História Always By Your Side - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alix Kubdel, Alya, André Bourgeois, Chloé Bourgeois, Félix, Gabriel Agreste, Jalil Kubdel, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mylène Haprèle, Nathalie Sancoeur, Nathanaël, Nino, Plagg, Sabine Cheng, Sabrina, Tikki, Tom Dupain
Tags Adrienette, Alyno, Miraculous Ladybug, Sofrimento
Exibições 193
Palavras 1.583
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Escolar, Poesias, Romance e Novela
Avisos: Mutilação, Nudez, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Desculpem-me a erros de escrita.

★ Boa leitura ★

Capítulo 4 - Chapter Four


No capítulo anterior

–Princesa, podemos conversar? –Ela assentiu, Alya e Nino se entreolharam, entenderam, e saíram do quarto, foram para a cozinha, sabiam que Adrien iria deixar que preparassem algo para eles. –Princesa, oque aconteceu? Você esta quieta desde cedo. –Falou ele preocupado.

–É q-que... E-eu não deveria estar aqui. –Falou ela cabisbaixa.

–Adrien, e-eu não posso aceitar tudo isso, eu sempre sofri bullyng e fui expulsa dr casa pelos pais, não quero que isso aconteça de novo. Adrien.. Eu não quero ser expulsa daqui como fui expulsa da minha casa!! –Ele a abraçou, fazendo com que seus soluços e lagrimas, aumentassem.

–Eu nunca iria fazer isso com você, Mari. Eu nunca faria isso! Eu não teria motivos para te expulsar daqui, por mais graves que sejam! –Passaram alguns minutos assim, até que seu choro passou, e junto.. Seu soluço. –Agora, quer comer alguma coisa? Não sei quanto foi a ultima vez que você comeu e quero você saudável. E também sei de o "ronco de fome" de alguns minutos atrás, foi seu. –Ele falou desfazendo o abraço.

–Eu sei fazer.. –A voz da azulada ecoou pela casa do loiro fazendo a cacheada e o moreno se assustarem, eles chegavam a pensar que a garota era muda, e até mesmo surda.

–Você sabe, Mari?? –Ela assentiu positivamente.

–Meus pais me ensinaram aos oito anos de idade, eu fazia muito por lá.–Ela falava tranquilo e baixo, mas o baixo possível para que os três escutassem.

-Então vamos fazer, você lembra como faz? –Perguntou a cacheada.

Ela assentiu, ela falou os ingredientes , enquanto o loiro pegava, ela ia misturando e falando as quantidades e tudo mais que pode ensinar a eles.

Aquela foi um dos dias mais felizes da vida dela.

No capitulo de hoje

Terminaram de fazer tudo, jantaram e foram se arrumar para dormir.

Mari e Adrian foram para o quarto, Adrien tinha duas camas, afinal, seu quarto era um mezanino. Embaixo tinha uma "meio cama" , que era onde ele ficava quando tinha preguiça de subir para sua cama box.

Ele vestiu seu pijama no banheiro, enquanto a garota o esperava na porta do quarto dele.

Ele saiu vestido de uma blusa comum beje, e uma calça cinza escura. Foi para o armário, pegou algumas cobertas e arrumou a cama para a garota.

–Venha. –Ela foi para perto da cama, se sentou enquanto viu que Adrien estava subindo. O mezanino do quarto era no canto, encima  cama de Adrien, embaixo uma cama de "preguiça". Ela estava na cama abaixo, logo acima estava a de onde Adrien dormiria.

Ele subiu, e desligou a luz, a cama era bem na dobra do quarto, onde nos pés havia o puff, mesa com os videos-games e o PlayStation.

Ela deitou devagar, e se tapou, ao seu lado havia um abajur neon colorido. Passava varias cores nele, seguia de vermelho ao roxo, em ordem do arco-íris.

Ela deixou ligada, pois não era forte, e não atrapalhava em nada, virou para o canto, onde viu o reflexo de algo através da janela. Olhou para trás e viu na estante, havia um porta-fotos nele, aliás, vários.

Ela levantou, cuidadosamente, para não acordar o garoto, que aparentava estar dormindo tranquilamente.

Ela chegou perto da foto, e a pegou  cuidadosamente. Olhou a foto, havia uma mulher de cabelos loiros e olhos verdes, igual ao Adrien, um homem de cabelos loiros platinados e olhos azuis acinzentados. Havia um garotinho nessa foto, aparentava ter uns quarto anos, era loiro de olhos verdes, ele vestia uma máscara preta, destacando os olhos, uma roupa de couro preta com uns detalhes em cinza discreto, ele também tinha uma cauda de gato, e orelhinhas de gato em sua cabeça, em sua mão, havia um bastão.

Havia uma do mesmo garoto, do mesmo jeito que a outra foto. Ele estava em um parque, vestido de gato igual a outra foto que tinha visto.

Acabou derrubando a foto que estava solta pela mesinha, e a pegou, mas pegou virada para trás, mostrando uma escrita a mão muito linda.

"Feliz Aniversario, meu gatinho, Chat Noir ❤ De sua mãe e seu pai, Annabeth e Gabriel Agreste. -02/04/1997"

-Chat Noir? -Sussurrou ela, super baixo, como um suspiro, caso o garoto estivesse acordado, acharia que estava apenas suspirando como qualquer pessoa faz durante a noite de sono.

"Quem é Chat Noir? Esse é o Adrien? E quem é essa mulher? Esse é o pai dele?" Pensou ela, que estava processando tudo.

Seus pensamentos foram parados por um som vindo do garoto, o garoto estava se mexendo, possivelmente fala dormindo. Marinette não sentia sono, na rua, pelos barulhos que escutava, não conseguia dormir. Não se recorda da última vez que dormiu, sua casa era sempre um silêncio e geralmente escutava apenas o chiar doa grilos. Ou até mesmo o barulho de algumas motos e carros passando, mas sem fazer barulho.

Flashback on

–Papai, vamos brincar lá fora? –Perguntou a garotinha com dez anos, ainda implorando ao seu pai para que pudessem brincar juntos no pátio, que estava molhado e com barro, por conta da chuva.

–Marinette, escuta, estava chovendo, parou de chover agora, está tudo molhado e com poças de lamas, e eu tenho que trabalhar, tenho algumas coisas mais importantes para fazer, na próxima, quem sabe. Fique aqui Marinette. –Falou seu pai, antes de dar meia volta e ir em direção a porta, para que entrasse em seu "escritório" onde trabalhava quase o dia inteiro.

–"Na próxima, quem sabe." –Imitou a garota com um tom de deboche e tristeza. Seu pai sempre lhe dizia isso, e nunca podiam brincar, a mãe de Marinette não parava em casa, trabalhava em uma padaria longe de casa, e o irmão de Marinette a levava.
Marinette não podia ir a escola, estudava em casa, pois seu pai não podia lhe entrar ou buscar na escola, nem sua mãe, que tem que trabalhar e não pode sair de lá, ou até mesmo seu irmão, que por mais folgado que seja, ele ajuda a mãe de Marinette na padaria.

Marinette então correu para a janela enorme de vidro na sala central. Viu alguns pingos, logo a sua frente, tinha um parque, no qual já brincou uma vez, e nunca mais pode ir lá. Ela viu crianças e famílias felizes por lá. Por um momento, pensava se haveria um jeito de trocar de vida com alguma dessas crianças.

Por mais louco que seja, Marinette sempre foi uma garotinha que amava seus pais e o irmão mais velho. Mas apanhava de seu pai quando tinha apenas os dois na casa, oque era quase sempre.

Marinette abriu a porta com cuidado para não fazer barulho, e a fechou com mais cuidado ainda. E assim que conseguiu, correu para a pracinha, que foi correndo até as crianças de lá.

Depois de alguns minutos, olhou pela janela de casa e viu seu pai descendo as escadas da casa furioso. E engoliu seco. Sabia que se seu pai lhe visse fora de casa, iria ser espancada e muito.
Não sabia oquque azer.

–Marinette? –Ouviu a voz de Trixie, uma garotinha do qual conhecerá a alguns minutos que chegou lá. –Você ta bem? –Perguntou ela. A garotinha ruivinha de olhos azuis cinzentos olhou para a mesma direção que Marinette havia se vidrado, e viu um homem, na janela, era o pai da azulada. –É o seu pai? –A azulada assentiu desesperada.

A pequena azulada sabia que não era uma boa ideia sair de casa assim, de repente e sem avisar, muito menos sem a permissão de algum responsável por ela.

O mais velho olhou pela janela, e avistou Marinette o encarando, a deixando com medo de seu olhar, ele abriu a porta correndo, quase a quebrando, e saiu correndo em direção ao parque, a garota desesperada, saiu correndo, esbarrando em um garoto loiro de olhos verdes.
Marinette era rápida, ao contrário de seu pai, que corria devagar, e estava longe dela, a facilitando.

–Me desculpa! Sou a Marinette!

–Ah, sem problema, sou o Adrien. Quer ser minha amiga?

–Claro, quantos anos você tem?

–Onze, e você?

-Dez. Você est... –Fora interrompida por um grito

–Marinette Dupain-Cheng!!!! Oque esta fazendo aqui fora? Eu te falei para ficar dentro de casa! –O loirinho viu que o homem estava estressado e também, com raiva. Sabia que o homem podia descontar na pobre azulada, que apenas queria se divertir.

O homem agarrou o pulso de Marinette, que a puxou para dentro de casa e a jogou no chão com tudo. Sem dó nem piedade da pobre garotinha.

Depois de um tempo sendo espancada pelo pai, falou "Vá embora dessa casa, e nunca mais volte! NUNCA!! ESTÁ ME OUVINDO???!!"

Apenas murmurou um "sim" d saiu da casa, com o longo vestido azul bem clarinho, confundível com branco e o enorme casaco vermelho com bolinhas pretas e capuz que estava usando naquele dia. Desde então viveu na rua. Perdeu seus sapatinhos que tanto amava, de presente da sua mãe, seu vestido que de azul claro foi desbotando, indo para o tom de branco sujo, seu casaco que tanto ama, apenas foi sujo, e seus cabelos, que estava amarrados um coque alto, estava todo desarrumado.

Flashback off

Quando percebeu, estava sentada na cama, chorando em silencio, havia largado a foto exatamente no lugar que estava, e que não parecia que havia tocado em absolutamente nada.

Por sua causa, Eu acho difícil confiar não só em mim, mas em todos a minha volta, Por causa de você eu tenho medo.


Notas Finais


Música final (traduzida) : Because Of You - Kelly Clarkson.

Terminei de escrever agora, e estou postando isso as 01:40 da manhã , valeu a pena? Vlw, espero que tenham gostado,irei tentar postar outro nessa semana ainda!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...