História Always Loved You - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Flash
Personagens Barry Allen (Flash), Cisco Ramon, Dra. Caitlin Snow, Eobard Thawne / Flash Reverso, Iris West, Leonard Snart (Capitão Frio), Personagens Originais, Wally West (Kid Flash)
Tags Barry Allen, Caitlin Snow, Snowbarry
Visualizações 188
Palavras 1.848
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá gente 💗💗💗
Boa leitura.

Capítulo 9 - Festa.


Fanfic / Fanfiction Always Loved You - Capítulo 9 - Festa.

          Já havia se passado uma semana, os preparativos pra festa da Íris estava a todo vapor, Barry e Cisco estavam cuidando das bebidas e do som, eu e Patty estávamos encarregadas de todo o resto, já conseguimos a comida, decoração e tudo mais, só uma coisa estava pendente: o local. 

 Eu queria muito fazer na minha casa já que tenho piscina, um quintal grande e uma área coberta, só faltava convencer minha mãe. Quanto a Íris estava tudo certo, Eddie estava cuidando para que ela não desconfiasse de nada, ela acha que vai comemorar o aniversário dormindo aqui em casa numa noite de garotas. Faltava apenas um dia e eu estava agitada demais. 

 - Não desconta nos canudos Cait. - Barry diz me fazendo revirar os olhos. Estávamos no meu quarto terminando de ajeitar as últimas lembranças.

 - Eu só quero que dê tudo certo. 

 - E vai dar.

 Sorrio para ele e nossa atenção foi para a porta do meu quarto que foi aberta pela minha mãe. Ela encara todos os enfeites e lembranças boquiaberta. 

 - Mas o quê é tudo isso ? 

 - Mãezinha, sabe como eu amo você. - Digo e a abraço. 

 - Eu amo mais. - Barry diz em seguida se levanta e a abraça também. 

 - Tudo bem, podem dizer logo o quê vocês querem. - Ela diz após beijar nossas testas.

 - Queremos fazer a festa da Íris aqui. - Peço com uma carinha de criança, Barry não segura a risada.

 - Quando? 

 - Amanhã. - Barry diz e ela assente.

 - Tudo bem. Eu fico na casa de Timmy. Não quero drogas e ninguém dentro da casa, fiquem da varanda para o quintal. 

 Barry e eu a beijamos e ela sorri saindo do quarto. 

 (...)

 Nosso dia começou logo cedo. Eddie levou Íris no parque e ficaria com ela o dia inteiro. O resto de nós estávamos preparando as coisas. Os meninos estavam limpando a piscina, enquanto Patty e eu dávamos os últimos retoques na decoração, já estava quase anoitecendo. Mas a noite estava quente e meu quintal era bem iluminado então não teria problema em fazer a festa a noite. 

 - Tudo pronto com a piscina. - Barry diz quando se aproxima.

 - Aqui também, eu vou em casa colocar o biquíni. - Patty se despede. 

Cisco logo foi embora também. Barry e eu subimos, ele estava no banho e eu havia acabado de sair. Coloco meu biquíni e separo a roupa que vestiria depois para não precisar subir aqui depois. Assim que Barry sai do banheiro já pronto nós descemos e trancamos a porta. Como Carla disse ninguém poderia entrar. 

Os convidados começaram a aparecer meu quintal estava lotado, Patty estava na entrada colocando o colar de flores havaiano em todo mundo que chegava. Recebi a mensagem de Eddie dizendo que estava vindo para cá com Íris. Fui até a caixa de som e tirei a música, Cisco apagou os refletores e todos ficaram em silêncio. 

Assim que Íris passou pelo meu portão as luzes se acenderam novamente e todos gritamos. Em seguida estávamos todos em um abraço comunitário com Íris, ela sorria e ainda não parecia acreditar. Barry colocou a música novamente e começaram a se jogar na piscina. 

Entreguei a Íris um biquíni novo e ela vestiu o mesmo. Os convidados estavam dividos entre a piscina, a área do gramado e a área da varanda onde estava a arrumação da festa.

 - Nem acredito que vocês fizeram isso! - Íris diz para Patty e eu, estávamos sentadas na grama. 

 - Não poderíamos deixar essa data passar em branco, já que você não fez a festa de quinze também. - Digo. - Mas e o passeio com o Eddie ? 

 Ela sorri sem graça. Seus olhos brilhavam só em mencionar o loiro. As coisas entre eles estavam se concretizando.

 - Foi maravilhoso. Ele me manteve bastante ocupada. - Mandamos um sorriso malicioso para ela. - Ainda bem, caso contrário eu teria vindo até aqui mais cedo e teria estragado a surpresa. Mas me digam, de quem foi essa idéia do tema ?

 - Cisco. - Patty diz. - Ele é ótimo com idéias. - Realmente era. 

 Somos interrompidas por Eddie que arrastou Íris para a "pista de dança" Patty foi conversar com Clary e eu continuei ali até sentir mãos tamparem meus olhos. 

 - Barry. - Digo e ele senta ao meu lado. - Missão cumprida. 

 Olhamos juntos para Íris que dançava e sorria.

 - Graças a você. 

 - Eu não fiz nada sozinha. 

 - Aceite o elogio. - Sorrio e o puxo para um beijo. 

 (...) 

 Muitos já tinham ido para casa, restavam menos de dez pessoas. Resolvemos então iniciar um verdade ou desafio. Era a vez de Íris girar a garrafa, ela sorri maliciosa assim que a garrafa para em mim.

 - Verdade. - Escolho logo de uma vez.

 - Você já chupou o Barry ? - Arregalo os olhos e todos riem. Eu deveria estar muito vermelha. 

 - E vocês disseram que iam pegar leve...- Barry diz.

- Se pegarmos leve não tem graça. E então Cait ?

- Sim. - Digo cabisbaixa e recebo gargalhadas e gritinhos como resposta. 

Giro a garrafa e a mesma para em Patty.  

- Desafio. - Ela já estava totalmente alterada pelas bebidas, acho que todos nós estávamos. 

 - Desafio você a beijar o Cisco. - Digo a primeira coisa que me vem a cabeça. 

 - O quê? Nem pensar. - Ela cruza os braços. 

 - Eu admiti que chupei o Barry na frente de todo mundo. Que mal pode ter em um simples beijo ? - Digo e a mesma impulsiona seu corpo na direção de Cisco, o mesmo estava estático. Assim que seus lábios se encostam começamos a gritar e bater palmas. Logo Cisco estava girando a garrafa e parou em Barry. 

 - Desafio. - Cisco olha maliciosamente de Barry para mim e eu começo a temer.

 - Desafio vocês a darem uma rapidinha no banheiro ao lado da piscina. - Faço minha famosa cara de nojo. 

 - Sabe quantas pessoas já usaram aquilo lá hoje ? Nem pensar. E porquê eu tenho que pagar por um desafio que não é pra mim ?

 - Eu tive que pagar o desafio da Patty, Para de reclamar Cait. - Cisco diz e eu nego. 

 - Sem chance. Barry você não vai falar nada ? - Ele me olha embasbacado. Ele não estava nem aí. 

 - Tudo bem Cisco. Mude o desafio já que a chata da Cait é cheia de frescuras. - Íris diz e eu faço um bico. Como uma criança birrenta.

 - Certo. Barry, vá correndo de sunga até o portão da vizinha e toque a campainha.

 - Cara, são quase uma da manhã. 

 - Vai amarelar ? 

 - Não, o quê eu digo quando ela atender? - Eu não podia acreditar que ele havia aceitado. 

 - Se finja de bêbado, diga que perdeu a chave e pensou que fosse sua casa. 

 E todos estávamos no portão espiando o desafio de Barry, mas eu me surpreendo ao ver que não é minha vizinha de 68 anos quem abriu o portão e sim uma garota que parecia ter nossa idade. Quem era ela ? Ela olhava para Barry e parecia estar flertando com ele. Sinto uma pequena pontada de raiva mas não faço nada. Logo Barry está de volta.

 - Quem era aquela gata ? - Cisco questiona. 

 - Ela disse que se chama Linda. Ela é neta da nossa vizinha e está morando aqui desde o começo da semana. - Barry explica e eu bufo. Ainda bem que ninguém percebeu.

 Jogamos por mais algum tempo e logo estávamos adentrando a casa. Cisco dormiu no sofá. Eddie e Íris ficaram no quarto de Barry, o quarto de hóspedes ficou com Patty e Barry e eu estávamos no meu quarto. Assim que ele tranca a porta eu inicio um beijo, começo a arrancar suas roupas. Eu tinha pressa nos movimentos e Barry me encarava assustado.

 - O quê é isso Cait ? - Ele questiona assim que eu o empurro na cama. Começo a me despir. 

 - Você sabe o quê é isso. - Termino de me livrar do biquíni que usava e vou engatinhando na cama em sua direção, fico por cima dele e sussurro em seu ouvido. - Só estou matando a vontade. 

 Me sento na direção do seu quadril, seguro seu membro que já estava ereto e começo a deslizar minha intimidade sobre ele. Eu estava me masturbando com o seu membro. Subia e descia causando atrito em nossas genitais sem iniciar a penetração. Deixo alguns gemidos escaparem enquanto Barry me olhava com desejo. 

 - Onde você aprendeu isso ? - Ele diz e sorrio ao perceber o quão baixa sua voz sai. Eu causava algum efeito nele. 

 - Digamos que isso é uma fantasia minha. - Deslizo mais algumas vezes e finalmente permito que ele me penetre. 

Era a primeira vez que eu ficava por cima e a sensação era diferente. Seu membro tocava pontos dentro de mim que ainda não foram alcançados antes. Eu apoio minhas mãos em seus ombros e começo a rebolar. Aquilo era maravilhoso. A sensação era tão boa que eu achei que fosse gozar rápido. Mas não aconteceu. Quanto mais eu rebolava mais eu sentia minha intimidade pulsar. A necessidade de possuir mais daquilo. Barry segura em minha cintura me ajudando com os movimentos e eu resolvi tentar algo novo. 

Fiz mensão em me levantar só para sentar denovo. Comecei a repetir cada vez mais rápido. Subia e descia e ouvia a cama ranger. O suor pingava de nossos corpos, sinto minhas paredes vaginais se contrairem e gemo alto, era meu orgasmo. Barry segura minha cintura um pouco mais forte e me estoca rápido e forte. Ele goza e ao mesmo tempo um líquido também escapa da minha intimidade. Havíamos gozado juntos. 

 Deixo meu corpo cair ao lado do de Barry e ele me abraça distribuindo pequenos selinhos em meus lábios.

 - Você vai acabar me enlouquecendo. - Ele diz baixinho.

 - Você é que vai me enlouquecer. Eu era uma moça tão decente. - Ele nega com a cabeça. 

 - Pensa que eu não ouvia você se masturbando, eu até vi uma vez... - Ele deixa a última frase escapar e eu o encaro.

 - Como é quê é Barry ? 

- Não fica brava. Eu estava no seu quarto. Eu ia te contar que gostava de você mais quando ouvi seus passos no corredor eu entrei em pânico e me escondi no seu armário. E então eu vi... - Ele diz e eu acho extremamente excitante. Violador porém excitante. Mas ele não saberia disso.

 - Que coisa mais feia Barry Allen. Você merece um castigo. - Me finjo de brava e ele faz uma carinha super fofa.

 - Me perdoa. Por favor. Eu faço aquela coisinha com a língua que você tanto gosta. - Acabo rindo e o mesmo me beija. 

 Eu estava exausta e não demorou para começar a ficar com os olhos pesados, dormimos de conchinha.  


Notas Finais


E Então gente ???
Pra quem não sabe quem é linda. Era aquela da primeira temporada que deu o número de celular pro Barry no Karaokê. Eu até gosto dela mas não sobrou mais ninguém pra ser a "vilã"
Emfim... ja estou até falando demais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...