História Always Dance - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 3
Palavras 3.541
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - Capítulo 1


Capítulo 1

3 anos depois....

Eu puxava a pesada mala pelo corredor, uma hora outra desviando de dançarinos descontrolados pelo corredor. Em vez de me sentir desconfortável, eu sorria com aquela cena, por apenas fazer parte de mim. Olhei para o papel em minha mão, que indicava o número do meu quarto na academia de dança Allen Dance.

Ainda lembrava da minha emoção quando tinha recebido a carta dizendo que, finalmente, eles haviam me aceitado. Passei por um grupo de dançarinos de rua e não pude deixar de ficar espantada com a facilidade com que eles dançavam. Meus pés pareciam não me obedecer quando eu tentava entrar em um ritmo que não me pertencia.

Cheguei ao dormitório feminino e olhei para a porta no final do corredor que tinha a numeração correspondente a que tinha em minha fixa. Eu caminhei até a porta, escutando uma música saindo de dentro do quarto. Me inclinei na direção da porta, encostando minha orelha lá e reconhecendo Lady Marmalade.

Eu sorri ao mesmo tempo em que abriram a porta e caí dentro do quarto com a mala ao meu lado. Levantei o olhar para a garota parada a minha frente com os braços cruzados e dei um sorriso amarelo. Os olhos escuros estavam sérios e os braços cruzados. Os cabelos também escuros e cacheado presos em um rabo de cavalo. A pele chocolate brilhava e tinha um rastro de suor em sua testa.

“Olá?”, eu arrisquei dizer a minha colega de quarto.

Ela me encarou por mais uns minutos até, que revirou os olhos e esticou a mão para me ajudar a levantar. Balançou a cabeça enquanto eu levantava a mala e passava a mão por minha mala e por meus cabelos castanhos claros.

“Tudo bem com você?”, a garota me perguntou ajudando a puxar a mala para dentro do quarto. Eu assenti. Ela sorriu. “Anne Smith”, ela se apresentou apertando a minha mão.

“Roxanne Austin, mas me chame de Roxy”, eu disse olhando para o nosso quarto.

As paredes era de um branco limpo e, em alguns pontos estratégicos, tinham alguns pôsteres de atores e cantores famosos, obviamente postos por minha colega de quarto. Havia um frigobar no canto, ao lado de uma estante com dois laptop, um armário também branco e uma beliche. Vendo a bagunça na parte superior da beliche, diria que eu iria ficar com a parte de baixo.

“Então, qual a sua arte?”, Anne perguntou indo desligar o som que estava vindo de seu laptop.

“Hum?”, não tinha entendido a pergunta.

Anne revirou os olhos, subindo em sua cama e se sentando.

“O que você dança?”, ela perguntou lentamente.

“Ah, ballet”, eu respondi sorrindo.

“E...?”

“E nada”, dei de ombros. “Meus pés só conseguem ficar na ponta dos pés para piruetas. Se eu tentar dançar mais alguma coisa, me torno um desastre ambulante.”, nós duas rimos. “E você?”

“Ah, querida, de tudo um pouco”, ela disse sorrindo e começou a pegar algumas roupas que estavam jogadas na cama e analisá-las. “Me arrisco um pouco no ballet também, mas diria que a minha especialidade é tango e estilo livre.”

“Nossa”, eu disse impressionada. “Talvez eu finalmente possa aprender a dançar como muitas garotas.”

“É fácil”, Anne saltou da cama par ao chão com uma delicadeza e graciosidade admirável. “Vou te dar uma aula rápida, mas não se acostume, hem”, ela andou até o laptop. Quando estava pronta para colocar a música, um som absurdamente alto soou do lado de fora. Anne fez uma careta. “Essa garota ainda vai ficar surda”

Ainda resmungando, ela rumou até a porta e a abriu. Por cima de seus ombros, eu pude ver que todas as garotas daquele corredor tinha feito a mesma coisa para ver o que tinha acontecido. Percebendo que o som não vinha do corredor, as garotas começaram a sair de seus quartos, inclusive eu e Anne.

Nós seguimos o grupo até o saguão, onde um grupo de meninos também estava reunido. Do alto da escada, onde eu e Anne estávamos, dava para ter uma visão do que estava acontecendo. Um grupo de três garotas tinham aproveitado grande som do saguão e estavam dançando. Uma delas me chamou atenção.

Eu quase para trás de susto. O cabelo loiro platinado balançava sem desmanchar nenhum fio. O corpo magro e ao mesmo tempo elegante se balançava ao som de Deja Vu. As garotas ao seu lado eram apenas figurantes. Era óbvio que ela era a estrela principal. Eu me segurei no corrimão para não cair. Afinal, ela não dançava.

Então a garota loira olhou diretamente para mim e seus olhos azuis quase me fizeram desmaiar de alivio. Anne nem notou meu breve choque, seus olhos presos na apresentação da garota. Seu rosto, que eu notei um pouco mais de perto, tinha a forma de um coração, estava em uma careta. E quando a apresentação acabou e todos bateram palmas, ela apenas virou as costas e voltou a subir.

“Aquela metida”, ela ralhou. Eu tinha a mente presa nas semelhanças. Como essa garota poderia ser tão parecida com ela.

“Quem é ela?”, eu perguntei, após fechar a porta do quarto.

“Candace Simon”, Anne disse o nome em forma de xingamento. “Ela estudava comigo. Pensei que essa vaca tinha ido para outra escola. Ou para o inferno. Mas parece que Deus está me fazendo pagar todos os meus pecados esse ano.”, ela suspirou, se acalmando. Então olhou para mim e sorriu. “Com toda essa confusão, fiquei sem clima de te ensinar a dançar.”

“Tudo bem, podemos deixar para outro dia.”, eu dei de ombros andando até onde tinha abandonado minha mala. “Eu precisava mesmo terminar de arrumar as minhas malas.”

“Hey, eu não disse que não iria te ensinar”, Anne disse dando um tapa em minha mão. “Eu disse que perdi o clima, mas eu sei de um lugar bom para a gente recuperar o clima. E você vai comigo”, ela levantou uma sobrancelha com um sorriso nos lábios. “Bem vinda a Allen Dance, querida. Você irá se divertir como nunca”

 

 

**************************

 

As exatas oito horas da noite, eu estava em frente a um espelho que ficava na porta do armário. Eu me encarava com os olhos verdes de cima a baixo. Estava usando um blusa sem alças branca e uma saia preta de cintura alta. Saltos altos pretos e os cabelos castanhos soltos e ondulados.

Anne saiu do banhei segundos depois de eu fechar a porta. Um vestido vermelho tão colado ao corpo que eu me perguntei como ela iria dançar. Na verdade, como ela iria respirar? Os cabelos cacheados estavam soltos em uma confusão e ela sorria enquanto terminava de colocar os saltos.

Eu ainda estava um pouco temorosa com essa história de sair para uma balada. Não que fosse por culpa de minha idade, até porque, eu já tinha 18 anos. O problema era que, tinha aula do dia seguinte e a julgar pela ansiosidade de Anne, não iríamos voltar tão cedo. O bom era que a balada tão popular ficava a poucas ruas da escola e que todas da escola estariam lá.

Não queria admitir, mas assim que entramos e fomos sugados por aquela atmosfera incrível, nem tive vontade de ir embora. Olhei para a pista, cheia de gente. Levantei os olhos para o fundo onde, escondido pelas sombras estava o DJ. Sem me deixar desfrutar de tudo, Anne me puxou para o bar e pediu duas bebidas. Quando eu iria dizer que não bebia, ela pegou minha mão e me puxou para a borda da pista.

“É incrível, não é?”, ela perguntou vendo meus olhos fixos na pista. “Quer dançar?”

“Oh, não!”, eu me apressei em dispensar a dança. “Meus pés não foram feitos para isso.”

“Besteira”, Anne disse sorrindo. “Vamos, vou pedir para o DJ tocar J-Lo.”

Segui-a por entre as pessoas que dançavam e paqueravam ali. Reconheci o rosto de algumas garotas que tinham descido para ver a dança. Reconheci a própria Candace. Pela careta repentina de Anne, ela também. Candace estava falando com mais duas garotas no canto e mexia os braços e os pés. Parecia preparar algum passo de dança.

Em uma das rodas de pessoas que observavam os dançarinos, vi um casal dançando feliz e sorrindo em sintonia. A garota tinha os olhos puxados, indicando a descendência chinesa e os cabelos lisos curtos, com enormes fones de ouvidos em seu pescoço e roupas chamativas.

O garoto tinha a pele tão ou mais escura que a de Anne. Ele sorria para a menina, e tinha roupas tão chamativas quanto as dela. O cabelo dele era bem curto e escuro. Ele só não tinha os fones de ouvidos tão grandes quanto os da namorada.

Fiquei tão encantada com os dois dançarinos que acabei me perdendo de Anne. E meu grito pareceria apenas um sussurro por cima daquele som. Então, comecei a andar em direção a mesa do DJ, sabendo que ela iria lá para pedí-lo para mudar a música. De um jeito estranho, eu gostei de Anne. Ela fazia a linha amiga mandona. Eu nunca tive uma amiga dessas. Como eu suspeitava, a encontrei discutindo com um garoto que estava ao lado do DJ.

“Como assim eu não posso dar a minha sugestão de música?”, ela estava berrando.

“Olha, nós temos uma programação”, o garoto disse tentando ser simpático, mas Anne continuava o ignorando e tentando chamar atenção do DJ para ela. “Pode parar, por favor?”, ele pediu.

Anne parou, encarando o garoto que tinha o rosto levemente corado. Eu parei atrás dela e o garoto suspirou aliviado. Ele me encarou rapidamente com os olhos azuis e passou a mão pelos cabelos loiros cacheados. Ele parecia um anjo. E Anne estava sendo uma bruxa com ele. Ela pôs a mão na cintura e suspirou.

“Será que nessa sua programação tem J-Lo?”, ela perguntou parecendo mais calma.

O garoto sorriu.

“Claro que tem”, ele disse e esticou a mão para Anne. “Kevin White”

“Anne Smith”

“Roxy Austin”

Só quando eu me apresentei, que Anne olhou para trás e reparou que eu estava ali.

“Onde você se meteu?”, ela perguntou.

“Fiquei distraída vendo o pessoal dançando”, corei, agradecendo que as sombras iriam cobrir o meu rosto. “Conseguiu a sua música?”

“Pelo visto, sim”, ela olhou para Kevin e piscou. “Caso contrário, eu venho aqui e acabo com você, hem”

Kevin riu, mas tremeu um pouco. Então se virou para chamar o outro DJ, que deixou a música do Florida tocando. Anne trocou um olhar irônico comigo e eu sorri. Maluca. Kevin se virou novamente para nós, com um garoto ao seu lado. O outro garoto estava um pouco oculto pelas sombras, mas tinha algo em seus olhos azuis que me chamavam atenção. Algo familiar.

“O que você está aprontando aqui, Kevin?”, o garoto perguntou e olhou para nós duas.

Minha boca pendeu aberta quando o reconheci.

“Filho da mãe”, deixei escapar.

“Vocês se conhecem?”, Kevin perguntou apontando do seu amigo para mim.

“Depois desse xingamento, eu diria que sim”, Anne disse se movendo para o lado de Kevin e deixando apenas eu e o garoto a minha frente. “Vai ser divertido assistir.”

Mas eu ignorei as palavras dela.

“O que você está fazendo aqui?”, perguntei.

“Sou DJ e estudo na Allen Dance.”, ele respondeu, ainda me encarando de cima a baixo, como se não me reconhecesse. “E você?”

“Também sou da Allen Dance”, eu disse lentamente.

“Oh”

“Tudo bem, passamos já da parte como é bom te encontrar.”, Anne disse parando ao meu lado, enquanto eu continuava a encará-lo. “Que tal me apresentar?”, ela ofereceu sussurrando em meu ouvido.

“Anne Smith, esse é Jesse Drake”, eu disse automaticamente.

Jesse Drake, o ex-namorado da minha ex-melhor amiga. O garoto que tinha estragado o dia mais importante da minha vida e arruinado uma amizade de anos. Eu não o via a um ano, já que ele era mais velho um ano, mas ele continuava a mesmo. Olhos azuis lípidos e hipnotizantes, os cabelos escuros, mas com um leve tom de acobreado. A pele marfim e um sorriso branco, brilhante.

Ele também ficou me estudando, talvez para ver se eu ainda continuava a mesma garota bobinha de antes. Eu tinha cortado os cabelos, de modo que eles estavam um palmo a baixo dos ombros, os mesmos olhos verdes. A pele de um pálido doentio e o aparelho nos dentes. Cruzei os braços e recuei quando ele deu um passo na minha direção.

“Roxy, é você?”, ele perguntou.

Então, sem dar nenhuma resposta, eu apenas virei as costas e saí andando. Raiva subia pela ponta dos meus dedos. Escutei Anne me chamando, mas não quis me virar. Apenas segui, empurrando e me desculpando com as pessoas. Até que, no meio do caminho, uma mão se envolveu em meu anti braço e me puxou de volta. Eu era esperta o suficiente para saber que aquela mão era grande e forte demais para ser de Anne.

“O que você quer?”, eu exigi me soltando.

“Explicações”, Jesse exigiu. “Você sabe que aquele acidente no dia da sua apresentação não foi culpa minha. Angela deixou isso bem claro”

“A culpa por ela ter feito aquilo é sua”, eu disse. “Só me deixe em paz”

Eu levantei minhas mãos, dando um passo para trás, quando tropecei em algo, ou possivelmente em alguém. Jesse me puxou de volta antes que eu caísse e eu me vi pressionada em seu corpo e seu rosto a poucos centímetros do meu. Eu lembrava perfeitamente de como Angela falava que olhar para os olhos de Jesse, era como olhar para o mar sem fim.

“Eu nunca gostei de Angela e você sabe disso”, ele sussurrou perto do meu rosto.

“E eu nunca vou gostar de você”, eu disse me libertando de seu encanto e o empurrando. “Me deixe em paz, tudo bem?”

“Dança comigo”

Eu estava começando a me afastar quando ele disse isso. Me virei lentamente e o vi parado no exato lugar em que o tinha deixado. Por um tempo, pensei em deixá-lo ali, mas eu pensei melhor. Então suspirei e caminhei até ele, estendo a minha mão na sua direção.

“Eu só sei ballet”, eu sussurrei.

“Então é melhor você me seguir”, ele disse rindo.

Se tinha uma coisa que Jesse sabia que eu não resistia, era a dançar. Ele levantou o braço e apontou para a mesa do DJ. Forçando a minha visão, pude ver os cabelos loiros de Kevin e os olhos escuros de Anne. Além de seus sorrisos. A música anterior se abaixou lentamente e Jesse continuou me puxando para o meio da roda.

“Jesse...”

“Confie em mim”, ele me assegurou.

Eu suspirei, me deixando ser guiada. Anne tinha me dado uma aula rápida de dança do quarto, mas nada se comparava aos anos a minha frente que todos aqueles dançarinos tinham. Ao chegar no meio do círculo, vi Candace encerrando uma dança ao lado de suas duas amigas. Elas se levantaram, sem nenhum fio do cabelo fora do lugar. Eu ainda ficava espantada com o quão parecida ela era de Angela. Se não fosse os olhos...

Jesse me guiou até a ponta do circulo e esperou Candace sair. Todos me encararam com espectativa. Percebi aquele casal de dançarinos sorrindo para mim, enquanto eu tentava não cair do salto. Finalmente a música da Rihanna foi substituída por uma da Katy Perry. Antes de se posicionar, Jesse se aproximou e sussurrou.

“Não tente imitar o que eles fizeram.”, ele segurou a minha mão e sorriu. “Seja você mesma. Faça o ballet que você sabe. Eu estarei aqui. Você não sabe quanto tempo eu esperei para poder finalmente dançar com você”, ele se inclinou e beijou a minha testa. Senti meu rosto pegando fogo.

Mas, não deu tempo de dizer nada. Meus braços pareciam grudados no corpo. Então, a batida inicial com o rap de Kanye West começou em E.T. Jesse se movimentava ao meu redor, sem desviar os olhos do meu. Quando a voz de Katy Perry começou, meus pés pareciam tomar vida e eu dancei, de saltos, em volta de Jesse. Com Jesse.

Era como se eu soubesse exatamente o quer fazer. Jesse dançava ao meu redor e só me tocou no refrão, e por um curto minuto. Eu insinuei que iria beijá-lo, mas me afastei. Todos aos nosso redor foram a loucura, mas eu esqueci totalmente de todos ao nosso redor. Os olhos de Jesse era a única coisa que eu focava.

Quando Kanye West voltou a cantar, eu parei, apenas o observando, vendo como ele se movimentava com graça e ao mesmo tempo, tinha os passos que eu tinha visto nos dançarinos de rua. Quando a voz suave de Katy chegou a ponte, me fiz ficar na ponta dos pés, mesmo de saltos e dancei perto de Jesse. Ele me olhava encantado.

Eu nunca me imaginei dançando daquele jeito, consegui rodar nos saltos e não caí nenhum momento. Por um curto segundo, vi a careta de Candace, ao perceber outra garota sendo o centro das atenções. O último refrão soou e Jesse começou a dançar bem mais perto de mim. Nossos corpos começaram a se roçar levemente e ele sorria.

Não pude me impedir de sorrir de volta. Se eu tivesse feito o que Anne tinha falado, iria acabar fazendo papel de ridícula por não ter treinado muito. Nas últimas batidas, Jesse estendeu a mão na minha direção e eu rodei, terminando com os nossos rostos a centímetros de distância. E as palmas soaram a nossa volta.

“Exatamente como eu esperava a anos.”, ele sussurrou e riu.

Eu me soltei, corando. Enquanto saíamos para dar espaço a outra garota dançar, vi os olhos de Candace se estreitando na nossa direção. Jesse seguiu o meu olhar, sempre pegando em minha mão. Eu não sabia o porque de não estar mais com tanta raiva dele. Talvez, no fundo eu saiba que aquilo que aconteceu 3 anos atrás, foi apenas culpa de Angela, não de Jesse.

“Elas são muito parecidas, não é?”, ele disse me puxando de volta para a mesa do DJ.

“Assustadoramente”

Nem deu tempo de dizer mais nada. Assim que chegamos na mesa do DJ, Anne se jogou em meus braços gritando o quão incrível eu tinha sido e Kevin apertou a mão de Jesse, passando o fone de ouvido para ele. Anne levantou uma sobrancelha para mim e eu não entendi, até que Kevin chegou.

“Vamos?”, ele perguntou.

“Agora é a minha vez de bailar, querida”, ela pegou a mão de Kevin e o puxou para a pista.

Fiquei um minuto deslocada, até que Jesse fez um sinal para que eu aproximasse da mesa. Ao mesmo tempo, o casal que estava dançando chegou. Eu me encolhi ao lado de Jesse, enquanto ele os cumprimentava e eles sorriram para mim.

“Roxy, esses são Pablo Rey”, Jesse apontou para o mulato. “E Melissa Shi”

“Mey”, a chinesa disse sorrindo e ajeitou os fones ao redor do pescoço. “Nossa você arrasou na pista. Também é da Allen Dance?”

“Sim”, eu sorri.

“Que bom”, Pablo disse pondo um braço ao redor dos ombros de Mey e lhe dando um beijo leve nos lábios. “Vamos nos encontrar bastante lá. Eu e Mey fazemos aulas de dança de rua, eletrônica. Você, com certeza faz ballet e dança de rua.”

“Na verdade, só ballet”, eu disse ficando corada.

“E vocês namoram a quanto tempo?”, Mey perguntou olhando para Jesse e para mim. “Jesse é tão safado que nem contou que tinha uma namorada fora da escola. Mas depois daquela química que vocês tiveram na dança, foi meio óbvio ver isso”

“Nós não namoramos”, eu disse.

“Oh”, Mey disse ficando com o rosto vermelho.

“Mas, já namoraram, né?”, Pablo insistiu.

Eu balancei a cabeça.

“Ele é ex-namorado da minha ex-melhor amiga”, eu esclareci.

Pablo e Mey ficaram quietos depois disso e eu dei um olhar rápido para Jesse, que parecia estar fascinado nos Cds. Ele me olhou pelo canto e sorriu. Sorri de volta e olhei para pista de dança, vendo o outro grupo saindo. Foi fácil reconhecer Anne rebocando Kevin para a pista de dança.

Sem demorar, Jesse colocou Te Amo, da Rihanna, e Anne e Kevin assumiram uma postura séria e começaram a dançar. Não pude me impedir de ficar de boca aberta com a postura e a química que havia entre os dois. Parecia que eles haviam ensaiado a anos. Nunca erravam nenhum passo e quando ele a inclinava para trás, dava a impressão que iria beijá-lo.

Sem graça por ter feito o mesmo, olhei para Jesse, que também tinha os olhos fixos no amigo e sorriu ao meu ver olhando para ele. Na parte da ponte, Kevin soltou Anne, e ela o rodeou batendo palmas. No fim, ele apenas a puxou de volta para ele e eles continuaram a dançar. Na última parte, parecia ter algo mais intenso entre os dois. Até na estrofe, Kevin inclinou o corpo de Anne totalmente para trás.

Todos bateram palmas com força, eu principalmente. Eles eram maravilhosos juntos. Jesse logo mudou para algo mais agitado e outro grupo entrou na roda. Eu me balancei no ritmo da música, enquanto via Anne e Kevin correndo na nossa direção. Jesse se inclinou na minha direção e sussurrou em meu ouvido.

“Bem vinda a Always Dance, baby”

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...