História Alma Gêmea ( AU ) - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Tags Marichat
Exibições 84
Palavras 919
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Shoujo (Romântico), Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Gente~
Antes de qualquer coisa: DESCULPA!
Eu entrei em uma semana de provas FERROZ, achei que ia conseguir conciliar as provas com a história, mas não deu, deixei esse capitulo pela metade durante praticamente 1 semana!
Outra coisa:
MUITO OBRIGADA POR TUDO!
Fui ver hoje o número de views e favoritos...riso posso dizer: VOCÊS SÃO INCRÍVEIS!
Tenho uma pergunta pra vocês...maaaaaas eu faço lá am baixo!
Boa leitura!

Capítulo 10 - Meu mundo


Marinette sentou-se na cama, não tinha nada na janela e então ela foi ao terraço. 
Tendo se tornando semanas o sumiço dele, ao todo passaram-se 2 meses. Nada!Não tinha nada lá outra vez, desceu as escadas decepcionada, esperava que seu gatinho já tivesse retornado mas ela havia se enganado. 
Voltou a sentar-se na cama alta e ouviu um barulho diferente, um bater de pés no chão, ignorou, poderia ser sua mãe no andar de baixo, portanto voltou a escrever, estava concentradíssima no que fazia. Então ela sentiu uma brisa gélida, estranhou, não havia fechado a janela? 
Desceu da cama com cuidado e se aproximou da redoma de vidro escancarada. Céus, ela deveria estar enlouquecendo. Se inclinou para fechar o círculo de vidro e então sentiu. O que ela sentiu? Fácil. 
Braços fortes lhe cercavam a cintura,lhe dando um abraço carinhoso e quente, e então um beijo estalado fora depositado na curvatura do pescoço. Chat. Seu gatinho havia retornado. Uma onda de felicidade a invadiu, percorrendo-a como uma corrente elétrica. Mas tinha uma semelhança, outra pessoa já havia feito aquilo. Um nome lhe veio à mente: Adrien. 
Ele estava tão feliz, sentindo de novo a pela dela, o calor, o amor.
Começou a tentar vira-lá,queria selar seus lábios desesperadamente mas ela se soltou dos braços dele, dando um giro e petelecando a ponta de seu nariz. Só uma pessoa fazia aquilo com ele: Ladybug. 

- O que foi princesa?- ela estava com a cara fechada, braços cruzados e cabeça levemente inclinada para baixo. 
- Vai embora. - disse ela com a voz embargada 
- M-ma-mas por que?- ele estava aflito, incomodado, ele foi ali pra ficar junto dela, e ela o desprezara, aquilo doeu. 
- Por que? POR QUE? POR QUE? SEU GATO MISERÁVEL, VOCÊ SOME POR 2 MESES, ME PREOCUPA, E NÃO DÁ AVISOS! - ela já chorava, estava amarga, ela se sentiu abandonada, ele era sua alma gêmea, não deveria deixá-la. 
- M-mas eu não quis...q-quer dizer...- ele não sabia o que falar 
- Por que você fez isso? Sabe quantas noites eu te esperei acordada até tarde? Inúmeras! Sabe o quanto eu senti a sua falta? SEU GATO IDIOTA! - ela estava estressada, chorava de soluçar- você é minha alma gêmea, você não deveria me abandonar, era pra você me amar, e não me largar depois do primeiro " eu te amo"- ela começou a soluçar mais baixo, acordar alguém seria péssimo, por mais que tivesse gritado como uma louca. 
- Princesa, por favor...me desculpa! 
- Eu quero uma explicação!
- E-eu...
- Eu o que Chat Noir?
- EU NÃO TE MEREÇO OKAY?- exclamou alto.- você é muito boa pra mim...sempre põe os outros a sua frente, tem um coração de ouro, é inteligente, gentil e bonita! E eu...eu só sou um gato sem graça, egoísta, inútil e um peso pra todo mundo 
- Chat...- ela suspirou- eu não sou assim...eu sou desastrada, atrasada, confusa, eu sempre vou desapontar as pessoas...você é o Herói de Paris...sabe quantas pessoas agradecem todos os dias pelo simples fato de você existir? 
Ele não disse nada, estava de cabeça baixa e quando levantou o olhar viu a menina chorando...
- chat...posso te perguntar algo?
- Claro princesa- ele chegou perto dela e secou suas lágrimas 
- Você...
- Eu..?
- Você ainda ama a Ladybug?
Ele hesitou, havia cerca de 2 meses que nenhum Akuma aparecerá, mas a joaninha ainda invadia os pensamentos dele, e com clareza ele ainda poderia dizer que a amava, mas agora também estava a sua frente a menina que lhe conquistara o coração, ele estava tão confuso. 
- E-eu...Marinette...sim...eu ainda amo a Ladybug.
- Posso te dizer uma coisa?
- Claro! 
- Eu...eu nunca serei como ela...
- Como assim? 
- Ela é corajosa, auto-suficiente, esperançosa e perfeita...eu sou só a Marinette, filha de um padeiro, a garota mais desastrada da cidade. 
- Não diga isso princesa! 
Ele a abraçou, Deus como ela precisava daquilo, ergueu os braços e os envolveu no pescoço do loiro, suspirou em meio ao calor dele. Ela sentiu tanto a sua falta. 
Ele estava perdido, a sensação de te-la de volta era a melhor do mundo, mas saber que ela se menos prezava daquele jeito o perturbava, okay...ele também falava aquelas coisas, mas ele ainda tinha razão, afinal o próprio pai havia dito aquelas palavras. 
O anel dele apitou, eles se separaram com muita luta, ele ainda com as mãos pousadas na cintura dela, lhe puxou e envolveu em um beijo terno, era um selinho demorado, que se aprofundou um pouco. Se separaram...ela subiu a pequena escada, abrindo o alçapão, sendo seguida pelo gato. Ao chegar na grade do terraço, ele já quase pronto para saltar e ir embora, se virou e perguntou: 
- Posso gritar para o mundo inteiro uma coisa? 
- Ué...claro que pode seu bobo- sua gargalhada fofa preencheu os ouvidos do loiro, aquecendo-lhe o peito.
- Então tá bom 
Ela desceu da grade e chegou perto do ouvido dela, sussurrando baixinho: 
- Eu te amo
Foi a primeira vez que ELE disse aquilo, era gostosa a sensação pra ela, a reciprocidade, o corresponder, sua raiva do gato já tinha se esvaído,e com aquelas palavras ele a vez enrubescer. 
- por que sussurrou isso pra mim? 
- Por que...- ele roubou um beijo dela e saiu pulando do prédio, estando já no terceiro telhado ele gritou: 
- VOCÊ É O MEU MUNDO! 
Ela sorriu, e disse baixinho de onde estava:
- você também se tornou o meu.


Notas Finais


Infelizmente não ficou grande,droga!
Mas o que vale é a intensão...né?
O que vocês acharam? Está bom? Devo continuar?
E agora a big pergunta:
Rufem os tambores....
Vocês gostariam de um especial de 50 favs?
Podem escolher um Shipp, qualquer um dentro do universo miraculous por favor Hahaha
Se vocês gostarem da ideia, fazemos uma votação!
Bjs de cookie pra vcs ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...