História Almas escravisadas - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Almas, Anjos, Demônio, Luta
Exibições 1
Palavras 972
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Fantasia, Festa, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Ando tão abalada ultimamente que estou sem animo para escrever, minha sorte que já tenho muitas ideias para essa história. Boa leitura e viagem nesse mundo.

Capítulo 2 - Seu pior pesadelo.


Fanfic / Fanfiction Almas escravisadas - Capítulo 2 - Seu pior pesadelo.

...

-Por que eles precisam da nossa energia?

-Por que sem ela essas coisas vão definhando até sumiram para sempre.

-Não tem como sair daqui?

-Não Cris, eu mesma já tentei e não há como.

-Ana, o que são essas coisas?

-São almas de pessoas que foram cruéis durante a vida e que não se arrependem do que fizeram de ruim; por isso suas aparências são feias, por que cada pecado lhe dão a sua aparência.

Tudo isso é informação de mais para mina cabeça, e como que tudo isso pode acontecer? Não sei como irei sair daqui, mas tenho que ir embora deste lugar antes que deixe de existir mesmo neste plano. A noite logo cega e nós limpamos com um pano úmido de u liquido azul e sem odor e todos se vestem com roupas vermelhas, as mulheres com vestidos e os homens apenas calças. E os mesmos homens de capuz preto na cabeça nós leva até um salão grande com mesas e bebidas escuras e fervescentes; ficamos todos enfileirados em um mini palco.

-Comecemos o leilão das almas salvas.

Grita a mulher de pele marrom para todas aquelas criaturas. E um por um de cada alma arrastada para cá é leiloado em troca de esferas de cores vermelha, azul e dourado. Percebo o valor de cada uma dessas esferas a azul vale menos que a vermelha pós só compra uma alma já usada, a vermelha três usadas ou uma nova e a dourada sei que compra quatro almas novas; Porém não sei o que são essas esferas, a minha vez chega e os preços são dados e sou comprada por uma esfera vermelha, mas antes de ser arrastada pela criatura de cara de polvo que me “comprou” o coisa que me puxou pelo braço na praia entra no salão e todos ficam em um repleto silêncio, ele caminha até minha e diz olhando para mulher de pele marrom está é minha e joga uma pequena esfera dourada muito brilhante para ela e me joga em seu ombro, reluto para sair dos seus braços, mas não consigo e já no corredor com vários quartos ouço gritos daquelas que foram comprados antes de mim e fico ainda mais apavorada.

No quarto sou lançada brutalmente na cama e observo aquele coisa horrorosa arrancar a própria cabeça, mas assim que tira não passa apenas de uma máscara e seu rosto é humano um pouco barbudo porém jovem e olhos negros, ele caminha até mim enquanto tira sua armadura e joga no cão, eu tento fugir dele, mas é inútil sou bem mais fraca, o seu corpo é pressionado contra o meu na cama e fico com dificuldade de respira, lhe peço para que pare, mas no fundo sei que é inútil e quando sua boca cola na minha meu corpo petrifica e vejo diante dos meus olhos cenas onde ele arranca os olhos de uma mulher e faz seu marido que está amarrado e todo cortado comer se quisesse sobreviver, ele mato o casal com um sorriso assustador no rosto e ainda faz o sinal da cruz para zombar e tudo vai ficando branca e sinto uma dor forte e algo sendo arrancado de mim e grito de dor, aquilo doí e queima e me deixa fraca até que desmaio.

O homem sai de cima de mim e começa a repor sua armadura e olha surpreso para mim que acordo cinco minutos depois ofegante com a mão no peito e muito assustada, ele me pega pelos braços e me joga contra a parede e com os olhos friamente dentro dos meus fala:

-Como você ainda está viva? Era pra eu ter sugado toda a sua energia como todas as outras almas. Nenhuma alma que eu suguei até hoje tinha tanta energia quanto você, todas elas são consumidas por completo e somem, mas porque você não?

Fraca e tremula lhe olho fixo e digo baixo:

-Eu não sei. Quem é você?

-Seu pior pesadelo.

Ele sorri e sinto um arrepio gelado por dentro de mim e sei que ele não está brincando, ele me beija de surpresa e tenho mais um relapso de memória e vejo dessa vez uma garota jovem de 22 anos pendura pelo pé em uma árvore toda sanguentada como um porco no abete e assim que seus lábios desgrudam do meu o empurro e caio fraca no chão, ele coloca sua máscara e sai, uns dois minutos depois um dos homens de saco na cabeça vem e me levar até o quarto onde ficamos presos e Ana e Sara me ajudam a se deitar na cama.

-Como é que você está viva? Pergunta Ana diretamente.

-Eu não estou entendendo nada, por que ele também me perguntou isso?

-Sabe, aquele criatura que te levou se chama Braw e é uma das piores almas que existe aqui ou até mesmo a pior, e por ele ser tão mal precisa de muita energia e sempre que um de nós é escolhido por ele, essa alma nunca mais volta é totalmente consumida e era o que deveria ter acontecido com você. Me explica Sara.

-Não gente. Como assim? E por que com os outros é diferente?

-Não sei. Apenas sei que quando somos levados pelas outras criaturas podemos retorna ainda “vivos” vamos dizer assim umas treze vezes, é por isso que eles sempre estão atrás de mais almas.

Ficamos em silêncio por um tempo e me atrevo a perguntar:

-Quantas vezes vocês já foram consumidas?

-Eu sete vezes. Diz Sara.

-Eu dez. Fala Ana com um sorriso triste no rosto.

-Então vocês vão? Amanhã tem de novo?

-Não, só daqui a dois dias. Fala Sara. Mas agora vamos descansar meninas, durmam bem.

Elas se acomodam em suas camas e adormecemos rapidamente assim que apagam o tocha do quarto, por que aqui não há eletricidade.


Notas Finais


See you!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...