História Alphas - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Alcateia, Alphas, Gaara, Gaino, Hinata, Ino, Itachi, Lobos, Naruhina, Naruto, Sakura, Sasuke, Sasusaku
Exibições 905
Palavras 3.078
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


CARAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA COMO ASSIM?? 201 FAVORITOS *----------------------* VOCÊS SAO DEMAIS MEU DEUS, NAO TENHO PALAVRAS PRA DESCREVER MINHA FELICIDADE

E OUTRA.... TENHO UM BABADO PRA VCS .... EU PASSEEEEII VIADOOOS, AGORA SOU TECNICA RAPÁ, PASSEI NO MEU TCC *---------------------*, EU OUVI PALMAS?? ISSO AI GENTE ME ABRACEM E VAMOS PULAR JUNTOS AEEEEEEEEEEEEEEEEEEE

SABE OQ ISSO SIGNIFICA? EU TENHO MAIS TAMPO PRA ME DEDICAR A ALPHAS E A MINHA OUTRAS CRIAÇOES ( que futuramente apareceram hihi (eu ouvi spoiler ?))

hahahah é isso minha gente
agora vamos ao cap pq sei que vcs estao ansiosos ^^

beijos

divirtam-se

Capítulo 9 - Capitulo 9


Fanfic / Fanfiction Alphas - Capítulo 9 - Capitulo 9

Antes...

Ino — E o Gaara ele não ia fazer ronda com você? Vocês vão fazer a ronda agora?

Itachi — Vai sim, eu só to esperando o Gaara voltar da oficina, ele foi lá porque o Sasuke pediu pra ele dar uma olhada no radiador. Alias por que você não vai lá chamar ele, eu to cansado de esperar.

Ino — Ótima idéia!– Ino sai as pressas de lá.

Agora...

Depois do “pedido” do Itachi, o qual não fiquei nem um pouco incomodada em fazer, fui em direção ao galpão que ficava um pouco distante da onde estávamos.

Os carros que alguns lobos usavam ficavam ali, meio que parecia uma pequena oficina, eles mesmo que consertavam seus carros e motos. Caminhei até a entrada do galpão e a porta se encontrava encostada, dava pra se ouvir uma musica abafada tocando lá dentro.

Abri a porta e entrei, deixando com que o som da música entrasse de maneira mais alta nos meus ouvidos, fecho a porta a trás de mim.

Sorrateiramente, fui adentrando na oficina à passos lupinos. Alguns carros estavam alí dentro para consertar. O cheiro de graxa e gasolina estava impregnado no ar, e isso me fez franzi o nariz.

Era um odor muito forte.

O cheiro do Gaara também estava misturando no ar, seu cheiro era tão bom que se destacava no meio da gasolina e da graxa, fazendo até que esse odores sumissem perto do dele.

Era algo sem igual, um aroma único e deixava minha loba bem agitada, parecia desesperada.

Bem ao centro do local, debruçado sobre a parte frontal do carro de uma maneira bem sexy - ao meu ponto de vista ele era bem sexy-, estava o ruivo. De costas para mim, com uma camisa desbotada e manchada do que acredito ser graxa. Seu pé esquerdo batia no chão ao ritmo da música estridente que tocava no local.

Ele estava tão distraído que nem notou minha presença. Grande Gamma ele era. De guarda baixa.

Prrr…

Ele levantou um pouco o corpo e eu parei, pensei que ele havia me notado. Grande engano meu. Ele só pegou uma ferramenta e se debruçou ainda mais sobre o motor do carro. Sorri marota e caminhei ainda mais sorrateira para perto dele e então respirei fundo, passei a língua nos lábios e de forma ameaçadora, deixei um rosnado escapar por meus lábios.

Ouvi um sorriso abafado e então o ruivo virou lentamente. Seus olhos estavam em um verde escuro, as presas estavam expostas e suas garras estavam à mostra. Arqueei as sobrancelhas.

Ino – De guarda baixa? - Zombo.

Gaara – Achou mesmo que eu não havia lhe notado? - ele cruza os braços em frente ao peito

Ino – Foi o que pareceu.

Gaara – Não seja boba. - Ele pega uma flanela que estava na lataria do carro e limpa as mãos – Se tem uma coisa que você não conseguiria é passar despercebida.

Ino – Não? E por quê?

Ele não responde, apenas sorri de canto e me dá as costas voltando sua atenção para o carro. Caminho tranquila e fico ao seu lado observando o que ele fazia. Eu não compreendia nada de carro, mas ele parecia saber exatamente o que fazer.

Ino – Qual o problema? - Apoio minhas mãos na lataria do carro;

Gaara – Sistema de arrefecimento.

Ino – Arre o que?

Gaara – Arrefecimento. É o sistema que controla a temperatura do motor do carro. De forma simplificada, isso aqui é a bomba, ela joga água resfriada pelo radiador, resfriando o motor de explosão. Ao fazer isso, a água fica quente e ai o ventilador faz o resfriamento da água e ela percorre toda a parte do motor resfriando-o.

Ino – Hum… E esquenta tão fácil assim?

Gaara – Você não faz idéia. - balança a cabeça.

Ino – Com que frequência? - Olho para ele.

Gaara – Sempre que usado. - ele me olha de lado.

Ino – Entendi… Mas, quão quente ele pode ficar?

Gaara – Bom… - ele levanta e apoia uma mão na lataria do carro, ficando de frente para mim – Vai depender do seu uso.

Ino – E quanto tempo leva para tudo isso funcionar? Digo, para o carro aquecer?

Gaara – Vai depender de como você dirige.

Ino – Só tem um problema – dou um passo na direção dele – Eu não sei dirigir.

Gaara – Problema resolvido – Ele segura minha cintura com a mão livre e me puxa de encontro para sí me deixando de costas para o carro, colando nossos corpos – Eu te ensino.

Ino - Você terá que ser bem paciente comigo, sou uma aluna inexperiente.- enlaço minhas mãos atrás da sua nuca.

Gaara - Fica tranquila, sou um professor dedicado. - ele chega mais perto do meu rosto - vou lhe ensinar tudo o que eu sei.

Ino - É a primeira vez que dirijo.

Gaara - Prometo ser um instrutor atencioso.

Ino - E como você pretende começar a me ensinar?

Gaara - Vamos começar com você conhecendo o carro. - suas mãos sobem um pouco pra lateral na minha barriga - Suas mãos devem conhecer bem ele - ele aperta o local me fazendo soltar um gemido abafado - você também precisa sentir o carro. Principalmente quando ligá-lo. - ele encosta o quadril no meu e isso faz eu sentir o volume na minha virilha - sente ? - ele sussurra perto demais do meu rosto fazendo eu sentir sua respiração.

Estava me torturando.

Ino - Sinto. - falo soltando um suspiro junto.

Gaara - Bom... Agora você precisa conhecer ele. Não precisa ter medo de tocá-lo. O carro esta sob seu total poder ...

Ele vai em direção ao meu pescoço, e começa com beijos leves e pequenas mordiscadas, minhas mãos descem na direção do seu peito ficando ali.

Suas presas passam arranhando meu pescoço criando um arrepio involuntário por todo meu corpo, suas mãos junto com as garras apertavam minha cintura de maneira possessiva e seu membro fazia pressão sobre meu short jeans fazendo-o pressionar na minha parte mais sensível.

Eu tentava controlar um pouco meus gemidos para que ninguém lá fora pudesse escutar e atrapalhar esse nosso momento.

Gaara - Não precisa se segurar e nem se preocupar - sussurra engrossando a voz de uma maneira sexy.

Ele estava realmente me provocando, então decido seguir seu conselho.

Deixo com que meu lado lupino tomasse conta de mim, sinto minhas garras aumentarem e minhas presas crescerem.

Com minhas mãos em cima do seus peitos, desço arranhando por cima da camisa até a base dela, ao começar a levantar sua camisa deixo minhas garras um pouco soltas e começo a arranhar um pouco a baixo do seu abdômen e vou subindo até tirar toda sua camisa.

Ao ter a visão do seu peito nu, seu tanquinho bem desenhado e aquelas descidinhas laterais que indicavam que aquele era o caminho da felicidade, meu corpo inteiro começou a pegar fogo, aquele homem era gostoso demais, puta que lá merda.

Ele solta um sorriso de canto ao ver minha admiração por seu corpo.

Gaara – Bom, você já ligou o carro. Já sentiu e já sabe que não precisa ter medo dele. O que falta agora?

Ino - Dirigir.

Escuto um baque alto e então percebo q ele havia baixado o capô, ele apenas me lança um olhar penetrante e um sorriso de canto.

Seus lábios tomam os meus de maneira ligeira e faminta, minhas mãos pegam em seus cabelos o puxando pra mim intensificando nosso beijo, já estava ficando sem ar quando ele começa entrelaça seus dedos na minha nuca e puxa minha cabeça pra  trás deixando meu pescoço exposto para dar atenção de volta a ele, seu corpo acaba com qualquer espaço que ainda existia entre nós dois fazendo meu corpo encostar-se ao carro, até diria que a lei de Newton não existia aqui, jurava que a qualquer comento dois corpos poderiam sim ocupar o mesmo espaço.

Suas mãos passeavam pelo meu corpo me apertando, ele leva as mãos pro inicio da minha camisa e abre os dois primeiros botões deixando aparecer um pouco do meu sutiã de renda vermelha, seus lábios beijavam a curvatura do meu pescoço descendo em direção ao meu colo, ele volta seu olhar verde nublado banhado de luxuria.

Gaara – Vermelho? – Faz uma cara de safado eu apenas sorrio.

Ele volta a me beijar ferozmente e suas mãos pegam com força nas minhas coxas me trazendo pra cima entrelaçando minhas pernas na sua cintura me colocando sentada por cima do capô do carro, suas garras passam arranhando minhas pernas me tirando gemidos.

Puxo seus cabelos deixando sua cabeça um pouco de lado e começo mordiscar seu queixo descendo até seu pescoço, com uma das mãos arranho seu peito e passo minhas presas pela sua pele fazendo-o se arrepiar, sinto suas mãos apertarem meu quadril e me puxando em direção a sua cintura encostando sua ereção em mim, subo até sua orelha e começo a investir ali, mordendo e chupando seu lóbulo, ele solta um rosnado me fazendo rir ao descobri seu ponto fraco.

Gaara - Jogando sujo?

Ino - Já parei de jogar a muito tempo ruivinho. – dou uma leve mordida no seu lábio inferior.

Ele me empurra em direção do capô do carro com certa brusquidão e inclina seu corpo sobre o meu me dando um beijo faminto, sinto suas mãos pegando o pano da minha camisa e a abrindo com violência arrebentando os botões dela deixando meu surtia de renda vermelha a mostra.

Seus beijos vão até minha orelha e sinto-o mordendo meu lóbulo, solto um gemido e o mesmo sorri. Ele vai descendo os beijos, parando entre meus seios , passa suas garras de leve por cima da minha barriga. Coloca uma das garras por debaixo do meu sutiã bem no meio arrebentando o pano com a garra revelando meus seios.

Ino – Ahh... – resmungo um pouco – Ele era novo, achar um sutiã bom é difícil e caro.

Gaara – Bom que você aprende, da próxima vez venha sem – Ele ri da minha cara.

Ele toca um dos meus seios e abocanha o outro de maneira faminta, ele brincava com sua língua no meu mamilo olhando diretamente pra mim e apertava o bico do outro seio, minhas mãos bagunçavam seus fios ruivos, minha boca estava seca e minha respiração acelerada.

Com a outra mão livre ele leva até a base do meu short abrindo o botão e deslizando o zíper lentamente para baixo, ele se afasta de mim um pouco para tirar meu short com as duas mãos, aproveita e tira também meu tênis me deixando descalça.

Gaara- Meu Kami –ele solta um rosnado e seus olhos pareciam pegar fogo quando viu minha calcinha vermelha de renda – tá querendo me enlouquecer, mulher?

Ino – Não, mas se deu certo fico feliz por isso – me levanto um pouco me apoiando com os braços.

Seu olhar me devorava, dava pra sentir a sua necessidade e seu lobo inquieto dentro de si, sem muita cerimônia ela me beija mais uma vez me tirando todo meu fôlego, seus beijos ficam sutis e descem pelo meu corpo me proporcionando muito prazer e gemidos roucos.

Quando ele vai chegando perto da minha calcinha suas mãos pegam na lateral e a arrebenta.

DE NOVO!!!

Ino – Gaara! – o repreendo.

Gaara – Shiiu! Na próxima você já sabe o que tem que fazer. – ele se divertia com a minha cara que demonstrava estar irritada e continua a beijar minha barriga.

Ino – Daqui a pouco eu não vou ter mais nada pra ... aaah, Gaara – não tive como não soltar um gemido alto depois disso, parei de falar na mesma hora quando senti sua língua no ponto mais sensível do meu corpo.

Sua lingua começou a se movimentar, eu arqueava meu corpo a cada movimento dele, eu já não tinha mais idéia do nível que meus gemidos estavam, já tava pouco me importando com quem iria ouvir,ele inseriu um dedo dentro de mim, senti um leve desconforto mais logo foi embora, movimentava o dedo me estimulando, uma das minhas mãos seguravam seus cabelos e eu o empurrava mais pra mim, ele inseriu um segundo dedo  e começou a movimentá-los dentro de mim e depois começou com estocadas lentas depois foi aumentando  o ritmo.

Ino – Agora é você que tá jogando sujo – gemo.

Gaara - Já parei de jogar a muito tempo, meu amor. – sua voz rouca me faz arrepiar.

Eu não estava mais agüentando, sentia que a qualquer momento poderia explodir, eu gemia seu nome, falava coisas desconexas, meu corpo começava a dar espasmos, então sinto me derramar em suas mãos e de repente a sensação de estar leve me tomou.

Ele coloca sua mão atrás de mim me levantando me deixando sentada no capô do carro, eu estava ofegante e meu corpo ainda dava espasmos, aproveito pra tirar as peças de roupa que estavam me deixando com muito calor – as peças que ele rasgou (¬¬.) – ele beija meu ombro e o morde tirando um pouco de sangue e depois lambe o local.

Eu pego o ruivo pela nuca e o faço olhar pra mim pra mim, passo meu polegar por cima da sua boca e mordendo a minha, eu o queria, queria ser dele.

Mordo sua boca, seu queixo e depois vou distribuindo até seu pescoço e lóbulo. Levo minhas mãos até o cós da sua calça abrindo-a e descendo o zíper, começo a empurrar sua calça pra baixo e ele me ajuda descendo-a junto com sua Box cinza, assim que as peças tocam o chão e se livra delas, ele puxa minhas pernas entrelaçando –as na sua cintura e me levanta do capô do carro me carregando para algum lugar.

Minhas costas tocam algo macio e eu vejo que era o sofá, ele fica em cima de mim e nossos sexos se tocavam, ele começou com um beijo calmo me acariciando, passando seu membro por todo meu sexo, ele então o direciona pra minha entrada e olha pra mim.

Gaara – Não se preocupa, vou ser delicado. – ele me passava confiança, eu apenas assenti.

Gaara se encaixou na minha entrada e me penetrou de uma vez só, escuto ele soltar um rosnado baixo assim que me penetra, solto um gemido doloroso e confesso que de inicio doeu, ele ficou parado um pouco pra me acostumar e me beijava o ombro e o rosto fazendo um carinho, ele depois começou com movimentos leves de vai e vem, eu ainda sentia o desconforto, mas com o tempo as coisas foram tranquilizando e a estocadas foram aumentando, o ritmo e a força das estocadas também.

Ambos gemíamos, falávamos o nome um do outro e palavras desconexas, minhas garras arranhavam suas costas e as suas arranhavam minha coxas, ele diminuía e aumentava as estocadas me enlouquecendo, me fazendo gritar.

Gaara – Goza pra mim. – ele fala perto no meu ouvido mordendo meu lóbulo.

Nesse ritmo dele não demorou para que eu sentisse meu interior se contrair e eu me derramasse nele, depois disso ele me leva até o carro me colocando de frente pro capô espalmando minhas mãos por cima dele, me faz empinar a bunda e abre um pouco minhas pernas, pincela seu membro na minha entrada e me invade de uma vez, segura na minha cintura e começa as estocadas fortes, aceleradas e ritmadas. Ele enrola meus cabelos em sua mão e me puxa pra cima sem parar com as estocadas, leva uma das mãos até meu clitóris e começa a fazer movimentos circulares bem ali.

Esse homem vai me matar, literalmente, de prazer!

Ino – Nunca pensei que dirigir ... iria ser tão bom... – falo entre gemidos.

Gaara – Eu disse que era um professor dedicado. – sua voz sai com pura malicia.

Esse homem é de tirar o fôlego!

Ele continua com as estocadas fortes sem parar dentro de mim e sem perder ritmo uma única vez, minhas pernas já estavam bambas, minha sorte era que ele que me ainda me mantinha em pé, sua respiração forte no meu ouvido, mais seus gemidos, e mais as investidas resultaram em espasmos e contração dentro de mim, mais uma vez eu estava me despejando, minhas pernas estavam fracas, ele me vira pra ele com um sorriso estampa no rosto, me segura pela cintura, e me dá um beijo tirando meu ar, ele me pega no colo e me leva de novo pro sofá.

Ele se senta no sofá me levando com ele fazendo-me ficar sentada por cima dele, apoio minhas mãos nos seus ombros e começo a rebolar por cima dele, ele gemia meu nome e apertava o maxilar quando eu comecei com subidas e descidas com ele ditando o ritmo, eu intensifico ainda mais meus movimentos, vejo ele jogar sua cabeça pra trás soltando vários gemidos, ele começa a apertar a minha cintura pedindo para ir mais rápido, faço o que ele pede e sinto minha intimidade se contrair mais um vez aumentando a força das estocadas me levando ao meu ápice e levando ele junto comigo, me despejo nele e solto um rosnado, ele também rosna e sinto ser preenchida com algo quente dentro de mim, meu corpo estava mais leve ainda, nossas respirações estavam descompassadas e ofegantes.

Encosto minha testa no seu ombro enquanto ele ainda continuava com as mãos na minha cintura, ele passa uma das mãos por de trás do meu cabelo o jogando pra um lado só, deixando meu pescoço ao seu mercê, ele da vários selinhos lá me fazendo sorrir e me remexer um pouco sobre ele  tirando-o um gemido baixo contra meu pescoço, ele me olha de maneira terna.

Gaara – Você quer ser minha, Ino? – Eu sabia muito bem o que ele estava me perguntando – Quer ser minha daqui pra frente?

Minha felicidade foi a mil, ele me passava segurança, era prestativo e atencioso, minha loba se agitava sempre quando o via, ela já havia escolhido seu parceiro e agora eu via que seu lobo também havia me escolhido como parceira, algo que era importante, ele queria me marcar como dele e eu queria o marcar como meu.

Ino – Quero, Gaara. Quero ser sua daqui pra frente. – Dou-lhe um beijo.

Ele me deu um sorriso lindo, seus olhos verdes ficaram mais cintilantes, ele primeiro depositou um beijo no meu pescoço descendo até meu ombro, ele mordeu meu ombro despejando seu DNA na minha corrente sanguínea, me marcando como sua, eu fiz a mesma coisa, também beijei o pescoço e desci até seu ombro cravando minhas presas e despejando o meu DNA nele, o marcando como meu. Agora pertencíamos um ao outro daqui em diante.


Notas Finais


Siiiiiiiiiim, Ino foi marcadaaa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...