História Almas Dolorosas - Capítulo 45


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Anko Mitarashi, Asuma Sarutobi, Deidara, Fugaku Uchiha, Iruka Umino, Itachi Uchiha, Izuna Uchiha, Jiraiya, Kabuto, Kagami Uchiha, Kakashi Hatake, Kiba Inuzuka, Kisame Hoshigaki, Kurenai Yuuhi, Madara Uchiha, Menma Uzumaki, Mikoto Uchiha, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Yamato
Tags Itakisa, Jiraiya X Fugaku, Kakashi X Yamato, Obito X Deidara, Sasunaru, Shinokiba
Exibições 33
Palavras 3.255
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Lemon, Policial, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, genteeeee. Aqui estou eu mais uma vez rpa vocês, eita fanfic longa! Kkkkkk Deve ir até o capítulo 50 e tem muito o que acontecer ainda os capítulos finais serão os mais emocionantes e cheios de surpresas e novidades. Aproveitem o capítulo e até as notas finais ^-^

Capítulo 45 - Amar


Fanfic / Fanfiction Almas Dolorosas - Capítulo 45 - Amar

Kagami estava sentado no trono do Castelo Japonês dos Uchiha em Berlim, na Alemanha, ele esperava que alguém viesse lhe matar. O velho Uchiha já estava ciente de que não teria mais muito tempo de vida e preparava-se para a sua luta final apesar de que não precisaria lutar muito. De repente, a enorme porta do castelo se abriu mostrando os dois guardas que ficavam à sua frente mortos, entre eles estava Itachi Uchiha, o irmão mais velho de Sasuke Uchiha, e que queria tomar aquele trono para si.

Itachi: Olá, Kagami.

Kagami: Eu sei o que veio fazer aqui, não resistirei muito se quer saber.

Itachi: Ótimo, poupa-me trabalho. Se bem que o senhor já está numa certa idade, não é? Já está velhinho. Então pouparei o mínimo de esforço que você possa fazer.

Kagami: O que quer dizer com isso? AH! O quê…?!

Kagami sentiu algo atravessar o seu coração, mas achou que aquilo era apenas uma ilusão, pois Itachi estava há metros de distância dele.

Itachi: Não é uma ilusão se é o que está pensando. É totalmente real! E sabe porquê? Porque eu sou uma ilusão. Eu não estou aqui, Kagami. Eu estou aí.

Kagami: A-ah… Como isso é…? Como isso é possível?

Itachi: Graças a tecnologia que eu adquiri com meu pai sou capaz de realizar esse tipo de técnica. Eu confundi os seus olhos fazendo com que seu cérebro projeta-se a imagem errada mostrando um corpo no local onde está o meu anel. Hora de dormir, Kagami.

Kagami: I-ta-chi… Irá pagar por tudo o que fez um dia, por isso te digo… Se arrependa… E mude.

O velho Uchiha despencou no chão com uma espada penetrada em seu coração, ele já estava arrependido por tudo o que havia feito e pago seus pecados com tanto sofrimento que passou, agora ele sairia daquele mundo para ir para outro. Céu ou inferno? Ninguém sabe. Ninguém voltou para contar.

Itachi: ISSO! AGORA EU SOU O NOVO LÍDER DO CLÃ UCHIHA!

Orochimaru havia se comunicado com Fugaku e marcado um encontro com ele em um beco perto do hotel em que ele estava, o Uchiha sabia que tinha noventa e oito porcento de chance de ser uma armadilha e dois porcento de chance de não ser, mesmo assim, foi. O beco estava escuro, estava de noite e a lua minguante iluminava levemente o local.

Fugaku: Eu vim aqui para dar um ponto final em todos esses acontecimentos, Orochimaru. Será que é possível resolvermos tudo na conversa?

Orochimaru: Isso já passou da fase da conversa há muito tempo, Fugaku Uchiha. Agora é guerra!

Fugaku: Entendi. Então agora é guerra, não é? Desejo-lhe sorte no campo de batalha. Espero que não tenha pensando em me capturar, eu vim bem armado.

Orochimaru: Mas é claro que eu também vim.

Orochimaru puxou sua arma rapidamente e apontou para Fugaku, que atirou na mesma hora sem hesitar e atingiu o rosto dele. Porém, Orochimaru retirou uma máscara de seu rosto da mesma cor de sua pele, era um disfarce para se prevenir de tiros naquela região, ele atirou uma faca repentinamente em Fugaku e o fez tombar sangrando.

Orochimaru: O jogo final começa agora, Fugaku Uchiha. Meu velho amigo.

Fugaku: Maldito!

—Manchester, Inglaterra—

O namorado secreto de Deidara o acompanhou junto com Itachi e Kisame até um dos esconderijos da Akatsuki em Manchester para receber o roupão da organização, após vestir o roupão, ele ouviu Deidara ser chamado por Kisame para que eles resolvessem um problema financeiro da organização rapidamente e ficou sozinho com Itachi em um cômodo. Itachi aproveitou a oportunidade para dar o bote, ele se aproximou de Obito, o puxou e o jogou na cama.

Obito: O que significa isso, Itachi? O-o que irá fazer?

Itachi: Só um pequeno aviso.

Itachi apertou os braços de Obito e isso o fez gritar.

Itachi: Eu sou mais forte e mais inteligente do que você, o Kisame e o Deidara juntos. Então é bom tomar cuidado, não posso expulsá-lo da organização, mas se fizer nem que seja uma coisinha de errado eu saberei e eu farei com que você nunca mais me veja. Antes de fazer você desaparecer te comerei com vontade e você saberá o que é o verdadeiro sofrimento, entendeu? É bom ficar ligado se não quiser perder a minhoca que você tem entre as pernas e chama de pênis. Ah, e se contar algo dessa nossa conversa ao Deidara, eu te mato.

Óbito: S-sim, s-senhor…

Itachi saiu e fechou a porta deixando Obito pensativo e com medo, Deidara a abriu minutos depois, foi até seu amado e o abraçou.

Deidara: Por que está aqui sozinho, Obito?

Obito: Ah, eu… Eu só não quis ficar perto do Itachi, então vim pra cá. Deidara, saiba que eu só estou nessa organização por nós, entendeu? Eu nunca me meti em algo parecido antes, eu morava numa pensão e pagava aluguel.

Deidara: Eu sei, eu sei. Você já me falou sobre o assunto, mas fique tranquilo, aqui dentro da organização é só você seguir os meus conselhos, OK?

Obito: OK.

O loiro selou um beijo suave em seu Uchiha.

Obito: Quando vamos dar um passo maior na nossa relação?

Deidara? Você quer dizer… Casar? Quer tudo tão rápido assim?

Obito: Não, eu não quero casar. Não é bem casar, é só…

Deidara: Entendi. Deixa comigo que eu sei o que podemos fazer.

Eles se abraçaram novamente, Obito ficou mais tranquilo depois daquela ameaça assustadora de Itachi Uchiha, pois agora estava nos braços do seu gentil louro. Ambos sentiam seus corpos colados um no outro, aquilo era tão aconchegante.

—Horas depois, Berlin, Alemanha—

Era de madrugada, Itachi tinha sido convidado por Kabuto a vir ao esconderijo de Orochimaru na cidade para eles terem uma conversa sobre algo que lhe interessava, ele só não sabia sobre que assunto se tratava.

Itachi: Então, o que quer falar comigo, Orochimaru? Eu trouxe Kisame junto para caso tente algum truque seu, é bom não tentar me matar.

Orochimaru: Quem você pensa que eu sou? Claro que jamais faria algo do tipo antes de anunciar, hehe. Mas trouxe algo do seu interesse.

Kabuto retirou Fugaku amarrado de dentro de um saco de algodão, levantou-o esegurou seu rosto para que Itachi pudesse olhá-lo bem.

Itachi: O que significa isso?

Orochimaru? Como o quê? Estou com o seu pai de refém, renda-se ou eu mato ele.

Itachi: O que pretende com isso, Orochimaru? E o que o faz pensar que eu cederia a um golpe baixo desses?

Orochimaru? Como é?

Itachi: Faça o que quiser com ele, eu não ligo.

Orochimaru: Maldito!

Itachi: A sua chantagem falhou e irá morrer por tentar isso. Kisame!

Kisame: Entendido.

Kisame fez um movimento rápido puxando sua espada na direção de Orochimaru, não havia como desviar, entretanto, Kabuto entrou na frente e foi atingido dando tempo para que seu mestre pudesse se distanciar. Os olhos de Orochimaru arregalaram-se ao ver seu servo caído no chão com seu sangue derramado.

Orochimaru: KABUTO!

Kabuto: Pelo menos eu… Pelo menos eu te protegi. Orochi… Orochimaru-sama… Obrigado por ter me dado uma nova razão para viver, obrigado por ter me tirado da cadeia.

Orochimaru: Kabuto, não diga bobagens! Não é hora pra sentimentalismo!

Fugaku: Você falhou, Orochimaru. O meu filho mais velho não se importa nem um pouco comigo, ele com certeza irá me matar assim que te matar. Acabou.

Orochimaru: Acabou? Jamais! Está muito longe de terminar!

Kabuto: Orochimaru-sama…

Kabuto se esforçou para levantar e ir até seu mestre, ele o abraçou e sorriu, em seguida despencou no chão pronto para dizer suas últimas palavras.

Kabuto: Orochimaru-sama… A minha nova razão de viver foi… A minha nova razão foi… o senhor.

Orochimaru: Ka-kabuto?! Maldito Itachi! Você o matou!

Itachi: Iria me matar, não é mesmo? Eu apenas fiz o feitiço virar contra o feiticeiro.

Orochimaru: MALDITO! VOU TE ESGANAR!

O confronto entre Itachi e Orochimaru estava prestes a começar quando Jiraiya aparece e derruba com uma metralhadora enorme na mão e atira para todos os lados. Todos tentam desviar desesperados.

Orochimaru: MALDITO! QUANDO TEVE A CHANCE DE CHAMAR SEU NAMORADO PRA CÁ?

Fugaku: Achou que ele não estava escutando a nossa conversa pelo celular?

Orochimaru: MALDITO, CALA A BOCA!

Itachi: Mais um para tirar a paz. Que saco.

Jiraiya: Vou metralhar vocês todos idiotas, ninguém mandou capturarem o amor da minha vida. Vai todo mundo morrer com furos no pinto aqui!

Jiraiya deu uma risada alta, pervertida e irritante, então voltou a atirar. Ele se aproximou de Fugaku aos poucos e o desamarrou, todos estavam bem distantes dos dois, o que facilitava a fuga.

Orochimaru: JIRAIYA, MALDITO! EU AINDA MATO VOCÊ!

Jiraiya: Até qualquer hora, Orochimaru. E feliz ano novo adiantado.

Orochimaru: Desgraçado…

Itachi: Bom, o seu plano deu errado. Sinto muito, mas agora não somos mais aliados. Eu já estava querendo que fizesse algo mesmo, pois não queria ficar preso a você para sempre. Nos encontramos qualquer hora, Orochimaru. Vamos, Kisame.

Kisame: Certo.

Os dois se retiraram deixando Orochimaru caído e com Kabuto morto em seus braços.

Orochimaru: Então é assim? Aguardem… Todos me aguardem! Eu estou sozinho agora, mas estou vivo graças a você, Kabuto. Obrigado. O seu sacrifício não será em vão. Kabuto… Você foi quem eu cheguei mais próximo… de amar. Mesmo que não tenha demonstrado nitidamente. Bom, agora como eu irei agir sozinho? Hum… Eu… Eu já sei! É isso. Eu vou triturar todos, um por um. Já tenho um plano, um plano para mandar todos para o inferno, onde não irei tão cedo.

Itachi e Kisame voltaram de carro para o esconderijo da Akatsuki em Berlim, Kisame estava se sentindo um pouco triste por ter matado uma pessoa, seu coração era diferente do de Itachi, o coração de Kisame era mais humano. Mesmo assim, ele resolveu desabafar com o companheiro.

Kisame: Itachi… Eu não estou me sentindo muito bem. Será que foi certo o que fizemos? Eu matei a única pessoa que o Orochimaru tinha ao seu lado, não acha que foi demais?

Itachi: Demais? Não me faça rir, Kisame! Era isso mesmo o que eu queria, deixar aquele desgraçado sem ninguém. Logo ele será eliminado.

Kisame: Itachi, já pensou no porquê de fazermos tudo isso? É algo tão estranho, eu nunca pensei nisso até agora.

Itachi: Seria bom não pensar mais, pois não conseguirá a resposta a menos que morra.

Kisame: Mas…

Itachi: KISAME! Você faz isso porque me obedece e é seu dever me obedecer, entendeu? Agora faça a minha vontade e preencha o meu desejo, tire sua roupa para eu me aliviar um pouco com o seu corpo.

Kisame: Mas… Itachi, eu…

Itachi: Você não é nada para ninguém, é apenas um objeto que pode ser usado por mim quando eu quiser. AGORA TIRE A ROUPA!

Kisame: Sim, senhor. (pensando) Será que essa é a minha razão de viver mesmo? O Itachi? O meu dever é servi-lo dando-lhe prazer e apenas isso? Não pode ser. Eu… Por hora tenho que… odebecê-lo.

Lágrimas desciam pelo rosto de Kisame e ele chorava silenciosamente enquanto tirava sua roupa e se preparava para a penetração de Itachi.

Itachi: Estou com raiva hoje e serei um pouco mais rígido, se você sangrar nós damos um jeito nisso depois. Farei sem camisinha também, quero sentir como se estivesse te destruindo.

Kisame: (pensando) Me destruindo, né? Então é assim que você é, Itachi. É bom… saber.

A hora do sol nascer em Berlim se aproximava, aos poucos a lua ia sumindo carregando toda a tristeza que as pessoas passaram naquela noite para um dia fazê-las desaparecerem. Fugaku parecia uma criança sendo lavado pelo namorado, Jiraiya passava o sabonete no corpo do Uchiha que precisava relaxar um pouco após a noite turbulenta. Nada foi contado para Naruto e Sasuke, o que aconteceu naquela noite permaneceria em segredo. Pelo menos até o momento final chegar e as bombas se explodirem.

Fugaku: Obrigado por me salvar, Jiraiya. Eu te amo, muito mesmo.

Jiraiya: Eu sei disso.

Fugaku: Não sentiu medo?

Jiraiya: Medo? Porquê? É claro que eu senti medo, mas não foi tanto assim. Fugaku, não importa se eu tenha que enfrentar o criminoso mais procurado do mundo ou uma máfia japonesa inteira, eu sempre te protegerei.

Fugaku: Jiraiya…

Jiraiya: Agora descanse e deixe eu lavar seu corpo, você…

O homem de cabelos brancos, longos e espetados foi interrompido pelo beijo repentino do seu amado Uchiha, que o puxou e fez suas línguas se conectarem e seus olhos arregalar-se.

Jiraiya: Fugaku, você…

Fugaku: Eu tô mandando o foda-se pra tudo o que passamos, sei que posso contar com você pra tudo agora. Eu descobri que eu te amo, Jiraiya.

Jiraiya: Que bom. Pelo menos eu fiz você aprender o que… é realmente amar, Fugaku.

O relógio no pulso de Yamato marcava dez horas da manhã, ele estava sentado na mesinha do quarto tomando seu café da manhã enquanto esperava Kakashi acordar.

Kakashi: AHHHHHHHH!

Yamato: O QUE É ISSO? TEVE UM PESADELO? QUASE ME MATOU DE SUSTO, PORRA!

Kakashi: Desculpa, eu sonhei que… É melhor não saber o que eu sonhei.

Yamato: Dormiu bem?

Kakashi: Hã?

Yamato: Estou lhe perguntando se dormiu bem. Então?

Kakashi: Por que isso de repente? Não estávamos brigados ou sei lá?

Yamato: Kakashi, eu não ligo mais para o que aconteceu antes, mas não faça mais, está bem?

Kakashi: Está bem. Ah, Yamato… Eu sei que não estamos no clima nem nada, mas… EU QUERIA TE LEVAR PRA CAMA POR FAVOR!

Yamato: E isso é coisa que se peça? Agora mesmo que eu não vou, cadê aquele poder de sedução todo?

Kakashi: Ah… Eu realmente deixei de ser ativo. DROGAAAAAAA!

Yamato: Kakashi, não tem nada disso. Você só tem que confiar em si mesmo, não fique pensando besteiras. E então, o que sonhou?

Kakashi: AH?! Bom, eu sonhei, bom, que eu… Eu sonhei que eu era… passivo.

Yamato: Ah, OK, Kakashi, eu não ligo se quiser ser passivo, OK? Eu era hétero antes de te deixar chupar o meu pau, lembra? Olha aqui! SE VOCÊ QUER INVERTER OS PAPÉIS É SÓ FALAR, ANTA!

Kakashi: Eu não quero inverter os papéis, eu só quero ser capaz de ter levar pra cama de novo.

Yamato: É sério que está com dificuldade nisso? Bom, eu resolvo então.

Yamato pulou em cima de Kakashi e o beijou, colocou sua mão esquerda dentro da calça dele e começou a mexer em seu membro, excitando-o.

Kakashi: Ah, você sabe mesmo como me despertar, Yamato.

O grisalho tirou as roupas de seu companheiro e começou a beijá-lo loucamente.

Yamato: E então? Voltou a ser ativo?

Kakashi: Nunca deixei de ser, só precisava que você acendesse o meu fogo de novo. AGORA EU VOU QUEIMAR TUDO!

Yamato: Ótimo.

O policial riu e ambos continuaram a se divertir na cama.

O tratamento já estava quase encerrado, Shino ficou esse tempo todo ao lado de Kiba para que ele pudesse se recuperar bem e desistir de Sasuke e Naruto, esquecê-los completamente. O jovem de cabelos castanhos estava usando cadeira de rodas, pois o tratamento o deixava um pouco fraco e era acompanhado por psicólogos, psiquiatras e remédios.

Shino: Como se sente, Kiba?

Kiba; Eu me sinto bem. Não sinto nenhuma preocupação, nenhum temor. Eu estou com você, Shino, que sempre me ajudou em tudo desde que viramos amigos.

Shino: Eu sempre estarei ao seu lado, Kiba. Mesmo que você não queira.

Kiba: Obrigado, Shino. Por tudo. (pensando) Eu nem penso mais tanto no Sasuke e no Naruto, não há por que matá-los. Eu percebo que… fui eu que causei esse mal todo a mim mesmo. Mas…

Fugaku havia ligado com o consentimento de Jiraiya para se encontrar com Itachi e para eles conversarem sobre Naruto em uma lanchonete perto do hotel onde ele e Jiraiya estavam, assim , enquanto o Uchiha falava com seu filho mais velho, Jiraiya acompanhava toda a conversa escondido perto deles.

Itachi: Quase morreu horas atrás, meu pai. Por que razão quis se arriscar e encontrar-se comigo novamente?

Fugaku: Você muito qual é. Vim aqui para falar com você sobre o Naruto, quero que o deixe em paz.

Itachi: E por acaso fiz algo contra ele?

Fugaku: Não se faça de idiota! Sabe muito bem do que eu estou falando.

Itachi: Ah… Está falando daquilo? Se o senhor começou, porque eu não iria terminar? A culpa não é minha por tudo isso, a culpa é sua. Sua, do pai dele e do Orochimaru.

Fugaku: NÃO SE EXCLUA! VOCÊ TEVE PARTICIPAÇÃO EM TUDO ISSO COMO EU!

Itachi: É só sobre isso que veio falar comigo? Que desperdício de tempo, hein.

Fugaku: Não, vim tratar de outro assunto também. As minhas passagens já estão compradas, você vai mesmo continuar aqui? Pode vir comigo.

Itachi: Não, obrigado. Não farei nada com você, viajar de avião é coisa de fugitivo e eu não sou fugitivo.

Fugaku: Como quiser, meu filho.

Jiraiya: (pensando) Eu sei que estou um pouco distante deles, mas deu para ouvir um pouco da conversa. O Fugaku sabe que eu estou aqui, então por que ele falaria disso com ele? Afinal, em que coisas ele está envolvido? Droga! Mais segredos? Ele terá que me contar tudo depois e bem detalhadamente.

—Manchester, Inglaterra—

Os lábios de Obito e Deidara tocavam loucamente, ambos estavam em camisa, Obito ficou em cima de Deidara na cama, ele desceu lambendo até seu membro e então abaixo sua cueca para que pudesse vê-lo. O loiro gemia alto enquanto sentia seu membro ser consumido completamente.

Deidara: AH! AH! AH! AH… Nós… Nós temos a maior química do universo, Obito. AH! QUE COISA QUENTE! Eu não consigo parar de… AH! Gritar.

Obito: É ótimo fazermos isso para relaxar, não é? Apesar de que não nos estressamos muito com nada hoje.

Deidara: Relaxar? Eu estou fazendo por que você tem a foda mais quente que já vi, Obito.

Obito: É? Então que tal a penetração, hoje?

Deidara: Vem com tudo!

Obito: Arrasou, bicha!

Os dois riram e continuaram com o sexo quente, o rosto de ambos se aproximou e o silêncio permaneceu antes de Obito penetrar no amado.

Obito: Ei, Deidara, acha que ficaremos juntos pra sempre?

Deidara: Eu não sei, mas… Mas se depender de mim nunca vou te perder de vista.

Obito: Entendi.

O Uchiha sorriu e adentrou seu membro no companheiro, que gritou:

Deidara: AAAAAAH! (pensando) Quando ele entrar dentro de mim eu me sinto completamente preenchido, não falta nada em mim. Foi com ele que eu tive a minha primeira noite, apesar de já ter trinta anos, eu não tinha transado nunca ainda. Foi ele que fez a minha vida mudar completamente. Eu… Eu já não estou mais sozinho no mundo. Sempre estive sozinho tendo que lidar com tudo sozinho, nunca tive ninguém do meu lado. Os problemas da Akatsuki era eu que tinha de resolver sozinho, o fato de não ter uma família. Agora vejo o que é amar. Ele se tornou minha família, meu amigo, meu companheiro, ele se tornou o meu… coração.

—Berlim, Alemanha—

Shino: Kiba, a recepcionista disse que um amigo seu chamado Chouji ligou e quer falar com você. Você o conhece?

Kiba: Chouji? Ah, ele estudou comigo. Me dá o telefone aqui, quero ver o que ele quer falar comigo.

Shino: OK. Eu vou no banheiro um segundo, não vou demorar. Fica aí quietinho, OK?

Kiba: Pode deixar. Alô?

Orochimaru: Olá, Kiba. Aqui é Orochimaru, um dos inimigos do Naruto e do Sasuke, sei que vozes os conhece.

Kiba: Mas não te conheço, o que quer comigo? Onde está o Chouji?

Orochimaru: Não há nenhuma Chouji, sou apenas eu mesmo. Então, se estiver interessado em sair daí para acertar as contas com certas pessoas é só falar agora que eu te tiro daí.

Kiba: Eu… Eu não tenho mais relação nenhuma com essas pessoas de que você está falando. E pretendo continuar com a minha em paz.

Orochimaru: É mesmo? Que pena, não vai querer nem se despedir deles?

Kiba: Bom, eu… OK. Tire-me dessa clínica o mais rápido possível.

Orochimaru: Ótimo, já, já estou aí. Hehehehe.

Kiba: (pensando) Então quer dizer que eu irei me encontrar com o Sasuke e o Naruto novamente? Hum… Eu te amo, Shino, mas me desculpe, não posso deixar minha obsessão de lado agora. Já é tarde para mim. Eu amo tanto aquele loirinho e aquele Uchiha, vou mantá-los lentamente só por amá-los! Hehehehehehe.

Continua...


Notas Finais


Obrigado por lerem, espero que tenham gostado e obrigado a todos que estão acompanhando a fanfic ainda. Agradeço muito mesmo! ^-^ Arigato gosaimasu! Quem quiser diz o que achou do capítulo nos comentários para eu saber, e ajudem divulgando a fanfic pra eu chegar aos 200 favoritos de uma vez. É muita ansiedade! Kkkkk até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...