História Almost Lover - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Big Bang
Personagens D-Lite (Daesung), G-Dragon, Personagens Originais, Seungri, T.O.P, Taeyang
Tags Clary, Ji Yong, Seungri
Exibições 37
Palavras 2.292
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Booom, aí está mais um capítulo. Espero que gostem
Boa leitura 💙

Capítulo 6 - Too Sensitive


Fanfic / Fanfiction Almost Lover - Capítulo 6 - Too Sensitive

Capítulo Seis 


" O amor e a tosse não podem ser disfarçados. Nem mesmo uma pequena tosse. Nem mesmo um pequeno amor ... "



- Clary ! 


Acordei de meus pensamentos ao ouvir um grito. 

- O que aconteceu ? Você ficou olhando pra Mizuhara uns 5 minutos! Você está ficando louca ? 

Se ela soubesse que não era Ela à quem eu olhava...

- Eu estou bem. - engoli seco e ajeitei minha postura. 

- Você não gosta dela, não é ? 

O silêncio reinou entre nós. Eu não sabia o que responder ao certo, pois suas palavras foram como um soco em meu estômago. Encarei Ji Yong pela milésima vez, com a esperança de seu olhar se voltar para mim, pelo menos uma vez, mas nada. 

Nada.

- Você não faz idéia. - Dei um último gole na bebida e bati o copo com força no balcão. 

Fitei o copo, vendo o Barman encher novamente o objeto com a bebida alcoólica. Peguei o copo e engoli o resíduo de uma vez só, sentindo minha garganta rasgar. Dei uma tosse fraca e Emma riu.

- O que foi ? - revirei os olhos.

- Você está morrendo de ciúmes. 

A olhei com fúria nos olhos. Como ela podia sempre ter razão em tudo ? Isso está errado... Muito errado.

- Eu ? Com ciúmes ? De Ji Yong ? Nem morta. 

Mordi o lábio inferior e voltei a fitar a pista. Seungri dançava animadamente com Nakimi. Taeyang fazia passos estranho junto à Daesung. T.O.P estava conversando com uma mulher cuja eu nunca vi. E Ji Yong.. Estava sentado na poltrona, conversando com um cara que trabalhava na empresa, mas não consigo lembrar seu nome. Respirei fundo e soltei todo o ar que estava em meus pulmões.

-Você pode querer mentir para mim, mas vai só tentar mesmo. Eu sou sua melhor amiga, e conheço você. Você está apaixonada pelo namorado de outra pessoa. 

Encarei o chão durante uns minutos e balancei a cabeça em negação. Era verdade. Eu estava apaixonada por Ji Yong, mas não, eu não podia. Ele tinha a Kiko. Ele é comprometido com outra pessoa. 

- Você está vendo coisas Onde não tem. - disse seca e suspirei.

- Para de mentir para si mesma! Mas que saco! Você sabe que é verdade. Você gosta dele. Não adianta negar...- levantei a cabeça e encarei Emma. - Você não quer contar para ele, e muito menos admitir isso para si mesmo. Eu sei.- Deu um gole em sua bebida.- Mas a mim você não esconde nada. Você acha isso errado. Acha isso um mero desejo imprudente, porque ele tem uma namorada. - Bufei. - Uma namorada que está com ele por conta da fama. Uma namorada que não o dá o mínimo valor. Você acha que eu nunca o vi chorar por ela ? quantas vezes eu já encontrei Ji Yong chorando no banheiro e ninguém sabe. Você acha que ela o ama ? Não não meu amor. Ele é apenas o brinquedo dela. E por causa dela, ele é desse jeito. Egocêntrico, egoísta, grosso e mulherengo. Ele faz tudo isso para tentar esquecê-la.

A encarei novamente. Eu queria poder ir até ele, afastar aquela mulher e o levar para mim. Mas eu não posso. Sou fraca demais para admitir algo assim.

- Isso não é problema meu. - torci o nariz e engoli seco. 

Eu não posso... Não posso admitir uma coisa dessas. Eles podem fazer o que for, mas se amam. Se merecem. 

- Você pode tentar disfarçar o amor. Mas você só vai fazê-lo aumentar. Você vai ver. - Emma bateu o copo no balcão e se dirigiu até Taeyang. 

Suspirei. Que vida, não ? Voltei a olhar a pista e Seungri não estava mais lá. Ri abafado e joguei a cabeça para trás, apoiando os cotovelos no balcão frio. Seungri e eu nunca tivemos algo concreto nesses meses. Era apenas um ficante por curtição. Nada mais e nem nada menos. Não me importo em vê-lo ficando com outras pessoas, até porque, não temos nada. Fechei os olhos e suspirei pesado. Levantei a cabeça e voltei a encarar Ji Yong. 

Ele é tão lindo. Seus lábios rosados e suas tatuagens o dão um ar tão sexy. Seu jeito bruto e suave é incrível. Seu olhar penetrante é hipnotizador. Suas mãos pesadas e macias roubam suspiros de qualquer uma. 

Eu queria, queria.. Queria muito não estar apaixonada por cada detalhe seu. Por cada defeito. Por cada mania. Por cada gesto. Pelo tom da sua voz. Pelos seus suspiros. Pelo seu sorriso. Mas era tarde demais. Eu já estava apaixonada. Uma paixão secreta, que nem eu mesma era capaz de controlar. 

- Você gosta dele, não é ? 

Aquela voz... Pigarreei e inclinei meu rosto para o lado, dando a visão completa daquela mulher. 

- Creio que isso não é da sua conta. - comprimi os lábios e voltei minha atenção à pista.

Ela riu. Aquela risada nojenta, e totalmente irritante. - Quando se trata do meu namorado, sim, é da minha conta. 

Se controle Clary.

- Isso é uma questão pessoal. E não, não envolve você. Se eu estiver ou não gostando de Ji Yong, isso será resolvido entre mim e ele. - engoli seco e me virei,apoiando novamente o quadril no balcão. 

- Você é tão tola.- riu. - Acha medo que Ji Yong vai querer alguém como você ? 

Em algum momento eu dei intimidade para essa mulher ser abusada desse jeito ? 

- Talvez esse seja o motivo para você vir até mim e me atacar ? Me menosprezar ? - arqueei uma sobrancelha e ela me encarou furiosa. -Você se sente ameaçada por mim. Sabe que eu posso tirar ele de você. - Ri debochada.- Não gaste seu tempo vindo até mim, tentando me rebaixar. Sua opinião para mim é insignificante. Igualmente a você.- ajeitei minha postura.

- Mas ele ama à mim. E não à você.

Senti meu coração se apertar e meus olhos marejaram. Maldita. 

Virei de costas e caminhei pelo local. Subi algumas escadas no final daquela enorme sala, e me encontrei num corredor escuro. Caminhei até o final do mesmo e abri a porta do quarto. Observei o local e virei de frente para a porta. Fechei a mesma e encostei minha testa no local. 

- Que droga... DROGA!- gritei e dei um chute na porta. 

Eu não posso.. Não posso ceder à esses desejos carnais. Não posso passar por cima dos meus princípios. Não. Eu não posso. Mas eu sou um tola. Uma tola apaixonada. Eu sou fraca.... Sentimental demais... Sensível demais. 

Caminhei até o banheiro e me olhei no espelho. E cá estou eu novamente... Sofrendo por um amor impossível.

- Merda...-sussurrei baixinho e senti algo quente escorrer pelas minhas bochechas. 

Comecei a chorar. Um choro descontrolado. Soluçei e cai ajoelhada no chão. Merda! Por que a vida nunca colabora comigo ? Por que sempre tem que ser a pessoa errada ?

- Clary ? 

Comprimi os lábios e apertei os olhos. Sua voz é como uma tortura. Céus, por que me causar tanta dor ?

- Sai daqui Ji Yong. - permaneci sentada no chão com a cabeça baixa. 

- O que houve ? - se abaixou ao meu lado. -Você está chorando ? 

Virei o rosto para o lado oposto e segurei um soluço. - Não.

- Olhe para mim. 

Estremeci dos pés à cabeça. Neguei e ele bufou.

- Olhe para mim agora. 

Senti minha espinha latejar e virei o rosto devagar em sua direção. Droga. Minha maquiagem já deve ter ido embora. 

- O que você quer ? - encarei suas íris castanhas e me perdi em seu olhar. 

- Por que você está chorando ? - sua mão se dirigiu até meu queixo e ele levantou meu rosto, dando me mais visão de seu lindo rosto. 

- Vai embora. - afastei sua mão e voltei a fitar o chão. 

Ter ele ao meu lado era como estar presenciando uma traição. Doía, Doía demais. Sentir seu cheiro inalando minha respiração era algo torturador. Queria o abraçar, o beijar, e declarar meu amor por ele aqui mesmo, mas não posso.  

Num movimento rápido, Ji Yong se ajoelhou em minha frente e segurou meu rosto com as duas mãos. - Escuta aqui, eu não vou sair desse maldito banheiro enquanto você não me dizer o que está acontecendo. 

Senti meu coração se apertar e voltei a chorar. 

- Me solta Ji Yong! - Segurei suas mãos e tentei as tirar da lateral de meu rosto. - Sai daqui, por favor. Eu não quero ver você. - apertei suas mãos com força. - Vai embora!- Gritei.

- EU ME IMPORTO COM VOCÊ, DROGA! - apertou meu rosto com mais força e se aproximou. - Eu odeio ver você assim. 

O encarei novamente e abaixei a cabeça. Eu não aguento mais essa proximidade. Eu o quero longe de mim. Assim será melhor. Conseguirei aguentar o vazio. Quem sabe até conhecer outra pessoa . 

- VÁ EMBORA! - gritei me soltando de suas mãos e me levantei. 

- VOCÊ É SURDA, OU O QUÊ ? EU NÃO VOU SAIR DAQUI! - gritou e se levantou.

- EU NÃO QUERO VOCÊ AQUI. ME DEIXE EM PAZ!  - o empurrei e ele deu um passo para trás.

- NÃO, ENQUANTO VOCÊ NÃO ME DISSER O QUE ESTÁ HAVENDO, EU NÃO VOU SAIR DAQUI ! - deu um passo a frente.

- EU ESTOU APAIXONADA POR VOCÊ. - gritei e o encarei. 

Sua expressão de espanto e medo veio a tona, junto com meu choro. Droga, Droga, Droga! Mil vezes droga.

- Sai daqui. É tão difícil de entender que eu quero sofrer sozinha? - encarei o teto e soluçei. 

Ji Yong ainda se encontrava lá parado, me encarando. 

- VAI EMBORA! - depositei minhas mãos eu seu peito e tentei o empurrar. 

Isso mesmo, tentei. Ji Yong segurou meus pulsos e me empurrou até a parede, levou seu braço esquerdo até a mesma e agarrou minha cintura com a outra mão. 

- Eu não vou deixar você. 

Senti minhas pernas bambearem e minha respiração falhou. Ele apertou minha cintura e eu arfei. Encarei seu rosto e ele levou a mão esquerda até minha bochecha e a acariciou. Fechei meus olhos e suspirei. 

Seu toque me deixa sem chão. 

Abri meus olhos novamente e acabei com qualquer distância existente entre nós. Levei minhas mãos até seu pescoço e o puxei para mais perto. Suas mãos apertaram minha cintura, me prensando na parede. 

Droga, o que eu estou fazendo ? 

Me afastei e encarei o chão. O que eu acabei de fazer ?

- E-Eu preciso ir. - Peguei minha bolsa em cima do vaso sanitário e corri às pressas até a porta, logo ultrapassando a mesma e dando de cara com Mizuhara. 

Eu mereço.

A encarei e vi seu olhar se virar para a figura dentro do quarto. Olhei pelo ombro Ji Yong estático, e voltei a encará-la. Dei um passo e bati com tudo em seu braço, continuando meu trajeto apressado até as escadas. Desci a mesma como um furacão e sai do local. Dei sinal para o primeiro táxi que avistei e logo já estava em casa. Me joguei no sofá e suspirei. Encarei meu reflexo na televisão enorme e me assustei. Eu ainda estava com o rosto todo sujo por conta da maquiagem. Subi as escadas correndo e abri a porta do quarto, seguindo em direção ao banheiro e abrindo a torneira. Enxaguei o rosto e voltei a me olhar. 

Que se foda Mizuhara, que se foda tudo. Eu cansei de me privar de tudo.


~~~~~~~~~~~~


- Você precisa se resolver com Ji Yong. - Emma se jogou na poltrona à frente da minha mesa. 

Fazia exatas 3 semanas que eu estava correndo de Ji Yong. Por que ? Medo. Medo de encarar a realidade de cara. 

 - Eu não estou com saco para isso hoje Emma.  - suspirei.

- Todo dia é a mesma desculpa. - revirou os olhos. -Você está parecendo uma criança.

Senti uma pontada em minha cabeça e suspirei. Ela tinha razão. De novo.

- Que seja.- revirei os olhos e me afundei na poltrona.

 - Vamos tomar um café. Estamos em hora de almoço. Mas como você não está com fome...- Se levantou.

- Tudo bem. - bufei. 

Nos dirigimos ao elevador em silêncio e assim saímos da empresa. Atravessamos a rua e caminhamos até uma cafeteria perto dali. Adentramos o local e nos sentamos em uma mesa perto à janela. 

- E então.. O que pretende fazer ?

Encarei minhas mãos entrelaçadas em cima da mesa e suspirei. Emma tinha razão. Eu precisava encarar essa situação. Eu o beijei. Eu me apaixonei. Eu sou a errada nessa situação. 

- Eu vou... - avistei sua figura se aproximando e estremeci.

- Agora você não foge mais. 

Encarei Emma, e a mesma sorriu fraco. Desgraçada. Ji Yong puxou meu pulso e me levantou, me levando até a parte costeira do pequeno café e abriu uma porta : Os fundos do local. Era um beco. 

- Por que você foge de mim ? Me beija e depois se esconde ? - coçou a cabeça nervoso.

- Eu estou com medo. - fitei o chão.

- Medo ? Medo de quê ? -riu irônico.

- Você acha que é fácil ? Se apaixonar por um cara comprometido ?  Sabendo que o amor entre vocês é praticamente impossível ? Eu vou me esconder sim, vou negar esse amor à mim mesma pelo meu bem.

Silêncio. A única coisa que existia entre nós. 

- Você não pode fazer isso. - Bufou.

- E por que eu não deveria ?- arqueei uma sobrancelha e o fitei séria. 

Ji Yong permaneceu de costas para mim durante alguns minutos. Encarei suas costas por alguns segundos e suspirei pesarosa, encarando o chão novamente. 

- Porque eu estou apaixonado por você também.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...