História Almas gêmeas - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais, Vocaloid
Personagens Gakupo Kamui, Kaito, Len Kagamine, Luka Megurine, Miku Hatsune, Personagens Originais, Rin Kagamine
Tags Colégio, Eduardxemili, Gakupoxluka, Lenxrin, Mikuxkaito, Romance, Vocaloid
Exibições 22
Palavras 1.629
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Harem, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 14 - Festa-Parte 2 : Eu te quero


P.O.V. Emili

-Pode começar.-olhei séria para Ayume.

-É... muito bem. Pra começar, você não parece ser a mesma longe do seu irmão sabia?-Ayume sorriu, pude ver o nervosismo em seus olhos, será que... não... medo? se for medo ela já era.- B-Bem... eu acho que você sabe o porque de eu estar aqui não é?

-Tentar rouba-lo de mim.

-N-Não é bem assim, eu quero ficar com ele... mais por causa dele eu penso em como isso te deixaria triste, e isso me entristece.-Ayume.

-Não ficarei triste, porque ele não vai me deixar.

-E-Eu não quero que ele te deixe mais eu quero ficar com ele e-

-Onde você está querendo chegar?

-Nem eu sei direito, hahaha... ha.-ela abaixou a cabeça.

-Se a base do seu pensamento for eu e você ficarmos com o Nii-San é melhor tirar o cavalinho da chuva porque eu não divido ele.-Cruzei os braços e ela me olhou tão séria quanto eu.

-Eu não havia pensado nisso... mais...-ela sorriu de forma assustadora, agora eu que estou com medo.- Emili, você é um gênio sabia?

-O-Oque?

-Esse é o único jeito de eu, você e o Ed, ficarmos felizes.-Ayume.

-Eu e o Ed já estamos felizes.

-Você até pode estar feliz mais o Ed não está.-Ayume.

-Como você sabe?

-E ainda se acha a namorada dele, nem sabe quando ele está triste ou dividido.-Ayume.

-Ele não está dividido! Ele disse que ama apenas a mim!-Me levantei irritada e ela fez o mesmo.

-Ele disse que ainda me amava.-"oque? como assim? ele mentiu para mim?" ela pegou minhas mãos.- Ele está dividido, e não a nada pior para um menino do que tomar uma decisão amorosa, você não tem muita experiência com isso, mais acredite em mim ele está sofrendo por trás daquele doce sorriso.

-E-Está?-ela assentiu. Nossa, nunca pensei nisso.- E oque eu posso fazer para ajuda-lo?

-Bem, se ele não precisasse tomar uma decisão ele ficaria melhor.

-Entendo... mais eu-um cara de sobretudo preto entrou na sala com um potinho de balas oque foi bem estranho.

-Querem?-ele falou.

-Por que está nos oferecendo isso?-Ayume.

-O senhor Gakupo pediu para eu oferecer isso para as pessoas quando estiverem sozinhas.-ele estendeu a mão com o potinho que por acaso era roxo.

-Nossa como ele é legal!-Ayume pegou um monte e colocou duas na boca.- É de morango, toma.-ela colocou uma na minha boca e realmente tinha gosto de morango.

-Divirtam-se.-ele sorriu e saiu.

-Balinha bo... hm...-Ayume se sentou no sofá e jogou a cabeça pra trás, ela estava ficando vermelha e estava ofegante.

-A-Ayume.-me aproximei dela mais senti o meu corpo ficando mole e esquentando rapidamente, cai encima dela e ela gemeu, estava com dificuldade de respirar, eu me sentia meio cansada.

-M-Maldito Gakupo.-ela sorriu.

-O-Oque foi?

-Pelo jeito não eram balas... acho que já deu para notar oque ele pediu para entregar para as pessoas.-Ayume.

-E-Ele nos drogou?

-Sim...-ela fechou os olhos e soltou um gemido.- s-sai de cima de mim... gh...

-Não consigo... me sinto cansada.-senti um formigamento em  minha intimidade e o meu corpo esquentou mais ainda, eu queria tirar essa camisa porque me sentia em um forno.- O-Oque  fazemos agora?

-Precisamos fazer os efeitos passarem.-Ayume.

-Mais como?-ela me abraçou e me tirou de cima dela.- O-Oque você está fazendo?

-Gakupo já me falou dessa droga uma vez, e para os efeitos passarem você tem que...-ela me apertou em seus braços e começou a esfregar o seu corpo no meu.- chegar ao orgasmo.

-O-O-Oque?! N-Não!-Tentei me soltar mais a cada movimento que eu fazia meu corpo esquentava mais e ela me apertando me dava uma sensação tão boa... DROGA GAKUPO!

-É o único jeito.-Ayume.

-M-Mais se eu tiver que fazer isso... tem que ser com- olhei para o lado e vi o Ed se aproximando de nós duas.- N-Nii-San! E-Eu quero você!

-O-OQUE?!-Eduard. Pulei nele e o abracei.- E-Emili por que, você está tão quente?

-E-Ele fez aquilo de novo.-Ayume.

-Droga, vem vou levar as duas a um quarto.-Eduard.

-E-Ela também?

-Se ela ficar aqui vai acabar sendo estuprada.-Eduard.

Ele me jogou por cima de um ombro e carregou Ayume com o outro braço como se fosse um saco de batatas, se bem que não tem diferença, mais quando foi que o Nii-San ficou tão forte? Ele nos levou ao segundo andar e entramos em um quarto, o mesmo da ultima vez, isso é estranho, ele nos jogou na cama e se sentou do meu lado.

-Ta tudo bem?-Eduard.

-N-Nii-San, eu quero você.-segurei na gola de sua camisa e o puxei.

-M-Mais... Emili.-Eduard.

-Por favor.

-...-ele olhou para o lado e viu Ayume desmaiada.- Ok, vamos ser rápidos.-ele sorriu maliciosamente.

P.O.V. Eduard

Ataquei o pescoço de Emili com beijos e chupões, ainda não consigo acreditar que Gakupo fez isso de novo, AAAH! Hoje o mundo está contra mim. Desabotoei a camisa dela e a joguei longe fiz o mesmo com a saia dela(sempre jogando as coisas pra **** que pariu), ela tirou o sutiã e colou o seu corpo ao meu para esconder seus pequenos seios.

-Está com vergonha?

-S-Sim... você estava os olhando de um jeito... gh...-Emili.

-Não como se eu fosse morde-los... epa, esqueci que eu vou fazer exatamente isso.-a segurei pelos ombros e a prensei na cama, desci até ficar de frente com os seios dela, abocanhei o esquerto e ouvi ela gemer meu nome, desci minha mão direita e apalpei o esquerdo com força e ela gritou, comecei a massagear o esquerdo enquanto mordiscava o mamilo direito.

-N-Nii-San! E-Eu quero você dentro de mim!-Emili.

-Seu desejo é uma ordem.- sorri de forma assustadora e ela ficou ainda mais vermelha e isso era impossível! Tirei a calcinha dela e a segurei em minha mão esquerda vendo e sentindo que ela estava encharcada.- Menininha tarada, quer que eu vá rápido ou devagar?

-Devagar.-ela sussurrou.

-Ouvi rápido?!-pude ver o desespero em seus olhos por causa da minha brincadeira.

-D-Devagar, por favor.-Emili.

-Como quiser.-abri meu ziper e abaixei um pouco e ele tecnicamente saltou pra fora assustando Emili, já estava muito excitado e isso era notável. Me posicionei entre as pernas dela e a olhei.- Ai vou eu.-ela fechou os olhos e eu a penetrei lentamente, ela abria a boca as vezes mais não falava nada só as vezes gemia, comecei a me movimentar lentamente.

-N-Nii-San...-ela abriu os olhos e sorriu.- mais rápido!

-Como quiser.-segurei a cintura dela e aumentei a velocidade das estocadas.- Você é tão apertada Emili, e é tão bom dentro de você, sou um idiota por não fazer isso mais vezes... a é Emili-me aproximei de seu ouvido.- posso botar tudo?

-V-Você não-

-Não, só um pouquinho mais do que a metade.-sorri vendo ela olhar para baixo e ficar assustada.- E então?

-P-Pode.-Emili.

P.O.V. Emili

Fechei os olhos e senti ele se aprofundar mais em mim mordi meu lábio inferior para não gritar mais quando senti ele entrar por completo eu não pude me conter e acabei gritando.

-N-Nii-San, v-você está dentro... está... gh...-ele segurou minhas pernas e me levantou fazendo eu me sentar em seu colo.

-Sim, dentro do seu ú-Ayume se movimentou e ele olhou para ela.- vamos nos apressar.-ele segurou minha cintura e me fez subir e descer em seu membro um tempo depois eu estava me movimentando sozinha.

-N-Nii-San, estou quase.-falei em seu ouvido. Não muito tempo depois eu chegamos ao ápice juntos, o abracei sentindo ele me preencher aos poucos.

-Como se sente?-ele me deitou na cama.

-Ótima... melhor do que... nunca.-estava exausta.

-Descanse um pouco, eu vou ficar bem aqui com você.-ele beijou a minha testa e eu fechei os olhos, não demorou nem 1 minuto e eu dormi.

P.O.V. Eduard

Me sentei nos pés da cama e fiquei olhando para a porta pensando no que eu acabei de fazer até ver dois braços me rodeando e me puxando para um abraço.

-Não falei pra dor-vi o anel na mão direita e me afastei rapidamente.- Ayume!

-E-Ed! Vem cá!-ela estava apenas de calcinha e de joelhos na cama, estava totalmente vermelha então o efeito ainda não passou.- Preciso de você!!!

-Não! Você não tem outra pessoa pra fazer isso?!

-Não poderia, eu sei como você ficaria.-ela sorriu. "Droga, usando as armas fatais".

-Desculpe lhe informar mais, eu sou da Emili e não posso te ajudar com isso.-ela abaixou a cabeça.

-P-Pelo menos um beijo.-Ayume.- Por favor.

-... Tudo bem, só um!-me aproximei dela e ela me olhou sorrindo, subi na cama ficando a centímetros de seu rosto.- Só um.- a me aproximei lentamente até selar os nossos lábios, ela segurou minha nuca e me puxou para aprofundar o beijo, fiz o mesmo e pedi passagem com a linguá e ela concedeu, eu sei que era para ser apenas um beijinho, mais se é só um. Senti algo doce entrar em minha boca e me afastei dela.- Eu sei que você passa o dia chupando balas mais sua linguá não é uma ta. oque foi que- senti meu corpo esquentar aos poucos então cuspi a bala que ela mandou na minha boca, não acredito que cai nesse truque. Aos poucos fui ficando cheio de energia e o meu "colega" estava reagindo a isso.

-Eu quero você Ed! Mais ninguém pode me satisfazer!-pulei encima dela e a deitei ficando por cima dela, não estava aguentando então rasguei a calcinha dela e abaixei a minha calça junto com a cueca, enfiei dois dedos e ela gemeu alto.

-Pronto agora vai ter oque quer.- a penetrei e quando ela gemeu a beijei, fui me movimentando rapidamente dentro dela, não me lembro dela ser tão apertada assim, mais é tão bom, não a do que reclamar. Parecia que eu ficava cada vez mais longe do orgasmo a cada estocada, isso vai demorar e eu vou aproveitar cada segundo.


Notas Finais


Próximo cap KaitoxMiku


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...