História Always Accomplices - Capítulo 66


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cúmplices de um Resgate, Giovanna Chaves, João Guilherme Ávila, Larissa Manoela
Personagens André Alencar, Benjamin, Isabela Junqueira, Joaquim Vaz, Julia Vaz, Manuela Agnes, Mateus Jardim, Omar Ferraz, Priscila Meneses, Regina Junqueira, Sabrina, Téo Cavichioli
Tags Judre, Mabrina, Majo, Primar, Teobela
Visualizações 120
Palavras 5.322
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Festa, Musical (Songfic), Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 66 - ANDRÉ?


Horas estavam passando, já era umas oito e meia. Nada de sinal de vida da minha comida nem de eu sair daqui. Presisava pedir ajuda a alguém só não conseguia.

                                                       MANUELA NARRANDO:

Estava em um canto conversando com o Joaquim. Minha mãe estava se despedindo da turma, pois a Priscila, Omar e Mateus já estavam indo embora.

-Joaquim, vamos – Julia chamou o Joaquim fazendo ele olhar para ela.

-Perai Julia – Disse olhando para ela e voltou a olhar para mim – Bom, até amanha – Disse sorrindo para mim

-Dormi aqui hoje? – Pedi olhando para ele.

-Melhor não, sua mãe não vai deixar e eu não trouxe nada de roupa – Disse olhando ao redor da sala.

-Então faz o seguinte, eu vou pedir para a minha mãe, ai você vai na sua casa com a Julia pega umas peças de roupa com a sua mochila para você ir pro colégio e pede para a sua mãe. Porfavor – Implorei fazendo biquinho.

-Ta – Revirou os olhos não resistindo – Se a sua mãe deixar – Disse olhando para mim.

-Mãe – Chamei ela e ela olhou para mim. – o Joca pode dormir aqui hoje? Porfavor mãezinha – Pedi olhando para ela e com um biquinho.

-Claro filha – Disse sorrindo e eu sorri voltando a olhar para o Joaquim.

-Ta então eu vou na minha casa, pego a minha mochila e volto aqui – Disse indo até o pessoal de mãos dadas comigo.

-Ok – Disse a Julia com um sorriso. – A Sabrina vai dormir em casa – Disse se gabando fazendo Sabrina rir.

-Ta legal – Joaquim disse fazendo um jonhia.

Todos já foram embora, então eu subi para o meu quarto arrumar minha mala para amanha. Entrei no quarto e fui logo para o closet pegar a minha mala.

                                              JOAQUIM NARRANDO:

Cheguei em casa e não encontrei ninguém na sala, subi direto pro quarto da minha mãe o encontrando na cama com o Adam o beijando mas com a tv ligada.

-Mãe? – Chamei fechando a porta, ela parou de beijar ele se assustando e olhando para mim.

-Oi Filho, que bom que já chegou – Disse com um sorriso se apoiando com os cotovelos na cama

-Oi Adam – Falei comprimentando ele com um sorriso, na verdade, meio sorriso.

-Oi Joaquim –Ele disse com um sorriso.

-Mãe, então eu vou dormir na casa da Manu ok? – Perguntei olhando para ela que assentiu e sorriu.

-Desculpe me intrometer mas Manu? – Ele perguntou curioso.

-Manuela, minha namorada – A informei - porque? – Perguntei confuso

-Nada não – Adam disse meio estranho.

-Então tchau mãe e tchau Adam, até fim de semana – Falei aproximando da minha mãe e dando um beijo no rosto dela, ela retribui o beijo e eu sai de lá o deixando sozinhos. Fui para o meu quarto e entrei indo direto pro banheiro.

Minhas malas já estavam prontas com roupa que eu ia levar para o colégio, meu notbook, meu carregador – O portátil e o de fio –, meu desodorante, meu perfume, minha escova, e minha peça de roupa para a casa da Manu. Dou um sorriso e pego minha mochila botando nas costas, fui até a porta e abri saído de lá e trancando com a minha chave. Desci as escadas chegando na sala e encontrando Julia e Sabrina. Me despeço das duas e saio de casa, encontro o motorista me esperando em frente de casa com um carro branco e entro no carro. Depois de uns minutos, chego no apartamento e entro indo direto para a recepção.

-Por favor, casa da Olivia Smith – Falei com gentileza e eles pegam o telefone e ligam para lá me anuciando, fico esperando até que a moça me da a autorização para ir, ando até o elevador e entro quando abre, anucio em que andar que eu vou. Vejo um espelho e arrumo meu topete tirando o gorro vermelho, guardo o gorro e saio do elevador quando abre no andar. Saio e vo para o numero da casa, aberto a campanhia e a Marina me atende me dando espaço para entrar, encontro a Olivia conversando com a Glória, as duas estavam sentadas no sofá, Glória com not em cima das pernas e Olivia do seu lado com algumas folhas na mão. Marina já tinha subido as escadas.

-Oi Joaquim – Disse Glória com um sorriso, eu dei outro. Olivia me olhou com um sorriso.

-Joca já pedi para a Siena e Marina arrumarem o quarto de hospedes, mas se quiser dormir com a Manu, pode dormir também tá – Olivia disse com um sorriso malicioso.

-Ok – Digo meio envergonhado.

-Passou o dia comigo e ta com vergonha ainda? – Perguntou olhando minha cara que deve estar vermelha.

-O Olivia, olha o sorriso que você deu também né – Disse a Glória me defendendo.

-Tá – Olivia disse revirando os olhos, eu ri. – Amanha quero ver você animado e sem tal de vergonha – Disse olhando para mim

-Pode deixar Sogra – Digo sem mostrar nenhuma vergonha.

-Assim que eu gosto, a Manu esta no quarto que é do lado da Isabela – Disse e eu arregalhei os olhos.Como eu vou saber onde é o quarto da Isabela?

-Olivia, como ele vai saber o quarto da Isabela? – Perguntou Glória olhando no notbook.

-Ai tá – Disse meio nervosa olhando para a Glória. – DAMIÃO – Gritou olhando para a sala de jantes que apareceu um homem meio careca que estava usando óculos.

-Que foi Patroinha? – Ele perguntou olhando para ela – Perdão, Patroa, é que eu confundo – Corrigiu, eu ri.

-Leve o Joaquim para o quarto da....

-Não precisa disso Olivia, só disse que a porta do quarto da Manu é a segunda a esquerda, pronto – Glória disse bufando.

-Ta bom Glória Sabedora de tudo – Olivia disse revirando os olhos e ri junto com Damião e Glória.

-Então eu to subindo – Falei e começo a subir as escadas. Ao chegar lá em cima, tinha que procurar o quarto de hospedes, começo a andar pelo aquele enorme corredor a procura do quarto de hospedes. Encontro a Marina saindo de um quarto e aproximo dela para perguntar. – Marina, você sabe onde é o quarto de hospedes? – Perguntei olhando para ela. Mas que burro, logico que ela vai saber né? Ela trabalha aqui.

-É aqui mesmo – Disse abrindo a porta do quarto com um sorriso. – Fique avontade – Disse e saiu, eu entrei no quarto vendo uma mulher arrumando a cama.

-Oi – Digo meio tímido aproximando da cama.

-Oi, prazer Siena, você deve ser o tal Joaquim, namorado da Manu – Disse com a sua voz meio que escandalosa. Eu assenti sorrindo – Então já termino aqui – Disse voltando a arrumar.

-Eu só vim deixar a minha mochila, pois já estou indo pro quarto da Manu – Falei tirando minha bolsa das costas.

-Então pode deixar ai mesmo – Disse com um sorriso simpático. Eu puis minha mochila na cama, ela assentiu em aprovação e eu dei meia volta saindo de lá.

                                          MANUELA NARRANDO:

Estava terminando as minhas malas no meu quarto, sendo especifica, estava na penteadeira – Que era enfrente a minha cama- pegando as minhas maquiagens. Ouvi duas batidas na porta e gritei um “Está Aberta”.

-Oi Manu – Ovi aquela voz doce e olhei para porta, era o Joaquim, que estava fechando a porta com um sorriso.

-Oi Joca – Digo indo até a minha mochila que estava em cima da cama com maquiagens na mão, guardei na maletinha e olhei para ele que estava sentado na cama.

-Arrumando para amanha? – Perguntou olhando para a minha mala que estava cheia de roupa.

-Claro, não sou que nem a Isabela que deixa para a ultima hora – Falei rindo e ele riu. – Que horas são? – Perguntei olhando para ele que estava com o celular na mão.

-Nove e quinze – Disse olhando pela tela de celular e eu arregalhei os olhos.

-Já? Meu Deus – Digo fechando a maletinha. Ele olhou pelas coisas que estava jogada na cama e riu. Eu dei meia volta e voltei para o meu closet, vi o meu quadro de anotações e estava escrito “Quarta-Feira”. Eu dei um sorrio e fui para o meu banheiro, abri meu armarinho e peguei meu pacote de absorvete nortuno e o normal. Voltei para o meu quarto e joguei meus dois pacotes na cama voltando para o meu closet e abrindo uma parte do meu guarda roupa pegando um casaco preto. Pois esta no inverno né. Voltei para o meu quarto e vi o Joaquim com um pacote de absorvete na mão, ele estava lendo.

-Nunca soube como funciona isso – Disse não tirando a atenção do pacote.

-Como assim? – Perguntei aproximando da minha bolsa e dobrando meu casaco.

-Sei lá também, não sei como vocês colocam isso – Disse rindo.

-Ata, então é melhor você não entender – Digo rindo e colocando o casaco na bolsa. – Me da o pacote? – Pedi estendendo a mão me referindo ao pacote, ele me olhou e me entregou se levantando. Abri minha maletinha e puis meus dois pacotes depois fechei. Ele aproximou da cômoda e pegou o meu caderninho.

-Diario? – Perguntou mostrando o cardeninho.

-Não, na verdade quase, é um caderninho de musica – Digo dando um sorriso. –Mas não deixo ninguém mexer, pois é um dos meus tesouros, sinta feliz – Digo sorrindo.

-Ual, minha namorada além de massagista, dançarina, cantora é compositora também – Disse surpreso.

-Eu não sou tudo isso – Falei rindo.

-Que seja, posso ver suas musicas? – Perguntou olhando para mim e eu assenti. Ele sentou na cama e abriu o cardeninho. Eu voltei a fazer oque estava fazendo, arrumando a minha mala. – Você fez essa pro Frankie? – Perguntou olhando para mim.

-Qual? – Perguntei mexendo na minha mochila.

-Você já deveria Saber? – Perguntou me olhando e eu a olhei e assenti.

– Gostou? – Perguntei referindo a letra.

-Você lacra nas letras – Disse e voltou a prestar atenção nas letras. – Faz tempo que você compõe? – Perguntou foleando as paginas.

-Desde criança – Digo sorrindo. – Agora me da o meu caderninho para mim guardar na minha mochila – Pedi estendo a mão.

-Toma – Disse fechando e dando na minha mão. Eu guardei na minha bolsa e olhei para a minha pratilheira.

-Vida, pega meu livro lá na pratilheira por favor? Não alcanço lá – Pedi olhando para ele que se levantou, deu a volta e foi para lá, a pratilheira era do outro lado do quarto.

-Qual você quer? – Perguntou olhando nos livros e verificando.

-A Elite da Seleção – Digo olhandio para ele que pega e aproxima de mim com o livro de mim, ao chegar próximo, ele me da um selinho de surpresa e me entrega o livro sentando na cama. Guardei meu livro na mochila e fechei.

-Estou no mundo, descobrindo a Manuela – Disse rindo e eu ri.

-Pronto, amanha termino – Digo colocando a mochila com a minha maletinha no chão.

-Tem mais ainda? – Perguntou supreso e eu assenti.

-Tem meu not, meu carregador, minha escova – Digo olhando pro nada e pensando.

-Tendi – Disse jogando seu corpo para trás e deitando na cama.

-Vou ir tomar um banho – Digo e vou para o closet, pego meu pijama, que não é um pijama, só é um short de dormir e uma camiseta preta grande que ia até 5 dedos do meu joelho.

Sai do banho vestida e encontro Joaquim deitado na minha cama com a cintura para cima encostando na cabeceira da cama e mexendo no celular e sem camisa.

-Eai – Digo engatinhando na cama e indo pro lado dele, deito igual ele ao seu lado e ele me abraça de lado.

-Você sente saudades do seu pai? – Perguntou do nada me olhando me fazendo pensar.

-Mais ou menos, aquele homem já fez tanto mal a minha família que até me da calafrios ao falar dele – Digo olhando para ele – Mas depois de tudo, eu sinto falta dele– Continuei e ele abaixou a cabeça– Hey, não fique assim amor – Levantei a cabeça dele. – Eu to com você – Digo dando um sorriso vendo ele dar um sorriso e ele me beija de surpresa e eu retribui botando meus braços em volta do seu pescoço e aprofundando o beijo. Paramos o beijo e ele me olhou sorrindo

-Te amo – Disse em um sussurro e eu abri um sorriso com os olhos fechados.

-Tambem te amo – Digo e voltamos a nos beijar.

Nós estavamos na mesma posição mas conversando e rindo das coisas.Estava embaixo do endredom. Ele tinha me falado que tinha adorado a minha mãe e eu falei alguns defeitos dela, que ela tem amnésia. Mas que é legal. Até que começou uma trovoada e eu me assutei sentindo o medo percorrer ao meu corpo.

-Joca- Sussurrei a abraçando e ele me abraçou.

-Oque foi? – Perguntou confuso mas de um jeito meigo. Sai do seu abraço já com lagrimas escorrendo em meu rosto.

-Isso Joaquim – Digo apontando para a chuva

-Você tem medo de trovão? – Perguntou rindo da minha cara e eu dei um tapa no seu ombro em reprovação.

-Não ri seu besta, é sério – Digo olhando para ele limpando as lagrimas.

-Ta- Revirou os olhos.

-Dormi comigo hoje? Não consigo dormir sozinha com isso – Pedi de um jeito meigo.

-Ok vida – Disse me abraçando de lado e dando um beijo na minha cabeça.

-É estranho isso sabia? – Disse me deitando em seu peitoral tentando esquecer da chuva.

-Oque? – Perguntou confuso fazendo cafuné na minha cabeça.

-Você cuidando de alguém assim, nunca imaginei isso – Falei soltando um sorriso.

-É, esse é meu outro eu. Adoro cuidar de quem eu amo – Disse continuando o cafuné.

-Mas é estranho, ex-pegador cuidando da namorada como se fosse única – Falei rindo e ouvi risos dele também.

-Mas você é, ta ficou meio meloso isso, mas é a verdade – Disse e eu olho para ele levantando a cabeça. – Mas não vamos lembrar do tempo que eu era o pegador não – Pediu olhando para mim.

-Porque? – Perguntei confusa –Você não gostava?

-Eu gostava mais me lembra uma coisa que fez a gente brigar – Disse me fazendo lembrar da Maisie gravida, eu fiquei de joelhos na cama de frente para ele e olhando.

-Maisie Grávida – Sussurro para mim mesmo com um semblante triste. – Ela ta mesmo? – Perguntei olhando para ele

-Bom, ela fala que sim, mas eu não confio nela.- Disse olhando para mim com um sorriso. – E eu sei que você vai falar que tem exame mas...

-Não – Interrompi ele – Pensando bem, eu confio em você e vou deixar você provar que é mentira – Digo dando um sorriso vendo ele dar outro, mas fecho logo – Porque se não ser, eu arranco esse negocio que você tem entre as pernas – Ameaço e ele poe a mão no membro dele com medo, eu ri – Zuas – Digo voltando a deitar em seu peitoral.

-O bom desse assunto é saber que você esqueceu seu medo- Disse rindo e eu ri. – Agora vamos dormir antes que você volte a chorar. – Disse deitando completamente na cama e eu fiz o mesmo mas deito em seu peitoral. – Boa noite vida – Disse dando um beijo na minha cabeça

-Boa noite – Falei fazendo círculos imaginários em seu peitoral até meus olhos pesarem e eu dormir com o cafuné do Joaquim.

Acordei com a luz do dia, me despreguiço me sentando na cama ainda sonolenta.

-Bom dia – Disse um serzinho maravilhoso encostado na parede apenas me olhando.

-Bom dia amor – Falei com um sorriso. Olho para ele, ele estava todo arrumado com seu maravilhoso topete. E eu devo estar um leão, com o cabelo todo bagunçado.

-Você vai se arrumar primeiro ou tomar seu café da manha primeiro? –Perguntou sentando na cama

-Vou me arrumar primeiro – Falei me levantando da cama

-Ok, então vou descer, te encontro lá embaixo – Se levantou e saiu com seu celular na mão. Eu fui até a porta e abri vendo ele no corredor andando.

-Ei, psiu – Chamei e ele olhou para trás me vendo, peguei o dedo e chamei ele, ele se aproximou e eu beijei ele deixando surpreso mas correspondeu me colando na parede, curvei o corpo só encostando a minha cabeça.

                                                  ISABELA NARRANDO:

Sai do meu quarto e encontro o casalzinho se pegando no corredor. Manuela estava apenas com uma camiseta preta que ia até o joelho, enquanto Joaquim estava vestido adequadamente. Não estava de uniforme, mas não estava relaxado igual a Manuela.

-Vai se trocar desgraça – Digo passando por eles fazendo eles pararem de se beijar.

-Vai ti catar Isabela – Manuela falou em um tom bricalhão fazendo eu rir, olhei para ela e mostrei o dedo do meio, ela não falou nada, apenas voltou a beijar Joaquim. Manuela sabia que era uma bricadeira. Eu bufei e desci as escadas encontrando apenas a minha mãe tomando café. Aproximo da mesa e sento do seu lado, ela estava no topo da mesa.

-Bom Dia- Disse alegramente feliz, como sempre.

-Bom dia – Digo olhando que tinha mesa.

Bom tinha, bolo de cenoura com corbetura de chocolate, torradas, pão francês –em um cestinho-, NUTELLA – oque não podia faltar -, suco de laranja – como sempre- requeijão, manteiga, café e pudim.

-Cadê a sua irmã? – Perguntou olhando ao redor.

-Ta lá em cima desarrumada, no corredor se pegando com o Joaquim – Digo rindo e ela riu.

                                                    MANUELA NARRANDO:

-FILHA VAI SE ARRUMAR PARA TOMAR CAFÉ, E JOAQUIM VEM TOMAR CAFÉ – Chamou a minha mãe gritando e eu parei o beijo com o Joaquim rindo.

-Então, eu acho melhor você ir se arrumar – Disse me dando um selinho e me soltando, ele deu meia volta e começou a ir em direção a escadas.

-Vida, vou com você – Digo pegando na mão dele e fomos em direção a escada de mãos dadas, desci um degrau na frente dele, sem desfazer a mão dada. – Bom dia família – Digo alegre terminando de descer as escadas. Nós andamos até a sala de jantar e minha mãe convidou o Joaquim para sentar, ele fez e eu fiquei de pé ao lado da Isabela olhando para a mesa.

-Não vai se arrumar filha? – Minha mãe perguntou tirando a minha atenção e eu olhei para ela

-Já estou arrumada – Brinquei olhando para ela com um sorriso, Isabela e Joaquim riram.

-Duvido você ir assim Manu – Minha irmã falou olhando para mim e eu a olhei.

-Qual é o problema? – Digo cruzando os braços.

-Nada não, mas você não vai assim – Disse com um sorriso olhando para mim

-Verdade, não tenho coragem – Falei voltando olhar para a mesa – Que mesa em.

-Ta vendo maninha, quando não tem visita, a mesa não é assim – Minha irmã falou olhando com um olhar mortal para a minha mãe.

-Olha, é assim sim, só pedi para fazer um pudim – Minha mãe se defendeu.

-Ta, agora eu vou comer – Disse dando um passo mas Isabela me segurou.

-Espera ai desgraça, senta aqui – Disse me puxando para sentar no colo dela, assim eu fiz e ela me abraçou por trás. – Dormiu bem essa noite linda? – Perguntou de um jeito meigo botando uma mechado meu cabelo para trás, estranhei, ela nunca me tratou assim. Apenas assenti.

-Isabela, você ta bem? – Perguntou Nick aparecendo –do nada- na sala de jantar.

-To, porque? Não posso tratar a minha irmã desse jeito mais? – Perguntou olhando para o nick com um olhar mortal, ele apenas levantou a mão se rendendo. – Ela dormiu bem mesmo Joaquim? – Perguntou olhando para o Joaquim que estava tomando um gole de suco, ele deixou o copo na mesa e assentiu. – Obrigada por cuidar da Manu, o Nick ia lá atormentar, mas impedi pois sabia que você já estava lá – Disse e olhou para mim com um sorriso. – Agora vai lá comer – Disse me fazendo levantar e dei a volta sentando ao lado do Joaquim na mesa.

-Vocês dois dormiram bem? – Perguntou minha mãe com um sorriso malicioso fazendo eu corar e ouvia risos do pessoal.

-Sim Sogrinha – Disse Joaquim e eu olhei com um soriso para ele. – Só a Manu que chorou mas consegui acalmar – Disse olhando para mim.

-Normal, ela sempre chora quando tem trovão – Nick falou sorrindo.

-Ta, chega, vamos comer – Digo tentando encerrar esse assunto.

Já estava na sala esperando a Isabela arrumar a mala dela, eu já estava arrumada. Vestia uma blusa azul escuro –de lã- com manga e soltinha – a blusa era mais ou menos brilhante e era maravilhosa, e também estava caída no ombro esquerdo –. Uma calça jeans branca rasgadinha e nos pés usava uma sapatilha do mesmo tom da blusa mas era brilhante. Meus cabelos estavam soltos e extremamente lisos. Usava uma maquiagem básica, rímel, lápis e um batom rosa escuro, quase vermelho.

Joaquim usava uma calça jeans com estampa clara, uma regata preta com manga curta – dando destaque a seus músculos maravilhosos -. Um tênis da Nike preto e seus cabelos com seu típico topete maravilhoso.

Isabela desce as escadas –com sua bolsa preta-interrompendo meus pensamentos fazendo eu parar de mexer no meu celular, Joaquim também mexia no celular. Eu me levantei pegando a minha mochila e botando no meu ombro direito.

-Aleluia né Isabela? Já ia atrás para ver se você estava trancada no quarto ou se desmaiou – Digo olhando para ela que estava se aproximando, ela ri.

-Exagerada – Disse rindo. – Então, vamos? – Perguntou indo até a porta. Ela não vai me xingar? Minha irmã esta de bom humor. Olhei para o Joaquim tipo “Oque deu nela?” e ele deu de ombros sussurrando um “Não sei” e se levantando. Ele pegou sua mochila e saímos de casa, comigo fechando a porta.

Geralmente Isabela traz três malas enorme para casa, mas esse fim de semana ela não trouxe por causa do tempo e eu consegui convencer. Então por isso ela não gritou pro damião pegar sua mala, ou pro Ofélio. Damião estava esperando na garagem com o carro.

Andamos de elevador até a garagem e Damião já estava nos esperando com um carro preto, ele estava encostando na porta mala olhando para nós. Avisamos um “Vamos” e entramos no carro, Isabela foi na carona, pois ai ela não ficava de “vela” atrás, eu sentei na janela e o Joaquim sentou no meio me abraçando com o celular na outra mão. Damião entrou e ligou o carro e osom. Começou a tomar “Loka” da Simone e Simaria, feat Anitta.

-Louca, louca, louca – Sussurrou Isabela junto com a musica.

-Cadê você? Que ninguem viu

Desapareceu, do nada sumiu.

Está por ai, tentando esquecer

O cara safado que te fez sofrer

Cadê você? Onde se escondeu?

Porque só você? Ele não te mereceu.

Insiste em ficar em cima desse muro.

Esperando a mudança que não tem futuro.

Deixa esse cara de lado, você apenas escolheu o cara errado.

Sofre no presente, por causa do seu passado.

Doque adianta chorar, pelo leite derramado?

Põe aquela roupa e o batom.

Entra no carro, amiga aumenta o som.

E bota uma moda boa, vamos curtir a noite de patroa.

Azarar os boys e beijar na boca, aproveitar a noite e ficar louca.

E bota uma moda boa, vamos curtir a noite de patroa.

Azarar os boys e beijar na boca, aproveitar a noite e ficar louca.

Esquece ele e fica louca, louca, louca.

Agora chorar no colo da patroa.

Louca, louca, louca.

Esquece ele e fica louca, louca, louca.

Agora chorar no colo da patroa.

Louca, louca, louca.

Cadê você? Que ninguem viu

Desapareceu, do nada sumiu.

Está por ai, tentando esquecer

O cara safado que te fez sofrer

Cadê você? Onde se escondeu?

Porque só você? Ele não te mereceu.

Insiste em ficar em cima desse muro.

Esperando a mudança que não tem futuro.

Deixa esse cara de lado, você apenas escolheu o cara errado.

Sofre no presente, por causa do seu passado.

Doque adianta chorar, pelo leite derramado?

Põe aquela roupa e o batom.

Entra no carro, amiga aumenta o som.

E bota uma moda boa, vamos curtir a noite de patroa.

Azarar os boys e beijar na boca, aproveitar a noite e ficar louca.

E bota uma moda boa, vamos curtir a noite de patroa.

Azarar os boys e beijar na boca, aproveitar a noite e ficar louca.

Esquece ele e fica louca, louca, louca.

Agora chorar no colo da patroa.

Louca, louca, louca.

Esquece ele e fica louca, louca, louca.

Agora chorar no colo da patroa.

Louca, louca, louca. – Eu e Isabela cantava feito loucas no carro e Damião junto com o Joaquim só observava. Até fizemos os nomes das cantoras em sussurros no final, quando acabamos rimos para cacete, depois o carro voltou a ficar em silencio absoluto. Começou a tocar “Na sua Estante” da Pitty, amo essa musica. Começei a cantar só que em sussurros e olhando a vista na janela. Pitty é uma das melhores cantoras da MPB –Musica Popular Brasileira-, ela fez uma musica na ditatura militar, chamada “Calice”, muito bom essa musica também. “Feridas que não se fecham, não se curam” essa frase é verdade, meche muito comigo essa musica, não por causa do Joaquim, mas por causa do Frankie.

Depois que acabou essa musiquinha maravilhosa, tocou uma em inglês, “7 Years” do Lukas Graham. Cantei em inglês acompanhando a musica mas em sussurro. Minutos depois chegamos ao grande colégio, saímos do carro e pegamos nossas mochilas, eu puis no ombro junto com a Isabela, Joaquim já carregava na mão. Fechamos a porta do carro e aproximei do Portão já vendo Priscila, Julia e Sabrina lá.

-Amiga – Priscila disse alto me abraçando enquanto Isabela comprimentava a Sabrina. Nós estavamos feito loucas, uma abraçando outra. Depois Julia pulou em mim enquanto Priscila pulava na Isabela como se nós não se vessemos a anos.

Depois de comprimentar todos, entramos no colégio, Joaquim ficou lá esperando os meninos. Fomos direto pro nosso quarto, ao hegar lá, arrumamos nossas coisas conversamos animadamente. Depois cada um entrouno banheiro e se arrumou para ir no auditório, pois o senhor diretor ira dar um recado.

-Boa Tarde meninos e meninas – Disse o Diretor no palco.

Eu estava sentada no fundo com as meninas – Julia, Priscila, Isabela e Sabrina- e os meninos – Joaquim, Téo, Omar e Mateus-. André tinha se afastado então sentou na frente com o Jonatas, eu não entendi muito bem, mas deixei quieto, talvez brigou com os meninos.

-Estou aqui para falar sobre as nossas aulas, mas antes quero falar de outra coisa, a Manifestação, esta certo que vocês querem liberdade, mas não sera mais permitido isultar a escola assim. – Disse e eu discordei, nós nem insultamos. Nós só queriamos liberdade. Ele começou a falar de como é uma falta de respeito, como funciona a escola período integral, que tem que ser bem vista e blá blá blá. Mas depois chegou ao ponto – Eu quero informar as mudanças, Não haverá mais troca de salas – Deu ênfase no “não” – porque isso esta havendo uma bagunça, alunos saem da sala para ir para outra e as vezes não sabe que sala é, e bagunça todos os anos, exemplo 1°A com o 1°B e assim por diante, então os alunos agora irão ficar na sala de aula esperando o professor e a sala do 1°A sera sempre 1°A não ira mudar os alunos para outras salas, o mesmo para todas as salas. É só isso. – Disse depois de tanto tempo, comemorei junto com pessoal, estava cansada de ficar trocando de aula e agora iremos ficar mais juntos, não haverá mais de eu ir sozinha –já fui um dia- para a outra aula – A sala terá a mesma aula para todos. Agora eu estou com as listas das salas na mão e mudei algumas pessoas de lugar. Vou falar a sala de cada um, começando pelo 1°A. André Prescott, Ana Paula Guimarães – Começou a falar um monte de nomes –Isabela Smith- Isabela comemorou.Voltou a falar o monte de nome –Joaquim Scott– Disse e ele comemorou com A Isabela– Julia Scott–Julia comemorou com o Joaquim e Isabela. – Manuela Smith – Disse e eu comemorei junto com Isabela, Julia e Joaquim. – Marian Payner Gomes – Disse e eu olhei para ela e sorri, ela retribuiu. – Priscila Madison – Disse e Priscila comemorou comigo, Omar nos olha decepcionado, pois já tinha passado a letra do nome dele e nada, nem do Mateus. – Téo Moon – Téo olhou para nos com um sorriso e decepcionado para o Omar e Mateus. Depois eles falaram mais alguns nomes e não apareceu do Omar, Mateus e Sabrina, os três ficaram no B.

Nós estavamos em uma roda no jardim sentados no mato, eu estava sentada no colo da Priscila.

-Não fiquem assim gente, vocês só vao mudar de sala – Disse Joaquim olhando para Mateus, Sabrina e Omar.

-Pelo menos Mabrina não foi separado, agora PriMar foi – Priscila disse olhando para Sabrina.

-Gente, vai dar tudo certo – Digo olhando para eles.

-E o André né? Parou de falar com nós – Disse Mateus mudando de assunto, dei graças a Deus por isso.

-Ele parou de andar com a gente – Disse o Omar.

-Será que ele ta escondendo algo e não quer falar com a gente? – Perguntou Téo abraçado com a Isabela de lado.

-Eu não sei e to pouco se fudendo para ele – Disse Julia com uma grosseria se levantando – Gente como vocês são cegos, ele esta andando com o Jonatas – Jogou olhando para nós.

-Olha eu vi, mas deixei para lá – Digo mexendo na ponta do meu cabelo.

-Eu não acredito que o André esteja sendo falso com nós, talvez é só o Jonatas que atormenta ele – Joaquim disse olhando para Julia que bufou.

-Ta, vocês que sabe, tchau – Disse com raiva dando meia volta e saiu.

-Vou entrar – Digo se levantando e ajudo Priscila se levantar.

Estava no meu quarto, já era de noite, então tinha terminado as aulas, as meninas estavam andando por ai. Eu estava deitada na minha cama lendo o meu livro –A Elite- que era perfeito, amava esse livro.

-Que foi Julia? – Perguntei após Julia entrar no quarto chorando e deitar sentar na cama. Eu levantei da minha cama, puis meu livro que já estava fechado, na cama e puis meu chinelo, aproximei da cama dela e sentei ao seu lado. Limpei suas lagrimas e ela olhou para mim – É o André? – Perguntei olhando para ela preocupada e ela assentiu me abraçando, eu retribui fazendo um carinho na cabeça dela. Depois de um tempo no abraço ela sai do abraço.

-Não conta para ninguém? Muito menos para o Joaquim. – Pediu e eu assenti. Era horrível esconder coisa do Joaquim mas ia tentar. – Sabado de manha, eu estava indo beber agua, lembra que eu avisei? – Perguntou e eu assenti – Então no caminho eu encontrei o André conversando com o inimigo do Joaquim, o Jonatas. Aproximei para dar um “Oi” para o André mas ai eu acabei ouvindo a conversa, como nós dois estava aproximando mais esses dias, nós estavamos tendo uma amizade colorida, nessa conversa com o Jonatas, ele estava apostando que nós ia namorar. Eu me senti inútil, pois ele queria me namorar para depois me magoar com uma aposta ridícula e o pior é que descubro que o André e Jonatas são amigos, André estava traindo o meu irmão pelas costas. No sábado, eu joguei tudo na cara dele, por isso estava chorando. Ele também – Desabafou e eu fiquei de boca aberta. André tinha traído a amizade de Joaquim, apostado que ia namorar a Julia. Nossa, é muita coisa. Apenas abraçei a Julia, pois sabia que ela estava se sentindo mal.

Depois disso tudo, conversei um pouco com a Julia e consolei ela. As meninas chegaram e viram a cara da Julia inchada. Elas perguntaram oque aconteceu, então Julia não resistiu e contou toda a verdade. Elas ficaram de boca aberta quando acabou.

-Aaah não Julia, vamos ir lá quebrar a cara dele – Isabela disse indo até a porta.

-Verdade, eu também vou, vamos todas – Disse pegando na minha mão e fazendo eu levantar.

Olhei para a Julia e sussurrei um “Já volto”, sai de lá com as meninas e fomos para a Ala masculina. Chegando lá, nós entramos meio escondidas até chegar no quarto dos meninos, entramos lá que nem o furacão –Assustando os meninos- e eu fechei a porta.

-ANDRÉ? –Gritamos enfurecida uma do lado da outra com os braços cruzados.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...