História Always in my heart - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Tags Amor, Boyxboy, Drama, Louis, Romance
Visualizações 104
Palavras 3.347
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 22 - I found peace and love


Fanfic / Fanfiction Always in my heart - Capítulo 22 - I found peace and love

Louis sorriu quando sentiu o toque suave dos dedos de Liam, deslizando pelas suas costas nuas. Permaneceu quietinho, ainda de olhos fechados e com o rosto colado no peito do médico. E podia ouvir as batidas suaves do coração daquele homem que ele estava aprendendo a amar, um pouquinho mais a cada dia. E aquele som era a melhor musica que ele poderia ouvir quando acordava.

Estava se acostumando a ser acordado dessa forma já fazia algumas semanas. Desde aquela noite em que se declarou e disse com todas as letras que amava Liam. E de fato amava. E amava um pouco mais a cada dia.

Algumas coisas mudaram desde então...

Não houve um pedido formal e nem nada, mas estavam namorando desde então. Não precisavam de palavras para rotular isso, quando suas ações falavam por si só.

Liam era o próprio reflexo da felicidade e parecia ser incapaz de parar de sorrir, especialmente quando seu pequeno anjo estava por perto. Mesmo no hospital, todos os colegas médicos e demais funcionários comentavam o quanto ele parecia feliz nas ultimas semanas.

Louis também havia feito algumas mudanças em sua rotina. Decidiu que já era hora de parar de ficar chorando e sofrendo pelos cantos da casa, e canalizar esses sentimentos para aquilo que ele mais amava fazer, que era compor e cantar.

Sendo assim, aceitou o convite de Niall para ajudar na finalização do álbum de Camila Cabello. E também estava trabalhando em seu próprio álbum, que seria produzido por Niall. E os dois se divertiam trabalhando juntos, porque eram imensamente talentosos e aquelas sessões no estúdio passavam num piscar de olhos, porque era algo natural pra eles.

Com ambos envolvidos em trabalho, Louis e Liam não conseguiam se ver tanto quanto gostariam, naquele momento em que seu relacionamento estava se fortalecendo, mas cada momento compartilhado era aproveitado ao máximo.

E foi assim, que Louis acabou ali ,nu e adormecido, nos braços de seu médico favorito. Os dois haviam saído para a balada com alguns amigos na noite passada. Sim, depois de muito tempo, Louis se permitiu sair pela noite afora e encher a cara com os amigos como não fazia havia muito, muito tempo. Andaram pelos agitados clubes da cidade que nunca dorme, dançaram como se não houvesse amanhã e finalizaram a noite, embolados na cama de Liam, entre beijos e gemidos.

Gemeu baixinho e se agarrou mais ao corpo quente de seu amado. Queria ficar ali, naqueles braços pra sempre...

- Eu sei que está acordado. – Liam o apertou mais contra si.

- Mas vamos fingir que ainda estou dormindo. – Louis resmungou baixinho – não quero sair dessa cama hoje...e nem desgrudar de você.

- Adoraria poder, meu lindo, mas...

- Eu sei...vida de médico é complicada. – Louis abriu os olhos e fez bico – já precisa ir?

- Não faz essa carinha pra mim. – Liam pediu e Louis aumentou o bico, tentando não rir – cada minuto com você é precioso, mas não podemos nos esconder na nossa bolha de amor e esquecer o mundo lá fora.

- E por que não? – Louis agora estava sobre o corpo de Liam, que já passava os braços pela cintura dele – o mundo não vai parar de girar se ficarmos aqui só mais um tempinho...

- Lou... – Liam gemeu com o pequeno se esfregando em sua virilha, ambos estavam nus e aquele roçar malicioso o estava desconcentrando – não pode usar esse corpo delicioso contra mim.

- Mas não estou fazendo nada! – disse tentando parecer inocente.

Liam o olhou, cerrando os olhos e seu coração bateu um pouco mais rápido ao se perder naqueles olhos de céu, ainda mais escuros de desejo. Como resistir a essa criatura, enquanto ele esfregava suas intimidades de maneira tão tentadora? E então Louis sorriu, vitorioso, sabendo que Liam seria seu por mais algum tempo.

Os lábios se encontraram como se um imã os atraísse. Primeiro um beijo lento, carinhoso, com Louis sugando e mordiscando os lábios de Liam, até que suas línguas se buscaram e o beijo tornou-se mais urgente e necessitado. O pequeno continuava se remexendo sobre Liam, que o apertava cada vez mais forte, sentindo seu corpo respondendo aos estímulos.

Não havia como descrever aquela sensação. Aquela pele macia e quente se colando a sua e levando uma espécie de choque elétrico para cada canto de seu corpo. Aqueles lábios macios e experientes explorando sua boca, seu pescoço e deixando leves marcas por toda sua pele. Era enlouquecedor, mas de um jeito bom.

Deslizou os dedos por aquela costa delicada, e já acumulando suor, quase sem perceber estava ajudando Louis a se movimentar sobre sua virilha e seu pau cada vez mais duro. Era sempre assim. Louis o tocava e ele se perdia, ficando totalmente entregue. Sempre achava que ia acordar em algum momento e descobrir que tudo aquilo era sua imaginação. Mas sempre que acordava, Louis estava lá, agarrado ao seu corpo e olhando-o com aqueles hipnotizantes olhos azuis, que o fazia se perder novamente.

Exatamente como estava fazendo naquele momento...

- Ainda quer me deixar aqui sozinho? – disse malicioso, se remexendo.

Liam girou seus corpos e viu o sorriso de Louis aumentar quando se alojou entre suas pernas e sua evidente ereção cutucava a bunda do pequeno. Anjo sedutor. Sabia o poder que tinha sobre o medico.

- Ainda preciso ir trabalhar, Lou... – murmurou enquanto beijava a pele cheirosa de seu pescoço – tenho algumas vidas em minhas mãos e não posso ignorar isso...[ os beijos agora se espalhavam pelo peito do pequeno que arfava com aqueles toques], eu fiz um juramento...[ a língua quente de Liam rodeava o umbigo de Louis, que já se agarrava aos seus cabelos castanhos ]...meu corpo e meu coração desejam estar com você o tempo todo, mas o dever me chama...[ Louis arqueou as costas quando Liam passou a língua na fenda em sua glande, antes de passar a sugar seu membro com avidez]. É isso o que quer, pequeno? Que pessoas morram enquanto eu me perco em seus braços?

Louis foi incapaz de dizer qualquer coisa, porque naquele momento estava perdido de prazer. Os olhos fechados e se contorcendo embaixo de Liam. O médico também não disse mais nada, porque sua boca estava ocupada demais levando seu pequeno anjo sedutor ao paraíso. Com uma das mãos, segurou a base do pau de Louis e engolia tudo e voltava passando a língua. Os gemidos manhosos de seu amado eram o sinal claro de que estava fazendo do jeito certo.

Era verdade que precisava ir trabalhar.

Era verdade, que tinha vidas em suas mãos todos os dias.

Era verdade que o que mais desejava no mundo era ficar ali para sempre, nos braços daquela criatura que era todo o seu mundo. Assim como era verdade, que seu senso de dever e responsabilidade gritavam em sua cabeça que não podia esquecer o mundo lá fora. Por mais que desejasse isso. Por mais difícil que fosse se afastar de sua razão de viver.

Mas havia tempo para saborear o desejo de Louis. Havia tempo para se perder mais uma vez naquele seu pedaço de céu particular. Havia tempo para fazer amor com Louis e trilharem juntos, mais uma vez, os deliciosos caminhos do prazer. Sempre haveria tempo em sua vida para Louis.

O pequeno se remexia e gemia sem parar com seus toques e ele sabia que se continuasse, ele logo chegaria ao ápice. Então diminuiu o ritmo e afastou seus lábios, continuando apenas a masturba-lo. Com a mão livre, deslizou para a entrada pulsante de Louis e foi invadindo com cuidado. Sorriu quando o pequeno abriu mais as pernas, facilitando o acesso. Após prepara-lo devidamente, espalhou lubrificante em sua entrada e também no próprio membro e se encaixou ali, deslizando pra dentro daquele buraquinho úmido e quente.

Louis se agarrou a ele e arranhou suas costas, como sempre fazia quando era tomado assim. Os lábios se buscaram de forma atrapalhada e os dois se moveram juntos, misturando suas respirações e seus gemidos. As estocadas ficaram mais rápidas e foram certeiras quando encontraram o ponto sensível dentro de Louis, que o fizeram gritar e se agarrar ainda mais ao corpo de Liam, gemendo desesperado. Liam passou a masturba-lo novamente, diminuindo o ritmo das estocadas, mas sempre tomando o cuidado de atingir o mesmo ponto todas as vezes.

Os dois estavam suados e ofegantes quando Louis se desmanchou, sentindo seu corpo perdendo o ritmo e amolecendo nos braços de Liam, que não aguentou muito mais tempo e gozou violentamente dentro do pequeno, chamando seu nome. Os movimentos foram parando devagar. Ainda respiravam com certa dificuldade. Ainda estavam agarrados como se fossem incapazes de se soltarem. Louis sorria ainda de olhos fechados. Liam o olhava, maravilhado. Era lindo ver aquele pequeno anjo como estava, cabelos todo revirado e colados a testa, bochechas coradas, lábios marcados pelas mordidas recebidas, os suaves gemidos que ainda escapavam de seus lábios...

Liam moveu-se devagar, saindo dele e mais uma vez quase perdeu o folego, quando Louis abriu os olhos e sorriu...pequenas ruguinhas se formavam em torno de seus olhos, quando ele sorria assim. E aqueles olhos, Deus, era um mar profundo onde Liam não se importaria de se afogar!

- Eu preciso mesmo ir. – disse culpado – desculpa.

- Eu te amo. – foi tudo que Louis disse ainda sorrindo.

- Lou... – o medico acariciou aquele rosto e se forçou a sair dali.

Louis o seguiu até o banheiro, mas apenas tomou uma ducha rápida, para não atrasá-lo ainda mais para o trabalho. Escovou os dentes e nem se importou em vestir uma roupa ao voltar para o quarto. Apenas trocou os lençóis onde havia vestígios de suas safadezas e se jogou na cama novamente, puxando o edredom sobre seu corpo.

Quando Liam saiu do banho, sorriu ao perceber que Louis havia adormecido novamente. Parecia uma criança, emboladinho ali no meio daquela enorme cama e rodeado de cobertas e travesseiros.

O medico vestiu-se para o trabalho. Recolheu os lençóis que o bagunceiro tinha jogado em um canto do quanto e colocou no cesto de roupas sujas. Olhou seu anjo por mais algum tempo e então se inclinou para beijar seus lábios devagar, com cuidado para não acordá-lo.

- Eu também te amo, pequeno anjo. – murmurou junto ao seu ouvido, mesmo sem ter certeza de Louis ouviria.

 

Horas mais tarde, Louis entrava no estúdio de gravação em que estava trabalhando com Niall. Como conhecia bem o amigo, havia tido o cuidado de passar antes no Starbucks e comprei algumas rosquinhas e café para ambos.

- Ei Tommo. – Niall o saudou animado , assim que o viu na porta – achei que nem apareceria hoje.

- E por que eu não viria? – Louis colocou as sacolas sobre uma mesa no canto.

- Por causa de nossa balada de ontem – Niall disse – eu confesso que eu mesmo quase não vim, mas Amber praticamente me jogou pra fora da cama.

Os dois riram disso. Amber, a namorada de Niall praticamente morava com ele e a garota era absurdamente correta e responsável. Louis nunca entendeu como ela aguenta Niall a tanto tempo. Não que o amigo não fosse responsável, mas ele era músico e tinha lá suas manias e gostava de fazer suas coisas do seu jeito. Acordar cedo não era uma de suas coisas favoritas, ainda mais depois de passarem quase toda a noite acordados e bebendo.

- Eu queria passar o dia todo com Liam, mas ele tinha o dia cheio hoje. – Louis disse e Niall o encarou com atenção.

- Você está feliz Lou? – disse sentando-se a sua frente, enquanto remexiam nas sacolas – eu posso ver isso em seu rosto, mas...está mesmo feliz?

- Eu estou vivo, Niall. – Louis disse, sabendo bem a que o amigo se referia – e sim, eu estou muito feliz. Eu me sinto amado de novo e eu sinto esse sentimento aqui dentro novamente. Meu coração não é mais um lugar frio e solitário. Entende o que quero dizer?

- Acho que sim. – Niall sorriu, satisfeito. – gosto de ver você assim.

- Meu Anjo se certificou que eu sempre estaria cercado por pessoas maravilhosas...como você! – Louis sorriu e Niall retribuiu o sorriso sem jeito – eu tenho um homem maravilhoso, que me completa de todas as formas. Tenho uma família maravilhosa...não, espera! Eu tenho duas famílias maravilhosas...e isso sem contar a família do Liam. Eu me sinto inspirado novamente para escrever e cantar. Acredite Niall, eu não poderia estar mais feliz do que nesse momento.

- Okay, e eu não poderia estar mais feliz, por você ter tido a feliz ideia de me trazer algo pra comer. – Niall disse animado – eu não funciono direito de estômago vazio.

Louis gargalhou e tiraram um tempo para tomar o café e comer as guloseimas que o pequeno havia trazido. A conversa foi animada e girou em torno das aventuras da noite anterior. Até Niall começar com as perguntas indiscretas sobre como Louis teria terminado a noite com Liam.

Nem morto ia contar detalhes de sua vida intima aquele irlandês de língua solta e mente pervertida. Então se concentraram em seu trabalho, que era compor e gravar algumas coisas, o que também era muito divertido.

E assim o dia pareceu voar...

Liam ligou avisando que estaria de plantão a noite toda, então Niall convidou Louis para sair pra jantar com ele e Amber. O pequeno não queria ser a vela da noite e disse isso a Niall, mas o amigo garantiu que era apenas um jantar e que ele e Amber não ficam se pegando em público.

Vencido pela insistência dos dois amigos, passou em casa para tomar um banho rápido e trocar de roupa. Combinaram o encontro no The Anchor Pub, que era um restaurante bastante aconchegante e onde se podia ouvir boa musica ao vivo. Foi uma escolha de Niall, mas Louis conhecia o lugar e aprovou imediatamente.

Quando entrou no restaurante, Niall e Amber estavam no bar, tomando um aperitivo e esperando por ele para irem para a mesa reservada.

- Graças a Deus, você chegou! – Niall disse de maneira exagerada.

- O que foi? Nem estou atrasado! – Louis ria.

- Não liga pro Niall, Lou. – Amber avisou – essa criatura tem uma Anaconda na barriga e parece que o bicho está faminto.

- Poderiam ter começado sem mim. – Louis sentiu-se culpado.

- Eu não te disse que ele não se importaria? – Niall encarou a namorada, frustrado.

- Mas eu me importaria! – ela disse séria – Louis é nosso convidado e não é nada elegante começar sem ele.

Niall bufou e Louis riu abertamente. Era engraçado ver a maneira como Amber parecia saber exatamente como lidar com o amigo. Era um casal totalmente oposto, mas que de alguma forma, funcionava perfeitamente.

Já alojados na mesa reservada a eles, pediram o jantar antes que Niall entrasse em colapso. A conversa girou em torno de seus novos projetos musicais, lembraram-se de quando eram mais jovens e das músicas que gostavam de ouvir ou dos músicos que sempre os inspiraram. Amber não quis falar muito sobre seu trabalho, para não entediar os meninos. Ela era Advogada e havia sido assistente de Harry quando se formou. Foi assim que conheceu Niall, que era grande amigo de seu chefe.

Amber viu todo o romance entre Harry e Louis acontecer. Assim como viu todo o sofrimento de Louis e também de Niall, quando o jovem e promissor advogado morreu cedo demais. Mas agora, ela sorria ao notar que Louis parecia feliz novamente e falava em Harry sem aquela dor nos olhos. Era natural lembrar as coisas boas que viveram, juntos. Eram lembranças felizes e o jovem cantor estava lidando com isso muito bem. Assim como Niall não tinha mais aquele receio de mencionar Harry em alguma conversa e isso causar um mal estar.

A garota sabia que Harry sempre seria parte da vida de todos eles, mas não era mais uma lembrança que causava dor. Saudade sim, isso nunca mudaria, mas não dor. Sorriu, sem perceber, ao pensar em seu chefe, aquele homem que havia lhe ensinado tantas coisas em tão pouco tempo. Onde quer que ele esteja agora, certamente estaria sorrindo, com aquelas covinhas adoráveis, por saber que as pessoas que ele mais amava, haviam seguido em frente e que estavam felizes.

- Não vou fazer isso Niall! – Louis dizia sem muita convicção.

Amber prestou atenção aos dois quando percebeu que pareciam estar discutindo algo. Logo descobriu que Niall havia dito ao dono do lugar que tinham um musico famoso ali e assim prometido um pequeno show.

Obviamente o músico era Louis, que não havia sido avisado da emboscada e por isso se recusava a subir ao palco. Pareciam duas crianças discutindo.

- Não acredito que fez isso comigo! – Louis resmungava.

- Não vai doer nada, Lou. – Niall nem se importou com os resmungos – basta subir lá e fazer o que faz de melhor! Qual o motivo do drama, afinal?

- Você também é musico e desconfio que ainda mais famoso do que eu. – Louis o olhou com aqueles olhos azuis cerrados – então pode muito bem subir lá e fazer seu trabalho.

- Sim, eu poderia. Mas que graça teria isso? – Niall riu e Louis o olhou incrédulo – eles querem você, meu amigo.

- Quem me quer, seu maluco!? Ninguém sabe que eu estou aqui! – Louis relutava – eu andei afastado por muito tempo, nem devem se lembrar das minhas músicas.

- Boa noite pessoal – uma voz soou no microfone, interrompendo a discussão dos dois – tenho uma boa surpresa pra vocês que amam boa música essa noite. Eu fui avisado que temos um cliente ilustre hoje e que vai pagar seu jantar nesse estabelecimento nos presenteando com sua linda voz...aplausos para Louis Tomlinson!

Louis se forçou a sorrir quando o canhão de luz se concentrou nele. Sua maior vontade nesse momento era matar Niall bem devagarzinho e de maneira bem dolorosa, porque aquele idiota sorria de orelha a orelha. Mas respirou fundo e se levantou, indo em direção ao palco, sendo aplaudido com entusiasmo. Bem, parece que todos ali  lembravam quem ele era.

Cumprimentou o cara com o microfone e olhou a plateia. Olhou Niall mais uma vez e cogitou a possibilidade de sair correndo dali, mas os dois amigos aplaudiam empolgados também e pareciam tentar apoiá-lo com os olhos. Olhou novamente as pessoas ao redor, que aos poucos foram se acalmando quando ele sentou-se no piano e testou a afinação.

Ajeitou o microfone e então lembrou-se que não tinha nenhuma música preparada para um momento assim. Mais uma vez desejou matar Niall bem devagar naquela noite. Pigarreou e olhou os rostos ansiosos que pareciam prestar atenção em cada um de seus movimentos.

- Boa noite ao todos. – disse devagar – eu fui emboscado pelo meu amigo ali [apontou Niall que sorriu largo!], eu vou mata-lo mais tarde, mas nesse momento tenho outro probleminha... eu não estava preparado pra isso, para ser honesto, então não sei o que desejam ouvir...podem me ajudar nisso?

E foi assim que Louis fez um show de improviso, porque os pedidos pareciam não acabar nunca. E ele atendeu a todos quantos foram possíveis e em algum momento estava se divertindo com aquilo, porque era movido pela musica. Adorava a reação da plateia que cantava junto com ele, que aplaudiam entusiasmados quando ele cantava algo que todos gostavam. Gostava de estar cantando novamente as musicas de sua própria autoria e que ele havia deixado de lado.

Por um instante ele teve a impressão de ver Harry no meio daquelas pessoas, sorrindo orgulhoso e aplaudindo-o, como sempre fazia. Piscou e seu Anjo não estava mais lá, mas aquela “presença” encheu seu coração de paz, porque sabia que era isso que Harry gostaria de ver.

Seu sorriso ficou enorme e seus olhos brilharam como estrelas quando descobriu outra pessoa amada entre aquelas pessoas.

Liam...

Seu médico favorito estava junto aos amigos na mesa e tinha aquele mesmo sorriso orgulhoso que pensou ter visto em Harry. Seu coração dessa vez deu uma cambalhota e agora parecia explodir de tanto amor.

Seus dois anjos sempre estariam cuidando dele...

Com a ajuda de um pequeno demônio chamado Niall Horan!

 

 


Notas Finais


leiam tambem minha outra fic, Ziam.
https://spiritfanfics.com/historia/cursed-9864135

Ainda tem alguém lendo essa fic?
Me digam o que estão achando, porque seus comentários me mantem inspirada.
Love always


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...