História Almas Dolorosas - Capítulo 42


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Anko Mitarashi, Asuma Sarutobi, Deidara, Fugaku Uchiha, Iruka Umino, Itachi Uchiha, Izuna Uchiha, Jiraiya, Kabuto, Kagami Uchiha, Kakashi Hatake, Kiba Inuzuka, Kisame Hoshigaki, Kurenai Yuuhi, Madara Uchiha, Menma Uzumaki, Mikoto Uchiha, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Yamato
Tags Itakisa, Jiraiya X Fugaku, Kakashi X Yamato, Obito X Deidara, Sasunaru, Shinokiba
Exibições 69
Palavras 3.023
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Lemon, Policial, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capítulo e já estou ficando triste porque a fanfic tem previsão de termino dia primeiro de janeira e fará um ano certinho. ;-; Eu tô amando escrevê-la e não quero deixá-la, mas vou ver se talvez consiga mantê-la emocionante como está por mais um ano, kkkkk. É a primeira fanfic que eu faço e amo tanto assim! Sério... Aproveitem esse capítulo e até as notas finais.

Capítulo 42 - Passivos


Fanfic / Fanfiction Almas Dolorosas - Capítulo 42 - Passivos

Anteriormente: Itachi mata Izuna, Sasuke resgata e acolhe Naruto, Yamato atira em Kabuto e foge do esconderijo de Orochimaru em Berlim, Deidara conta a Deidara que é um membro da Akatsuki, Yamato descobre que Kakashi foi capturado por Orochimaru, Sasuke e Naruto tem momento quente quando Jiraiya e Fugaku reaparecem.

Sasuke e Naruto se levantaram e aproximaram-se de Jiraiya e Fugaku para entender o que estava acontecendo, pois não havia como os dois estarem vivos. Ou havia? Os quatro se dividiram em duas duplas, Jiraiya e Naruto foram caminhando de um lado do cemitério para que ele explicasse ao loiro o porquê deles estarem vivos e terem voltado, e a outra dupla era formada por Sasuke e seu pai Fugaku, eles se sentaram em um banco para conversar calmamente. O filho de Fugaku ficou-o encarando sem saber o que dizer, ele pensava que seu pai havia morrido. Para Sasuke, seu pai era a única coisa de sua família que sobrou com quem ele se importava e saber que ele não o havia perdido para sempre era um alívio. O moreno passou a mão em seu rosto e enxugou as lágrimas que acabaram escapando de seus olhos por causa da emoção.

Sasuke: O senhor está vivo? Por quê? Eu pensei que Izuna tinha acabado com o senhor e o Jiraiya.

Fugaku: E acabou. Mas eu fui mais esperto e, sabendo que não venceríamos a luta contra Izuna, eu coloquei um posinho na minha e na bebida do Jiraiya depois que nós transamos. Eu já havia pressentido que Izuna viria e tomei rapidamente uma bebida com ele. O posinho que eu coloquei agia no nosso organismo transformando a dor e os ferimentos em sono, por isso dormi tanto tempo parecendo que estava morto. Então... A explicação é essa! Filho... Eu sei que não tenho sido um pai presente em sua vida... e nunca te apoiei e estive ao seu lado em nada depois que soube de você, mas.. As coisas mudaram, eu e o Jiraiya... Bom, deve estar chocado de me ouvir falar isso, mas eu e o Jiraiya estamos juntos. É. Nós dois estamos comprometidos um com o outro agora e nos amamos, mesmo que seja de um jeito estranho e completamente diferente do amor normal. Mas o que é importa é que nós nos amamos, Sasuke. Ah, filho... Se eu puder recompensar tudo o que fiz e causei a você... É só me pedir.

Sasuke não segurou mais nenhuma lágrima e deu um abraço apertado em seu querido pai, que, apesar de tudo, ele amava muito.

Sasuke: Eu te amo, pai! Obrigado por entender... o quanto o senhor é importante para mim. Eu lhe desejo toda a felicidade do mundo com o Jiraiya, pai. Eu só quero que o senhor seja feliz. Obrigado por não ter morrido!

Fugaku: Ah...

O pai de Sasuke ficou surpreso com as palavras do filho e abriu um sorriso no rosto, então corespondeu ao abraço, abraçando carinhosamente seu filho amado.

Fugaku: Você é o meu filho, Sasuke. O meu filho! Eu não te trocaria por nada. Eu te amo, filho! Você é o meu filho gay... e eu amo você, independente de tudo.

Sasuke: Pai... Sempre quis ouvir isso do senhor.

Fugaku: Agora ouviu meu filho. Agora ouviu.

Após o fim do abraço duradouro, os dois se levantaram daquele banco e seguiram na direção de Jiraiya e Naruto, pois aqueles momentos românticos e amorosos dentro de um cemitério não estavam muito legais. Horas depois, Jiraiya, Fugaku e Naruto haviam ficado no novo hotel em que Sasuke havia alugado um quarto enquanto ele foi ao Castelo Japonês dos Uchiha retirar seu amigo Kagami da masmorra.

Sasuke: Pronto. O senhor está livre agora, poderemos continuar o nosso longo trabalho pela reconstrução do clã.

Kagami: É. Pois é. Mais um peão caiu, não é? Está na hora de derrubarmos um cavalo.

Sasuke: O meu irmão? Concordo plenamente.

Kagami: Ele é o único que representar grande ameaça no controle do clã atualmente, então temos de pará-lo.

Sasuke: O senhor tem razão, o rei deve acabar com as revoltas do povo.

Kagami: E quem seria o rei?

Sasuke: Eu. É claro. Mas o senhor poderia me fazer a gentileza de ser o novo líder do clã Uchiha por enquanto?

Kagami: Ah, sei... Safadinho… He, he… Quer que eu morra antes de você, né? Eu não sou burro, garoto. Mas aceito. Afinal, o bispo serve ao rei.

Sasuke: E o que te garante como bispo?

Kagami: A minha velhice, garoto.

Os dois riram com a resposta do velho e decidiram que, a partir de agora, o líder do clã Uchiha seria Kagami para a segurança de Sasuke, pois o velho tinha plena certeza de que tentariam assassiná-lo se ele entrasse no cargo. Mas antes peões, bispos, cavalos, torres a rei.

Yamato estava esperando alguma movimentação fora do esconderijo de Orochimaru em Berlim, porém nada ocorria. Ele havia vindo de carro, mas o havia deixado bem longe do local para que nada pudesse dar errado. Espiava a entrada do esconderijo atrás de uma enorme árvore.

Yamato: Bom... Ninguém sai e nem entra. Então eu terei de entrar sozinho.

Novamente, a porta do esconderijo estava aberta quando ele tentou entrar e parecia uma armadilha. Parecia, não, era uma armadilha. O policial entrou no esconderijo e caminhou apontando a arma para tudo à sua volta para não se ariscar muito.

Yamato: Até agora nada, mas onde saberei onde ele está?

De repente, as luzes se ligaram e ele se viu no meio de um enorme salão onde Orochimaru e Kabuto estavam à sua frente. E com Kakashi amarrado.

Orochimaru: Bom dia, policial Yamato. Como o senhor está?

Yamato: Deixe de brincadeiras e rodeios! Eu quero o meu namorado! Passe-me ele pra cá!

Kabuto: Calma, Yamato-kun. Não, não. Não é assim que as coisas funcionam, terá de fazer algo para nós antes.

Yamato: Algo para vocês? E o que eu faria para vocês? São criminosos canalhas sem limites! O que os faz pensar que eu faria algo para vocês?

Orochimaru: O seu namorado. Pense bem... Temos o seu namorado, certo? Nós queremos apenas que você de um corte pequeno em seu dedo e deixe cair gostas de sangue no chão deste salão, se fizer isso, libertaremos o seu homem.

Yamato: Para quê precisam do meu sangue?

Kabuto: O senhor quer o seu “boy” ou não? Orochimaru-sama é piedoso às vezes, ele pode libertar o seu amor sem nenhum tipo de conflito, basta pingar gostas do seu sangue no chão deste salão.

Yamato: Então tá. Querem meu sangue? Terão meu sangue.

O policial pegou uma faca e deu um pequenino corte no indicador de sua mão esquerda e deixou pingarem gostas no chão do local, em seguida, Orochimaru ficou satisfeito com a quantidade de sangue deixado pelo inimigo e libertou Kakashi, que foi correndo para os braços de seu amado.

Kakashi: Eu senti tanto a sua falta! Eu não ficarei longe de você até terminar esse maldito trabalho que tem para fazer aqui em Berlim, ouviu? Eu não ficarei longe!

Yamato: Que bom que se preocupou comigo, Kakashi. Eu fico realmente... muito, muito feliz. Eu te amo, sabia?

Kakashi: Eu também te amo, seu idiota!

No hotel em que Sasuke, Naruto, Jiraiya e Fugaku estavam, o loiro e seu moreno alugaram outro quarto no hotel para Jiraiya e Fugaku se sentirem mais à vontade para fazerem certas coisas, se é que me entende. Os dois estavam na varanda do hotel, observavam a vista linda do mar à sua frente.

Jiraiya: Então... Tudo acabou?

Fugaku: O quê?

Jiraiya: Resolveu o problema com o seu filho para podermos ficar juntos?

Fugaku: Ah, sim. E, não. A minha relação com o meu filho nunca esteve melhor, mas as coisas ainda estão longe de terminar.

Jiraiya: O que quer dizer com isso? Fugaku, Fugaku... Eu não quero entrar mais nas tretas do seu clã, ouviu? Aquela puta do Izuna já nos “fudeu” uma vez, esqueceu? Só espero que ele não volte dos mortos que nem nós fizemos.

Fugaku: Felizmente, não. O meu filho mais velho quase o decapitou, não teremos mais problemas com aquele verme. Eu prometo que não lhe envolverei em mais nenhum conflito dentro de meu clã, OK?

Jiraiya: É impossível prometer isso, porque eu sempre estarei ao seu lado, então acabarei me envolvendo de qualquer jeito.

Fugaku: Então sempre estará ao meu lado, é?

Jiraiya: Sempre.

Jiraiya levou Fugaku até tirou sua calça rapidamente, abaixou a cueca até os joelhos e enfiou dois dedos em sua entrada, então começou a fazer os movimentos.

Fugaku: Ah, ah, ah, ah... Eu quero que você me foda, Jiraiya! Seu pervertido! Eu quero que você me foda!

Jiraiya: É? Quer que eu te foda? Quer que eu enfie meu pau dentro de você?

Fugaku: Eu quero! Eu quero muito!

Jiraiya: OK. Hoje vou ir com tudo. Afinal, faz tempo que não temos uma relação daquelas... Eu vou enfiar ele todo dentro de você hoje. Todinho.

Enquanto esses dois esquentavam o clima na cama, Itachi fazia o mesmo com Kisame, mas em Tóquio, no Japão. O Uchiha penetrou com vontade em seu passivo e já estava fazendo os movimentos de vai e voltar com uma enorme velocidade para satisfazê-lo. As suas mãos estavam na cintura do companheiro para ajudar nos movimentos.

Itachi: Você gosta que eu meta em você, Kisame? É? Eu sei que você gosta. Eu sei que você é uma bicha completamente passiva e que gosta de um pau dentro do próprio cu. Diga para mim, diga. Eu quero ouvir dos seus lábios. Diga! Senão ficará de castigo e não me terá por uma semana.

Kisame: Ah... Ah... Ah... Ah, eu… Ah… Eu gosto de ter você dentro de mim. Eu gosto de... Ah... Sentir o seu pênis dentro de mim. Eu... eu sou uma bicha passiva que ama dar.

Itachi: Isso! Isso! Se entregue a mim por completo, Kisame. Dê-me seu corpo e sua alma, deseje que eu te possua e que eu te tenha. Deseje que meu pau fique dentro de você!

Kisame: Ah, ah, ah, ah, ah, ah, ah, ah… Ah… Itachi… Fique dentro de mim. Ah... AH!

Itachi havia gozado e seu corpo despencado em cima do de Kisame, os dois estavam com a respiração agitada depois de terem feito esforço para o prazer.

Itachi: Você gostou de eu gozar dentro de você?

Kisame: Gostei. Gostei muito. Eu amei sentir o seu pau dentro de mim.

Itachi: E eu amei sentir meu pau dentro de você.

Então, os dois se admiraram com os olhos e se beijaram entrelaçando suas línguas. De repente, uma ligação para Itachi interrompe aquele momento e o fez sair da cama para atender.

Itachi: Alô?

Deidara: Oi, Itachi. Aqui é o Deidara e... Bom, eu estou a fim de sair da organização, sabe? Você pode me ajudar?

Itachi: Sair? Está louco? Ficou maluco, é? Ele não gostaria nada disso, Deidara! Vê se para com burrice e continua fazendo o seu trabalho, ouviu? Não vamos incomodar o chefe com os seus desejos idiotas. Você nem faz o trabalho sujo de verdade e fica aí reclamando e querendo sair? Nós te demos uma nova vida e uma nova chance de viver! Percebeu o quanto você é ingrato por tudo o que fizemos por você?

Deidara: Mas Itachi, eu...

Itachi: Vá se foder, pois não irei ajudá-lo em porra nenhuma! Adeus!

Kisame: Pra quê tanta raiva e ódio? O que o pobre do Deidara fez?

Itachi: Não me venha com esse papo de coração amolecido agora, Kisame. Nós estávamos fodendo e você amou sentir o meu pau dentro de você, eu sei que você é um baita de um passivo, mas preciso que haja seriamente agora! Estamos entendidos?

Kisame: Sim, senhor.

Itachi: Ótimo, amor. Então... O que sabe sobre o caso do Deidara?

Kisame: Não é só um caso, ele está apaixonado pelo garoto. Garoto entre aspas. Eu digo isso por que ele está em um relacionamento sério com um modelo jovem e lindo chamado Obito.

Itachi: Hã? O que disse? Obito?

Kisame: E você nem sabe da pior: o namorado dele se chama Obito Uchiha.

Itachi: Outro Uchiha? Ah... Aonde o Deidara se meteu, hein? Aquele idiota está se envolvendo com um Uchiha! Precisamos dar um jeito nisso, Kisame. Quer meu pau dentro de você de novo?

Kisame: Claro.

Itachi: Tem certeza de que aguenta mais uma foda agora mesmo?

Kisame: Pode vir com tudo, Ita-kun.

Itachi: Está bem, eu estou indo aí.

No quarto em que Sasuke e Naruto estavam juntos no hotel, os dois haviam tomado um banho juntos, pois haviam tido uma reaproximação, mas nada que deixasse tudo às mil maravilhas, claro. O moreno passou o sabonete pelo corpo de seu amado, lavando-o. Enquanto água que saía do chuveiro caía sobre os dois e os encharcava, os mesmo se beijavam. Naruto vestiu uma cueca Box branca e uma calça jeans preta e coladinha da cintura para baixo e ficou deitado com suas meias nos pés em cima da cama, ele permaneceu sem camisa para ficar mais à vontade. Sasuke vestiu uma cueca Box e uma calça jeans azul escuro, além de colocar uma camisa de manga cumprida amarela da cintura para cima. O moreno estava sentado em uma mesinha perto da TV, tomando uma xícara de café. Porém veio em sua mente uma pergunta que a percorria sem parar, uma pergunta que seu amado lhe havia feito e ele não sabia responder. Será que era uma boa ideia trazer o assunto de volta à tona?

Sasuke: Naruto, por que estamos juntos mesmo?

Naruto: Pensei que já tivéssemos conversado sobre esse assunto e resolvido que você não tem resposta para isso.

Sasuke: Mas eu quero saber a sua resposta. Por que estamos juntos?

Naruto: Você quer mesmo saber a minha resposta? Então lá vai. Estamos juntos por que você é importante para mim, estamos juntos por que eu não consigo viver sem você ao meu lado, estamos juntos por que, apesar do risco de morte, eu amo a adrenalina que você causa em mim. Nós estamos juntos por que eu amo a mistura em sua personalidade do romântico, o fofo e o perverso. Então Sasuke, é por isso que, para mim, nós estamos juntos.

Sasuke: Poxa... Uau! É sério! eu estou... eu estou de boca aberta. É sério! Nunca imaginei que você pudesse...

Naruto: Responder? Burro... Por que acha que eu perguntei?

Sasuke: Eu só pensei que você estava atrás de um “porque” para tudo isso, sabe? Tipo uma explicação.

Naruto: Mas eu estou. Eu estou. Eu fico chocado de saber que você não sabe o motivo de estarmos juntos, sinceramente.

Sasuke: Mas o que exatamente quer de mim, Naruto? Eu sinto muito, mas eu infelizmente não sei explicar o sentimento que eu sinto por você, se é isso o que quer! Eu não sei! Eu só sei que eu te amo e é isso o que está acontecendo neste momento, Naruto. Eu te amo! Não precisa de um “porque”, nem “como” nem nada. Eu te amo. E só isso basta, pelo menos para mim.

Naruto; Ai, Sasuke... Eu não quero entrar no mesmo assunto e na mesma discussão novamente, faça-me o favor!

O moreno caminhou até o moreno e deitou na cama, chegou seu corpo perto do dele e encarou seus olhos.

Naruto: O que está olhando?

Sasuke: O quanto seus olhos são lindos.

Naruto: Está pensando em comê-los, não é?

Sasuke: Muito. Eu posso? Acabou a greve de sexo?

Naruto: Você não... OK. Você... Você pode. Acabou a greve de sexo.

Sasuke: Ótimo.

Sasuke passou sua língua do pescoço até a cintura do companheiro para excitá-lo, logo, subiu para a região dos mamilos e deu umas lambidas no esquerdo e chupou um pouco o direito. Ele seguiu com os chupões para o pescoço, onde acariciava com seu rosto, seus lábios e sua língua, seduzindo ainda mais o loiro. Enfiou as suas duas mãos dentro da cueca do loiro para preparar seu membro, então desceu a calça junto à cueca até os pés e abaixou-se até o meio das pernas dele. Colocou seu membro dentro de sua boca e começou a chupá-lo, o membro de Naruto começou a se excitar mais e a ficar cada vez mais duro, o sêmen se vinha se aproximando da saída para ele se aliviar quando o moreno parou. O moreno deu algumas lambidas de baixo para cima no membro de Naruto e rapidamente o colocou dentro de sua boca novamente.

O loiro gemia e gemia muito de prazer. Ele estava desejando que seu moreno penetrasse nele, ele estava desejando que alguém ou algo preenchesse o vazio em sua entrada. Sasuke se despiu rapidamente e fez os movimentos de sobe e desce em seu membro para que ele endurecesse um pouco, após isso, a camisinha foi colocada e ele penetrou calmamente dentro de seu loiro, que foi sentindo sua entrada ser preenchida aos poucos. Assim que os movimentos começaram, Naruto comelou a sentir que seu membro estava duro demais e parecia estar querendo se desgrudar do corpo, pois ele não estava sendo pressionado para que gozasse. Então o jovem Uchiha começou a masturbar Naruto enquanto fazia os movimentos de vai e voltar para satisfazê-lo por completo.

Enquanto o Uchiha fazia os movimentos e masturbava o loiro, ele o beijou e suas línguas se entrelaçaram. Muitas coisas prazerosas ocorriam ao mesmo tempo e o passivo era o que mais sentia prazer e se satisfazia, Naruto sentia sua entrada preenchida e o saco escrotal mole de Sasuke bater em sua bunda e isso despertava mais vontade de dar sua entrada ao amado ainda.

Aquilo não era sexo, aquilo não era simplesmente uma relação sexual ou uma relação amorosa na cama, tanto faz o nome que derem para isso. Uma coisa ninguém poderia negar naquele momento: aquilo era amor. O amor brotava e brotava sem parar, o desejo, a vontade, o prazer, o sentimento... Tudo englobado e resumido em uma única palavra chamada amor. Era amor com letra maiúscula e, não, minúscula. Aquele amor era o que passivo sentia por seu ativo... e o que o ativo sentia... por seu passivo.

Continua...


Notas Finais


Obrigado por lerem! Digam-me o que acharam, quem quiser, para eu saber da opinião de vocês. Um ano acompanhando essa fanfic e moldando-a... Eu realmente tô orgulhoso desse grande trabalho, obrigado a todos que estão acompanhando. Aqui tem o link das outras que eu faço pra quem se interessar:
https://spiritfanfics.com/historia/eterno-amor-6707685
https://spiritfanfics.com/historia/desonrados-5098161
https://spiritfanfics.com/historia/ativos-5499429
Vejo vocês no próximo! Obrigado a todos que acompanham de coração ^-^ Isso me dá muita força pra fazer minhas obras.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...