História Always By Your Side - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alix Kubdel, Alya, André Bourgeois, Chloé Bourgeois, Félix, Gabriel Agreste, Jalil Kubdel, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mylène Haprèle, Nathalie Sancoeur, Nathanaël, Nino, Plagg, Sabine Cheng, Sabrina, Tikki, Tom Dupain
Tags Adrienette, Alyno, Miraculous Ladybug, Sofrimento
Exibições 189
Palavras 1.022
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Escolar, Poesias, Romance e Novela
Avisos: Mutilação, Nudez, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Desculpem-me a erros de escrita.

★ Boa leitura ★

Capítulo 1 - Chapter One


E lá estava ele, passeando, voltando para casa de uma sessão de fotos, para ser exata.
Estava um dia chuvoso, por volta das 16:43 da tarde, e jurava ele que já passava das 18:00 horas.
Ele passou pela praça, em baixo de seu guarda-chuva preto com bordas verdes neon que tanto usava e amava, por presente de sua mãe, antes de sumir de vez do mapa, ele estava lá, pensando na vida dele, até que ele olha para o lado.

"Mas oque.... Oque ta acontecendo ali?" foi isso que ele pensou quando viu aquela garota.

Ela estava sentada na faixa da calçada, na borda. Estava ensopada por conta da chuva que caía sobre seu corpo, a deixando cada vez mais molhada.
Ela usava um vestido branco, todo sujo, rasgado e ela estava descalça. Apenas se cobrindo do frio com o pequeno casaco vermelho com bolinhas pretas e com o capuz do casaco em sua cabeça, mas parecia bem fino para lhe aquecer do enorme frio que estava por lá, não estava conseguindo ver quem era, se reconhecia, qual era o seu rosto.
Ele se perguntava o por que dessa garota estava sozinha de baixo da chuva!

Ele então, se aproximou cuidadosamente da garota, ate chegar próximo o suficiente para escutar um pequeno choro, se perguntou então o porque dela estar chorando.

–An..olá, garota? –Ele tocou em seu ombro cuidadosamente, para não assustar a garota. Tentativa falha, ela se assustou, caiu no chão, que seu capuz caiu de sua cabeca, revelando seu rosto delicado.

–P-Por f-f-favor, n-não m-me m-machu-machuque... –Falou ela com medo do garoto, com medo de que fizessem mal a ela, de que batessem nela igual a várias pessoas faziam com ela.

–Você esta sozinha? -Ela assentiu com a cabeça em um sim. –Por que? –Falou ele, estava perguntando o por quê daquele delicado anjo estava fazendo na chuva, com perigo de pegar uma gripe.

–E-Eu f-f-fui a....abandonada. Meus pais me abandonaram aqui por perto. Ei, espera, porque está falando comigo??? Você vai querer fazer amizade comigo e me bater depois? Me espancar? É? –Falou ela assustada e com medo do garoto, que estava tentando processar o  porque da reação repentina da garota.

–Como assim te bater? Afinal, eu nunca levantaria a mão para uma mulher, eu fui muito bem educado a isso, senhorita! –Falou ele, confuso com tudo isso. –Qual seu nome, garota?

–M-Marinette. –Falou ela. -E você? -Completou.

–Adrien. Adrien Agreste. –Falou o garoto, agora, com dito o nome.

–A-Agreste??? Você é filho do G-Gabriel Agreste? Estilista famoso??? –Falou ela, impressionada com o nome que ouvirá da parte do garoto.

–An, sim. Porque? –Ela já ouviu falar dele, mas agora, quem nunca ouviu falar do jovem Agreste, não é mesmo? –Agora, vem, vou te tirar daqui, prometo que não vou fazer nada contigo, e nem deixar que nada te aconteça. –Falou ele se aproximando da garota.

–P-por que q-quer m-m-me a-ajudar? –Perguntou ela, com um pouco de medo e receio que o garoto faça algo de ruim com ela.

–Nunca gostei de ver as pessoas assim, sempre tento ajudar a elas. E com você não vai ser diferente. Estou querendo lhe ajudar. –Ele estendeu a mão para ela, para que ela pudesse de levantar, que desde o susto, acabou por ficar no chão mesmo.

Ela, com receio, pegou mão do garoto, quente.
Era assim que estava a não dele, ao contrário da dela, que estava super congelante. Muito gelada, possível por estar nessa chuva de dias atrás.

Ela a levantou, e a puxou para perto dele, a pondo embaixo do seu guarda-chuva. A abraçando pelos ombros.
E ela, mais confortável perto do garoto, encostou a cabeça em seu ombro, relaxando o corpo.

–Me desculpe se eu lhe deixar molhado, senhor Adrien. –Ele não gostava muito de ser chamado de senhor, se sentia velho de mais,e para dezenove anos, não tava nem perto disso.

–Apenas me chame de Adrien. E eu não tenho problemas com isso, o importante aqui é você, não eu. –Falou ele apertando mais o "abraço" entre os dois os deixando mais perto, e deixando a garota mais confortável, quentinha e segura ao lado dele.

Chegaram na casa do garoto, morava sozinho, saiu da cada de seu pai com dezessete anos, quando o pai dele deixou ele sair de casa desde que continuasse com a carreira de modelo.
E claro que ele concordou com isso. Mas uma coisa ele teria problema, e esse problema tem nome, e se chama Nino.
Nino é um amigo de Adrien, que sempre vai lá depois de suas sessões de fotos, para terem uma sessão de filmes, jogos e uma grande conversa sobre a vida dos amigos.

Ele a colocou sentada no dia, pôs sua chave na mesa se centro, de vidro. E colocou um chá para aquecer, enquanto pegou um secador, e umas roupas suas que não usava,e também toalhas brancas.
Chegou perto da garota, que estava no mesmo lugar que ele a deixou sentada.
O microondas apitou.

Ele foi até o microondas, tirou o chá de lá, pôs as roupas, toalhas e o secador em cima de uma mesa na cozinha, adoçou um pouco o chá, e foi para a sala e deu o chá para a garota, que tomou tudo no mesmo segundo.

–Está com frio? –Ela assentiu com a cabeça, e de encolheu um pouco no sofá, ele percebeu que ela estava temendo, e lembrou das coisas encima da mesa.
Pegou as coisas e deu para ela.

–Tem um banheiro aqui no corredor, primeira porta, à direita. –Falou ele guiando a garota conforme ela prestava atenção no que estava acontecendo. –Vai lá, e tome um banho quente para relaxar, e esquentar um pouco o seu corpo. Para que não pegue um resfriado.

Ela seguiu oque ele disse, foi ao banheiro, ele ouviu o ligar do chuveiro, e sorriu.

"Eu estou prevendo que vou me ferrar depois disso." Pensou ele.

Então, escutou seu celular tocar e a tela acender, E lá estava o nome da pessoa que ele sabia oque ia perguntar.

Nino..

Você sabe que eu mudo, quando você está aqui, sinto-me diferente, porque você me faz feliz.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...