História AlVo dE Um VALENTão - Capítulo 47


Escrita por: ~ e ~Lucaszhenrique

Postado
Categorias Clarêncio, O Otimista (Clarence), Gravity Falls, Hora de Aventura, O Incrível Mundo de Gumball
Personagens Bill Cipher, Clarêncio, Darwin Watterson, Dipper Pines, Gumball Watterson, Jeff, Marshall Lee, Principe Chiclete, Sumo
Tags Jeff, Romance, Sumo, Yaoi
Exibições 104
Palavras 2.187
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Harem, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 47 - Escolha errada


Fanfic / Fanfiction AlVo dE Um VALENTão - Capítulo 47 - Escolha errada

Jeffrey Pov's 



Acho que isso não poderia ser pior!

Estava beijando Ryan na enfermaria. 

Ele é a pessoa mais louca do mundo! Me trata como se não ligasse pra mim minimamente, mas mantém os outros caras longe de mim. Acho que ele finge que não se importa, mas me quer, como sempre, podemos nós odiar no começo do dia, mas no fim ele me faz flutuar com sua boca colada na minha. Não entendo como nosso imã, mas tudo que também quero fazer é estar com ele. Podemos terminar nosso estranho namoro quantas vezes forem necessárias, mas a única razão para estarmos juntos é o nosso ódio mútuo...rs

Estava tão concentrado em beija-lo, que não escutei a porta abrir. Ele desfez o beijo pra olhar quem era, então ataquei seu pescoço com a boca e apalpei sua bunda com vontade.

- Jeff... - Clamou uma voz que me fez congelar. Arregalei os olhos. Mirei de soslaio para comprovar quem era. Sim, era Clarencio.

Virei a cara totalmente mirando para ele. 

Clarencio: Ryan... - Clamou formando uma expressão de ódio. 

Temi vê-lo assim, era a primeira vez. Estava assustado. Meu coração bateu forte no peito e minha boca gelou. Meu instinto de sobrevivência apitou. Eu queria fugir dali. 

Ryan tomou minha frente, me escondendo atrás de suas costas. 

Ryan: Não viu que a enfermaria tá ocupada? Que tal vazar daqui?

Clarencio: O que vocês estavam fazendo?!

Ryan: Pensei que só o Jeff fosse cego. Não se ligou que estávamos transando? 

Clarencio: Jeff... É verdade?!

-... 

Ryan: É claro... Agora vê se não enche o saco. 

Clarencio: Jeff, pensei que estavamos namorando!

Ryan sorriu de canto. - O Jeff não namora caras bonzinhos. 

Clarencio caminha com passos pesados até Ryan. Eu pressenti perigo, mas estava tão pasmado que não consegui me mover.

Vi o loiro socar o rosto de Ryan numa brutalidade que não combinava com Clarencio. Ryan não conseguiu se defender do primeiro soco, mas no segundo virou o jogo. Empurrou Clarencio com força contra a parede. O segurou pela gola da blusa e esmurrou o loiro. Clarencio recebeu o soco, e em seguida deu uma joelhada forte nas costelas do punk que o fez retrair para trás.

Clarencio: RYAN! VOCÊ É UM CRETINO! 

Ryan gargalhou de rir. - É o que sempre escuto depois de transar com o teu "namorado". - Cassoa.

Lacrimejei de vergonha. - Não... Clarencio... Eu... - Tentei falar algo, mas as palavras certas não apareciam em minha mente.

Ele dois continuaram a bater um no outro.

Eu não queria ser platéia disso. Aliás, não quero que eles façam isso! É minha culpa! Eu quem deveria apanhar!

Levantei da mesa. Fui até os dois. E tentei me meter entre eles. - PAREM! CHEGA! SE TEM ALGUEM PRA APANHAR AQUI SOU EU! - Gritei alto, chamando a atenção dos dois.

Clarencio puxou meu braço com força, e levantou o punho, pronto para me bater. Fecho os olhos esperando o ataque. Contudo Ryan arrebenta um murro no abdômen de Clarencio que o faz me largar.

Ryan: Só quem pode bater nesse nerd sou eu! - Advertiu. Então me puxa para seus braços, e me abraça forte. - Fica fora disso, Jeff. - Sussurra no meu ouvido. Seguidamente me joga no chão. Eu caio de bunda. Clarencio tenta vir pra cima de mim, mas Ryan me defende e recebe mais socos e deposita alguns.

Se querem saber, Clarencio tava tão violento que estava mil vezes mais forte que Ryan. 

Nunca reparei antes, mas o loiro é mais alto que Sumo. Inclusive, é mais músculoso. Nunca pensei que Clarencio, alguém tão calmo e pacífico seria tão habilidoso na luta. 

Ele joga Ryan no chão e começa a chuta-lo nas costelas. Seguidamente o ergue e lança contra uma mesa de madeira. A mesma quebra totalmente com a aterrissagem do punk.

Levantei do chão. - PARA COM ISSO, CLARENCIO! OU EU CHAMO O DIRETOR! - Ameaçei.

Contudo isso atraiu a atenção do loiro e ele veio em minha direção. 

Eu tremi de medo. Se ele fez tudo aquilo com o Ryan... O que ele fará comigo?!

Ele para, ficando à centímetros de distância de mim. Eu fico cabisbaixo e segurando-me pra não mijar nas cueca.

Clarencio: Só me diz uma coisa! -Falou entredentes.

Clarencio: OLHA PRA MIM QUANDO EU FALAR COM VOCÊ! - Berrou.

Ergui o rosto e o encarei. Uma lágrima escorreu em meus rosto. A lágrima que não consegui segurar, mesmo que quisesse com todas minhas forças.

Clarencio: O que sente por Ryan Sumozky?!

Liberei o choro. 

Clarencio: FALA! - Gritou.

- AMOR!... Eu amo ele... - Respondi entre soluços. 

Mirei para Clarencio, ele estava decepcionado com minha declaração. Pude sentir em seus olhos que ele não esperava ouvir aquela resposta de mim. Me senti pior do que estava, se é que isso é possível. 

Clarencio assentiu com a cabeça e liberou uma lágrima. 

Ryan: Perdeu, otario! - Falou do caixão em que estava. Clarencio acabou com ele.

Clarencio bufou de ódio. Caminhou até Ryan pra bater de novo nele. Eu corri e tomei sua frente. - OLHA... Ele pode ser um filho-da-puta, mas por favor... Pará de bater nele! - Imporei.

Clarencio assentiu. Súbito ele avança pra cima de mim, e deposita um beijo em minha boca. Eu arregalo os olhos e congelo.

Foi intenso e profundo. O empurrei e desfiz o beijo. - PARA! EU NÃO QUERO!

Clarencio: Isso foi meu adeus... - Declara.

Eu engulo a seco mirando para ele. 

Clarencio: Eu nunca mais quero te ver! Você me magoou muito, Jeffrey... Não faz ideia!

Ryan: Azar o teu, otario!

Clarencio: manda esse idiota calar a boca antes que eu arranque os dentes dele!

- Cala boca, idiota! - Falei mirando para Ryan que tava meio morto.

Clarencio: Esqueça o meu número! E vê se não cruza meu caminho de novo! - ameaça. Seguidamente vai até a porta e passa, deixando-me sozinho com Ryan.

Ele não merecia ter descoberto isso dessa forma. Eu deveria ter contado a ele desde o início. 

Ryan: Vem aqui, e cuida de mim. - Orientou.

Vou até o armário e pego um kit de primeiro socorros. Caminho até o desgraçado e sento do seu lado. 

Ryan: So pra esclarecer, eu deixei ele ganhar! - Fala, com aquele tom de mentiroso na voz.

- Ryan... - Clamo mirando para ele. Algumas lágrimas desceram de meus olhos.

Ele senta no chão com muita dificuldade. - O quê?

- Só uma vez... Tenta ser sincero sobre o que aconteceu aqui... Sobre você ter me defendido e apanhado tanto... Me diz que eu fiz a escolha certa. - Peço. 

Ryan levanta do chão. Penso que fez isso para fugir da minha pergunta é voltar pros amiguinhos dele no refeitório, mas não. Ele direciona sua mão para mim. - Jeff, nós dois sabemos que eu sou a escolha super errada, péssima, a pior de todas. Você deixou a escolha certa sair pela porta agorinha. 

Segurei sua mão, e ele me puxou para levantar do chão. Eu miro para ele.

- Você acha que eu devo ir atrás dele, então? - Questiono. Não que eu quisesse, só queria ouvir uma declaração dele... Seila... Ele nunca fala nada romântico pra mim. Eu realmente preciso disso!

Súbito o sino para o fim do intervalo soou. Penso se deveria voltar pra aula.

Ryan: Não. Eu apanhei muito hoje. Se quiser correr pra ele pedindo desculpas, faz isso depois. Agora você vai cuidar de mim. - Avisou.

DESGRAÇADO! FODA-SE SE ACHA QUE VOU CUIDAR DE VOCÊ! ESPERO QUE MORRA! - berrei.

Caminhei até a saída a passos pesados demonstrando meu ódio.

Ryan: Esperá. - Falou.

Essa simples palavras me fez parar onde estava. Acho que realmente sou idiota! O escutei rir e me odiei por ter parado.

Ryan: Sabe que eu sou um cretino, porque ainda espera algo de mim?

- Eu realmente não sei que bosta eu tenho na cabeça! - Retruquei. - Mas não consigo parar de escolher você, mesmo sendo a opção mais fulera de todas! - Finalizo. Miro para ele me segurando pra não chorar de vergonha.

Ryan: Eu também não transo com ninguém, menino ou menina, desde que te conheci. 

Corei muito. Isso foi a coisa mais romântica que já escutei. - Ryan... Eu quero namorar, e não ser só um caso pra você. Eu estou cansado disso. Quero algo sério e não brincadeira de criança. Se não está disposto a me dar isso então... acho que nem deveríamos tentar.

Ryan: Você exige de mais de mim. Somos só adolescentes, caramba! Você é muito sério! Viu? É por isso que fica chato ficar com você! Eu nem fiz 16 ainda é você já quer casar!

- CLARO! Eu não sou um qualquer! 

Ryan: DROGA! QUE COISA CHATA!  TÁ! VAMU NAMORAR DE UMA VEZ! VAMU CASAR TAMBÉM! IDIOTA! - Fala muito irritado.

- Sério?!

Ryan: SIM! Tanto faz! Tô de saco cheio! - Fala. Anda até minha e me puxa pelo braço. Me vira de costas, e me imprensa contra uma mesa. Ponho as mãos na mesa e empino o bumbum. 

Ryan: Pra celebrar essa idiotice, vamos transar.

- Eu... Não estou com clima pra fazer, Ryan. Acabei de perder um grande amigo. 

Ryan: Tá, mas eu tô com vontade.

- Você acabou de ser espancado! Não tá sentindo mais dor, não?!

Ryan: Tô, mas aguento. Não é minha primeira vez apanhando. 

Súbito o sinto desabotoar e seguidamente descer minha calça social. 

- Ryan... Aqui não. Eu quero fazer ao menos numa cama! - Protestei.

Ryan: Na próxima vez, fazemos. - Fala, abaixando minha cueca.

- É a primeira transa desde que me pediu em namoro... Sei lá... Isso deveria ser mais romântico.

Ryan: Tem coisa mais romântica que o meu pal dentro de você? E também, foi você que me pediu pra namorar você. Tá? 

- Ryan... Você não presta. - Falo com um ar decepcionado.

De repente sinto seus dedos adentrarem meu ânus sem pedir licença. Debruço meu peito contra a mesa.

Ele é um bruto!

 sinto seus dedos alargaram minha entrada com agressividade. Colo meu rosto na mesa contendo o choro.

Ryan: Tá tão quentinho dentro de você. Não vejo a hora de entrar.

- Você é nojento! 

Súbito o sinto penetrar o quarto dedo. Mordo meus lábios com força para conter os gemidos.

Massageio meu pênis para aliviar a dor lá atrás. 

Ryan: Vou te foder com tanto força que você vai precisar de uma bengala pra andar.

- Oh... Que romântico. - Reclamo.

Sinto-o retirar os dedos. Ele se ajoelha no chão e abocanha meu ânus. 

Arregalo os olhos e coro muito.

Aquele piercing gelado de sua língua invadiu meu ânus e lambeu gostoso.

Tremi de prazer. Só com isso, fiquei ereto. 

Ele estocou aquela língua dentro de mim depositando bastante saliva. Fui ao delírio. Massageei minha glande, sentindo pequenos orgasmos pelo corpo. - Ahhhhh hummmm ah ahhh

Súbito ele tirou a língua lá de dentro. Suspiro triste. Só que logo depois, Ryan penetrou seu pênis em mim até a base. 

Perdi a cabeça para trás e gemi alto de dor. - Ahhhhhhhh ahhhhhh

Ryan: Calma, ou alguém pode te ouvir. - Aconselha, então inicia as estocadas.

Droga! Me sinto um animal fazendo assim... Nós nem estamos nos olhando e ele está super agressivo. 

Lacrimejei.

Ryan continuou enfiando aquela coisa grossa em mim, mas a dor maior era nos meus sentimentos. Eu pensei que ser namorado fosse diferente, mas Ryan tem prazer em fazer eu me sentir mal!

Ryan: Que foi nerd? Tô fazendo com muita força?

- Sim, mas não é por isso que eu tô chorando... 

Ryan: Ah. - Fala, sem parar uma vez sequer de estocar.

- Eu quero te ver enquanto fazemos.

Ryan me virou. - Tá... Senta na mesa. - Mandou.

Obedeci. 

Ele afastou minhas pernas e empurrou a cintura entre elas. - Satisfeito?!

Contornei meus braços atrás de sua nuca e avancei meu rosto, o beijando.

Ele voltou a enfiar aquela torá no meu ânus e inicia as estocadas enquanto me beija. 

Meus gemidos foram abafados dentro de sua boca. 

Ele atinge um ponto dentro de mim que me faz gozar no mesmo instante. Sujo seu abdômen e o meu. Contudo ele não parou de penetrar. Eu enlouqueço. Fico de palduro de novo. 

Ficamos assim por tanto tempo que eu suei e minha língua cançou de se enrolar na sua. 

- Quanto tempo já se passou? Você não vai gozar nunca?! - Falei, já ofegante.

Ryan: Não sabe como é gostoso te foder, Jeff. Não quero parar nunca!

- É? mas acha que eu não tenho mais nada pra fazer Depois daqui?! Dá pra agilizar? 

Ryan: Não aja como se não estivesse gostando!

- Foda-se, Ryan!

Ryan formou um sorriso cínico nos lábios. 

Voltei a atacar sua boquinha safada, chupando aquela língua felina com vontade. O gosto dela era uma delicia!

Acaricio seu cabelo moicano enquanto nos beijamos.

Súbito ele goza dentro de mim, lotando meu canal com semem, que fez uma pressão enorme contra minha próstata e me fez ter orgasmos Absurdamente perfeitos. Gozei novamente.

Ofegante, deitei na mesa, completamente cansado.

Ryan guardou aquela coisa enorme que ele chama de pênis e abotoou as calças. Então se afasta de mim e segue em direção a porta. 

- Ei! Pra onde vai?! 

Ryan: Treino de futebol. 

Fico indignado. - Vai me largar aqui e ir pra um treino idiota de futebol?! 

Ryan: Se quiser vir. Talvez as líderes de torcida te aceitem de volta.

- Não! Obrigado! Tenho mais o que fazer que ficar torcendo pra você!

Ryan: Você quem sabe. - Fala. Seguidamente passa pela porta e sai.

Minha escolha errada é um desgraçado!


Notas Finais


Ryan aceitou Jeffrey como namorado. Clarencio foi embora. Belson ainda tá afim do Jeff, Gumball e Marshall estão se pegando no banheiro masculino tipo, muito!!!!
Será que essa fanfic promete mais treta? Acompanhe!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...