História Always By Your Side - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alix Kubdel, Alya, André Bourgeois, Chloé Bourgeois, Félix, Gabriel Agreste, Jalil Kubdel, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mylène Haprèle, Nathalie Sancoeur, Nathanaël, Nino, Plagg, Sabine Cheng, Sabrina, Tikki, Tom Dupain
Tags Adrienette, Alyno, Miraculous Ladybug, Sofrimento
Exibições 213
Palavras 1.827
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Escolar, Poesias, Romance e Novela
Avisos: Mutilação, Nudez, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Desculpem-me aos erros de escrita.

★ Boa Leitura ★
Nos vemos lá em baixo (≧∇≦)/

Capítulo 5 - Chapter Five


No capitulo anterior

Acabou derrubando a foto que estava solta pela mesinha, e a pegou, mas pegou virada para trás, mostrando uma escrita a mão muito linda.

"Feliz Aniversario, meu gatinho, Chat Noir ❤ De sua mãe e seu pai, Annabeth e Gabriel Agreste. -02/04/1997"

-Chat Noir? -Sussurrou ela, super baixo, como um suspiro, caso o garoto estivesse acordado, acharia que estava apenas suspirando como qualquer pessoa faz durante a noite de sono.

–Papai, vamos brincar lá fora? –Perguntou a garotinha com dez anos, ainda implorando ao seu pai para que pudessem brincar juntos no pátio, que estava molhado e com barro, por conta da chuva.

–Marinette, escuta, estava chovendo, parou de chover agora, está tudo molhado e com poças de lamas, e eu tenho que trabalhar, tenho algumas coisas mais importantes para fazer, na próxima, quem sabe. Fique aqui Marinette. –Falou seu pai, antes de dar meia volta e ir em direção a porta, para que entrasse em seu "escritório" onde trabalhava quase o dia inteiro.

Quando percebeu, estava sentada na cama, chorando em silencio, havia largado a foto exatamente no lugar que estava, e que não parecia que havia tocado em absolutamente nada.

No capítulo de hoje

O modelo acordou com seu celular tocando, mesmo sonolento, pegou seu celular e viu no visor, viu um nome que quase nunca conversa.

Félix Agreste.

Oque o irmão mais novo dos Agrestes estaria ligando para o modelo mais novo? Será que seria urgente? Atendeu ao celular.

–Alô?

Olá Adrien. Oque está fazendo?

–Estava dormindo, por que?

Queria dizer que estou voltando para casa. Estou de férias!

Os irmãos Agrestes sempre se deram super bem, unidos como os verdadeiros irmãos.

Félix se mudou para o Brasil quando tinha 19 anos,mas voltava quando tinha férias do trabalho.

Hoje em dia Félix tem 23 anos de idade, fazia quatro anos que Félix havia se mudado.

Geralmente Félix ligava para o pai, Nathalie ou para Adrien quando ia voltar para casa ou quando era algo extremamente importante.

–Félix, eu não moro mais naquela casa, me mudei faz um tempo de lá.

Como assim, garoto? E o pai deixou?

–Sim.

Pode me passar e endereço? Estou no aeroporto daqui por perto e vou passar em casa, dar um oi e largar minhas coisas, e passo ai pra te visitar.

–Claro, te passo por mensagem, Brother. Tchau!

Tchau, Brother!

O modelo passou o endereço por mensagem, que o irmão visualizou e foi para casa dele, depois de um tempo a campainha tocou, ele desceu, e lembrou que a Marinette estava lá no quarto também. Olhou para cama onde ela havia dormido, e viu a garota sentada, torta, escorada na parede ao seu lado, destapada e com as pernas para cima da cama. Como se ela tivesse sentado na beira da cama e dormido assim mesmo.

E foi oque aconteceu.

Foi até ela, e a cutucou, fazendo a garota cair na cama e suspirar de sono, ela estava dormindo.

Escutou a campainha tocar novamente.

Ele ajeitou-a na cama e a tapou com a coberta, ela suspirou novamente, se encolhendo na cama e na coberta, inalando o cheiro de perfume do garoto na coberta. Viu um pequeno sorriso no rosto dela.

E correu para baixo, ouvindo o soar da campainha novemente pela quinta vez naquele mesmo horário.

Abriu a porta, dando de cara com o irmão, loiro de olhos azuis com tom acizentados.

–Olá Maninho.

–Olá, Félix! Parece cansado.

–Apenas cansado porque tive que acordar cedo de mais, mas tirando isso, de boa!

Depois de alguns minutos conversando, olhou a hora e se desesperou, estava quase na hora do shopping fechar, faltava uma hora e meia para fechar e lembrou que ia levar Marinette para comprar roupas para ela.

–Félix, eu tenho que sair, eu estou para levar uma amiga no shopping que eu prometi a ela, e falta uma hora e meia para o shopping fechar!!! –O garoto estava desesperado, foi no seu closet no andar de cima, separado do quarto e se vestiu, com o irmão por perto mesmo, já que não se importava com isso. Sempre se trocaram juntos, quando menores, se trocavam juntos.

Foi correndo para seu quarto, na hora que foi abrir a porta, seu irmão falou com ele.

–E quem é essa garota? Aonde irá encontrá-la?

Quando Adrien abriu a porta Félix se calou, olhou a garota vestindo as roupas de seu irmão e estava em uma das camas de seu irmão.

"Quem é aquela garota?" Pensou Félix.

–Q-quem é ela, Adrien?

–Encontrei ela debaixo da chuva, e a abriguei ela aqui. Ela é super gente boa, não se preocupe com ela! Ela está por minha responsabilidade.

–M-mas Adrien, não se pode trazer uma estranha assim do nada!!

–Não se preocupe, eu já disse, ela está por minha responsabilidade! –Falou o mais novo, Separando a roupa que a mestiça estava usando quando ele a encontrou, já limpa e seca. Separou uma sapatilha vermelha com um laço preto que ele havia comprado para ela.

A garota não havia visto o presente ainda. E Adrian havia perguntado durante a jantar o quanto que ela calçava, e ela havia dito que não sabia qual era, um pouco depois da janta ela calçou a sapatilha de Alya, que ela lhe ofereceu para usar, que aceitou e coube perfeitamente.

Então resolveu comprar o sapatinho do mesmo número da Alya, que era do mesmo modelo, apenas de cor difere te, então caberia.

Ele cutocou ela, que apenas gruniu um "hmmm" e se virou um pouco, ficando de bruços, ainda destapada.

–Mari, levanta, vamos no shopping. Como eu havia prometido a você.

–Ah, Adrien, por favor, eu não durmo a dias, me deixa dormir mais um pouco!! –A garota falou sonolenta e manhosa.

–Vamos Mari, levanta, deixo você dormir o resto do dia inteiro se tu quiser. –Falou o modelo mais jovem ajoelhado na cama, debruçado sobre o colchão da cama, mexendo nos cabelos da garota.

–Hhhmmmmmmm, taaaa!!! –Falou a mestiça toda manhosa, mesmo não querendo, ela levantou, e foi em direção a porta, ela estava praticamente dormindo em pé, que quase bateu na parede.

O jovem modelo de olhos verdes pegou nos ombros dela, e a guiou até a cama, a sentando na cama, viu que a mestiça estava com os olhos fechados, quase dormindo, colocou a roupa e o sapato para ela em seu colo, que abriu os olhos olhando para tudo, e olhou encantada para a sapatilha.

–A-Aonde você encontrou essa sapatilha??? –Perguntou a garota, olhando para olhando para o saatinho vermelho, e se surpreendendo nas cores fixas que estavam presentes. Seu casaco era das mesmas cores, apenas que era vermelha de bolinhas pretas, já sua sapatilha era toda vermelha com um lacinho preto nas fitinhas da frente.

Ela jurou que eram suas sapatilhas que havia perdido. Ela estava feliz. E ao mesmo tempo perdida. Se perguntava como e onde achou as delicadas sapatilhas angelicais que era super semelhantes as suas que havia perdido quando foi abandonada.

–Comprei para você, espero que goste deles. Agora de vista, vamos nos atrasar! –Ele falou saindo do quarto levando o seu irmão junto, A deixando sozinha do quarto.

Ela se vestiu super rápido, pendeu uma parte de seu cabelo em cima, deixando sua franjinha caída sobre o rosto, colocou uma presilha de cabelo na ponta da chuquinha, a presilha era de borboleta, era preta com detalhes vermelhos.

Desceu até o andar de baixo, indo em direção dos garotos. Mas oque ela não viu, é que havia outro loiro naquele mesmo cômodo que ela estava, apenas viu o jovem Agreste.

–Pronto. –Disse a garota , pegando uma maçã na fruteira de cima do balcão, e começou a comer-la.

Parou de comer quando viu dois olhos azuis cinzentos a encarando como se fosse um monstro invadindo a casa de qualquer um. Com medo dele, fez exatamente oque ela fez com Nino ontem.

Correu para trás de Adrien, com medo e quase chorando.
Agarrada em seu braço e encarando o Agreste mais velho, viu que ele encarou Adrien com um olhar de "você vai deixar essa coisa grudada em você?"

Ela começou a ir para trás e se encolher, e com mais medo pelo mais velho ter se aproximado mais dela, começou a chorar, se encostou na parede.

"Presa!" Foi isso que a garota pensou.

Ela escorregou pela parede até sentar no chão, começou a chorar desesperadamente.

O jovem modelo a olhou assustado, e logo após olhou para o irmão mais velho, que estava agachado super perto da garota, a deixando cada vez mais assustada e com medo. Ela estava chorando e muito.

Ele não gostava de ver a garota chorar. Não queria ver ela continuar chorando.

Mas não a abandonaria ela ali.

Ele agachou ao lado de seu irmão, e tocou na mão dela. Ela sentiu a maciez da mão do jovem Agreste. Olhou para cima, vendo o garoto olhando para a mestiça, sorrindo.

Automaticamente sorriu junto.

"Olha oque você faz comigo, Chat Noir." Pensou ela, ela estava lembrando do garoto aos poucos. "Será que ele lembra de mim?" Lembrava que brincava com ele quando era mais nova, antes de esbarrar com ele naquele parte, enquanto fugia da visão do pai furioso.

Flashback on

Aquela tarde ensolarada, um dia ótimo para brincar no parte com as crianças. Marinette estava no parque, acompanhada de sua mãe e sua tia, que estava com sua prima de dois anos. Ainda aprendendo a caminhar. Ela já sabia falar um pouco.

–Mamãe, posso ir brincar? –Perguntou a mestiça para a mãe. Sabine era uma mulher extremamente bondosa e amorosa, principalmente com a sua doce filha.

–Claro princesa. Só se cuide, Mari. –Falou sua mãe, sentando em um banco da pracinha.

–Ta bom, mamãe! –A garota correu para o escorrega, ela amava o escorrega e o trepa-trepa. Era um dos brinquedos que ela mais amava.

Marinette era uma criança agitada e esperta. Mas ao mesmo tempo desastrada. Marinette amava dançar e cantar, ela fazia aulas de Zumba e dança do ventre. Ela amava fazer aquelas aulas. Ela sempre gostou de coisas agitadas , e meio calmas, mas não gostava de coisas tão calmas assim, como o Ballet que era obrigada a fazer pelo seu pai. Contra seu gosto!

Enquanto pensava e ia para a caixinha trepa-trepa, esbarrou em alguém, os fazendo cair no chão, eles olharam para frente, vendo quem era.

–Desculpa, eu não estava vendo por onde andava, meu nome é Marinette, e o seu? –A garota falou, levantando, e ajudando o garoto.

Adrien, Adrien Agreste. –O garoto respondeu. –O garoto a olhou com um sorriso.

Um sorriso que ela nunca esqueceria!

Flashback off

Marinette boiava nos seus pensamentos. Agarrou a mão do garoto, que ficou um pouco assustado com o ato da mestiça, mas não deixou transparecer.

Juro, eu te faço feliz, eu faço mulher, eu te faço princesa, eu entro com todo meu amor, você entra com toda sua beleza, juro que vamos casar, na beira do mar quando amanhecer


Notas Finais


Música final (PT - BR) : Juro - Banda Ego.

Tentarei pastar nessa semana ainda (⌒▽⌒)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...