História Almost Lover - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Big Bang
Personagens D-Lite (Daesung), G-Dragon, Personagens Originais, Seungri, T.O.P, Taeyang
Tags Clary, Ji Yong, Seungri
Exibições 37
Palavras 1.885
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boooooooooooooooom ..
Primeiramente .. O QUE FOI AQUELE MV ?
Blood sweat & tears 💙
ESTOU É MORTA
Chim chim ficando mais velho
Comeback do Monsta x
pelo amor de Deus

Boa leitura 💙

Capítulo 4 - " Keep calm and go straight "


Fanfic / Fanfiction Almost Lover - Capítulo 4 - " Keep calm and go straight "

Capítulo Quatro

" Me diz porque dessa autópsia se eu não tenho coração ... "

- Pode nos deixar a sós Daesung, por favor ?!- Ji Yong estava de pé a minha frente, revirando as mãos no bolso.

- Claro. Até mais Clary. - Depositou um beijo no topo da minha cabeça. - Qualquer coisa, me grite ! - piscou e se retirou.

Silêncio. Era a única coisa que descrevia o local. Tentei ao máximo desviar de seu olhar, mas foi inevitável.

- O que você quer ? - revirei os olhos.

- Posso me sentar ? - Dei de ombros e ele bufou. - Eu vim me desculpar.

Fitei seu semblante durante alguns minutos. Ele se encontrava de cabeça baixa e coçava a nuca.

- Acho que isso não vai acontecer. - engoli seco.

No mesmo instante, Ji Yong levantou a cabeça com rapidez e pôs-se a me fitar.

- Olha, eu sei que não foi uma coisa sensata a minha atitude. Mas qual é, Clary ! Você deveria ter conversado comigo. Afinal, o causador dos problemas aqui sou eu. -revirou os olhos.

Cada segundo ao lado de Ji Yong era insuportável. Bufei e trinquei o maxilar.

- Ah, eu deveria conversar com você ? - ri soprado. - Para você fazer o quê ? Rir e fazer pior ? Vamos encarar os fatos, Ji Yong.- O fitei. - Você não gosta de mim e nem eu de você. Mas trabalhamos no mesmo local. Respiramos o mesmo ar. A profissional aqui sou eu, que não implico com você 24 horas por dia. Eu sou a criança ? Tem certeza disso ?

O silêncio se instalou no local novamente. Era irritante. Essa,devera, foi a conversa mais longa que tive com  Ji Yong até hoje.

- Você acha que é fácil .. -suspirei. A minha vontade de chorar era tão evidente, que até Ji Yong me observou assustado. - Ser criticada todo dia por você ?

- Clary .. -O interrompi.

- Você não sabe como eu me sinto péssima toda vez que chego perto de você. Todo dia, antes de sair de casa, eu preparo meus ouvidos e meu coração para ouvir todas as suas críticas e ofensas. Todo maldito dia é assim ! - bufei e levei as mãos ao ar.

-Clary, eu ... -O interrompi novamente.

- Eu ainda não terminei de falar. - Minha voz se encontrava embargada. Eu não queria chorar em sua frente, mas se for assim, que seja. - Você me trata como se eu fosse um lixo; algo sem  nada a oferecer. Eu me sinto tão mal. Você não sabe nem a metade da minha história. Isso é o que me deixa pior. Você me julga como se fosse o melhor dos exemplos. - cuspi as palavras em sua cara.

- O que você quer dizer com isso ? - sua voz soou baixa, mas audível.

- Olhe para você, Ji Yong.. Um cara cheio de dinheiro; tem o que quer, quando quer. Faz tudo o que quer. Mas é solitário. Afunda suas mágoas na bebidas; Se distrai nos quartos de hotéis luxuosos com mulheres diferentes a cada dia que passa.- senti meu peito se apertar. Sua expressão era angustiante.

- Eu .. - abaixou a cabeça.

- No fundo, somos iguais. Buscamos apenas um jeito de afogarmos nossos medos e angústias. Queremos apenas nos livrar desse mal estar que a vida nos trás. Mas você - apontei para o mesmo - acha que me humilhar, na frente de todo mundo, vai melhorar a situação ? - arqueei uma sobrancelha e o mesmo negou com a cabeça.- Isso só aumenta seu ego. Seu orgulho. Acha isso bom ? Ser um homem egocêntrico e egoísta ? Orgulhoso e sem personalidade ? que vive ao custo da tristeza dos outros ?

- Não .. - sua voz saiu embargada e eu estremeci.

Será que eu estava indo longe demais ?

- Eu sei que no fundo, você é um homem bom. Sabe o que falta para você ? - Me levantei. Preciso fazer isso. Caminhei até o seu lado e me sentei a cadeira próxima a ele. Ele negou com a cabeça e eu suspirei. - Alguém que te ame, do mesmo jeito que você ama.

Nossos olhares se encontraram e seus olhos marejaram, junto aos meus. Levei uma mão até sua bochecha e acariciei a mesma.

- Pensa que eu não sei como a vida de famoso é ? É muita pressão. - senti seu corpo relaxar e ele suspirou.- Sei como é seu namoro com a Mizuhara. Desculpe por me intrometer, mas .. Por que ainda não acabar com essa farça ? Ela não te ama. Só acha que você é posse dela. E você, pelo contrário, a ama. Lá no fundo, você a ama. - nossos olhares se fincaram e juro que estava me perdendo em seus olhos.

Ji Yong era um cara vazio. Sem amor. Sua frustração era visível por mim. Eu o odeio, mas entendo como ele se sente.

- Como você sabe disso ? - segurou minha mão e a tirou de seu rosto. Porém, não a soltou.

- Eu sou ingênua, mas não burra Ji Yong. - bufei.- Eu sei como você se sente. Já passei por isso. - suspirei.

- Eu me sinto péssimo.- jogou a cabeça para trás.- Ninguém nunca me entendeu. E eu nem precisei me abrir para você me entender. - sorriu fraco.

Ah. Eu posso reclamar, espernear, f gritar,negar. Mas amo esse sorriso. Adoro esse jeito grosso e brincalhão. Óh céus, o que está acontecendo comigo ?

- Posso te fazer uma pergunta ? - abaixei a cabeça e ele assentiu . - Por que você sempre me trata mal ?

Suspirou. Senti seus ombros pesados e reparei que até agora, nossas mãos ainda estavam juntas.- Por que eu gostei de você.

Meu coração parou. Minha respiração travou e meu mundo foi aí chão.

- Você, o quê ? - indaguei

- Desde quando a vi, gostei de você.- sua mão se dirigiu a minha bochecha e ele a acariciou.- Você sempre me pareceu uma mulher forte. Por isso eu te provocava. Para ver até onde seu limite ia ir. Só não percebi que você acabou me odiando por isso. - riu soprado.

- Seu sem graça !- Dei um tapa em seu braço.

- Me desculpe, mas é verdade! - gargalhou e eu corei.

- Isso não tem graça Ji Yong. - tampei meu rosto com as mãos. Queria enfiar minha cabeça na terra e nunca mais sair.

- Me desculpe mesmo. - puxou minhas mãos e senti seus braços me envolverem num abraço.

Não sei o que isso significa. Talvez apenas um tipo de desabafo. Talvez um tipo de consolo. Mas sabe .. Para mim, significou algo a mais do que isso. Uma onda de calor percorreu meu corpo e eu o apertei dentre os meus braços. Não queria o soltar.

- Com licença ... - ouvi uma voz e me afastei. - Clary precisa voltar ao trabalho. -Daesung sorriu divertido.

- Bom, eu já estava indo. -Ji Yong se levantou e eu me levantei em seguida.

- Percebi. - Daesung gargalhou e eu dei um tapa em seu braço.

- Aish Daesung, pare com isso !- corei.

Ji Yong se despediu de nós e caminhou apressado até o elevador.

- Me diz que vocês fizeram às pazes.

- Sim. - pressionei os lábios e Daesung deu pulinhos.- Pare com isso ! - o segurei.

- Eu sabia! sabia que uma hora ou outra vocês iriam se entender. Vocês se gostam, não poderiam ficar ... -O
interrompi.

- Você está louco ? - arregalei os olhos.

- Pare de mentir. Você sabe que gosta. Negar a si mesma só vai piorar. Quer mesmo alimentar ódio por ele ?

Suas palavras me acertaram em cheio. Ele tem razão.

- Vamos logo. Preciso voltar ao trabalho.

~~~~~~~~~~~~~~~~~

- Não quer que eu fique ? Posso te ajudar.

Emma já estava me fazendo perder a paciência.

- Eu já disse que não. Vá logo ao jantar com Taeyang. Eu me viro aqui. Aliás, já estou quase acabando. - bufei e continuei editando as imagens.

- Eu já pedi desculpas por não ter te contado sobre o nosso namoro ! - gritou.

- Pare de gritar comigo pelo erro que você cometeu ! - me levantei e gritei.

Emma arregalou os olhos e se encolheu.

- Você não confiou em mim, escondeu isso da sua melhor amiga, e agora, eu não confio em você também.- cuspi as palavras em seu rosto e Emma começou a chorar. - EU te amo, mas não posso pensar nisso agora. Tenho que trabalhar. Boa noite. - caminhei até  a porta e a abri. Emma passou cabisbaixa pela mesma e eu a fechei.

Fiquei apenas mais 20 minutos editando as fotos e decidi ir embora. Não posso passar a madrugada toda aqui. Guardei minhas coisas e desliguei a luz. Tranquei a porta e segui ao elevador.

- Não custa nada passar no banheiro antes. - apertei minha barriga e corri até o banheiro.

Justo agora, que estou morrendo de fome, tenho que sentir vontade de fazer xixi ? Ninguém merece. Paro em frente aos banheiros e penso. Eu sempre me confundo com essas placas. Caminho até a porta do banheiro feminino e ouço um barulho.

- Isso é choro ? - franzi o cenho e Caminhei em silêncio até o banheiro oposto. Adentrei o mesmo em silêncio e Arregalei os olhos. - Ji Yong ?

Ele estava sentado em cima da privada, em meio as lágrimas. O mesmo virou em minha direção rapidamente e cessou o choro.

- O que você está fazendo aqui ? - secou o rosto. - este banheiro é masculino, e até onde eu sei, você não tem pênis. - até nestes momentos Ji Yong tem que fazer brincadeiras ?

- Deixa de ser um filho da puta e me conta o que aconteceu.

Sua fisionomia mudou novamente e ele tornou a chorar.

- Eu estou cansado dela. Cansado de fingir tudo para o mundo lá fora. Cansado de fingir que estou feliz. - soluçou.

Me parte o coração vê-lo desse jeito. Não é a primeira vez que o vejo chorar desse jeito.

- Olhe para mim. - me agachei e fiquei de frente para ele. Levantei seu queixo e nossos olhares se encontraram novamente. - Mantenha a calma e siga em frente. Eu estou aqui com você, tudo bem ?

- Eu não mereço isso Clary.. Alguém tão boa como você, me ajudando desse jeito. Eu não tenho coração. Sou um homem vazio, sem jeito.

Meu coração se quebrou à cada palavra que saía de sua boca.

- Tudo tem jeito. E eu estou aqui para dar um jeito em você. - Sorri sem jeito.

COMO EU TIVE CORAGEM DE DIZER ISSO ?

- Eu espero que me ajude. - me envolveu novamente em seus braços.

- E eu espero não me arrepender. - aprofundei o Abraço.

E dessa vez, eu sinto que significou algo. Algo que nenhum de nós consegue explicar.

Nos separamos e continuamos a nos observar. Cada troca de olhares, é uma sentimento diferente. Odeio ter que concordar com Daesung, mas ele está certo. Eu estou apaixonada.


Notas Finais


Parece que os dois estão se aproximando 🌚 Espero que tenham gostado do capitulo 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...