História Alone - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Fantasia, Londres, Mito, Raposas, Sequestro, Terror, Tortura, Violencia, Yuri
Exibições 7
Palavras 869
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yuri
Avisos: Homossexualidade, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - III


III

 

                Kademya Hollik 
                      Londres

 


O caminho até a casa do ex-cunhado foi mais longo do que desejava.

 


Havia muito tempo que ela não se lamentava ou falava sobre Kaya, mas aparentemente era necessário que ela o fizesse.

 


Uma coisa sobre a companheira que ela não sabia era: ela mentiu sobre a família.

 


Ao se conhecerem a mais nova disse que os pais moravam fora do país, mas na verdade, ela não tinha conhecimento de quem eram seus pais, pois morreram meses depois de seu nascimento.

 


Seu irmão a criou. Kademya não entendeu porque ela não contou de cara, mas a outra só respondeu que não gostava de tocar no assunto então a perdoou.

 

 

Uma sensação estranha a atingiu quando chegou ao pequeno apartamento. O…interior dela entrou em alerta. 

 


Algo estava errado. Algo estava muito errado.

 


Ela sentia pulsação acelerada, sentia o sangue passando pelas artérias e veias, sentia a adrenalina em seu corpo.

 

Subiu devagar as escadaria velha de madeira que rangia para acomodar seu peso. Poeira passeava pelo ar.

 

Mas como? Se não havia vento?

 


À frente, a porta com o número 832C. Ela deu duas batidas cardeais e como resposta, escutou o que parecia um vaso a ser quebrado e logo em seguida vidro.

 


Bateu novamente e, o nada foi sua resposta.

 


Tomou um fôlego entrecortado (estava usando a máscara) e arrombou a porta com seu peso.

 


Ah! Ruby.

 


O ruivo estava caído de bruços no meio da sala, a espiral estava em sua parede e ele segurava um livro.

 


Kademya se agachou para ver o que era: um dicionário. Que traduzia seu código para o inglês.

 


Ele sabia que ela viria. Como?
Alguém também sabia e o matou. Por quê?
Alguém dava pistas e outro as tirava. Quem?
O que isso tinha haver com a única pessoa que amou?

 


Um feixe de luz estava iluminando o ambiente.

 


Aquelas espirais…de onde ela as conhecia?

 


A jaula de pedra fria, úmida e empoeirada era aberta e tinha um "acolchoado" de pedras que ela usava como cama.

 

Estava com a cabeça pendida entre um lascado e com uma ponta afiada.

 

Sangue banhava suas mãos pálidas e magras. Em um vislumbre, antes de perder tanto sangue, ela viu espirais no teto da "cela". 

 

Seu corpo estava no limite das mudanças: magro, fino…fraco. Sentia cada parte de pele cortada, ferida.

 

Os olhos…não permaneciam abertos e a boca vivia seca. 

 

Uma manhã, o "Carrasco" deixou uma adaga negra e a encarou por alguns segundos, que poderiam ter sido minutos…

 

- Ela o fez. Agora é a sua escolha.

 

Ela sabia o que ele queria.

 

Ela a pegou e rasgou o lado esquerdo de sua boca…

 

Isso a atingiu como um banque: 
As espirais eram usadas quando se estava preso. 

 

Preso. Presa.

 

Por que?

 

Kaya, Ruby, a mulher no galpão e as outras vítimas… Todas eram livres.

 

- Vocês estavam presos? Ou prendendo  a vocês mesmos?

 

Ela pegou o dicionário que estava com Ruby:

 

- Eu realmente aprecio o que você tentou fazer… Prometo que irei descobrir…por você: um amigo. E por Kaya.

 


Ela saiu por onde entrou.

 

 

As letras eram números e números eram letras. 
As que mais se repetiam:

8-A

A-8

C-1

1-C


Já se aproximava da meia noite quando escutou os ruídos: pareciam garras arranhando o vidro da janela repetidas vezes.

 

Kademya permaneceu em silêncio. Pouco tempo depois ela só escutou um pulo…

 


"Eu te avisei."

 

Apenas três palavras gravadas no vidro e abaixo delas a espiral. 

 


- Avisou o quê?

 

Não houve resposta.

 

Ela pegou o mais novo objeto de pesquisa e procurou rapidamente nas páginas amareladas o que significava as espirais. Teriam outro significado sem ser o de preso?

 

Sim. Havia.

 

O símbolo era uma Espiral Celta e alguns casos significava harmonia…e em outros... Libertação.

 


Algo que estava preso e estava se libertando.

 

O que era?
Como se libertaria?
Por que mataria inocentes?

 


R=Raposas

 


Kademya tinha ascendência japonesa e conhecia os mitos, alguns muito antigos quase esquecidos.

 

Raposas que matam?…Raposa má.

 


No Japão elas tinham um nome: Nogitsune.

 

Mas elas não eram más… Apenas gostavam de confundir, enganar…

 


Kademya agora sabia, ou estava quase certa, do que estava lindando.

 

Mas o que tudo tinha haver com a morte da namorada?

 

Não. Ela não poderia…ela era inocente até que provasse o contrário.

 

...

 

                     Narradora
                       Londres

 

O ambiente era escuro e iluminado somente por duas velas postas nos pontos opostos das mesa de madeira rústica e escura.

 


Ela gostava do calor do fogo, muito embora preferisse a brisa violenta das noite em Londres.

 

E que linda cidade, por falar nisso! Realmente tinha feito a escolha certa quando decidiu morar.

 

A pequena raposa negra dormia serenamente em seu colo. Mas ela não se sentia tranquila ao ver o amigo dormindo.

 

Estava naquele cubículo há muito tempo, e não via a hora de respirar o ar londrino. Não via a hora de sujar as mãos…

 

A porta se abriu lentamente, ruindo:

 

- E então?

 


- Ela foi avisada.

 


E a figura retirou-se.

 

- Ah! Kademya… sempre lenta.

 

Se levantou e deixou-o sair.

 

Ela gritou, mas a besta não ligava. Queria saborear a dor e o sangue.

 

Ela nada poderia fazer…A não ser ceder a ele... Seu pior pesadelo e único companheiro…

 

 


Notas Finais


Eu não ia mais postar, confesso. Maaas, hoje é o niver de uma das minhas melhores amigas e ela (não sei porque) gosta da fic... PARAAAAAAAAAAAABEEEÉNS KITTEN!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...