História Alpha Red - Capítulo 24


Escrita por: ~ e ~LiccaChan963

Postado
Categorias Naruto
Personagens Itachi Uchiha, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Colegial Naruto, Colegial Sasusaku, Gaaino, Itasaku, Lolauchiha, Naruhina, Sasusaku
Visualizações 362
Palavras 5.750
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Esporte, Festa, Hentai, Luta, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Especial de um ano tem um cap enorme e um trailer com link no final! Boa leitura.

Capítulo 24 - Ciúme


Fanfic / Fanfiction Alpha Red - Capítulo 24 - Ciúme

 Ino andava com um grande peso nos ombros e tinha a total certeza de que logo logo seria alvo da Diabólica, não sabia como, mas ela saberia de toda aquela armação da nova diabinha e Ino temia a reação de todos. Bom, não que eles não pensassem que Ino seria capaz disso, mas foi um conselho que Sakura lhe deu e foi facilmente ignorado quando se deparou entre uma amiga e uma desconhecida.

Andou do dormitório até o campus atualizando a pagina da Diabólica e nada foi postado de importante, claro, falavam de rumores de jogadores e de diabinhas, de populares... Mas nada sobre ela e aquilo deixava sua insegurança cada vez maior, pois sabia que quando fosse falar sobre Ino Yamanaka, seria destruidor.

Se distraiu ao andar lendo as notícias no celular e ouviu buzinas direcionadas a si e a vontade de xingar veio antes de sua visão para ver quem era que buzinava.

– Filho da puta! – Resmungou, e quando virou era Gaara.

– Assustada loira? – Murmurou seguindo com o carro até Ino parar.

– Distraída. – Corrigiu. Seu coração podia ter saltado pela boca, mas não pelo ruivo ter lhe assustado, e sim por ele estar ali.

– Entra no carro, vamos conversar. – Ele pediu e Ino ficou estática por um momento. O que ele queria depois de ignorá-la? – Eu te levo até o campo, acho que te devo um pedido de desculpas. – Disse por fim na última investida para a loira entrar no carro.

– Só até o campo. – Ressaltou ao dar a volta no carro e sentar ao lado de Gaara no jeep. – Você disse que queria me pedir desculpas. – Disse séria jogando sua mochila no banco de trás. Gaara deu um leve sorriso e aquilo a derreteu por dentro, não podia negar que sentia saudade.

– Eu devia ter parado para te ouvir, mas sabia que me convenceria e eu...

– Gaara. – Ino o interrompeu. – Eu sei o que pensa de mim, o que todos pensam. – Fez uma pausa olhando pela janela. – Eu não esperava que me pedisse explicação, mas pelo menos que me atendesse.

– Se eu atendesse, eu ignoraria o fato de você gostar do Sasuke. – A interrompeu também. Aquela conversa tinha que acontecer e estava tensa, a densidade de segredos e de respostas que jamais dariam em outra situação. Estavam cansados de jogos.

– Eu deixei o Sasuke aos poucos, porque você me ganhou aos poucos. – Confessou com o coração acelerado e torcia para que Gaara não percebesse sua dificuldade de dizer tudo aquilo. Com a resposta Gaara parou o carro logo na entrada do campo.

– Me encontra de noite. – Pediu assim que viu as diabinhas já no campo esperando Ino e não queria que aquilo viesse a público. Ino assentiu com a cabeça e se debruçou no banco de trás para pegar sua mochila.

Perdeu a noção de quanto tempo havia se passado, talvez quase um minuto, mas encarar aquela peça de roupa no banco de trás do jeep a revoltou de uma maneira única.

– Aconteceu alguma coisa? – Gaara questionou pelo silêncio de Ino.

– De quem é? – Perguntou sabendo a resposta. Ino segurava em sua mão direita um sutiã bem familiar. Gaara fechou os olhos por dois ou três segundos. Como ele tinha parado ali? Sabia da resposta, só não lembrava bem daquela noite.

– Acha que você foi a primeira que eu fiquei ou a última? – Retrucou seco, afinal Ino podia ficar com Naruto, Sasuke, e ele não tinha esse mesmo direito?

– Diz que isso foi depois da ação de graças. – Murmurou segurando com força aquele sutiã com pingentes da Victória Secret’s. Tremeu e a vontade de chorar veio na hora mais inoportuna.

– Ela veio pegar droga comigo, eu estava no estacionamento da festa. – Gaara começou a falar, queria se explicar sim, explicar que não estava sendo um babaca com ela como Sasuke sempre foi, mas Ino estava em outro estagio de tudo aquilo, sua garganta tinha formado um nó dolorido e suas lágrimas ameaçavam a cair dos olhos, mas resolveu focar em outra pessoa. A dona do sutiã. – Ino. – Ele chamou a atenção da Yamanaka que encarava o sutiã e o ignorava.

– Você ficou com ela porque estava com raiva ou porque ela é gostosa demais pra resistir? – Disse cínica abrindo a porta do carro.

– Não precisa disso. – Pediu.

– Preciso sim. – Respondeu saindo do carro e fechando a porta com força.

 

 

Sakura estava apressada demais, talvez um pouco decepcionada com as últimas notícias da Diabólica. Ino tinha cedido, escolheu a nova diabinha por afinidade e não por competência, e isso era algo que já esperava da loira, afinal, ela escolheu com a emoção, e tínhamos vários exemplos de como essa escolha com o coração trazia péssimas consequências.

– Olha por onde anda princesa. – Uma loira séria reclamou após Sakura ter esbarrado nela. Sakura a corrigiu mentalmente, não era uma princesa, era rainha! E o rosto da garota não era familiar.

– Quem você pensa que é? – Sakura afrontou a garota, não apenas pela forma que ela falou, mas também pelo sorriso de deboche que a garota desconhecida dirigia lhe.

– Não interessa ex-rainha. – Respondeu dando as costas a Haruno e saiu andando como se desfilasse no palco da Victoria Secret’s. Sakura não se deu ao trabalho de segui-la, mas estava registrado que ela quis provocá-la. A pergunta era: a troco de que?

 

 

Ino deixou Gaara para trás ainda segurando o sutiã. Sabia que ele tinha ficado com a traidora porque ele achava que ela estava com Sasuke naquela festa, mas tudo bem, seu desespero foi facilmente manipulado, tinha virado raiva.

Desfilou convicta que tinha feito à coisa errada. Passou por todas as diabinhas aquecendo e por uma oportuna coincidência, seu alvo ainda estava no vestiário. Ino tinha a fúria de três dragões e o poder da mãe deles em suas mãos.

– Desculpa Ino, me atrasei um pouco. – A ruiva murmurou terminando de colocar o vestido até ver Ino com seu sutiã na mão.

– Quando disse pra mim e pras meninas que tinha ficado com um ruivo, não esperava que fosse o Gaara. – Rosnou jogando o sutiã na menina.

– Eu me deixei levar. – Murmurou tentando chegar até a loira que recuou.

– Não chega perto de mim Kit. – Fechou os olhos irritada. – Quando ia me contar? – Questionou perdendo o pouco de controle que tentava ter. – Eu roubei a competição por você. – Murmurou indignada. Sakura não faria isso com ela.

– Qual é Ino, você dividia o Sasuke com metade da Columbia. – Debochou. – E você nem está com ele, se tivesse ele não teria me comido tão gostoso. – Provocou mordendo o lábio e Ino avançou para cima da ruiva.

Kitsune só podia estar louca em provocar Ino, mas o rosto de Ino mostrava mais do que suas palavras. Kit sabia se não saísse das diabinhas por causa disso, Ino a faria sair por outra coisa. A conhecia há bastante tempo para sabe quão vingativa a loira era.

Quando Ino avançou raivosa, Kit até tentou segurá-la, mas foi inevitável levar um tapa certeiro no lado direito do rosto e um empurrão até ter alguma reação do que estava acontecendo. Os gritos soaram altos e não demorou nada até as outras diabinhas entrarem no meio das duas e interromper a troca de insultos e tapas.

– O que está acontecendo aqui? – Karin perguntou entrando no meio das duas.

– Ela não é mais uma de nós. – Ino acusou e Kit a fuzilou pelo olhar.

– Eu não sabia que a nossa líder estava namorando. – Retrucou irônica pela ousadia de Ino de acusá-la na frente de todas.

Kit queria ter tido tempo para ela mesma contar, na hora certa. Mas tudo ocorreu tão rápido que na manhã seguinte não significava nada. Foi apenas tentar se divertir com algumas ervas na festa de Itachi, mas acabou sentada sem cima do ruivo mais quente da Columbia no seu Jeep Commander preto.

– Opa pera aí. – Karin interrompeu tentando entender a história e uma ou duas diabinhas sacaram o celular para gravar a briga eminente.

– Aposto que mexeu com o Gaara. – Matsuri arriscou o palpite quando se meteu no meio da briga, saindo de trás de duas meninas que seguravam Ino, que gradualmente se acalmou.

– Como eu ia saber que ele era um Red Zone? – Se defendeu.

Red Zone era um termo que as diabinhas mais íntimas usavam entre si para estipular quais dos jogadores elas tinham interesse amoroso e não apenas sexual. Esse título era dado normalmente a um namorado ou investida séria da diabinha e nenhuma outra era autorizada a ficar com ele. No caso Gaara era o Red Zone de Ino e todas sabiam disso nas entrelinhas, por mais que Ino negasse até a morte.

– Ele não é porra nenhuma. – Ino deu de ombros se soltando das meninas que a seguravam. Tudo aquilo era ridículo, e o pior era que tudo aquilo estaria na Diabólica em pouquíssimo tempo. – Karin comanda o treino, eu vou atrás da ganhadora real da seleção. – Decidiu pegando sua mochila e dando meia volta.

Kitsune sentiu seu mundo parar, o frio que percorreu sua espinha era mais frio do que gelo. Estaria na Diabólica como usurpadora e traidora e nada daquilo foi calculado. Talvez se tivesse menos bêbada resistiria à tentação que era o Sabaku com aquele sorriso preguiçoso, mas a sorte não estava para sorrisos. E Kit se tornava a diabinha com o tempo record em sair do time.

– Quando é a Sakura não conta Ino? – Kit provocou, chamando a atenção de Ino para dentro do vestiário. Sentia-se magoada no fundo. Ino estava sendo ríspida demais para quem estava com Sasuke Uchiha há semanas atrás.

– O Sasuke era diversão pra mim. Eu nunca joguei contra ela. – Ino falou na mesma rispidez, mas sua calma tinha voltado ao corpo e por mais nojo que sentisse de Kit, já tinha cometido erros semelhantes, como com Naruto por exemplo.

– E o Gaara não é diversão? – Provocou segurando a vontade de chorar que segurava.

– Devia ler mais a Diabólica Kit, sabe que eles têm história. – Matsuri acrescentou dando de ombros acompanhada de alguns murmúrios que apoiavam o comentário. Kitsune não ficou para ouvir mais retaliação ou murmúrios a favor de Ino, deixou suas coisas onde estavam e correu para fora do vestiário.

– Vocês acham mesmo que eu ligo com quem o Gaara tá transando? Somos livres. Ela não vai deixar as diabinhas porque deu pra um jogador, vai sair por não ser boa o suficiente e por mentir pra única pessoa que mentiu pra manter ela aqui. – Ressaltou antes de virar para Karin. – Segue com o treino.

– Vai atrás dela? – Karin perguntou para Ino antes de ir embora.

– Vou atrás de quem ganhou. – Respondeu soltando o ar denso dos seus pulmões. – Você é quem eu mais confio aqui dentro. – Murmurou puxando a ruiva para a saída do vestiário. – Faz essas meninas treinarem antes de ler a porra da Diabólica, se não já era o treino. – Recomendou.

– Confia em mim. – Karin piscou cumplice, e Ino torceu para não confiar novamente na pessoa errada. – Vai atrás da menina da cantina, ela não deve ser pior do que quem já conhecemos. – Riu seca. – E o que faremos com a traidora? – Murmurou baixo apontando o nariz para Kitsune que guardava suas coisas do armário.

– Aguardamos a vingança dela. Eu a conheço bem, ela morreu brigando comigo por um sapato, imagina pelo cargo na equipe. – Ino contou e Karin encheu o pulmão de ar e soltou devagar.

– Me mande notícias. – Pediu e Ino assentiu antes de sair. – Eu dou dois minutos para todas estarem aquecendo lá em cima, se não veremos 10 voltas naquele campo! – Karin gritou e todas começaram a correr para fora do vestiário.

 

Sakura se divertia em contar sobre sua pequena experiência de mais cedo. No intervalo como sempre a mesa dos Alphas estava lotada, cheia de ouvidos interessados na fofoca.

– Aquela ninguém simplesmente deixou claro que eu era ex-rainha me chamando de princesinha. – Sakura relatou indignada.

– Alguém não está atualizado na Diabólica. – Sasori comentou.

– Nós vamos resolver isso, depois veremos quem é ela. – Itachi falou enquanto ria minimamente da cara furiosa da Haruno.

– Vê se pode né rainha, te chamar de princesa. – Deidara brincou fazendo quase todos rirem, com exceção de Naruto.

– E o outro ali no mundo da lua. – Sasori apontou na mesma hora para Naruto na outra ponta da mesa; pensativo e desligado.

– Acorda Naruto! – Deidara deu lhe um tapão na nuca.

– Vai se foder Deidara porra! – Resmungou enquanto todos riam.

– Parece que hoje nossa mesa tá cheia de problemas. – Itachi comentou. – E o roubo na seleção Sakura, o que achou de tudo isso? – Puxou o gancho para Sakura se esquecer da garota que estavam falando há pouco.

– Eu sabia que isso ia acontecer. – Revirou os olhos. – Mas quem liga?

– Estou com a Sakura. Melhor a Kit do que a Tenten que é só a garçonete. – Neji deu de ombros e foi ignorado pela Haruno.

– Como assim cara? Aquela morena é maravilhosa. – Deidara reclamou, Neji fez uma careta e estava pronto para retrucar se uma bela garota de cabelos platinados não interrompesse a conversa.

 

– Como essa mesa mudou... – Uma garota disse aparecendo tão rápido como uma rajada de ar. Pegou a bebida de Itachi, deixando todos na mesa boquiabertos, a não ser por Sakura que sentiu seu sangue ferver.

– Quem você tá pensando que é garota? – Sakura se impôs levantando abruptamente.

– Agora não princesa. – Fez sinal para Sakura sentar-se.

– Pra você é rainha! – Sakura afrontou a audaciosa desconhecida. Itachi estava pasmo, não por Sakura, mas pela garota que estava diante dele.

– Aposto que quer conversar, Raven. – Itachi puxou-a e Sakura atentou-se aquele nome.

– Foi por isso mesmo que eu vim. – Piscou para Sakura e sorriu para Itachi. Todos da mesa permaneciam em absoluto silêncio. A realeza sendo afrontada era algo extremamente novo, algo que nem Ino faria conscientemente.

– Me encontra na Alpha mais tarde. – Ele pediu dando um pequeno aceno aos demais. O intervalo havia acabado para ele, pegou a mochila jogada de lado e caminhou de volta para a sala, Raven seguiu um caminho oposto, enquanto atendia uma ligação.

Itachi queria conversar com Raven, mas antes precisava pensar. Os dois saíram em direções opostas e a maioria na mesa pensavam no que tinha acontecido, até mesmo Naruto esteve atento e Sakura estava confusa; também queria conversar com Itachi, mas no momento o melhor era esperar ele dizer, ou na pior das hipóteses esperar a Diabólica explicar o que era tudo aquilo.

 

 

Ino tinha razão, todos os treinos das diabinhas o tema central era sempre o que a Diabólica havia postado e proibir essa leitura antes fazia com que o treino fosse muito mais proveitoso. Karin deu seu primeiro treino com a sequência das danças e aquilo foi maravilhoso, nem se lembrava de quando foi que se sentiu tão importante. A responsabilidade que Ino deu a ela era algo sério que não desapontaria a Yamanaka.

Depois de um treino exaustivo e produtivo, todas as diabinhas sentaram para descansar suadas e a primeira coisa que veio na mão delas foi o celular e a página mais comentada da Columbia.

– Quem é Raven? – Matsuri perguntou vendo o título da postagem.

– Sorte sua não conhecê-la. – Tayuya a veterana das diabinhas foi a primeira a mencionar.

– Já que sabe tanto dela conta pra gente. – Karin pediu sem enrolação analisando o texto da Diabólica.

– Era uma caloura de quando eu entrei. – Deu de ombros. – Pretenciosa demais, se acha demais, parece a rainha má. – Mostrou a língua e algumas riram.

– Esqueceu de dizer que ela foi namorada do Itachi. – Karin ponderou lendo, afinal ela não podia ser tão ruim assim.

– E quem você acha que criou o termo Rei e Rainha Alpha. – Revirou os olhos. Tayuya sabia bem quem era Raven Saori e de tudo o que ela era capaz.

– A primeira rainha do Itachi de volta a Columbia? – Matsuri riu. – A Sakura vai morrer quando ler tudo isso. – Acrescentou olhando fixo ao celular.

– E porque ela foi embora já que tinha tudo? – Karin questionou. – Afinal não tem nada da Diabólica sobre a ida dela. – Mencionou procurando pelo nome da garota na busca. – Na verdade a última coisa que foi dita sobre ela foi do termino com o Itachi e nada escandaloso.  – Continuou a dizer desconfiada.

– Vamos dizer que naquela época a Diabólica era tendenciosa, tinha seus favoritos e glorificava tudo o que aquela vagabunda fazia. – Resmungou. – Não era como hoje. – Tayuya explicou.

– Então a Diabólica mudou de pessoa? – Matsuri tentou entender assim como as demais.

– A Diabólica era uma página das diabinhas e postava coisas sobre o time e sobre os jogos, sabe, página escolar... Depois que a página ficou conhecida as diabinhas antigas começaram escrever o que queriam sobre os outros de forma anônima. – Tayuya começou a contar.

– Mas foi do dia pra noite que a página foi toda modificada. Alguém hackeou a página delas, tirou todas as meninas que tinham acesso, tirou a dona da página e trocou o nome da página “Diário das diabinhas” para Diabólica. – Karin continuou a história. – Foi no começo do ano retrasado, antes de eu e a Sakura entramos. Essa história é antiga Mat. – Contou como se Matsuri devesse saber.

– E o que essa tal de Raven quer agora que voltou? – Hayley, uma das diabinhas perguntou intrigada. 

– O trono de volta. – Karin murmurou o óbvio levantando, sendo seguida pelas demais.

 

 

– Tenten Mitsashi estou te convocando! – Ino bateu as duas mãos no balcão da cantina chamando a garota, que estava afastada pegando um suco. 

Tenten reconheceu a voz que a chamava e ignorou, fingiu não ouvir e passou direto indo entregar a garrafinha de suco a uma mulher escorada no balcão.

– Não pode ficar brava por algo que você mesma faria. – Ino tentou se corrigir e atraiu o olhar fuzilante de Tenten.

– Não, eu não faria. O que quer trapaceira? – Se aproximou de Ino, com os braços cruzados.

– Eu entendo que você esteja chateada...

– Chateada Yamanaka? Eu soube desde o inicio que os pontos estavam errados. – Tenten deu as costas sem se importar.

– Exatamente por isso estou te convocando! – Falou rápido antes que Tenten pudesse a bombardear com mais verdades.

– Só está falando isso porque apareceu na Diabólica. – Retrucou. E se não bastasse um problema, um dos jogadores se aproximou da movimentação que as duas causavam.

– Eu confessei antes de aparecer e outra, ela não disse quem ganhou no lugar da Kit, poderia muito bem não ser você. – Se defendeu e Tenten sentiu mais raiva de Ino. Como mesmo estando errada ela arrumava um jeitinho para estar certa?

Deidara aproveitou para se aproximar, exibindo seu sorriso galanteador. Sentando-se ao lado da Yamanaka.

– E você porque veio se intrometer? – Tenten encarou-o.

– Estive te observando na seleção, você é linda e boa. – Deidara se defendeu jogando um pequeno comentário de duplo sentido.

– Eu estou bem tranquila, não quero virar motivo de piada – Arqueou uma das sobrancelhas ainda olhando apenas para Deidara.

– Elas precisam de você e deveria aproveitar a bolsa das diabinhas. – Ele a lembrou.

– É sua chance de largar o balcão e segurar os pompons e um copo de bebida na festa dos Alphas. – Ino acrescentou e Tenten fingiu pensar na possibilidade por alguns minutos.

– Eu aceito. – Concordou sem transpassar a felicidade que sentia, afinal odiava aquele lugar e a bolsa pelas diabinhas não podia vir em hora melhor.

 – Ótimo esteja no treino todos os dias às 07:00 horas, pontualmente, vou providenciar um uniforme para você, me manda suas medidas mais tarde. – Ino disse colocando um ponto final, vendo que Sakura acenava de longe. Um assunto estava acabado agora só faltava se blindar para o que viria pela frente por culpa dela mesma.

Afinal, queria que todos os seus erros fossem concertados de forma simples como esse. Não que isso fosse algo fácil, porque esperava retaliação de Kit e claro, a Diabólica estava postando sobre ela e queria ter tudo pronto sob o controle para começar a ler o que estava postado sobre ela.

 

 

 

 

– Melhor você ir logo. – Deidara falou. – Já saiu na Diabólica que uma ex do Itachi voltou e foi peitar a Sakura lá na mesa dos alpha. – Ele explicou rapidamente. Ino estreitou os olhos como se pensasse em algo, deu um rápido aceno e levantou da mesa. – O que acha de comemorar indo no LUV hoje? – Acrescentou no momento que ficaram sozinhos.

– Com você?

– Sim, leva uma amiga, eu levo um amigo e vamos nos divertir. – Tentou convencer e Tenten pensou sobre sua resposta. Queria se enturmar com o pessoal da Alpha há muito tempo, por mais que negasse. Agora que foi vista, queria ser lembrada, o que seria melhor do que sair com um veterano?

– Me pega as dez. – Decidiu e Deidara deu um sorriso.

 

 

– Vamos brincar? – Propôs Deidara que colocou um dos braços em volta de Tenten. Estavam animados, não era todo dia que um encontro desse tipo acontecia. Duas calouras, dois veteranos e dois grupos totalmente diferentes.

– Como o LUV é lindo, essas luzes, a música é tudo lindo. – Tenten disse fascinada, Hinata concordou.

– Você que me encanta morena. – O Loiro sorriu levantando da mesa e Hinata constrangida interrompeu.

– Brincar de quê? – Hinata perguntou.

Claro, vocês devem estar se perguntando como a Hinata foi parar num lugar como esses, mas isso tem uma explicação plausível: Tenten havia passado a tarde inteira convencendo a garota de perolados a ir, baseado em chantagens emocionais e promessas. Claro, elas tinham que comemorar! Mas a verdade é que ela não queria ir sozinha em um encontro com o Deidara e quando ele mencionou que Sasori queria companhia ela não pensou duas vezes, seria sua melhor amiga.

Aquele convite era o melhor de todos, ir ao LUV para comemorar? Quando Deidara lhe chamou para um encontro com ele, ela teve que piscar duas vezes para acreditar que ele não queria só chamá-la pra cama, bom, pelo menos não só isso.

E mesmo tendo aceitado ainda estava com um pé atrás, mas para conhecer o LUV com sua melhor amiga valia o risco. Bom, e claro que não foi difícil convencer Hinata graças ao Naruto, que a magoou. Seria uma ótima oportunidade de testar o ciúme do Uzumaki.

– Hinatinha não deveria ter incentivado. – Sasori passou levemente os dedos pela face dela. E apesar de não conhecê-lo aquilo lhe causou um arrepio gostoso.

– Responde ou bebe. – Deidara voltou com duas garrafas de Vodka na mesa.

– Isso não é pesado demais só pra uma brincadeira? – Hinata temerou.

– Você saia com o Uzumaki não é? – Sasori puxou na memória. – Relaxa, é assim que brincamos. – Sasori pegou um copo para si e outro para sua acompanhante.

– Assim as brincadeiras ficam mais divertidas. – Deidara deu corda para Sasori continuar enchendo os copos.

– Vamos nos divertir então. – Tenten concordou empurrando seu copo para que Sasori enchesse. – Eu começo. Porque me chamou para sair com você? – Perguntou sem pudor algum a Deidara que abriu um sorriso de canto.

– Ué, por que gostei de você. – Deidara respondeu simplesmente e ainda assim bebeu.

– Não precisava ter bebido, você respondeu. – Tenten riu.

– Não preciso de incentivo pra beber. – Encheu novamente seu copo. E Sasori o acompanhou.

– E você ainda tem alguma coisa com o Uzumaki? – Sasori perguntou curioso.

– Ele ainda existe? – Hinata retrucou, já ia levando seu copo a boca quando Sasori lhe impediu. – Mas eu não respondi. – Questionou.

– Respondeu sim. – Murmurou. Deidara e Tenten silenciosamente se levantaram da mesa e deram alguns passos para longe, com intuito de dançar.

 

 

– É por isso que tem tanta gente morrendo pra vir aqui. – Ino brincou assim que passou pela lista do LUV acompanhada de Naruto. O Lugar tinha vários tipo de iluminação, três andares com sacadas de espelho, cada andar um tema e claro, a cobertura ficava o melhor lugar.

Subiram os andares observando algumas pessoas conhecidas, as paredes espelhadas que só dava para olhar através quem estava dentro mostravam a cidade e Ino estava extasiada com todas aquelas luzes. A ideia foi boa, apenas convidados entravam então aquele lugar era mais requisitado do que a CIELO que antes era a balada mais cara e frequentada pelos alunos da Columbia.

Chegaram ao terceiro andar e se sentaram numa pequena e alta mesa de dois lugares em um dos cantos do LUV, não recomendada para pessoas com vertigens já que a vista era assustadoramente alta.

– Eu não acredito que ela tá aqui. – Naruto murmurou olhando em direção a quatro pessoas no outro extremo do ambiente. Ino olhou por impulso e logo voltou a sua postura normal ao sentar-se junto á mesa.

– Para de olhar. – Aconselhou. Naruto sentou-se a frente de Ino com uma cara séria. – Eles devem estar comemorando que a Tenten agora é uma das diabinhas. – revirou os olhos enquanto o garçom se aproximou.

– Traz dois drinks da casa. – Naruto pediu e Ino apenas o garçom fazer um gesto simples como se já conhecesse Naruto. – Passei a vir muito aqui. – Ele explicou como se lesse o pensamento da loira. – Me conta o que vai acontecer agora que a diabólica já jogou a merda no ventilador. – Comentou se virando pra Ino que encostou as costas na cadeira e pegando o celular para reler o post.

– “Ino roubou na seleção para quem roubou o drogadinho dela. Seria irônico se não fosse trágico. Que eu saiba o Gaara não troca as pessoas, ele quem é trocado, não é dona Yamanaka”. – Falou sonolenta. – Tem mais quer ouvir? “Tenten Mitsashi, não acredite nas boas intenções da Ino, a única coisa boa que ela deve ter é o corpo, a alma já foi”. – Acrescentou.

– Não precisa ficar lendo. – Naruto colocou a mão em cima do celular para Ino para de ler. – Foda-se essa menina e o que ela acha. – Reclamou e o garçom chegou com os drinks.

– Eu quero mais um. – Ino pediu pegando a taça e virando. Naruto a acompanhou. – Dois. – Corrigiu antes do garçom ir embora. – Eu não me importo, mas o Gaara sim, a Tenten sim. – Lembrou.

– Você não está brava com ele então? – Perguntou observando os dois copos já vazios. A bebida era doce, fácil de engolir. Porem altamente alcoólica.

– Ele estava achando que eu fiquei com o Sasuke na festa, eu faria o mesmo. – Defendeu. Sim a incomodava saber que Gaara ficava com outras meninas, mas ela não podia culpá-lo se fazia a mesma coisa, eles não eram de ninguém até onde ela sabia, mas queria mudar isso, por mais que achasse impossível aquela altura.

– Vamos parar de falar de problema então. – Ele propôs enquanto a segunda rodada de bebida vinha até eles.

– Se você para de olhar pra lá talvez façamos isso. – Retrucou vendo a atenção que Naruto dava a Hinata na outra mesa.

 

– Sempre vem aqui? – Hinata desconversou levando a bebida a boca. Fez uma careta quando sentiu o gosto.

– Às vezes, quando surge um convite interessante. O que o Naruto te fez? – Sasori persistiu naquele assunto. E Hinata virou a bebida e logo bateu o copo na mesa tossindo. – Vai com calma, você não está acostumada. – Aconselhou se aproximando mais. Percebera que Naruto Uzumaki era uma questão que não tocariam mais naquela noite.

– Isso é horrível, como vocês gostam tanto? – O gosto ruim não saia da boca dela. Normalmente lhe incomodaria aquela aproximação, mas de algum modo, aquela aproximação, não a incomodava, pelo contrário lhe atraia. E foi com essa deixa que Sasori  aproveitou para beijá-la, sem prévia ou ensaio e Hinata deixou.

 

 

– Eu vou quebrar a cara dele! – Naruto bateu sua quinta taça praticamente vazia na mesa vendo a cena do outro lado do salão. Estava demorando para acontecer o que esperava em toda a noite. Hinata beijando outro cara, e o pior. Um dos veteranos mais safados da Alpha Red.

– Você não vai a lugar nenhum. – Ino o puxou pela gola anda sentada, se debruçando na mesa.

– Olha que porra! – Levantou a voz e Ino levantou ficando a sua frente, deu uma leve cambaleada no salto, beber sentada não era nem um pouco uma boa ideia.

– O que aconteceu com o vamos nos divertir? – Lembrou, barrando a passagem para que Naruto não saísse para a outra mesa e apanhasse de Sasori.

– Você tem razão. – Ele respondeu colocando a mão por trás da cabeça. – Te falei que tá linda com esse vestido. – Ele deu um meio sorriso se sentando. Ino abriu outro sorriso cruzando os braços, ainda na frente do Uzumaki.

– Agora que foi reparar como eu estou vestida? – Riu pelo sorriso preguiçoso e bêbado do loiro. – Você está bem bêbado. – Mostrou a língua fazendo menção a se sentar.

– Me poupe senhorita zero álcool. – Brincou a puxando de volta. Aquela pequena aproximação e troca de olhares foi o bastante para recordar a noite que passaram juntos no quarto da Alpha.

Naruto foi quem tomou o impulso para chegar até a boca da Yamanaka e a beijar. Ele não sabia o motivo pelo qual não ficaram mais vezes juntos, talvez porque Ino estivesse num dilema tão grande entre Sasuke e Naruto para enxergá-lo, ou por simplesmente não quererem atrapalhar a amizade deles com sexo. Tinha vários motivos que impedia essa relação, mas o álcool sempre tinha esse dom de tirar as barreiras que a sociedade impunha.

O beijo se tornou mais profundo quando Ino se deixou levar pelo momento. Não é que não sabia o que estava fazendo, mas com Naruto era tudo simples, eles eram amigos e ela o conhecia o bastante para saber que não era um dos jogadores cretinos da Alpha.

Ino apesar de bêbada tinha a completa consciência do que estava fazendo. Gaara se achava no direito de pegar a amiga dela por vingança, tiro trocado não doía, não é? E não que ele se importasse a esse ponto. Com Sasuke namorando Sakura e Gaara cercado de amigas generosas não tinha mais esperanças de ajeitar sua vida amorosa. Hinata que a perdoasse, mas desejos carnais não significavam nada.

Naruto levantou sem deixar de beijá-la, a música alta e as pessoas dançando ocultava o rastro deles, e por mais que a Diabólica chegasse até eles, não importaria. Ninguém prendia eles até aquele momento. Os braços definidos de Naruto cercou o corpo da Yamanaka que o olhou cúmplice, e naquele hora decidiram o destino da noite. Bêbados e determinados foram em direção ao banheiro que ficava ao lado do bar. Passaram por algumas pessoas, Naruto abria caminho para chegarem no outro lado do salão. E quando estavam próximos ao bar, Ino foi levemente puxada, soltando a mão do Uzumaki. 

– Não faz isso. – A pessoa que a puxou falou e Naruto virou entrando na frente da loira.

– Ela não quer falar com você cara. – Naruto agiu em defesa e Gaara o olhou sério.

– Calma Naruto. – Ino pediu segurando no ombro do Uzumaki que estava claramente alterado.

– Eu não vou deixar você ficar se iludindo com ele como fez com o Sasuke. – Naruto a segurou e Ino entendeu a proteção.

– E você não está se iludindo? – Gaara retrucou olhando para  Uzumaki enquanto se aproximou dos dois. – Você já se arrependeu disso uma vez. – Ele murmurou para Ino sobre ter ficado com Naruto e isso não era uma mentira.

– Cala boca Gaara. – Naruto o empurrou fraco, mas Gaara o empurrou forte e Naruto cambaleou dois passos para trás.

– Vai pra casa Naruto antes que a Hinata veja essa palhaçada. – Pediu entrando na frente de Ino. Naruto a olhou e depois olhou para a Hyuuga do outro lado do salão e percebeu que os olhares estavam todos guiados a si. 

O que ele podia fazer naquele momento a não ser nada? Quem era ele pra competir com o Gaara naquela situação? Ele era quem Ino queria que estivesse lá e mesmo querendo ficar com a Yamanaka, não era ela quem ele realmente queria naquele momento. Gaara talvez tivesse razão naquela hora, eles já tinham se arrependido uma vez.

Naruto deu um passo para trás olhando o semblante neutro de Gaara e o confuso de Ino, se afastou aos poucos até virar as costas e sair do salão.

– Porque veio aqui? – Ino questionou Gaara e todo o salão voltou a se comportar como antes.

– Achei que depois de tudo o que saiu na Diabólica você precisasse conversar. – Ele respondeu e Ino abaixou a guarda, deu um passo para mais perto do ruivo.

– E desde quando você lê a Diabólica? – Cruzou os braços na defensiva.

– Sempre que dizem que ela pega pesado com você. – Respondeu. – E eu sei como você ficou por causa do lance da Kit...

– Não fala dela. – O cortou desviando o olhar para algo na direita. Gaara estava cansado de jogos, pegou no queixo da loira e o guiou até a direção dele.

– Não me importo com ela e com nenhuma outra além de você. – Revelou o que Ino quis ouvir nas ultimas horas e que pensou jamais ouvir da boca do Sabaku.

Seus olhos encheram de lágrimas e Gaara a pegou num abraço firme e a beijou como ninguém seria capaz de fazer no seu lugar. Afinal era um beijo carregado de emoções dos últimos meses. Emoções e sentimentos grandes demais para lugares tão pequenos. Ino o ajudou tanto sem ter a mínima noção e queria retribuir o apoio, já que via que todos aos poucos iam a abandonando.

– Fica comigo. – Ino murmurou segurando Gaara pela camisa.

– Eu estou com você. – Murmurou de volta colocando uma pequena mexa do cabelo de Ino para trás.

– De uma vez por todas. – Pediu novamente o guiando para longe da multidão e pra perto do bar e para a entrada do banheiro.

– Tem certeza. – Sussurrou a abraçando por trás, enquanto ela calmamente o guiava para uma das cabines vazias.

– É a única certeza que eu tenho. – Sussurrou de volta o tomando num beijo quente e necessidade.

Talvez fosse a primeira vez, a primeira vez que tinham certeza do que queriam. Sem aquelas regras de se apenas, sem aquele medo de confundirem as coisas. Tinha apenas uma coisa que estava acontecendo: Duas pessoas que se gostavam finalmente juntas.

Ino entrelaçou seus dedos na nuca do Sabaku e brincou com seus cabelos ruivos com olhos fechados, enquanto sentia os beijos que Gaara espalhava no seu pescoço, e não demorou para que Gaara deixasse suas mãos descerem até as coxas de Ino e subir sua mão junto com o vestido azul dela. Rasgou a fina calcinha da loira e a levantou a prensando contra a parede, para que seu quadril se encaixasse nele.

Ino mordeu o lábio e soltou um sorriso malicioso, Gaara sorriu de volta, e por mais que fosse mínimo esse sorriso, ela sabia que ele queria tanto quanto ela. Então quando ele a penetrou pela primeira vez e ela mordeu mais forte o lábio, ambos sabiam que aquilo não poderia ser de nenhuma maneira errado.


Notas Finais


Obrigada as meninas que fizeram as fichas da Raven e da Kit, elas vão aparecer muito mais, e temos mais algumas meninas para aparecer nos próximos caps. Tá afim de fazer parte desse cast? Entra no meu grupo no facebook!
https://www.facebook.com/groups/lolauchiha/

Muito obrigada por esse um ano, isso é maravilhoso e todo comentário é gratificante. Faz tudo isso valer a pena. Tenho muito orgulho do que está sendo feito nessa fanfic, pelo apoio de vocês e pela dedicação ao criar os personagens. Obrigada mesmo por fazerem parte dessa história.

Link do trailer de comemoração:https://www.youtube.com/watch?v=AMH7BpbDhDU&t=22s


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...