História Always For You - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Belieber, Bieber, Drew, Justin, Justinbieber
Visualizações 176
Palavras 1.476
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


👉 Visualizações 5.128 / Favoritos 81 SÉRIO VOCÊS SÃO DE MAIS GENTE SZ

👉 Dedicado à ~bieberisntyours

👉 Boa leitura anjinhos sz

Capítulo 28 - I need you


28. Eu preciso de você

Ontário, Canadá - Toronto - Abril , 2017, 02:20 AM

Point Of View Justin Bieber

Hoje eu estava completamente preguiçoso. Não aguentava mais ficar naquele escritório encarando os papéis a minha frente, então decidi sair para pegar um ar. Enchi o copo com uísque e acendi um cigarro saindo de lá.

Caminhei até o camarote e de longe vi minha garota dançando. Ela estava maravilhosa, não que isso não fosse comum. Ela percebeu meu olhar e me deu um sorriso, eu por minha vez a chamei com o dedo. Momentos depois Hanna subiu até a área vip e me cumprimentou com um beijo rápido.

- Algum problema? - Perguntou abraçando meu corpo.

- Nenhum. - Beijei o tipo de sua cabeça. - Eu só queria ficar com você. - Eu não podia ver seu rosto mas apostava que ela sorria agora. - Eu estava pensando, você devia ir lá no escritório.

- Estou em horário de trabalho.

- Tudo bem. Então eu, seu chefe, preciso tratar de um assunto sério com você. - Disse forjando uma voz irritada.

- Tudo bem. - Ela se soltou de meus braços. - Só espero não levar um bronca. - Brincou.

Chegamos no escritório e eu fechei a porta me sentando em minha enorme cadeira.

- Qual dos figurinos você acha mais interessante? - Perguntei mostrando os dois desenhos. Ela analisou atentamente ambos e me entregou o melhor. Apaguei o cigarro e o joguei na lixeira. Hanna se sentou na mesa e cruzou as pernas.

- O que é isso? - Pegou um papel lendo o que tinha ali. - Justin? - Tirei o olhar de suas pernas expostas e o segurei sobre seus olhos.

- Controle de bebidas. - Dei de ombros e me levantei ficando a sua frente. - Não precisamos disso agora, baby. - Tirei o papel de sua mão e o coloquei sobre a mesa. Passei minhas mãos em sua cintura e fiquei ao meio de suas pernas colando nossos lábios num beijo voraz.

Estendi o beijo até seu pescoço e apertei seus seios por cima da blusa a fazendo arfar.

- Não. - Sussurrou tentando me afastar. - Alguém pode entrar aqui. - Mostrei as chaves em cima da mesa indicando que a porta estava trancada e continuei meu trabalho.

Rasguei a blusa que Hanna estava e a joguei no chão.

- Mas que porra complicada. - Disse tentando tirar o sutiã.

- Aqui. - Ela riu e o tirou com uma facilidade absurda.

Não perdi tempo e levei minha boca até seu seio esquerdo a fazendo gemer alto. Eu já estava completamente duro e aquilo chegava ser agoniante.

Puxei seu short junto a sua calcinha para baixo e ela retirou minha blusa arranhando meu abdômen. Tirei minha calça e desci Hanna da mesa apoiando seu tronco ali. Segurei seus cabelos pretos e rocei meu pau em sua bunda.

- Justin! - Parei de me mexer e a mesma rebolou praticamente implorando para que eu continuasse e fosse além daquilo.

- Sim, baby?

- Por favor. - Aquilo foi o necessário para me tirar de mim. Abaixei a cueca com pressa e a joguei no sofá dali.

Abri suas pernas e coloquei meu membro em sua entrada já molhada. A penetrei sem avisos prévios e ela arqueou as costas gemendo.

- Uh, Justin. - Suas mãos foram até minhas costas cravando as unhas ali.

Tirei alguns fios de cabelo de seu rosto e a beijei com toda a vontade que tinha sem parar meus movimentos, que se tornavam mais rápidos e intensos.

Chegamos ao nosso ápice juntos e eu tombei meu corpo para o lado abraçando Hanna que se ajeitava em meus braços.

- Não se esqueça de tomar a pílula. - A lembrei acariciando sua barriga.

- Okay. - Respondeu passando os dedos sobre minha tatuagem. - Minha mãe quer que você almoce lá amanhã... quer dizer, hoje. O que diremos a ela?

- Que estamos juntos. - Hanna apoiou os cotovelos no sofá e encarou meu rosto com um sorriso de ponta a ponta.

- Nós estamos juntos? - Sorriu boba e eu assenti lhe dando um selinho demorado. - Você pode repetir?

- Nós estamos juntos. - Molhei os lábios com a língua e ela me abraçou forte.

- Eu gravaria isso e escutaria todos os dias. - Deitou a cabeça em meu peito e fez desenhos imaginários com os dedos ali.

- Eu posso te dizer isso todos os dias.

Ontário, Canadá - Toronto - Abril , 2017, 12:38 PM

Point Of View Hanna Rhode

Justin, ao contrário de mim estava extremamente calmo. Eu não sei por que estava naquele estado, afinal só diria a minha mãe e a minha melhor amiga que estava com Justin. Não era nada de mais, eu acho.

- Afinal, onde passou a noite? - Minha mãe perguntou enxugando um copo e eu quase me engasguei com a água que tomava.

- Na Lau. - Menti.

- O que tem eu? - Lauren entrou na cozinha.

- Só estava comentando que dormi na sua casa. - Dei de ombros.

- Quando? - Franziu o cenho confusa.

- Ontem, Lauren!

- Ah... ontem. - Minha mãe lançou um olhar desconfiado sobre nós duas mas não disse nada a respeito.

- Pronto. - Todos nos sentamos na mesa. - Hanna disse que tinha algo a me contar. - Minha mãe colou seu pedaço de lasanha no prato e todos olharam para Justin.

- Sim, eu tenho. Hanna e eu estamos juntos. - Sorriu.

- Oh! - Minha mãe gargalhou e todos nós olharam para ela confusos. - Disso eu já sabia querido, conte-me a novidade.

Todos nós rimos junto a ela e começamos a nos servir.

- A senhora cozinha muito bem. - Justin comentou enquanto degustava seu prato.

- Me chame de Bárbara, apenas. Sua mãe já sabe de vocês dois?

- Uh, sim. - Ele disse sem pensar. - Contamos a ela faz algum tempo.

- E deixaram pra contar isso só agora para mim?

- Eu quis esperar a senhora sair do hospital e estar melhor. - Sorri.

- Eu sempre apostei no casal. - Lau comentou depois de uma golada em sua coca. - Viviam se agarrando não é possível que não saísse nada.

- Eu estou de prova. - Minha mãe disse fazendo com que Justin e eu corássemos.

- Então, você está melhor? - Justin mudou de assunto.

- Sim, eu me sinto outra pessoa fora daquele hospital.

Nós terminamos de comer e Lauren foi ajudar minha mãe na cozinha enquanto eu arrastei Justin para meu quarto. Nos jogamos na cama de bruços para cima.

- Justin? - Ele me olhou como se pedisse para que eu continuasse. - Você acredita em destino? - Balançou a cabeça negativamente. - Eu acredito que o destino tenha juntado a gente.

- E eu acredito que encontramos um ao outro. Eu estive o tempo todo procurando por alguém e esse alguém era você. Acredito que desde que nascemos já pertencíamos um ao outro. - Começou a fazer um carinho gostoso no meu cabelo.

- As vezes não acredito que finalmente consegui a felicidade. Minha mãe está bem e eu tenho um alguém maravilhoso ao meu lado.

- Maravilhoso? - Se gabou.

- Vá se danar. - Eu disse rindo.

- O que você pensa sobre o amor?

- O que eu penso? - Assentiu. - Você é o meu amor.

- Eu sou? - Sorriu bobo.

- Sim, você é. - Lhe dei um selinho demorado e voltei a me deitar.

Eu me sentia completa, viva. Sabe quando você encontra alguém que faz finalmente a vida ter significado? Alguém que você falaria o dia todo e não se sentiria entediado. Aquela pessoa que com gestos bobos consegue lhe arrancar os melhores sorrisos e risadas. Era assim que eu me sentia com Justin Bieber.

Ele me completava.

Podia ter feito o maior transtorno em minha vida mas é, e sempre será, ele que me acalma. Era como se ele tivesse o controle sobre mim. E ele realmente tinha.

Em meio à multidão seu sorriso e seu olhar marcante sempre seriam meus preferidos. Sua voz que variava de rouca a doce sempre seria a que me arrepiaria. E ele seria sempre o único a me fazer sentir o coração parar por alguns segundos e voltar a bater acelerado.

Não havia chances algumas de eu me entregar a outro, porque eu me entreguei de corpo e alma para Justin.

Ele foi muito além do que eu imagina que seria. Ele só precisou me olhar com seus olhos cor de mel para me cativar por inteiro. Só precisou do seu sorriso bobo para me prender. E isso definitivamente era tudo o que eu queria.

Era tudo o que precisava.

Eu preciso de você Justin.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...