História Alone (Imagine Min Yoongi) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor, Drama, Fluffy, Introvertido, Livros, Piano, Romance, Sozinho
Exibições 452
Palavras 1.491
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Fluffy, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oi xuxus, como tava com saudades de escrever essa fic, socorrinho
faltam só 3 favs para 260, estamos crescendo rapidinho, obrigada meus amores <3
vim passar pra vocês mais uma fic nova, se chama Hey, Noona? e é um imagine Jungkook (o link vai estar nas notas finais :) )
espero que gostem <3

Capítulo 4 - (Im)perfeito.


Fanfic / Fanfiction Alone (Imagine Min Yoongi) - Capítulo 4 - (Im)perfeito.

Depois de alguns minutos no colo do meu primo, decidi voltar pro quarto, precisava pensar no que ele tinha falado. 

Levantei, dei um leve beijo em sua bochecha e fui pro quarto. Peguei uma muda de roupas de pijama e me encaminhei até o banheiro da suíte. 

Assim que me despi, entrei na banheira e deitei sobre o encosto. Fechei os olhos e então comecei a imaginar aquele belo rosto pálido e o sorriso doce que tanto insistia em esconder. 

Yoongi era meio confuso, parecia ter vergonha de si mesmo, ou talvez fosse apenas uma timidez da qual já tinha perdido o controle. Enquanto achava seu sorriso extremamente bonito, era como se ele o evitasse. Talvez ele apenas não goste de sorrir, mas quem não gosta de uma coisa dessas? 

Era estranho querer decifrar a personalidade de alguém, é que afinal, nunca tinha encontrado alguém tão cheio de segredos e mistérios. Personalidade forte é a marca dele e isso ficou bem claro desde a primeira vez que o vi. 

Talvez ele fosse um gênio, um artista ainda não descoberto, ou algo como um filósofo da nova era, ou talvez fosse apenas um garoto comum que não gosta de outras pessoas ao seu redor. 

Quem é você afinal, Min Yoongi? 

Terminei o banho, vesti o pijama e logo corri até a cama, me jogando sobre o colchão fofinho. 

– Ei – Tae disse assim que passou em frente à porta – Vai querer o que pro jantar? 

– Nada Tae, acho que vou dormir na verdade, tô bem cansada. 

– Tudo bem então, durma bem – veio até minha cama e me deu um beijo na testa. 

– Te amo –falei sorridente fechando os olhos. 

– Te amo bem mais – ouvi o barulho do interruptor sendo desligado, o quarto completamente escuro e a porta sendo fechada com calma. 

Peguei o livro debaixo do travesseiro e o abracei, era estranho mas sentia como se estivesse abraçando o garoto de cabelos negros e olhos de jabuticaba. 

E era o que mais gostaria de estar fazendo nesse momento. 

Yoongi P.O.V 

Depois de desligar a ligação com o Nam, comecei a andar como uma barata tonta dentro de casa.  

Não conseguia ficar parado, qualquer coisa que fizesse ou pensasse me lembrava a tal garota. Tinha me sentido estranho perto dela. 

Era um estranho muito bom. Sentia uma segurança, como se aquela garota realmente me entendesse por mais que lá no fundo ainda ache que ninguém me entenderia tanto quanto o Namjoon. Sentia que podia ser eu mesmo em todos os sentidos, não precisava fingir sentimentos apenas para agradá-la, parecia gostar da minha presença exatamente como sou. 

Fazia tanto tempo que não me sentia tão bem perto de outras pessoas, mas ela me fez ver que posso voltar a confiar em alguém. Não tinha segundas intenções com ela, até porque evito contato demais com garotas por saber que posso me apaixonar e as chances de ser correspondido são mínimas, mas mesmo assim tinha medo que algum dos garotos talvez em forma de tentar ''defendê-la'' acabassem me batendo. Sei, eu sou um frouxo mesmo e assumo. 

Mas é que ninguém sabe como dói apanhar de mais de 10 pessoas ao mesmo tempo, levar socos e chutes em todo o seu corpo sem ao menos conseguir se defender. Dói tanto e é uma dor que não desejaria nem pro meu pior inimigo. 

Talvez eu deva me manter longe mesmo, deve ser a melhor opção pra nós dois. 

Sentei em frente ao piano e comecei a teclar algumas músicas aleatórias, o som das cordas sendo batidas pelo pequeno martelo era relaxante, sentia meu corpo todo ficando mais leve de acordo com a melodia. 

Parei de tocar e fui pegar um pacote de salgadinhos no armário e o levei pro quarto. Comi um pouco, depois tomei banho e voltei correndo pro quarto, deitando com calma na cama. 

Gostava da sensação do meu corpo afundando com lentidão em meio à espuma. Eu costumava admirar cada pequeno detalhe, então amava coisas que normalmente as pessoas nem notavam. 

Como o cheiro da chuva na terra, observar gotas escorrendo na janela, o cheiro floral que exalava na chegada da primavera, o adocicado odor dos grãos recém moídos de café, o prazer enorme de retirar plástico e cheirar as páginas de um livro novo, o barulho ritmado do coração, a mudança da cor do céu assim que a noite se aproximava, amava coisas que ninguém se importava. 

Então me desculpa, agora deve estar me achando três vezes mais estranho. Se bem que arrisco dizer que nunca me acharam normal, ninguém acha. 

Peguei meu celular e coloquei uma música suave e logo deitei de lado, coloquei minhas mãos embaixo da cabeça e assim adormeci. 

 Horas depois... 

Acordei ao sentir a luz em meu rosto, levantei e fui até o banheiro. 

Assim que terminei tudo que tinha que fazer, coloquei o uniforme e coloquei meus brincos que eram pequenas argolas prateadas inclusive, gostava muito desse tipo de joia. 

Peguei minha mochila que na verdade apenas continha um estojo dentro, já que o resto havia ficado no armário da faculdade. Também carreguei a pequena pilha de livros que sempre ia comigo independente de onde fosse. 

Coloquei o celular no bolso da jaqueta de couro que usava e então posicionei meus fones. E mais uma vez mergulhava em meu mundo, minhas músicas, meus sonhos, minha vida. 

Afinal, o que seria desse mundo sem música? 

Estava caminhando tranquilamente até ver ______ se aproximando com seu melhor sorriso. 

– Bom dia – disse animada, então pude notar em seus braços o meu livro. 

– Oi ____, tudo bem? – perguntei também mostrando animação assim que retirei um dos lados do fone. 

– Tudo ótimo e você? 

– Tudo bem também. 

– Queria agradecer pelo livro, li tudinho, você tem uma personalidade maravilhosa sabia? – entregou o livro e sorriu. 

– Tem certeza que leu sobre a personalidade certa? Não tem nada de maravilhoso na realidade. 

– Claro que tem, você vê o mundo de um jeitinho tão legal. 

– Valeu, eu acho –falei guardando o livro na mochila. 

– Gostaria de conversar mais com você, queria que me mostrasse um pouco do que passa na sua cabeça. 

– É confuso, juro. 

– Não me interessaria se fosse normal –sorriu envergonhada. 

Ficamos em silêncio todo o percurso, apenas o sons das nossas respirações, os passos lentos pela calçada e os suspiros vagos. Queria falar algo mas não conseguia, simplesmente travei e ela logo notou isso. 

– Você toca piano desde que tinha quantos anos? – obrigado por tirar esse silêncio. 

– Tinha uns 8 anos. 

– Fez aula ou aprendeu sozinho? 

– Sozinho. Ouvia algumas músicas e tentava teclar algo que fosse parecido, e funcionou bem por algum tempo. 

– Queria aprender à tocar algum instrumento, acho legal. 

– Que tipo de instrumento? 

– Sei lá, violão, violino ou até bateria. 

– Interessante – sorri. 

Entramos na escola e logo ela me puxou pela mão, me fazendo correr para acompanhá-la até perto dos meninos. 

– Bom dia princesa – todos os meninos disseram animados e a abraçaram com força. 

– E aí Yoongi, tudo bom? – Jimin perguntou sorridente. 

– Tudo bem e você? 

– Tô tranquilo. 

Jungkook, Hoseok e Jin também me cumprimentaram. 

Demorou uns 15 minutos até o sinal tocar, então fui pro corredor e abri meu armário pegando os livros de sociologia que teria que usar durante as duas primeiras aulas. 

– Ei cara –  Jungkook disse se encostando no armário ao lado do meu e logo o destrancou. 

– Oi. 

– Sei que você acha que algum de nós tem ''rolo'' com a _____, mas relaxa, ela tá solteira. 

– Tudo bem, não tem problema – sorri. 

– O primo dela insistia muito que ela ficasse com algum de nós, mas juro que não tem nada a ver. 

– Mas por que está falando isso? 

– Percebi o jeito que se olham, nunca vi a nossa princesinha olhando desse jeito pra ninguém -sorri envergonhado – Quero que saiba que tem meu total apoio. 

– Obrigado – sorriu. 

Logo ela se aproximou do mais novo e o abraçou de lado. 

– A gente vai se atrasar pra aula –sorriu e então fomos até a sala. 

Entramos na mesma, logo fui até o fundo do lugar e me sentei na carteira mais isolada. Coloquei a pequena pilha de livros sobre a mesa e pendurei minha mochila na cadeira. 

______ e Jungkook se sentaram do lado oposto da sala, mas no fundo também, na mesma direção da minha mesa. 

A aula começou e então comecei a encarar o quadro, mas sempre que possível dava uma espiadinha na _____ que agora balançava sua caneta freneticamente enquanto sorria por conta das piadas toscas que Jungkook contava. 

É tão linda. 

Senti algo acertando minha cabeça e então vi uma bolinha de papel que tinha caído sobre a mesa. 

''Eu, você, um café docinho, uma pilha de livros depressivos e filosóficos e uma música tocada no piano, o que acha? Depois da aula, me encontra no The Latte, eu pago :)'' 

Ela era tão perfeita em meio à todos os seus defeitos. 

Eu estava aprendendo a amar cada um deles. 

Talvez nossas imperfeições nos tornem perfeitos juntos.


Notas Finais


Hey, Noona?: https://spiritfanfics.com/historia/hey-noona-imagine-jeon-jungkook-7165199

se não for pra ter um relacionamento assim, então nem quero <3
como eu amo o fato de que eles nem reparam que estão começando a se gostar, a inocência do Yoongi é tão fofa e a mania de ser diferente da ____ é incrível
e é nesses momentos que eu digo que esses dois são eu na vida (tirando o fato de que são personagens inspirados na minha personalidade mesmo fdshjfshj)
espero que tenham gostado <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...