História Alone in a Bar - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Frisk, Grillby, Mettaton, Muffet, Napstablook, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, W. D. Gaster
Tags Frans, Frisk, Sans, Sans X Frisk, Underspirit, Undertale
Visualizações 581
Palavras 1.537
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Lemon, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


YOOOOOOOOOOOOOOOO FIC NOVA GALERO
eu sou uma irresponsável do caralho porque era pra eu ter postado o final alternativo da Sick Game e eu tô aqui fazendo fic nova
mas espero que gostem meus chuchu

Capítulo 1 - Blue Spirit Unique.


Fanfic / Fanfiction Alone in a Bar - Capítulo 1 - Blue Spirit Unique.

— Tá tudo bem, eu juro! – Falei, enquanto caminhava calmamente, tentando acalmar a mulher, que estava aos prantos, praticamente gritando ao telefone, suspirei, tentando ainda processar tudo que acabara de acontecer.
— Você sabe que, se quiser pode voltar a morar conosco, Sans! Seu pai vai aceitar você de volta! – A mesma continuava falando, enquanto eu apenas revirava os olhos e bufava ao ouvir tamanha mentira.
— Eu não vou voltar, não por isso! É uma questão de dignidade, ele literalmente me chutou daí, por que está querendo que eu volte?! – Questionei indignado.
— Ele não fez por mal, Sans. Espero que um dia possa perdoá-lo... – Disse, melancólica.
— Quem sabe... – Falei mais para mim mesmo, do que para ela, suspirando. — Depois eu te ligo, boa noite, mãe. – Dito isso, a chamada foi encerrada.

Eu brincava com minhas chaves, girando-as na ponta do dedo indicador, enquanto encarava a porta, eu precisava manter um sorriso no rosto, não queria preocupá-las... Botei o sorriso mais forçado e falso que consegui no rosto, posicionando uma das chaves na fechadura da porta, girando-a brandamente, levando uma de minhas mãos até a maçaneta e a virando. Ao sentir o contato gélido da minha mão com a maçaneta, e também ao ouvir o som um pouco alto da televisão, arrepios percorreram por todo meu ser. Como eu iria explicar pra elas? É a terceira vez que eu não contribuo pro aluguel, elas não devem estar aguentando cobrir a minha parte, seria o auge do meu  dia ser expulso de casa de novo, respirei fundo, abrindo a porta. Adentrei a casa, fechando a mesma atrás de mim, conduzi minha visão até o sofá, onde Alphys e Undyne estavam deitadas, assistindo um filme. Várias embalagens de doces estavam espalhadas pelo chão, pensei em comentar sobre a bagunça, mas eu não tinha moral nenhuma pra isso, meu quarto estava mais desorganizado que todos os cômodos da casa juntos.

— Hey Sans! Voltou cedo! Alguma novidade? – Undyne indagou, sem tirar os olhos da televisão, parecia vidrada no filme.
— Nada de interessante, Undy. Apenas fomos liberados mais cedo. – Menti, por sorte, Undyne estava focada na televisão, porque se ela estivesse olhando nos meus olhos, afirmaria com toda a certeza que eu estaria mentindo, e ela não estaria errada. — Eu vou dar uma saída, eu volto cedo, prometo! – Falei, indo em direção ao meu quarto, Alphys e Undyne apenas fizeram um sinal de “joinha” com as mãos.

Atravessei o extenso corredor que ligava alguns cômodos, me espreguiçando e tentando pensar em como explicar para as meninas que eu não poderia ajudar no aluguel esse mês. Eu me sinto horrível vendo elas tendo todo esse cuidado para manter a casa em ordem, e eu não conseguir ajudar, faz eu me sentir cada vez mais inútil! Novamente pus o sorriso no rosto, uma das últimas pessoas que eu ia querer preocupar, seria Papyrus, não quero vê-lo chateado ou algo do tipo. Girei a maçaneta, fitando Papyrus que estava brincando com algumas figuras de ação num tapete que ficava no centro do cômodo, o mesmo ao perceber minha presença, levantou-se correndo, me recebendo com um abraço apertado.

— Hey, campeão! Como foi seu dia? – Questionei, retribuindo o abraço, enquanto mexia em seus cabelos, num ato de afeto.
— Foi legal! Undyne e Alphys pediram Pizza! Eu guardei um pedaço da sua favorita pra você comer quando chegasse! – Disse sorrindo, com sua animação costumeira, sorri com suas palavras, era incrível o carinho que Papyrus nutria por mim, ele é a coisa mais importante na minha vida, eu nunca me perdoaria se algo acontecesse com ele, nunca.
— Oh Pap, obrigado! Mas eu vou sair agora, quando eu voltar eu como, tudo bem?
— Tudo bem... – Levou seu dedo indicador ao queixo, fazendo uma expressão confusa, logo se manifestou:  — Onde você vai agora? – Perguntou.
— Eu só vou dar uma volta, eu volto bem rápido, ok?
— Ok! Eu vou continuar brincando no tapete! – Sorriu.
— Não se esqueça que você tem aula amanhã, tem que dormir cedo!
— Não se preocupa! Eu consigo acordar cedo! – Riu.

Afaguei os cabelos de Papyrus, indo em direção ao meu guarda-roupas e tirando de lá algumas mudas de roupas e uma toalha. Caminhei até o banheiro, me despindo e tomando um banho quente, um dos passos importantes para se distrair de um dia ruim, um bom e demorado banho, nunca falha. A sensação da água quente correndo pelo meu corpo, me acalmava muito, ás vezes eu só demorava no banho, para ficar ali parado, com a água caindo sobre mim, mesmo que eu já tivesse feito tudo que tinha que fazer no chuveiro. Fechei a torneira, cessando a água que caía. Abri a porta do box, sentindo a brisa fria se chocar contra mim, suspirei de frio, pegando uma toalha e me enrolando nela rapidamente. Vesti minha roupa e dei uma ajeitada no cabelo ali mesmo. Saí do banheiro voltando ao quarto, e calçando um tênis, nada melhor que um “look” casual, Jaqueta; Camiseta; Jeans e um tênis. Me despedi de Papyrus, indo até a porta principal, me deparando com uma cena um tanto fofa. Alphys e Undyne dormindo abraçadas, eu admirava o amor das duas, e esperava encontrar isso pra mim logo... Me aproximei das duas sorrateiramente, evitando fazer qualquer tipo de barulho, abri a câmera do meu telefone, tirando uma foto.

— Essa vai pro cartão de natal. – Murmurei rindo.

Ajeitei a chave entre os dedos, abrindo a porta e saindo do nosso apartamento. Me dirigi ao elevador, apertando o botão do térreo e aguardando chegar ao meu andar, o que eu torcia para ser rápido, músicas de elevador me deixam muito entediado, e é o que eu menos preciso agora. Saí de meus devaneios ao ouvir o som do elevador, indicando que eu havia chegado, as portas se abriram e eu saí. Acenei para o porteiro, que retribuiu, abrindo o portão para que eu passasse, murmurei um “Obrigado” e me pus a andar novamente. As luzes praticamente ganhavam vida a noite, eu achava aquilo magnífico, eu passava todo o trajeto as observando, maravilhado, e talvez esse seja um dos motivos pra eu demorar tanto pra chegar aos lugares, eu me distraio muito facilmente. Finalmente cheguei ao meu destino, um bar. Um tanto conhecido aqui na região, eu estaria mentindo se dissesse que quase não venho aqui. Adentrei o local, cumprimentando alguns conhecidos e me sentando ao balcão.

— O que vai querer? – O barman indagou, chamando minha atenção.
— Um Blue Spirit Unique. – Respondi simples.
— Tem certeza? Não vai custar barato.
— Eu realmente não dou a mínima pra nada hoje... – Falei entediado, um tanto melancólico... O barman apenas deu de ombros e foi buscar o que eu havia pedido.  

Enquanto esperava, fiquei admirando o lugar, não que eu não tivesse vindo aqui há algum tempo, mas sim, fazia um tempinho. Observava as pessoas, mas uma em especial, me chamou a atenção. Uma garota morena, com cabelos curtos, na altura dos ombros. Ela trajava uma roupa simples, calça jeans, uma blusa azul e saltos baixos. Eu me impressionava com o quão detalhista eu conseguia ser as vezes. A garota parecia entediada, ela apenas ficava olhando em volta, mais especificamente para a porta, enquanto batia com suas unhas na mesa. Parei de encará-la, dessa vez prestando atenção a música, que tocava ao fundo, me deixei levar, batucando com os dedos no balcão ao ritmo da música, enquanto murmurava a letra baixinho. Desviei minha atenção a minha bebida que havia acabado de ser posta a minha frente, encaixei o copo entre os dedos, tomando um gole.

— Um Blue Spirit Unique... Boa escolha. – Uma voz feminina manifestou-se ao meu lado, me virei, me deparando com a garota morena que estava sentada numa mesa ao fundo, que agora, estava sentada ao meu lado.
— Heh... Qual a melhor coisa pra te fazer esquecer que foi demitido, não é? – Brinquei, tomando outro gole da bebida.
— O que vai querer? – O barman se fez presente novamente, dessa vez dirigindo sua pergunta a moça ao meu lado.
— O mesmo que ele. – Ela disse, apontando com o polegar para o meu copo. O barman novamente saiu, indo buscar o que a mesma havia pedido.
— Então, gosta de Vodka? Isso é raro. – Me manifestei, puxando assunto.
— Pra falar a verdade, sim. Na minha opnião, essa Vodka foi criada para ser apreciada como os melhores momentos da vida. – Disse, pegando seu copo no balcão, levando-o a boca. — Blue Spirit Unique é absolutamente superior a todas as Vodkas nacionais, e a algumas importadas. – Completou, me encarando, enquanto sorria de lado, retribui o sorriso.
— E o que você faz, sozinha num bar, as duas da madrugada? – Indaguei, balançando o copo enquanto a encarava.
— Eu tinha combinado de encontrar um cara aqui, mas parece que ele não vem. – Respondeu, dando o gole que acabaria com sua bebida.
— Bem, acho que não era pra ser... – Tentei consolá-la.
— É, talvez fosse o destino... — Disse pensativa. Mas tenho que ir, foi bom degustar uma Vodka com você. – Completou e sorriu, deixando o dinheiro no balcão, e indo em direção a porta.
— Hey, espera! – Chamei, fazendo-a virar-se para mim. — Qual seu nome? – Completei.

A mesma, sem dizer absolutamente nada, caminhou até mim, retirando de sua bolsa um papel, onde continha um número de telefone, e abaixo dele, o nome “Frisk”. 


Notas Finais


EH ISSO
ficou bem ruim mas fazeoque ne
abacate

Outras Fics:

Através da Porta (Frans) (Sans x Frisk): https://spiritfanfics.com/historia/atraves-da-porta--sans-x-frisk-6982631
Bad Reputation (Chans) (Chara x Sans) (HumanTale): https://spiritfanfics.com/historia/bad-reputation-chanschara-x-sans-humantale-7552172
Só mais cinco minutos... (OneShot) (Chara x Asriel) (Chasriel): https://spiritfanfics.com/historia/so-mais-cinco-minutos-oneshot-chasriel-7281047
Full Day (OneShot) (Fontcest) (G!Sans x UT!Papyrus): https://spiritfanfics.com/historia/full-day-gsans-x-utpapyrus-8230163
Sick Game (Frans) (Sans x Frisk): https://spiritfanfics.com/historia/sick-game-7920395
Dirty Party (OneShot) (Frans) (Sans x Frisk): https://spiritfanfics.com/historia/dirty-party-9297282

deixa o fav <3
e um comentário <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...