca dele com toda a minha força, ele soltou meu braço e colocou a mão na boca, a mesma voltou com sangue - sua...

 

 

- não ouse a terminar sua frase, eu já chamei a polícia pra você uma vez e tenho coragem suficiente pra chamar de novo - falei e fui pra minha casa.

 

 

 

*No próximo capítulo*

 

 

- você é idiota - o tatuado falou chegando perto de mim

- não sou eu que fico pertubando a vizinhança, então acho que o idiota aqui é você - retruquei

- papai, tia oque tá acontecendo? - a Diana perguntou aparecendo na porta de casa. 


Notas Finais


Relou brabuletas, meu Deus que esquisito calma. COF COF RELÔ BRABULETAS, pronto, é assim que o povo gosta *me sento em uma cadeira que brotou do nada* gente, cadê vocês? Eu quero ver minhas leitorinhas ou leitorinhos :/ calma! Eu tenho leitorinhos aquie?
Ô PRODUÇÃO EU TENHO LEITORES?

produção: Se você não sabe eu vou saber?

Ixi ignorante, OXE, vai tomar chazinho de k-momila monamour.

Então gente depois desse súbito ataque estou me despedindo
Até o próximo capítulo, XAL


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...