História Alone in Atlanta. - Capítulo 4


Escrita por: ~

Exibições 9
Palavras 1.808
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Romance e Novela, Shounen, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Capítulo IV. Are you okey?


Fanfic / Fanfiction Alone in Atlanta. - Capítulo 4 - Capítulo IV. Are you okey?


Charlotte pegou o seu celular e discou um número que qual eu desconhecia. Eu estava assustada, não sabia o que estava acontecendo e aquilo me deixava aflita.  

- Justin? - disse Charlotte á pessoa que estava do outro lado da linha. - Paige? Passa pro Justin. - Me sentei sobre a tampa do vaso observando o cadáver do homem caido no chão do banheiro.- Eu não quero saber, acorde ele agora mesmo. - ordenou.- Justin? ... Eu quero você na casa da Carson, 10 minutos máximo, a porra é séria. - ela cortou a ligação dirigindo o olhar até mim. - Venha, saia dai. Não é bom você ficar olhando isso.  

- Eu estou assustada. - disse fazendo o que ela disse. - Quem é esse cara? E porque ele estava aqui dentro? O que ele buscava?  

[...]  

JUSTIN BIEBER POV's  

Estava dormindo tão gostoso quando senti alguém me cutucar e pra variar era Paige. 

- O que foi, merda?! - 99,9% de mim naquele momento era odio puro.  

- Charlotte quer falar com você. - esticou a mão aproximando o celular a mim.  

- Pega suas coisas e cai fora. - Foi minhas últimas palavras antes de tomar o celular de sua mão.- O que você quer, cacete!? 

- Justin? ... Eu quero você na casa da Carson, 10 minutos máximo, a porra é séria. - ela disse e sem que su pudesse dizer nada mais, desligou na minha cara. Eu vou mata-la como seja alguma bobagem.  

[...]  

- VOCÊS FIZEM O QUE? - perguntei surpreendido pela a notícia que acabava de receber. O meu tom de voz foi tão alto que acordei Carson que dormia encolhida no sofá.  

- Não fui eu, foi ela. - disse Charlotte apontando o dedo para Carson.  

- Quem é aquele cara? E porque ele estava aqui dentro? - ela se sentou e coçou os olhos na expectativa de espantar o sono.  

- Meu maior enemigo, Vicent Squilache.  

- E o que ele perdeu aquí? Não tô entendendo.  

- Ele viu nós juntos, provavelmente pensou que você era alguma coisa minha.- ela suspirou e passou a mão entre seus cabelos loiros. - Você não pode seguir morando aqui.  

- E o que eu vou fazer? Por un acaso você esqueceu que não tenho pais? - a irritação era visível em sua expressão facial.  

- Bom, você pode passar uma temporada na casa do Justin. - disse Charlotte. 

- E porque não na sua? - Carson perguntou a Charlotte.  

- Você matou o maior traficante de Atlanta, a casa do Justin é mais segura e mais agora que ele ae tornou o maior traficante de Atlanta.  

- Obrigada, da próxima vez fala más alto. - Não queria ser mencionado assim na frente de Carson.  

CARSON BURNS POV's

Minha cabeça rodava com tudo que estava acontecendo, estava com Justin indo de caminho para sua casa, não demorou muito para que a gente passasse os portões dourados de sua mansão. Bufei.  

- O que foi? - perguntou parando o motor do carro.  

- Não me sinto bem. - desci do carro indo ao porta-malas para pegar as mesmas. 

- Você só esta cansada, amanhã você vai estar bem. - ele me deu um beijo na testa e abriu o porta-malas. - Pedi a Teresa que arrumasse o quarto de hóspedes para você, vem vamos! - Justin pegou a minha mãe enquanto com a outra arrastava uma das minhas malas que fazia um barulho escandaloso com suas rodas arrastando sobre o cimento da entrada. Passamos pela enorme porta de madeira e entramos no salão, ali havia um homem, um dos seguranças de Justin.- Leve estas malas para o quarto de hóspedes que mandei Teresa arrumar. -

Foi dito e feito, aquele segurança obedeceu Justin igual um cachorrinho. Eu me joguei no sofá como se estivesse na minha casa.  

- São as 5 horas da manhã, vamos lá pra cima pra você descansar! - ele me estendeu sua mão e eu agarrei a mesma acompanhando seus pasos até o andar de cima. O corredor era imenso e repleto de portas.  

- Nossa, que grande não?  

- Sim, eu posso me permitir o luxo. - ele abriu uma das portas e pude ver uma enome cama que parecia ser super confortável. - Ali naquela porta é o banheiro, se precisar de alguma coisa é só me dizer. - ele disse e saiu me deixando sozinha. Me joguei na cama e cai em sono profundo.  

[...]  

Acordei com a luz do sol batendo em meu rosto, olhei o visor do meu celular e o relógio marcava meio-dia. Fiquei encarando o teto pensando no ocorrido na noite anterior até a porta ser aberta, era uma garotinha. 

- Quem é você? - perguntou a mesma, ela tinha os cabelos castanhos e pele branquinha, ela me lembrava o Justin em alguns traços. 

- Sou Carson, e você? - respondi a pergunta da pequena que me olhava com atenção. Ela veio até mim e se sentou na cama, como se me conhecesse a vida toda. 

- Jazzy. - A porta do quarto se abriu e uma cabeça apareceu cuidadosamente entre ela. 

- O que você esta fazendo aqui? - ele perguntou a Jazzy.-

-Conhecendo sua namorada. -Jazzy respondeu como se tivesse certeza do que estava dizendo.- 

-Epa! -disse reprovando o dito por ela - Não invente coisas, garotinha! -, Justin abriu mais a porta e se adentrou no quarto se sentando na ponta da cama. 

-Por acaso é algo tão ruim assim? - perguntou me olhando enquanto Jazzy pulava em seu colo. 

-O que? Ser sua namorada?  

-Sim. - respondeu colocando Jazzy no chão e a mesma saiu correndo dali.-  

-Não sei, além disso não tenho intenção de ser. -dei de ombros e me levantei da cama, indo até o grande espelho que havia ao lado da porta do banheiro. - Preciso falar com Rayden.  

-Sobre o que? - Ele se virou me olhando enquanto eu arrumava meu cabelo com um rabo de cavalo.  

-Sobre que eu matei uma pessoa? Que provavelmente pessoas que eu não tenho a minima ideia de quem são estarão me perseguindo? E que além disso, eu preciso de uma casa nova.- me sentei na outra ponta da cama olhando para ele.  

-Aqui é o lugar aonde mas segura você vai estar. - ele se aproximou a mim.- Esquece isso de buscar uma casa nova, certo? - Ele segurou o meu rosto e me deu um selinho.  

-Eu não posso morar com uma pessoa que não é nada minha e passa o dia enteiro me beijando sem mais nem menos

-Isso é uma indireta para mim namorar com você?  

-Não, é uma indireta para você parar de ser troxa e ficar me beijando toda hora. - peguei uma almofada.- parece um retardado.- bati com a almofada na cara dele, sua expressão era de incrédulo com o meu ato.  

-Ah não, você não fez isso! - ele me empurrou fazendo que eu caisse sobre a cama e começou a me fazer cócegas.  

-Para cacete!! - eu gritava enquanto ele continuava a me fazer cócegas, Jazzy voltou a entrar no quarto fazendo que justin parasse com o que fazia.

- Quando vamos ir no parque? - ela perguntou batendo o pé no chão.

- Você não vai ir no parque. - Justin respondeu se levantando e recuperando a pose de macho.

- Porque? - Jazzy e eu perguntamos em unísono, justin me repreendeu com o olhar.

- Porque você tirou má notas, papai falou pra te levar pra c.. - Sem deixar que Justin terminasse a frase, Jazzy saiu batendo a porta com força.- Vou embarcar ela de volta pra casa, te vejo mais tarde. - Ele deu um beijo em minha testa e saiu.

[...]

- Que filme mais bosta. - disse parando o Netflix da televisão.

- Quem mandou você não deixar eu escolher? - Lottie deu de hombros e se levantou da cama recolhendo suas coisas.

- Você ia colocar desenho, eu não queria ver desenho. 

-Bom, eu vou indo. - ela calçou seu tênis e se dirigiu até a porta.- Amanhã a gente se vê, beijinho! 

- Tchau, se cuida. - Não obtive mais resposta, apenas escutei a porta bater.

Me levantei da cama e decidi tomar um banho antes de dormir, eram ao redor das 22 horas e eu já não tinha ânimo para continuar acordada. Enchi a banheira com água morna e fiquei um tempo lá dentro, ao sair vesti meu pijama e preparei minha cama para dormir. Decidi descer até a cozinha, senti vontade de tomar algo quente. Lá estava Teresa já de pijama ao ponto de ir ao seus aposentos.

- O que deseja, senhorita?

- Tem chocolate quente? - Me sentei na bancada olhando para ela que começou a preparar o que eu pedia. De repente ouvimos a porta principal bater e Justin aparecer na cozinha com uma expressão nada boa.

- Vou estar no meu escritório, não quero ser incomodado.

- Foi o único que ele disse e saiu deixando sozinho.
Você ouviu, né? - perguntou Teresa enquanto remexia o chocolate.

- Sim, por que me pergunta isso?

- Porque você é nova na casa, quando ele diz isso não pense em sequer incomodar ele.

- Por que? - ela me entregou a caneca de porcelana com chocolate.- 

- Porque ele está com raiva, ele já avisou. - suspirou.- Só faz caso do que eu estou dizendo.-

- Tudo bem. -disse.-

- Prometa.

- Eu prometo. - respondi e sai dali, não gostei nada daquela conversa, me fez sentir insegura de estar ali e aquilo era o ultimo que eu precisava. Subi as escadas com pressa e cruzei como uma mulher no corredor entrando em uma das portas, ignorei sua presença e entrei no me quarto fechando a porta, foi quando meu celular tocou. - 

- Alô?

- Scarlett? - Eu conhecia aquela a voz de algum lugar mas não era capaz de descifrarla com acento americano.

- Sou Rayden. 

- Rayden? Aonde você está? Você está bem? - perguntei ansiosa, levava duas semanas sem saber nada dele e era óbvio, eu me preocupava.

- Sim, eu estou bem mas não posso te dizer aonde estou. -bufei me sentando na cama deixando a xícara encima da mesinha cabeceira. - E você está bem?

- Sim, eu estou bem. - Menti, não ia contar a verdade do acontecido na minha casa, não queria preocupar-lo.

- Tenho que desligar, só liguei para saber se você estava bem, quando eu puder ligo de novo! 

- Я люблю тебя (Eu te amo) -disse-

- Я тоже тебя люблю (Eu também te amo) - ele disse e desligou, joguei o telefone encima do sofá que ali havia. A vontade de tomar o chocolate até passou, decidi dormir de uma vez, aquela ligação acabou comigo.

[...]


Notas Finais


Comentem pfvr!!! Quero saber o que vcs pensam!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...