História AlVo dE Um VALENTão - Capítulo 46


Escrita por: ~ e ~Lucaszhenrique

Postado
Categorias Clarêncio, O Otimista (Clarence), Gravity Falls, Hora de Aventura, O Incrível Mundo de Gumball
Personagens Bill Cipher, Clarêncio, Darwin Watterson, Dipper Pines, Gumball Watterson, Jeff, Marshall Lee, Principe Chiclete, Sumo
Tags Jeff, Romance, Sumo, Yaoi
Exibições 125
Palavras 1.324
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Harem, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oieee gente u.u akie é o lucas shsuhsu obrigado por decidir sobre a fic ser excluida ou não, eu e a goma vimos que voces querem que continuemos e vamos continuar!

Amamos mto vcs obg por tudo :3 s2
Isso tudo e por voces keridinhoa ahauah

E quero um boy u.u desde ja! Mentira sou santo

Boa leitura ><

Capítulo 46 - Alvo de um emo cap 3


Fanfic / Fanfiction AlVo dE Um VALENTão - Capítulo 46 - Alvo de um emo cap 3

Gumball pov's



Hoje vi algo inacreditável. Marshall salvou meu bff de apanhar... Eu não entendo o que se passa na cabeça desse vampiro! 

Depois que tudo aconteceu fiquei mirando para o vampiro esperando uma explicação decente.

Será que ele está afim do Jeff?!

Súbito ouço Jeffrey gritar por ajuda, miro em sua direção e vejo que o punk arrastava-o para fora do refeitório.

Olho para Marshall, mas ele pós as mãos dentro dos bolsos e andou na direção contrária. Sentou numa mesa vazia despreocupado.

Ando até ele e paro quando chego em seu lado.

- Não vai ajudá-lo? - pergunto, referindo-me à Jeff que foi levado para só deus sabe onde por Ryan.

Marshall bocejou e deitou as costas na mesa, fazendo dela sua cama. 

Marshall: Nao, ele vai ficar bem.

- Como assim?! 

Marshall: Aquele cara não vai machucar ele de novo. Eu escutei a mente dele.

- porra, você só está me deixando mais confuso! 

Marshall: Quer sabe por que ajudei ele?

- EVIDENTE QUE SIM!

Marshall: Eu ouço o que as pessoas pensam. E o brother não queria bater no de óculos. Ele queria que alguma coisa o impedisse e eu tava perto, por isso dei uma força.

- Entao voce le pensamentos?

Marshall: Sim, e faço isso o tempo todo e com todo mundo...

Incrível, os vampiros são mais impressionantes do que pensei. O diário do vovô não tem algo falando sobre essa habilidade. Acho que finalmente posso contribuir em algo para o mundo dos mistérios mistériosos.

Vou estudar este vampiro de perto. -Entao oque estou pensando agora ?- perguntei, tentando ser amigável.

Marshall volta a sentar na mesa, e fica me encarando.

Não sei porque, mas fico incomodado quando ele me olha. Ele raramente faz isso. A maior parte do tempo na sala ele fica dormindo... 

Agora, ele mirando para mim eu reparo que seu cabelo cresceu um pouco, e sua franja ja alcançava seu nariz. Contudo, graças ao penteado dele, a franja só cobria um olho e o outro ele usava pra enchergar. Kkkkkkk, ele é louco! Mas essa loucura é extremamente atraente.

Aí meu deus! Será que ele escutou isso?!

Coro muito ao imaginar que ele escutou. 

Fico cabisbaixo encarando minhas botas cor de rosa.

Marshall: Estranho...

Arregalo os olhos e miro para ele.

- Ooo que?!

Marshall: Nao consigo escutar seus pensamentos.

Graças a deus, então ele não escutou o que pensei! Mas... Isso é impressionante!

-Porque ?

Marshall: Acho que você... É diferente.

- Diferente?

Marshall: Quê pena... Queria saber quantas vezes me imagina pelado ao dia.

Solto uma risada rapida -Haha idiota.

Marshall: Aposto que pensa qual deve ser o tamanho do "Marshall Júnior"!

- Marshall Júnior? Você tem um filho?

Marshall: Não se faça de inocênte Docinho... 

Como assim! Ele está me deixando confuso... Se "Marshall Júnior" não é um filho. Então o que é?

Aí meu deus! Ele tá falando do pênis dele!

Nao vou negar tava adorando essa conversa. - Sei de nada!

Olho pra baixo

Súbito Marshall me puxa pelo braço e me aproxima de seu corpo. Eu petrifico e coro mais que um tomate. - É maior do que você pensa, e bem mais grosso do que precisa. - Sussurra no pé do meu ouvido.

Olho pros seus olhos. Ele, pra variar, estava com aquela expressão de "eu sou gostoso". Coro e nao sei oque dizer.

Marshall: Eai Docinho, quer dar um pulinho no banheiro pra dar uma olhada no "Marshall Júnior"?

Faço um sorrido de lado meio timido.

Marshall: Então? Você quer?

-Acho que sim -Coro

Ele levanta da mesa. - Segura minha mão, Docinho! - mandou direcionando sua mão para mim.

Seguro sua mão. Era fria feito gelo... Será que o coração dele também é assim? 

Ele me conduz até o banheiro mais próximo. Eu fiquei muito nervoso. Será que ele realmente vai me mostrar o "Marshall Júnior"? Ou será mais uma brincadeira idiota?

Marshall: Chegamos, Docinho. Vamos para a cabine nos trancar. Tem muitos mundanos por aqui. - Falou.

"Mundanos"? É assim que ele chama as pessoas normais?

- Certo. - Falei. Não tenho mais medo de ficar trancado com ele. Já fiquei uma vez e ele não fez nada. Nadinha! O que é uma pena.

Entramos numa cabine. Eu fico confuso, tipo, perdi meu BV com ele e me arrependi pra K7, e não quero perder mais nada pra ele! Então o que estou fazendo aqui? Será que minha curiosidade por vampiros é maior que meu amor próprio?

Marshall: Docinho, eu sabia que você tava na minha. 

- Totalmente. Me fale tudo sobre você, Lee.

Marshall: Hummmm, o que quer saber? E o que é capaz de dar em troca por meus segredos?

- Faço quantos bolinhos quiser.

Marshall fez cara de pensativo, como se analisasse minha oferta. 

Súbito ele me empurra contra a parede e me cerca com seus braços. - Eu não quero seus bolinhos. 

Puts! Eu sabia! Ele quer fazer aquilo comigo! 

- Ma-mas... Eu nunca fiz isso... Por favor, não. - Gagueja muito ao dizer.

Marshall: Vai dizer que nunca deu uma provadinha pra ver que gosto tem.

Puts! Como ele sabe disso?! Mas pênis de borracha não conta! Eu ainda sou virgem! E também... Eu sou romântico e não faço em qualquer lugar.

- Lee, eu não quero fazer aqui... É o banheiro. É sujo e... Eu sempre imaginei que isso seria de outra forma... 

Marshall: Onde?

- Num helicóptero sobrevoando algumas ilhas litorâneas e teria uma cama de rosas, e a pessoa iria me propor em casamento logo depois.

Marshall: Kkkkkkkkk - gargalhou de rir alto. - Docinho, você é um pervertido. Estava falando de provar do seu sangue.

Filho-da-puta! Porque não falou isso antes?! Eu já tava tremendo aqui! Desgraçado!

- DEVERIA TER FALADO ANTES! - Grito de ódio.

Marshall segura meu queixo e vira meu rosto, deixando meu pescoço amostra. 

Engulo a seco.

Marshall lambe os lábios, umidificando-os. Aos poucos aproxima sua boca no meu pescoço. Posso sentir sua respiração. Era fria, como a morte. Será que ele vai drenar todo o meu sangue com seus caninos afiados e pontiagudos?

Não! Não quero morrer! Ainda tem muita coisa que não fiz! E Jeff precisa de mim, e eu ainda não fiz faculdade e nem terminei a escola! E ainda não achei meu avô! E também, posso até ser gay, mas nunca falei pra ninguém! E ainda sou... Virgem. 

Fecho os olhos com força. 

Marshall: Há, pegadinha do Marshall! - Fala entre risos.

Porra! Quero matar esse cara!

- TUDO É PIADA PRA VOCÊ?! 

Marshall: Sim, haha, você realmente acreditou que era diferente? Eu posso ouvir tudo pensa, Docinho. Sério que tem medo de morrer virgem? Que deprimente kkkkkkk 

Então ele pode ouvir?... Então ele escutou o que eu pensei sobre ele ser atraente?!

Marshall: Sim, tudinho. - Responde os meus pensamentos.

Coro igual a um tomate. 

Marshall: Em fim, vou dar um role por aí. 

Puxei o braço do emo o impedindo de ir. - E-eu quero você.

Marshall: O que?!

- Quero brincar com você. Aqui, onde ninguém pode ver.

Marshall: haha. Eu sou o rei da pegadinha, acha que não sei identificar uma quando vejo?

- Não é pegadinha... Eu realmente quero.


Faço o vampirinho sentar na privada e sento no colo dele com as pernas abertas. 

Marshall: Eu posso ler sua mente. Se isso for uma pegadinha, eu vou saber, Docinho

- Vêm aqui e descobre se é. - Provoquei. Aproximei minha boca na sua.

Marshall: Haha, você não gostou de perder seu BV pra mim, então eu sei que é uma pegadinha.

- Isso não é pegadinha. Você está recebendo uma lição.

Marshall: Vai me dar uma lição transando comigo? - Fala sarcasticamente.

- Não pode me provocar o tempo todo e achar que está tudo bem ou que isso não me afeta. Se você quer fazer isso, apenas faz,  mas pará de brincar comigo!

Marshall: Eu quero, quero muito você, Docinho, mas não posso me relacionar com você. Tem uma regra que vampiros não podem fazer sexo com mundanos.

- Vamos quebrar essa porra de lei. Você e eu. Agora!

Marshall: Não é tão fácil. A punição é você engravidar.

- Que?!

Marshall: Há, pegadinha do Marshall! 

Súbito ele atacou meus lábios com os seus violentamente me deixando sem ar.

Contornei os braços atrás de sua nuca. 

O sino para o término do intervalo soou. Pela primeira vez eu pensei "foda-se as aulas".


Notas Finais


Eaiw gostaram :3 ? Hsushus bjinho ate o proximo capitulo s2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...