História Alone - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Luna Valente, Matteo, Simón
Tags Drama, Romance, Simbar
Exibições 207
Palavras 1.038
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


;)

Capítulo 36 - Não tenho tanta certeza.


Fanfic / Fanfiction Alone - Capítulo 36 - Não tenho tanta certeza.

.

- O que foi? Ficou muito ruim? – havia acabado de sair do provador, era a última a escolher o vestido e as meninas me olhavam com uma cara estranha.

- Não! Ficou muito... – dizia Luna.

- Curto, não acha? Vermelho também não combina muito com você. – interrompe Valéria.

- Na verdade eu achei... – falava Nina.

- Não gostou Valéria? – pergunto.

- Não. – responde.

- Vou levar esse! – sorrio.

Pude vê-la fazendo uma cara feia que ignorei completamente. Paguei pelo vestido e fomos embora.

Chego no apartamento e os garotos assistiam um filme no sofá.

- No quarto de quem eu vou dormir? – pergunto.

- Pode ser no meu. – Nico e Simón dizem juntos e se olham.

- Fica com o meu. – fala Pedro.

- Beleza. – digo colocando a sacola de compras no chão.

- É o vestido? – questiona Nico.

- É.

- Que cor? – sorri ele.

- Vermelho. – sorrio. – Tem uma gravata vermelha?

- Não, mas eu arrumo.

- Olha, pode ir com a gravata que quiser, não estou me importando muito com esse baile, é mais como um favor. – comento colocando um pouco de água no copo e tomando alguns comprimidos.

- Se está dizendo...

- Vou dormir. – falo seguindo para o quarto de Pedro.

- Mas já? – continua Simón. – Não vai comer nada?

- Não tô com fome.

- Boa noite então.

- Boa noite pessoal. – digo.

*

O dia seguinte estava um caos. As aulas pareciam demorar uma eternidade. Eu não estava tão nervosa, mas Luna e Nina estavam desesperadas.

Quando chego no Roller, Nico e Pedro gritavam pra lá e pra cá, para organizar tudo a tempo.

- Nervosa Ámbar? – pergunta Valéria me assustando um pouco ao tirar minha concentração da decoração que fazia.

- Nem tanto. – dou de ombros.

- Sério? – ela sorri. – Eu estaria maluca, imagina se você erra um passo e estraga a apresentação de todos!

- Acho que se eu errasse, teria capacidade de inventar algo na hora. – falo. – Já competi várias vezes e quase sempre acontece isso, não vale a pena se estressar por tão pouco.

- Não se preocupa nem um pouco em estragar o sonho de Luna? Afinal, patinar é o sonho dela.

- Não, se acontecer algo, tenho certeza de que me perdoaria.

- Queria ser como você! Ter todo esse controle. – comenta.

- Obrigada. – falo e saio em direção a pista para pendurar a decoração.

- Quer ajuda? – pergunta.

- Não, não precisa.

Essa garota estava me irritando? Era o que parecia.

Termino de ajeitar tudo e volto até a lanchonete.

- Tudo pronto na pista. – aviso a Pedro.

- Obrigado loira. – sorri ele.

- Posso te fazer uma pergunta?

- Claro. – responde.

- Fala muito com Valéria?

- Já conversei algumas vezes com ela, mas por que?

- Nunca notou nada estranho? – pergunto.

- Não. Quer dizer, ela só parece muito empolgada com tudo que acontece, mas só.

- Ata...

- Está tendo algum problema com Valéria? Se tiver, não esconda como fez com Daniela, me fale! – diz preocupado.

- Não, nada, juro. – falo. – Posso ir? Tenho que me arrumar para a competição.

- Pode, até mais tarde.

- Até.

*

Chego em casa correndo, estava um pouco atrasada, confesso. Na verdade, não tinha nem pegado o vestido com Yam.

Tomo banho e passo um pouco de maquiagem. Arrumo o cabelo e visto algo simples. Tentava ligar para ela, mas dava só caixa postal. Resolvo ir até sua casa. Quando saio do apartamento trombo em Simón.

- Meu Deus garota! Onde vai correndo desse jeito?

- Pegar meu vestido! Já estou atrasada. – falo.

- Esse vestido? – ele ergue a sacola que segurava.

- Já te falei que é a melhor pessoa do mundo? – sorrio pegando o vestido.

- Yam deixou no Roller e pediu pra te trazer. – ele sorri.

- Obrigada! Pode ir, vou me trocar ainda.

- Não, eu te espero. – avisa.

Troco-me em cinco minutos. Havia servido perfeitamente e o vestido era lindo. Yam tinha talento.

- Vamos? – digo saindo do banheiro.

- Está linda. – Simón suspira.

- É. – olho para o vestido. – Eu sei. – falo irônica provocando gargalhadas dele.

Caminhamos até o Roller e Luna aparece desesperada.

- Onde estavam?

- Em casa. – respondo.

- Por que demoraram tanto? – pergunta furiosa.

- Não demoramos tanto. – diz Simón. – Falta meia hora pra competição.

- Combinamos sete horas, não sete e meia!

- Ei, Luna. Quer saber? Vamos tomar alguma coisa comigo, vem. – fala Matteo piscando para nós e levando ela para a lanchonete.

- Ela tá um pouco nervosa. – comenta Nina.

- Talvez bastante. – diz Gastón.

- Estão muito bonitos. – digo olhando-os de cima a baixo.

- Obrigada. – responde Nina e Gastón também agradece.

Ficamos conversando até as horas passarem. Luna volta mais calma e nos preparamos para a apresentação. Oito e quinze somos chamados na pista.

Vejo da plateia Valeria chegando, estava demorando...

Conseguimos fazer as sequencias sem nenhum erro e consequentemente ganhamos a competição. Luna não poderia estar mais feliz, era realmente seu sonho.

Estavam todos eufóricos e resolvemos ir comemorar na pizzaria perto do Roller.

- Por que não vai falar com Jim? – pergunto para Nico, apontando para a ruiva que estava se sentando do outro lado da mesa.

- Não sei... – diz inseguro.

- Vai lá! – falo. – Talvez se acertem e você desista da ideia de me levar para o baile amanhã. Todos saem felizes.

- Não te garanto nada. – diz indo em direção à ela.

Vejo-os conversando quando alguém me cutuca.

- Ei, Ámbar!

- Yam! – sorrio. – O vestido ficou lindo! Obrigada.

- De nada. – sorri ela. – Só queria, na verdade te dar os parabéns pela competição.

- Aah, obrigada! – abraço-a.

- Você e Simón já se acertaram? – pergunta.

- Não.

- Ata, vi vocês esses dias conversando no Roller, pensei que talvez...

- Acho que estávamos discutindo. – penso.

- Aah, – suspira sem graça. – desculpa. Mesmo assim, ainda acho que vão voltar.

- Não sei... – falo olhando para Simón que conversava animadamente com Valéria em um dos sofás.

- Claro que vão! Ele ainda gosta de você, tenho certeza. – afirma Yam.

- Eu não tenho tanta certeza assim. – vejo-os se aproximarem. Valéria começa a beijar Simón e ele corresponde. Viro o rosto. – Não tenho mesmo...

.


Notas Finais


J.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...