História Almost Mermaid - Capítulo 8


Postado
Categorias EXO
Personagens Lu Han, Sehun, Xiumin
Tags Badxgood Boy, Exo, Hunhan, Luhan, Sehun, Xiuhan, Xiuhun, Xiuhunhan, Xiumin
Exibições 53
Palavras 7.198
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Ecchi, Fantasia, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OIE!!
Bem... Hoje não é a Hikari que tá postando, é a LTH ✌✌...
Enfim... Minha criança teve ai uns probleminhas pessoais e tava sem criatividade, depois vieram as tão temidas provas da faculdade tanto pra mim quanto pra ela e estávamos sem ter como escrever, mas ai conseguimos passar dessa fase difícil. Uhul... batam palminhas... 👏👏👏👏👏👏...
E como ela não tava conseguindo postar agora... aki estou eu!!
Enfim... Vou deixar vcs com esse capítulo que promete em!!!
😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘...

Capítulo 8 - Proposta


Fanfic / Fanfiction Almost Mermaid - Capítulo 8 - Proposta

~ Pov Xiumin ~

Enfim chegando a casa dos Oh, me senti nervoso. Não tinha certeza de muita coisa, apenas que eu amava o Luhan, e que ele estava certo, o Sehun com certeza começou algo diferente tanto em mim, como nele.
Claro que ele não precisa saber que mexeu comigo!
Parei em frente ao portão, e logo um empregado chegou me abordando.
- por favor, poderia chamar o Sehun para mim? É um pouco urgente, diga-lhe que é o Xiumin. – falei tentando  concentrar meus pensamentos no que dizer quando o visse.
- só um minuto senh... – o empregado foi interrompido por Kai.
- não tem problema Shin, a entrada dele esta liberada. Eu o guiarei ate a senhorita Tiffany.
Seguimos até a sala de estar, ate que o Kai pegou o celular, certamente para ligar para aquela louca da Tiffany.
- Kai, espera. Ahh... como posso dizer isso? Bom, não estou aqui para ver a Tiffany e sim o Sehun. – disse rapidamente, corando logo em seguida.
- hum, então você esta aqui para me ver? – disse com um sorriso malicioso estampado na cara, enquanto descia as escadas.
- Sehun?
- Senhor Sehun.
- então, do que se trata?
- poderíamos falar em particular por um segundo? – falei e ele curvou as sobrancelhas sem entender muito bem.
- tudo bem, vamos subir. – falou agarrando o meu braço e me levando ate o seu quarto – então...?
- err... então... vi aqui pra falar sobre o Luhan – comecei e ele franziu o cenho me olhando curioso.
- o que tem o Luhan? – perguntou interessado.
- nos acertamos entre nós, mas tem um porém...
- que seria...? – perguntou curioso se divertindo com meu constrangimento.
- você – respondi na lata é ele me olhou confuso.
- o que exatamente eu tenho haver com isso?
- tem que o Luhan também está apaixonado por você e... Eu tenho uma proposta...
- que seria...? – perguntou curioso arqueando uma sobrancelha quando viu que eu parei de falar.
- é... – pigarreei – então...
- fale sem vergonha hyung, não precisa ter vergonha comigo – ele falou sincero e... carinhoso?
- bem... – respirei fundo – eu vim propor um relacionamento – falei e ele franziu o cenho.
- como? Você quer um relacionamento comigo? – perguntou sorrindo de lado e eu corei.
- não eu, nós, na verdade, o Luhan namorar a você e a mim e nós nos aceitarmos para o bem dele, posso suportar você por ele – expliquei e ele sorriu mais.
- você não acha isso errado hyung?
- achei que você não ligasse para padrões.
- não estou falando de um relacionamento à três, realmente não ligo para padrões, estou falando de você mentir.
- não estou mentindo. É sério.
- mentir em relação a mim hyung. Quer dizer que você não sente nada por mim? – perguntou insinuativo se aproximando e a cada passo dele para frente eu dava outro para trás.
- c-cla-ro q-que n-não – gaguejei apenas aumentando seu sorriso – o que está fazendo? – perguntei assustado.
- apenas me aproximando hyung, por que está tão nervoso? – perguntou divertido.
- não estou nervoso. Por que estaria nervoso? Não tem sentido eu estar nervoso, então não estou – falei rápido demais e ele ficou sério.
- então não tem problema se eu me aproximar mais... ou tem?
- problema? Que problema? – perguntei em pânico.
Ele estava perto demais e isso estava me afetando muito além do que eu gostaria de assumir.
- você parece assustado hyung. Por que está assustado? – perguntou me prensando contra parede. 
- se afaste Sehun.
- mas você disse que não havia problema em me aproximar hyung, não devia agir assim, pode confundir as pessoas sabia? – ele perguntou aproximando o rosto do meu e roçando nossos lábios.
- S-Sehun, se a-afas-te – pedi sentindo todo meu corpo esquentar com sua proximidade.
- isso não é o que você quer hyung – ele sussurrou no meu ouvido... e meus Deus... por que o senhor me coloca nessas situações difíceis?
- saia Sehun – pedi e ele sorriu safado.
E eu sabia por que.
Meu pedido foi tão convincente quanto um “fique, por favor”. Mas era tão difícil nega-lo quando ele me provoca dessa forma. A verdade é que eu não queria nega-lo, mas meu orgulho não queria me deixar ceder.
- achei que tinha aprendido hyung que mentir é feio, mas se não aprendeu eu posso ensinar – ele falou insinuativo.
- Sehun, eu estou aqui somente pelo Luhan – afirmei com a voz falhada e ele, com um sorriso arteiro, abaixou o rosto deixando beijinhos em meu pescoço que me fizeram suspirar pesado.
-hyung, o que fará se eu acreditar no que diz? – perguntou mordendo meu lábio inferior e eu suspirei negando – não o que hyung? Eu perguntei o que fará se eu acreditar no que diz? – repetiu e eu olhei em seus olhos.
Não sei o que farei se ele acreditar, não quero assumir, mas não quero que ele acredite. Por que você tinha que me mostrar um lado meigo e sincero?
- assuma que me quer também hyung, assuma que também sente algo por mim. Diga-me que eu não sou o único que sente algo, confesse que é recíproco – ele pediu agoniado e eu olhei em choque.
“Diga-me que eu não sou o único que sente algo”
“confesse que é recíproco”
Ele realmente gosta de mim?
Olhei em seus olhos, parecia tão real, tão sincero.
Por que você não continua sendo apenas o pirralho mimado que eu sempre achei que fosse?
- vo-você está d-dizendo que gosta de mim? – perguntei totalmente incrédulo e ele me sorriu doce assentindo.
- e você hyung? O que realmente sente? – perguntou sério olhando nos meus olhos e então eu finalmente aceitei.
Estar com ele era o que eu queria também.
Coloquei minhas mãos em sua nuca o puxando e colei nossos lábios.
Ele arregalou os olhos e segurou minha cintura me puxando para perto de si, fechamos os olhos aos poucos cedendo à vontade. Sua língua pediu passagem, essa que concedi sem hesitação nenhuma.
Quando o ar se fez necessário findamos o beijo com vários selares sem querer findar o contato de verdade.
Nos separamos e ele sorriu largo, um sorriso tão lindo e verdadeiro que fez minhas pernas já bambas falharem. De fato, se eu não estivesse agarrado a ele e ele à mim, com certeza, eu teria caído.
- Min hyung? – chamou risonho – o Lu já sabe sobre essa proposta? – perguntou divertido e eu neguei.
- se soubesse, não teria me deixado sair de casa – respondi e ele gargalhou alto.
Fiquei como um idiota o olhando com uma expressão feliz no rosto.
Ele fica ainda mais lindo sorrindo.
- no que está pensando hyung? – perguntou Sehun divertido e eu corei desviando o olhar.
- nada, temos que contar para o Luhan – comentei preocupado com sua reação.
- vamos agora, você veio de carro hyung?
- não, vim andando, precisava pensar – respondi simplista e ele assentiu.
- vamos na minha moto então...
- eu nunca andei de moto Sehun – falei apavorado e ele sorriu selando nossos lábios.
- para tudo se tem uma primeira vez hyung, é só se segurar em mim – ele afirmou me puxando para fora do quarto e demos de cara com a Tiffany o que fiz a expressão do Sehun mudar completamente.
Olhei para ele preocupado.
- oppa? O que faz com o Sehun? – ela perguntou surpresa e ele sorriu frio.
- estranho seria se ele estivesse com você não é Tiff? Já que ele nunca te deu atenção. ele veio aqui atrás de mim não de você – afirmou maldoso – na verdade, ele nunca quis saber de você não é? Ele nunca te deu bola ou pensou em ficar com você, sequer gostou de você e você vive pateticamente correndo atrás dele, mas agora você irá deixá-lo em paz ou vai se arrepender – ele ameaçou e continuou me arrastando.
Subimos na moto e fomos para minha casa, quando chegamos pedi para o porteiro liberar a passagem para ele guardar a moto na garagem junto com meu carro e quando ele desceu da moto com a expressão ainda fria eu o puxei o abraçando.
No começo ele ficou tenso, mas depois relaxou.
- Sehun-ah, você não acha que foi muito cruel? – perguntei carinhoso, e ele mostravam uma mágoa infinita – os únicos momentos que ela demonstrou um pingo de afeto ou algo bom eram falsos só para fingir que era uma boa irmã.
Ele começou a chorar e eu realmente vi o quão machucado ele foi, o quanto ele precisava de carinho.
O abracei apertado acariciando suas costas até que ele se acalmasse.
- obrigado por me segurar hyung – ele sorriu e eu sorri de volta.
- não precisa agradecer Hun-ah só precisa sorrir – afirmei selando nossos lábios e o puxei para o meu apartamento.
Quando abri a porta encontrei o Lu na sala vendo TV, ele me olhou culpado até ver o Sehun atrás de mim, e de culpado seu olhar passou a confuso.
- Sehun? O que ele faz aqui? – o luhan perguntou claramente surpreso.
- é hyung, o que eu faço aqui? – o Sehun me perguntou e eu comecei a ficar nervoso.
- então... É... Eu pensei muito no que você disse... e... Eu fui procurar o Sehun para conversar...
- é melhor você deixar eu explicar hyung... É simples Lu, ele foi à minha casa conversar comigo e propôs um relacionamento entre nós três e eu aceitei. Tá vendo? Simples – ele respondeu e eu o olhei incrédulo.
O.O
Como ele fala assim?
Olhei para o Lu que tinha os olhos arregalados.
- como você fala assim seu idiota? – perguntei dando um tapa na sua cabeça.
- ai hyung, isso dói. É melhor falar logo do que ficar enrolando como você tava – afirmou alisando o local atingido por mim.
- espera gente! – o Lu chamou – vocês estão me dizendo que querem ter um relacionamento comigo? Os dois? – ele perguntou chocado e nós assentimos.
Ele nos olhou como se tivéssemos chifres.
- vocês beberam demais? Como vamos namorar os três? – perguntou ele.
- olha Lu hyung – o Sehun começou tomando a frente – se sua preocupação é o preconceito só tenho a dizer que você não precisa se preocupar – ele afirmou abraçando o Lu.
- mas...
- presta atenção... – o Sehun pediu segurando o rosto do Luhan entre suas mãos.
- minha maior preocupação é ser feliz e ver quem eu amo feliz – ele afirmou – feche os olhos – pediu – pense em tudo que você sente pelo hyung – completou – você o ama certo? – perguntou e o Lu assentiu – mas se sente completo estando só com ele? – perguntou e o Luhan abriu os olhos lhe fitando avaliativo.
- eu...
- sim ou não Lu hyung – o interrompeu e ele me olhou de forma triste, negou suspirando.
- eu queria muito, mas tem algo que me faz pensar em você.
- e se você ficasse apenas comigo? Se sentiria completo? – ele perguntou e eu olhei alarmado.
- também não, eu não consigo ignorar o que eu sinto pelo Xiumin  – o Lu respondeu fazendo o Sehun sorrir.
- e você não quer se sentir completo? Você está mais preocupado com os outros ou com ser feliz? Você vai aceitar perder um de nós ou até os dois? – perguntou olhando nos olhos do Lu que negou – nós estamos aqui para você, o que está esperando? – perguntou soltando ele e vindo para o meu lado me dando um meio abraço e o chamando.
- estamos aqui Lu – completei e ele nos abraçou deixando um beijo em meus lábios e nós dele que por fim me beijou também.
- não se preocupe lu eu cuidarei de voc.. – fui interrompido pelo olhar pesado de sehun. – certo, certo. Nós cuidaremos de você. – conclui, e a criança gigante sorriu satisfeita.

~ Pov Luhan ~

Era incrível, mas realmente as coisas pareciam ter se ajeitado de uma forma completamente inesperada. Era realmente divertido ver aqueles dois e suas implicâncias, por mais que em seus olhos o amor predominasse, sinceramente parecia um casal de velhos implicantes.
Já fazia uma semana que o Sehun estava praticamente morando conosco, e por mais que parecesse um sonho, aquele lugar parecia cada vez mais apertado. Por mais que eu amasse viver com os dois, isso não era justo com o hyung.
Levantei da cama determinado a achar um lugar. Tomei banho e peguei meu notebook junto com minha agenda saindo do quarto silenciosamente para não acordá-los.
Sentei-me no sofá abrindo o notebook e começando a pesquisar apartamentos para alugar.
Depois de muito tempo pesquisando comecei a perder as esperanças de achar um bom lugar pelo preço que eu podia pagar.
Ouvi minha barriga rosnar de fome e lembrei que não comi nada desde que levantei.
Deixei o notebook na mesinha junto com a agenda e fui fazer algo para comer.
Estava quase terminando de fazer o café-da-manhã quando virei e tomei um susto ao ver o Sehun parado na porta me olhando.
- nossa que susto Hun! Por que você tá aí parado? – perguntei exasperado.
- estava só te observando – respondeu – bom dia baby.
- bom dia hunnie, mas assim... você lembra que eu sou mais velho né? – perguntei risonho e ele fez uma careta.
- nem ligo – deu de ombros estirando língua para mim e eu gargalhei.
- certo, certo! Põe a mesa que eu vou chamar o hyung para comer. Ele acordou? – perguntei.
- claro que acordou, ficou me infernizando para levantar logo, até me chamou de belo adormecido acredita? Bem... dai me irritei e fui pro banho, ele já deve ter ido tomar banho também, aliás por quê você acordou tão cedo Lu?
- perdi o sono, ai levantei e fiquei mexendo no notebook. Bom, de qualquer forma eu vou dar uma saida, tenho umas coisinhas pra resolver.
- então quando o min-hyung voltar do trabalho podemos almoçar juntos? Por favor.– pediu manhoso.
- você sabe que eu aceitaria mesmo sem essa manha toda ne? – sorri.

~ Pov Sehun ~

Abri meus olhos devagar, avistando apenas o min-hyung. Estranho, o Lu levantou primeiro?
Fechei meus olhos novamente envolvendo o Xiumin em meus braços, mas logo fui interrompido pelo despertador. Foi realmente assombroso como ele passou de um sono tranquilo pra totalmente desperto em segundos, enquanto eu me mantive imóvel.
- Sehun, acorde! Acorde garoto mimado, está na hora de se levantar.
Como assim? Mas eu já estava acor... ah, quer saber, deixa pra lá. Agora ele terá que se esforçar mais para me convencer a sair dessa cama.
Senti um beijo terno ser depositado em meus lábios.
- certo belo adormecido, satisfeito? Agora saia já dessa cama antes que eu te reboque dai.
- meu Deus! Meu Príncipe me beijou, eu posso morrer feliz agora! Oh – fiz um draminha e depois virei fingindo que morri, me arrumando entre os lençóis e fechando os olhos novamente.
- não faz assim Sehun-ah, você vai se atrasar para a faculdade, levante meu amorzinho – ele pediu me enchendo de mordidinhas.
Aaaah! Que saco!
Levantei e tomei um banho frio, fiz minha higiene rapidamente e sai do banheiro mais calmo depositando um beijo carinhoso  de bom dia nos lábios do hyung e por fim saindo do quarto.
O notebook do Lu estava em cima da mesinha da sala com cara de “estou ligado, veja o que faziam comigo” e eu, sendo a pessoa obediente que sou, resolvi dar uma olhada.
Haviam varias abas abertas, todas elas sobre imóveis.
Espera um pouco...
O que ele pretende com isso? O.o
Olhei para o lado notando uma agenda aberta com vários cálculos e no fim da pagina estava escrito “343.760,74 won disponível” porém o preço dos lugares decentes mais baratos eram de 515.641,11₩.
Ele deve estar realmente estressado com isso.
Ouvi um barulho na cozinha e lógico que o Lu-hyung tava fazendo o café-da-manhã, cheguei na porta da cozinha e fiquei o observando fazer a comida, sorri.
- nossa que susto Hun! Por que você tá aí parado? – perguntou exasperado e eu ri da cara de pânico que ele fez.
- estava só te observando – respondi carinhoso – bom dia baby – cumprimentei sorrindo.
- bom dia Hunnie, mas assim... você lembra que eu sou mais velho né? – ele perguntou risonho e eu fiz careta.
Pra quê ficar lembrando disso?
Quer saber? Tô nem ai! De qualquer forma sou mais alto mesmo! Quero nem saber!
- nem ligo – mexi os ombros pra cima e pra baixo como se não ligasse estirando língua para ele que gargalhou.
- certo, certo! Põe a mesa que eu vou chamar o hyung para comer. Ele acordou? – perguntou incerto. 
- claro que acordou, ficou me infernizando para levantar logo, até me chamou de belo adormecido acredita? Bem... dai fui pro banho, ele já deve ter ido tomar banho também, aliás por quê você acordou tão cedo Lu?
- perdi o sono, ai levantei e fiquei mexendo no notebook. Bom, de qualquer forma vou me arrumar agora é chamar o hyung.
- então quando o min-hyung voltar do trabalho podemos almoçar juntos? Por favor.– pedi manhoso.
- você sabe que eu aceitaria mesmo sem essa manha toda né? – sorriu.
- claro, você me ama, ai quer estar comigo!
- modéstia mandou lembranças – brincou.
- eu não preciso ser modesto já que eu sou demais, afinal quem tem dois namorados? Eu tenho dois namorados e os dois me amam demais...
- ai...
- o que foi Lu? – perguntei preocupado.
- seu ego tá me empurrando pra fora da cozinha – ele respondeu rindo e eu fiquei sério – tá bom, parei – ele falou levantando os braços.
- se arrume logo que eu tenho que chegar mais cedo hoje – falei emburrado e ele me beijou indo para o quarto.
Comecei a arrumar a mesa como o Lu pediu. Demorou um pouco, mas logo os dois apareceram na cozinha.
- por favor, me digam que vocês não fizeram uma rapidinha! – pedi e eles se olharam – meu Deus! Meus namorados me traíram!  Os dois! Por que senhor? Eu que sou tão lindo e maravilhoso! – comecei a me lamentar e eles riram.
Eles riram?
- como vocês podem rir assim de mim?
Fiz bico e o min-hyung se aproximou mordendo meus lábios.
- que raios você tem com mordidas? Por que fica me mordendo o tempo todo hyung? – perguntei e ele sorriu.
- você fica muito fofo emburrado, e eu gosto de te morder. É bom.
Suspirei o olhando indignado. Esse tipo de coisa é melhor deixar pra lá.
- so me avise quando for para interna-lo, ok?
- também te amo Sehun. – ele afirmou e eu retesei.
Ele me ama? Me ama, AMANDO mesmo? É sincero?
- ama mesmo hyung? – ele sorriu e olhou para o Luhan, que se aproximou ficando do meu outro lado.
- nós amamos Hun – ele falou e os dois deixaram um selar em meus labios ao mesmo tempo.
Depois de comer, o Xiumin foi para o seu trabalho, e eu e o luhan fomos para faculdade na minha belíssima moto.
Chegamos relativamente rápido
Fomos para aula e tudo correu como de costume, matérias chatas e pessoas encarando e cochichando. As horas se passaram rápido, já estava perto do horário que havíamos marcado, mas apenas eu estava no bendito restaurante.
Sinceramente, so pode ser ironia do destino, justo quando eu decidi ser pontual.
Bom, o min-hyung ainda deve estar no trabalho, mas e o Lu?
Será que ainda está procurando apartamentos?
Pelo que eu vi na agenda dele não é muito dinheiro, acho que ele não tá encontrando nada, os valores que estavam no computador eram mais altos.
Não queria viver separado deles, mas aquele apartamento está realmente apertado para nós três.
Eu podia comprar um apartamento... mas eles não aceitariam...
Eu preciso fazer algo...
- Sehunnie? Você está aqui a muito tempo? Desculpa eu ter atrasado, eu tinha umas planilhas pra terminar...
- não faz nem dez minutos – respondi sorrindo largo – quero beijo hyung.
Ele riu e selou nossos lábios.
- o Lu está demorando. – o xiumin constatou.
- ele deve ter ficado conversando com aquele zoiudo lá amigo dele e ter esquecido da hora – o encobri.
Esperamos pouco mais de dez minutos para enfim o Luhan chegar.
- que demora Lu, o que você tava fazendo? – ele perguntou e o Lu hyung ficou um pouco nervoso.
- não acredito que você estava conversando com aquele zoiudo até agora – falei como se estivesse indignado e ele riu relaxando.
- você está com ciúme do Kyung? – ele perguntou já dando uma volta no Min hyung.
- eu? Com ciúmes daquele lá? – perguntei chocado com a insinuação – sou mais eu ok?
- ok, ok! Vamos comer que eu estou esfomeado – ele pediu e nós reviramos os olhos.
- vamos, eu pago dessa vez meus amores – falei galante e eles reviraram os olhos.
Fizemos nossos pedidos e começamos a conversar, quer dizer... eles começaram a conversar, eu estava ocupado demais pensando no que fazer para resolver aquilo pra prestar atenção no que eles diziam.
- Sehun? Sehun! – o Min chamou me sacudindo e eu o olhei assustado.
- o que foi Min? Por Deus que susto! – falei exasperado.
- onde você tá? – perguntou irritado.
- aqui! Você não está me vendo hyung? Temos que levá-lo a médico Lu! – afirmei rindo e ele me bateu – ah... pra me bater me enxerga rapidinho né?! – resmunguei e ele revirou os olhos enquanto o Lu ria.
Almoçamos entre brincadeiras e risadas, foi muito divertido.
Depois disso, cada um foi para o seu respectivo trabalho, e eu, que precisava bolar uma ideia para resolver nossos problemas, fui para certo lugar buscar algo que, independente do plano que fosse usar, iria precisar.

Passei na mansão, lugar que, depois de passar um tempo morando com os hyungs, notei nunca ter merecido que eu chamasse de casa, sem que ninguém, além dos empregados que não me denunciariam, visse.
Fui ao meu quarto e peguei o dinheiro que tinha guardado no fundo falso do meu armário.
Venho juntando esse dinheiro a anos, tirando de pequenas quantias para que meu pai não notasse.
Tirei o dinheiro das maletas colocando numa mala de viagem grande e fui embora dali o mais rápido possível.
Cheguei em casa colocando a mala em cima do guarda-roupa e desci pra falar com o porteiro.
- senhor Jung – chamei.
- diga filho – respondeu o senhorzinho simpático.
- eu soube que o apartamento ao lado do apartamento do hyung está pra alugar.
- ah sim, é isso mesmo. Pelo que fiquei sabendo, o senhorio do edifício está com alguns problemas financeiros e está desesperado – ele comentou e eu assenti pensativo.
- o senhor pode me dar o contato dele? – perguntei ansioso.
- claro, só um minuto.
Ele pegou um papel com o número e me deu.
- obrigado – agradeci e ele sorriu assentindo.
Subi de volta pro apartamento e me sentei no sofá com o papel na mão
Eu tinha pensado em comprar o apartamento, mas os hyungs não vão aceitar de forma alguma...
“ Pelo que fiquei sabendo o senhorio do edifício está com alguns problemas financeiros e está desesperado”
Lembrei das palavras do senhor Jung.
E se eu comprasse o condomínio? Eu podia fazer eles pensarem que estão alugando o apartamento por um preço baixinho... Mas o Min-hyung pode perceber que esse não é o valor de fato... Porém dá pra alegar o desespero por dinheiro do cara.
É isso! Eu sou um gênio!
Peguei o celular e liguei pro cara.
- alô, estou ligando a respeito do aluguel do apartamento. Podemos nos encontrar? Eu tenho uma proposta que eu acho que você vai gostar.
- ah sim, claro, claro, onde e quando podemos nos ver?
- pode ser Agora na Praça que fica próxima ao edifício?
- sem problemas, estarei la o mais rápido possível.
Peguei as minhas coisas e sai, e em poucos minutos eu cheguei até a Praça, onde o senhor já se encontrava.
Ele realmente estava desesperado. E isso nesse caso era ótimo.
- com licença, fui eu quem ligou mais cedo. – falei tocando levemente seu ombro, e ele se virou me olhando em expectativa.
- então, o que você tem para me propor?
- certo, certo. Direto ao ponto. Eu gostaria de comprar todo o edifício.
- o que? Você está louco meu jovem?
- eu irei lhe oferecer uma boa quantia a vista por isso – falei lhe mostrando um pouco do dinheiro e ele arregalou os olhos. – eu posso ser bem generoso, sabe? Mas em troca, você poderia me fazer uns favores? – continuei mas depois de ver o dinheiro ele não parecia que iria se opor por causa de um capricho ou dois. – eu quero que tudo seja passado pro meu nome o quanto antes, por isso você tem até amanhã para providenciar a papelada, e também quero que você finja que continua sendo o proprietário e alugue aquele apartamento para uma pessoa.
- tudo bem, faço tudo que pedir – o homem concordou olhando para o dinheiro com os olhos brilhantes.
Combinamos como tudo seria feito detalhadamente e ele me garantiu que no dia seguinte ele estaria com a papelada para assinarmos.
Voltei para casa feliz e retumbante, nos manteria perto e ainda deixaria meu hyung feliz.
Isso me deixava realizado.
Peguei a agenda do Lu e um papel.
“senhor Gong: 83767839274. Apartamento para alugar.”
Coloquei dentro da mesma onde tinha vários números de telefones com o título “apartamentos pra alugar” no topo da folha.
Deixei a agenda onde estava antes e sai sorrindo largo do quarto.

~ Pov Luhan ~

Cheguei em casa após o trabalho. O Sehun estava apagado no sofá, e o hyung ainda não havia chegado em casa.
Certo vou aproveitar esse tempo sozinho para continuar a minha busca.
Peguei o notebook e minha agenda, revisando os anúncios que já tinha visto, quando notei um que não estava riscado.
Estranho!
Eu achei que já tinha ligado para todos que tinha anotado.
Espera...
Senhor Gong? Não é o nome do nosso proprietário?
Peguei o celular ligando para o número anotado.
Em poucos minutos o senhor me explicou todos os detalhes sobre o imóvel. Ele ficava ao lado do apartamento do Min-hyung, e o preço do aluguel estava realmente dentro do que eu poderia pagar.
Fiquei um pouco desconfiado, mas eu realmente não tinha muitas opções.
Marquei uma visita para olhar as condições do lugar, e como seria feita a locação do mesmo.
Ele disse que por alguns motivos pessoais não poderia mais ir no prédio com tanta frequência, pedindo que a quantia referente ao aluguel fosse depositada na sua conta no banco.
Poucos dias depois a papelada já estava toda pronta para fecharmos o negócio. Juntei tudo que era necessário, e fui, acompanhado pelos meus dois amores.
O Sehun parecia um pouco mais enérgico que o normal, já o Xiumin parecia muito sério.
Quando comentei sobre o negócio, o Xiumin ficou realmente desconfiado de tudo, até ligou para o senhor Gong, só pra ter certeza.
Chegamos até o lugar marcado, onde o senhorio já se encontrava.
Ele tinha dois contratos, um seria meu, e o outro ficaria para ele.
Peguei os papeis dando uma olhada rápida.
Vou confessar, estava tão ansioso que não li ele por completo. Quando cheguei ao final a assinatura dele já estava presente em ambos os contratos, faltando apenas a minha.
O Xiumin abriu a boca como se fosse falar algo desistindo logo em seguida. Já o Sehun tinha um olhar de grandes expectativas.
...
Dois dias se passaram desde que assinei o contrato.
Estava me preparando minha mudança, quando o Sehun chegou com um sorriso largo.
- o que foi Hunnie?
- então Lu, eu tenho uma surpresa pra você. – falou animado me puxando pelo pulso. – venha, venha.
- o que f... – minhas palavras morreram quando eu vi do que se tratava.
Pedreiros estavam preparados para quebrar a parede que dividia os dois apartamentos.
- tcharammm. – disse abrindo os braços e eu o repreendi o puxando pela orelha.
- o que significa isso Oh Sehun? Eu mal aluguei esse apartamento e você já quer me expulsar daqui? Se o proprietário ver isso ele vai rasgar o contrato e me chutar para o olho da rua.
- fique tranquilo, o senhorio e eu... bem... digamos que nos tornamos muito próximos, eu já falei com ele e ele não se opôs. – ele disse enquanto eu o encarava sem saber como responder. – além do mais, ia ser muito chato ficarmos divididos assim, mesmo que por uma única parede.
- que discussão é essa? – o Xiumin disse, aparecendo no corredor.
- hyung, meu salvador. Me ajude a por juízo na cabeça dessa criança teimosa, antes que ele leve essa parede a baixo.
- Oh Sehun!! – o hyung chamou o Sehun com um olhar mortal. – venha aqui, vamos conversar um pouco. – disse de maneira doce, mas no seu rosto um sorriso sádico se formou, fazendo o Sehun arrepiar.
Eles foram para um canto e conversaram um pouco enquanto eu tentava conter os pedreiros impacientes.
- certo, podem por essa parede a baixo. – o Hunnie disse animado e eu olhei para cara do hyung, que o seguia com um olhar derrotado.
- M-mas, mas... como?
O hyung pôs a mão em meu ombro me consolando.
- só aceita Lu! Não tem argumento certo com essa criança! – ele suspirou vendo a obra começar.
É possível que esse garoto mimado consegue tudo o que quer?
Em pouco tempo aquilo tudo se tornou num apartamento só, admito que prefiro assim de fato, mas o Hun não precisa saber não é?!
- para comemorar a nossa casa recém reformada, eu trouxe um presentinho para combinar com o novo espaço do amor, vulgo quarto. – o Sehun disse nos arrastando para o quarto e mostrando uma enorme cama com um sorriso de orelha a orelha. – estava cansado daquela cama apertada. – ele continuou e o hyung estava com os olhos arregalados.
Pus a mão em seu ombro.
- só aceita hyung! Não tem argumento certo com essa criança! - repeti suas palavras e gesto de alguns dias e ele sorriu maldosamente.
- você é uma criança bem mimada e espaçosa não é pequeno Hunnie? – o hyung falou olhando para o Sehun ferozmente. – acho que vou ter que ensinar a esse jovem mestre boas maneiras. – falou empurrando o Sehun na cama enquanto prendia seus pulsos para trás.
- hy-hyung – ele ofegou – o-o que vo-você está fazendo? – perguntou surpreso enquanto eu olhava a cena com os olhos arregalados.
- o que você acha meu amor? – perguntou o hyung com um sorriso sádico na bela face – o que acha de estrear a cama nova? – arqueou uma sobrancelha.
O hyung mordeu o pescoço do Hunnie com força o fazendo gemer contido.
- não não não! Por  que você está se contendo? Não pode fazer isso com o hyung Hun-ah! – ele sussurrou mordiscando a orelha do Sehun que estremecia em seus braços.
Eu apenas observava atentamente, parado no mesmo lugar sentindo todo meu corpo reagir àquela cena.
O Min-hyung abriu o zíper da calça do Sehun a tirando com violência se colocando entre suas pernas roçando seu membro completamente coberto no dele que agora apenas a boxer cobria e molestando seu pescoço.
- geme pra mim Hun-ah – pediu rouco com a boca grudada em seu ouvido o que fez com que o Sehun não conseguisse conter e gemesse alto.
Eu tentava me conter a todo custo, não queria atrapalhar, muito menos sair dali e eles pareciam ter esquecido minha presença.
O hyung rasgou a camiseta do Sehun e começou a deixar chupões em seu abdômen lisinho e branquinho enquanto acariciava seu membro levemente por cima da boxer até chegar aos mamilos.
Ele lambia, chupava e mordiscava os mamilos do Sehun que já gemia sem nenhum pudor.
De repente o Sehun virou os dois trocando as posições assustando o hyung que soltou um gritinho.
- acho que o hyung já abusou demais de mim. Tá na minha vez agora – ele sussurrou provocativamente mordiscando a  orelha do Xiumin.
Sehun tirou a calça e a blusa do Min-hyung e seu resto de blusa jogando-os em qualquer lugar, colocou-se entre as pernas do hyung e começou a chupar o membro dele enquanto acariciava sua coxa e seu abdômen definido.
O hyung realmente tem um abdômen perfeito!
O Hunnie passou a marcar o corpo do hyung com chupões e mordidas enquanto massageava seu pênis já por dentro da boxer.
O hyung gemia alto sem conseguir se conter o que pra mim, só de observar, já estava sendo quase impossível.
Jamais imaginei que vê-los assim seria extremamente excitante como está sendo!
Coloquei minha mão dentro da minha calça inconscientemente me masturbando enquanto visualizava àquela cena.
O Hunnie arrancou a boxer do hyung com pressa e a quantidade de pré-gozo que saía era abundante, ele lambeu a glande lentamente passando a língua pela fenda por onde seu líquido escapava sendo presenteado com um gemido arrastado que me fez gozar gemendo alto e manhoso.
- ahh! Então o hyung gosta do que vê? – o Sehun perguntou sorrindo de lado.
- por que não se junta a nós Lu? – o Min-hyung perguntou ofegante e eu assenti.
Eles se puseram de joelhos na cama se olhando com um sorriso malicioso.
- sente-se aqui Lu-hyung – o Sehun pediu sensualmente batendo no espaço entre eles.
Sentei-me ali um tanto nervoso de frente para o Min-hyung e de costas para o Hun-ah.
- relaxe Lu-hyung, não precisa ter medo – o Hunnie sussurrou no meu ouvido começando a deixar leves mordidinhas no meu pescoço o que me fez arrepiar completamente.
- é Lu, apenas relaxe! – o Min-hyung completou puxando minhas calça e boxer juntos de forma lenta beijando a parte interna de minhas coxas.
O Hunnie judiava de meu pescoço enquanto massageava meus mamilos, já o hyung abusava de minhas coxas enquanto massageava meu membro de forma lenta e torturante.
Meu prazer era tanto que eu nem conseguia pensar.
Estava tentando conter os gemidos, mas eles estavam empenhados em não deixar.
- queremos ouvir seus gemidos Lu-hyung – o Hunnie falou.
- não se contenha pequeno – o hyung completou começando a sugar minha glande e eu chutei o pau da barraca gemendo extremamente alto e sem preocupações.
Eles me deitaram de lado na cama, e na mesma hora que o hyung me chupava, o Hunnie me fodia com a língua.
Aquele músculo molhado entrando e saindo da minha entrada somado ao estímulo em meu membro me fazia gemer insanamente sentindo um prazer inigualável.
O Sehun levantou da cama e pegou um tubo de lubrificante colocando uma quantidade generosa na mão logo em seguida levando a minha entrada.
Logo de início incomodou um pouco, mas depois de certo tempo eu comecei a necessitar aquele contato cada vez mais.
Enquanto isso o Min-hyung me chupava e eu estava sentindo um prazer insano.
Eu estava muito perto!
Comecei a puxar o hyung, se ele não parasse eu gozaria na sua boca, eu queria aproveitar mais e não gozar agora.
Mas não adiantou, parece que só o estimulou a continuar.
Resultado?
Gozei em sua boca com um gemido longo e arrastado enquanto ele engoliu sem deixar escapar uma gota sequer.
O Sehun deu me beijou ainda mexendo os dedos dentro de mim.
Quanto dedos tinham?
Não tenho ideia, mas eram muitos e era bom.
- Lu... você quer continuar? – o hyung perguntou e eu, ainda inebriado pelo prazer não entendi.
- ãnh? – perguntei inerte.
- perguntei se você quer continuar, você acha que está pronto Lu? – ele perguntou de novo.
- aqui hyung, pegue! – o Hun falou colocando uma de minhas mãos no pênis do Min-hyung e a outra no próprio gemendo baixinho quando segurei de fato.
E eu?
Eu arregalei os olhos alternando entre os dois ao sentir com o eles estavam duros.
E meu próprio pênis como reagiu a isso?
Endureceu na hora claro!
- então hyung? Nós estamos assim por você, a questão é... você está pronto? Você quer isso? – o Xiumin perguntou me olhando nos olhos com uma firmeza e um carinho que me surpreendeu.
Esse olhar me passou uma confiança que eu duvidava se um dia teria.
- eu quero agora – respondi firme e eles se olharam e deram os sorrisos mais sexys que eu já vi na vida.
- você não vai se arrepender – o Sehun garantiu – mas agora de joelhos na cama – mandou sorrindo maldoso e eu obedeci.
- de frente pra mim – o Min-hyung completou e o Hun sorriu e assentiu.
O Min me beijou sensualmente roçando nossos membros enquanto o Hun grudou atrás de mim roçando seu membro em minha bunda como se fosse me invadir, mas sem de fato fazer.
- você confia em nós não é Han? – perguntou com a voz rouca em meu ouvido mordendo o lóbulo de minha orelha e eu tive que parar o beijo pra gemer manhoso e arrastado.
- cegamente – respondi sem hesitar.
- se você sentir que é demais diga, assim como se quiser algo – ele falou sério e eu assenti – você pode chupar o Min-hyung enquanto eu te preparo? – perguntou deslizando as mãos ainda meladas de lubrificante pelo meu corpo.
Assenti.
O hyung sentou-se na cama e eu me pus de quatro começando a chupa-lo enquanto senti os dedos do Sehun, bem gelados do lubrificante, me adentrarem novamente.
Ele colocou dois dedos fazendo movimentos de tesoura alargando o espaço.
Depois de um tempo ele já estava com os quatro dedos brincando dentro de mim e eu já gemia abafado pelo membro do hyung rebolando loucamente enquanto o chupava, o hyung também gemia alto e rouco.
Então no meio daquela sinfonia de gemidos o Hunnie tirou os dedos de dentro de mim e se posicionou encaixando seu membro em minha entrada e me puxando com força nos fazendo cair sentados na cama tirando o pênis do hyung da minha boca.
Senti um certo incômodo, mas não chegou a doer.
Ele ficou parado esperando que eu autorizasse e eu me mexi permitindo que ele prosseguisse.
Ele segurou minha cintura me fazendo subir e descer lentamente e aos poucos foi aumentado a velocidade e a força das estocadas indo com o seus quadris de encontro aos meus.
Vi que o hyung apenas se masturbava nos olhando e parei os movimentos para dar passagem para ele.
O Sehun e o Xiumin ficaram um de frente para o outro, o hyung com as pernas por cima das do Sehun e seus membros se roçando, o que os fazia gemer baixinho, e depois de muito lubrificante, eu me sentei por cima deles com os dois me invadindo de uma vez enquanto quatro mãos me faziam descer lentamente me rasgando aos poucos.
Parecia minha primeira vez de novo e aquilo doía como um inferno, mas eu não vou parar agora, não mesmo.
Fui descendo apesar da dor e ignorando as lágrimas, mas os meus amores não as ignoravam de forma alguma.
O primeiro a ver foi o Sehun que estava de frente pra mim.
- Lu-hyung! Tá doendo muito? Quer parar? – ele perguntou com a voz um pouco falhada.
- eu vou ficar bem – sussurrei.
- tem certeza pequeno? – o hyung perguntou impedido que eu continuasse me movendo.
- tenho hyung! Eu quero! – eles soltaram minha cintura e eu desci de uma vez o que faltava.
- puta que pariu! – o Hun xingou – Não faz uma coisa dessa! – gemeu.
O hyung apenas olhou de forma repressora, mas eu me movi, então mudou para uma expressão de prazer imediatamente.
Comecei a subir e descer lenta e torturantemente.
Aos poucos aquela dor ia se mesclando ao prazer e desaparecendo.
- mais rápido, por favor! – implorei sendo atendido de imediato pelos dois que aceleraram os movimentos.
Era muito diferente a sensação de ter os dois dentro de mim, de estar daquela forma com eles. Era a melhor sensação!
Os membros se roçando dentro de mim era indescritível!
Eles atingiram minha próstata e eu urrei de prazer cravando as unhas nos ombros do Sehun.
- AI DE NOVO, POR FAVOR! – supliquei sendo atendido.
Eles passaram a atingir apenas aquele ponto me levando ao limite do prazer.
Depois de mais algumas estocadas não aguentei e gozei melecando meu abdômen e o do Hunnie, mas continuei mais um pouco até os meninos gozarem, o que não demorou muito.
Caímos os três exaustos na cama.
- foi perfeito meus amores – falei sorrindo de orelha a orelha.
- foi sim – o Min-hyung concordou fazendo carinho em nós dois.
- foi o melhor sexo da minha vida – o Sehun falou puxando nós dois para seus braços e deixando vários selares em nossos rostos levantando em seguida.
- ei! Onde você vai? – perguntei confuso.
- preparar a banheira para cuidar dos meus namorados lindos e maravilhosos! – ele respondeu risonho.
Pouco depois ele volta com a toalha na cintura e me pega no braço.
- primeiro o mais debilitado, não ouse levantar daí Min-hyung que eu já volto – falou me levando para o banheiro e me dando um banho rápido, mas sem deixar de ser carinhoso.
Voltamos para o quarto e ele fez o mesmo com o hyung, logo depois dormimos todos juntos na enorme cama nova agarradinhos.

Havia uma criança sentada no chão com alguns brinquedos na mão, quando a porta foi aberta, dando passagem para um homem magro, com cabelos escuros e olhos cansados.
Parou em frente a criança e a encarou sério por alguns segundos. Bagunçou os cabelos com força e depois soltou um suspiro longo.
- aah jinhee, como você pode me deixar sozinho para cuidar dessa criança? – falou olhando para o teto. – me sinto sufocado.
Passou alguns minutos quieto, seu olhar era vago, como se sua mente não estivesse ali...
Afagou os cabelos do pequeno com leveza.
Se levantou pegando um pedaço de papel qualquer escrevendo bruscamente, pegando o garoto logo em seguida em seus braços.
- Luhan, o que eu vou fazer será o melhor para nós dois. – disse e então uma única lagrima solitária escorreu por um dos olhos.


Notas Finais


Então?? Eu sou mega curiosa e quero saber o que vcs acharam...
Como vcs já sabem, o próximo pode demorar...
E até uma próxima oportunidade!!
😘😘😘😘😘😘... no kokoro...
Só pra deixar claro... foi a kaori que implorou uma trissome, quem não gostou a culpe a ela... 😂😂😂😂...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...