História Along With Love, To The Death - Capítulo 1


Escrita por: ~

Visualizações 57
Palavras 911
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Magia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi!
Bom, essa é a minha primeira fanfic, espero que esteja boa, porque é algo que gosto de fazer!
Talvez não fique tão boa assim, mas vou dar meu melhor!
Acho que vou fazer no máximo uns cinco capítulos e vou fazer o possível para postar mais que um por semana! Estou em período de provas!
Obrigada @MYOULMINA pela linda capa!
Bom, boa leitura!

Capítulo 1 - Along With Love, To The Death


Fanfic / Fanfiction Along With Love, To The Death - Capítulo 1 - Along With Love, To The Death

Enfiei a faca em mim mesma. Vi o sangue dele se misturar com o meu, era tão vermelho quanto o inferno, além de ser quente. Ele manchava a roupa que eu usava e escorria pelas minhas mãos. Mas no momento, as lágrimas quentes e rápidas de alegria que deixavam meus olhos para percorrer o meu rosto se encontrando no fim do meu queixo, faziam a dor não importar. Os sentimentos que tinha por ele faziam a dor parar. Eu pertencia à ele. Eu voltaria para ele novamente.

Para saber como que foi possível chegar à um fim tão trágico, devemos ver o começo e o meio, para depois chegar no fim. 

Pov's Arturia 

Meu mestre me mandou destruir o Graal. Me mandou acabar com as minhas esperanças, esperanças de salvar meu reino. Tudo isso quando me ordenou com um maldito comando. Agora eu retornaria àquele lugar. Àquele lugar tão terrível, que me dói de ver, que me corrói de dentro para fora. 

- PARE!!!! - eu gritei. 

- Sabre, eu te ordeno pelo meu último comando, destrua o Graal!

A única coisa que tive tempo de fazer foi me lamentar. Lamentar pelo meu reino. Pelo meu povo. Eternamente. 

- EXCALIBUR!!!!! 

Após isso, uma grande explosão para o Graal não ser destruído. Um líquido negro envolveu a mim e a Gilgamesh. Após aquela lama cair em nós, tive consciência de que permanecia em Fuyuki. Mas estava conpletamente diferente do que era alguns instantes atrás. Tudo naquela cidade... Todos nela... Foram encharcados na lama negra do Graal. Todos morreram. Uma visão devastadora. Aquilo era a verdadeira natureza do Graal tão desajado por todos. Nem mesmo Kiritsugu estava vivo após dar aqueles comandos. Em meio a destruição e ruínas, percebi a presença de um ser loiro não muito distante de mim. 

- Olá, Sabre, vejo que não sou o único vivo aqui! - Gilgamesh diz e sorri com a sua arrogância e orgulho de sempre. 

Eu simplesmente o encaro com o maior desgosto possível e me retiro dali. Ele permanece sentado observando com empolgação a lama negra devastando todos os cantos daquela cidade. Eu precisava ajudar alguém, deveria ter alguém vivo, em meios aos escombros e corpos! 

Saí correndo na direção de alguns corpos, a maioria, queimada e outros, destroçados pelos retos de construções. Eu ajudei o máximo de pessoas possível. Colocava meu ouvido nos peitos das pessoas para identificar os vivos, que foram poucos. Eles estavam inconscientes, e mal se lembrariam do que causou a explosão na cidade. O que seria bom, não haveriam evidências. 

Então, dessa vez saio daquela cidade. Eu precisaria de algum lugar para ficar. Mas... Eu não havia notado ainda meu corpo humano. Como era possível? 

***********************************

Eu estava no castelo Einzbern, na Alemanha. Jubstacheit parecia surpreso ao me ver uma semana depois do acontecido. Ainda me lembro de cada detalhe daquele dia, algo que eu não queria. Eu lhe pedi para ficar no castelo por um tempo, com um emprego de guarda em troca de algum dinheiro para depois de um tempo no castelo, poder arranjar minha vida como uma pessoa normal.

Eu pude ver Illyasviel várias vezes estudando magia. Ela era igualzinha à sua mãe... Gentil, doce, bondosa... Além da aparência.Irisviel teria orgulho dela, como na verdade sei que tem. Eu era guarda dela, cuidava dela até a hora dela dormir. Viramos amigas após um bom tempo cuidando de sua segurança. Para falar a verdade, nada de incomum acontecia quando eu cuidava dela. 

Passei um ano inteiro na companhia da pequena Illya. Depois fui falar com Jubstacheit. Eu precisava colocar o resto da minha vida em ordem. No total por todo esse tempo garantindo a segurança de Illya, lucrei 600.000 reais. 

Uma coisa que eu não poderia fazer era sair daquele lugar sem me despedir de Illya, mesmo em somente um ano, ela me agradava como uma verdadeira filha. E uma grande amiga, apesar de sua idade. Então, já na entrada do castelo junto com ela, comecei meu último diálogo com Illyasviel von Einzbern.

- Adeus pequenina! - disse sorrindo e com os olhos marejados - Saiba que eu te amo muito e você me agradou como nenhuma outra pessoa! 

- Arturia... Não quero que você se vá! - ela disse chorando em meio à soluços e agarrada em minha cintura.

- Eu sei disso querida, mas não posso ficar, tenho muita coisa para arrumar em minha vida! - as lágrimas ameaçavam cair e criar cachoeiras em minhas bochechas.

- Oh Arturia! Eu te amo tanto! - disse ela ainda chorando abraçada em mim - Você foi como uma segunda mãe para mim! Saiba disso!

Eu não pude mais segurar. Eu me lembrei completamente de Irisviel. Sua voz, seu jeito... Ela criou sua filha muito bem.

- E você foi como uma filha! - nesse momento as lágrimas já rolavam pelo meu rosto - Eu também te amo muito, e sempre vou amar! Adeus Illya! - me ajoelho ficando em sua altura e a envolvo em um abraço forte e apertado, mais ao mesmo tempo, reconfortante e que demonstrava tudo o que sentia por ela. Por fim dou um beijo em sua testa com todo o carinho e ternura, e saio do castelo Einzbern.

***********************************

Eu já havia me instalado em Fuyuki novamente, eles reconstruíram a cidade e por mais que não quisesse, senti que precisava morar lá. 

Eu estava em um apartamento pequeno, não era necessário ser grande, pois apenas eu moraria lá. 

Desde o acontecimento da Guerra, não vi mais Gilgamesh, e esperava que continuasse assim...







Notas Finais


Então, o que acharam?
Eu realmente não sei como está, é a minha primera fanfic, mas aceito qualquer opinião!
Mais uma vez obrigada @MYOULMINA pela maravilhosa capa!
Até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...