História Always number 2 - Capítulo 19


Escrita por: ~ e ~Milenathekiller

Postado
Categorias Originais
Tags Esporte, Luta, Romance, Shoujo, Shounen, Super Poderes
Visualizações 43
Palavras 3.391
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Super Power, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Só tenho uma coisa a dizer: KENTO E TERUKO TÁ VOLTANDO KRL

Capítulo 19 - Capítulo 18 - Boa sorte, Kento


Fanfic / Fanfiction Always number 2 - Capítulo 19 - Capítulo 18 - Boa sorte, Kento

Depois da escolha de arma feita pelo professor Smithus, fomos direcionados até os vestiários para colocarmos os uniformes esportivos. O vestiário feminino está um pouco agitado graças a Naomi e Sasaki Junko que ficam tentando usar as armas ganhas. A de Sasaki são shurikens que podem se camuflar com algum outro objeto, no caso dela as cartas.

- Ah, Teruko - uma garota com rabo de cavalo que ia até a cintura se senta ao meu lado.

- Huh?

- Ah, sinto muito você não deve me conhecer. Sou Andou Kami, eu vi sua luta e achei incrível.

- Andou Kami?

- Sim. Como pode ver eu ganhei apenas uma faca - ela diz mostrando a faca presa ao seu cinto.

- Mas você não usa penas?

- Sim e como elas já servem de arma a faca é apenas uma precaução de último caso.

- Deve ter sorte, eu realmente nunca manusiei uma katana.

- Mas acho que será perfeito para você. Pode cortar vento e essas coisas.

- Cortar vento?

- Sim, legal. Eu confesso que tenho inveja quando vejo seus poderes e com essas katanas irá aprimorar ainda mais, talvez até seja melhor que o Elektros.

- Não diga isso... Elektros é demais e nunca irão superar ele em vida.

- Mas você seria uma boa substituta.

- Você acha?

- Eu tenho certeza - Kami sorri e eu sorrio em contribuição - Ei, Akai - ela chama a garota que se encontra sentada no canto com um caderno na mão - O que tanto escreve nesse caderno?

- Huh? - Akai levanta a cabeça como se tivesse ouvido um sussurro, mas não parece ter escutado.

- O que tanto escreve no caderno? - Kami pergunta novamente.

- Ah... São apenas desenhos - Akai diz olhando para o caderno um pouco tímida.

- Podemos ver?

- A-acho que sim... - ela se levanta e se aproxima de nós duas - Aqui - Akai nos mostra algumas páginas de seu caderno, sendo, na maioria das vezes, flores e figuras melancólicas, mas muito bem desenhadas e passam um sentimento que eu não consigo identificar.

- Incrível! Como aprendeu a desenhar assim? - Kami pergunta fascinada.

- Eu apenas gosto de desenhar e passo parte do meu tempo estudando traços e essas coisas.

- Você deve ter bastante tempo para isso. Controla sua peculiaridade bem assim? - pergunto.

- Não... Eu apenas gosto de desenhar e não tenho muito o que treinar. Eu tenho controle, mas eu sou distraída e desastrada e por isso minha mente faz as coisas serem criadas sem querer. O que eu preciso é de mais controle mental.

- Isso foi inesperado - Kami diz ao ouvir a menina falar mais de duas frases.

- D-desculpem, eu falei demais...

- Não, tudo bem - digo sorrindo.

- Ei, ei, Teruko - Naomi se aproxima de nós sorrindo. Isso não é bom sinal.

- O quê? - pergunto apreensiva.

- Quando você e o Kento vão começar a sair? - ela pergunta no meio do vestiário lotado de garotas.

- Kento aquele que quase te matou? - Tae pergunta diretamente para Naomi.

- Está tudo bem. Ele é fofo e gentil, não precisam pensar mal dele - Naomi diz sorrindo - Então, Teruko?

- Eu já saio com ele - digo confusa.

- Não. Digo como um encontro romântico.

- Como seria isso?

- Você vive em uma pedra? - Sasaki pergunta com tom de deboche - Nunca viu filmes, dramas ou séries românticas?

- Eu não sei, poderiam explicar?

- Teru, sabe os pais do Kento? Um dia eles saíram juntos e acabaram assim, entende? - Naomi tenta explicar.

- Sim, mas eles são um casal.

- E você e o Kento não podem ser um também? - ela mostra a língua, mas eu continuo confusa.

- Isso tem algo a ver com o tal do "amor"?

- Isso - Akai interrompe Naomi - Casais saem juntos, confiam um no outro, são carinhos e se beijam.

- Não não não! Eu e o Kento não somos assim - digo ao ouvir o mal-entendido.

- Teruko, naquele dia vocês dois iam se beijar, certo?

- Naquele dia...? - tento puxar algo em minha memória e acabo lembrando do dia que havíamos saído para comer torta.

- Sim, eu cheguei chorando, pois vocês haviam me deixado sozinha.

- Mas não íamos...

- Você não pretendia, só ia deixar ele fazer o que quisesse no momento, pois achou que seria o certo. Se ele te beijasse ali, você não teria feito nada, estou errada? - Naomi torna a discussão algo mais sério e eu começo a me assustar.

- N-não diga algo...

- Naomi, chega de forçar a barra - Sasaki diz.

- Pessoal... Talvez seja melhor irmos... - Akai diz enquanto se levanta para ver a hora.

-Ah sim, estamos aqui há uns 15 minutos, os garotos devem estar impacientes... - Shiho olha o relógio e fecha o armário com seu uniforme padrão.

Já totalmente atrasadas, saímos do vestiário e adentramos a floresta em direção ao campo de treinamento com armas. Como esperado, os garotos estão nos olhando totalmente irritados e impacientes, mas alguém está faltando... Mesmo tendo demorado, nós conseguimos chegar antes de Smithus. Isso é um alívio... Não quero levar uma bronca por ter me atrasado com uma conversa no primeiro dia de aula. Vejo os grupos de conversa se formarem e acabo me isolando em um canto para conseguir arrumar alguns pensamentos. Eu não tenho tempo para pensar em sair com alguém como a Naomi disse. Já tenho muitos problemas. Encosto na marca que se encontra em meu pescoço e sinto uma leva pontada de dor, como se Yūwaku estivesse forçando para se libertar de novo, mas o selo a impedirá... Por enquanto... Eu tenho que aprender a me acalmar... Seria muito mais fácil se eu não tivesse sentimentos, mas por culpa daqueles dois idiotas dos meus pais eu sinto raiva. Talvez eu devesse pensar em outra coisa como...

"Quando cansar de brincar de boazinha e resolver buscar por poder pode me procurar" - Aquela Sakura estava tentando me fazer entender alguma coisa? Boazinha? Eu não me faço de boazinha, mas também não sou a vilã, e por que ela teve essa mudança de humor comigo tão de repente? Achei que ela buscasse vingança. Quanto a ela... Aquele Yoshida Gou parece ser uma criança, mas... - "Huh? Está com medo de mim? Que fofinha... E se eu..." - Eu senti um incômodo quando ele me disse isso. Eu estava realmente com medo? Ele não parece ser alguém que quer ser um herói e nem Sakura parece... Qual a relação daqueles dois e o que querem comigo? Será que eu devo me preocupar?

- Ei, Teru - Sora atrapalha interrompe meus pensamentos e eu apenas deixo para lá. Ele me faz um olhar preocupado e eu apenas sorrio.

- Você me chamando pelo apelido? - eu brinco.

- Eu quis tentar algo novo - ele diz coçando a bochecha com a ponta do indicador. Seu rosto se apresenta um pouco vermelho - Te incomoda?

- Na verdade não.

- Acho que tudo bem, então - ele se agacha e solta um longo suspiro - Podemos conversar sobre um assunto um pouco constrangedor?

- Você diz sobre aquele dia dos testes? - eu me encosta na árvore e fecho os olhos tentando me acalmar.

- Isso - Sora coloca o braço na frente do rosto - Sinto muito - eu fico calada escutando, já que não tinha nada para falar - Eu só não pensei na hora... Eu sou muito calculista e neurótico de como as pessoas se sentirão se eu fizer algo, mas dessa vez eu me deixei levar. Eu realmente sinto muito.

- Eu estou curiosa... O que você sentiu na hora?

- Você diz antes de te beijar?

- Sim...

- Eu estava feliz e sentia que nada pudesse estragar aquele momento, foi então que meu corpo se mexeu sozinho.

- Sozinho?

- N-não... Eu quis, mas... - ele passa a mão no cabelo o bagunçando mais do que o normal - Eu apenas não sei. Eu quis fazer aqui e senti que não haveria problema. Fui egoísta.

- Não se preocupe - eu digo olhando para o horizonte entre as árvores - Eu sei como é se sentir assim.

- Sabe?

- Sim. Já senti isso várias vezes quando estive sozinha com o Kento é mesmo assim nunca descobri o motivo.

- Eu sei o motivo.

- Então me fale, seria uma dúvida a menos - falo com a cabeça cheia de pensamentos.

- Eu fiz aqui p-porque... - Sora tira a mão do rosto revelando seu rosto totalmente corado - Eu estou... E-Eu estou... - olho para ele ansiosa e confusa por ver ele assim tão nervoso,  já que é algo raro

- Ei! Teruko!

- Estou apaixonado por você - Sora acaba dizendo no momento que Naomi chega e o clima ganhar um ar pesado. A Naomi gosta dele... Ah merda... Por que logo agora?

- B-bom, o professor está chamando - Naomi diz tremendo a voz - Sora... - ele se levanta e sai andando em passos apressados com a mão cobrindo parte de seu rosto.

- Sinto muito por ter ouvido isso, Naomi - eu digo.

- Não, está tudo bem. Eu vi ele te beijando naquele dia, mas quis pensar que poderia ter mais uma chance.

- Você tem, eu não vejo Sora assim.

- É fácil falar quase se tem dois caras completamente apaixonados por você - ela diz sarcasticamente e volta para a turma. Sigo na mesma direção e aguardo Smithus dar alguma instrução/explicação.

- Senhor, perdemos 20 minutos de aula, já - Yamato adverte.

- Eu sei, eu sei, sinto muito. Eu me perdi na floresta, mas o jovem Tanaka me ajudou. Obrigado, jovem - ele diz passando a mão na cabeça de Kento.

- Não foi nada - Kento se afasta e fica no meio da turma.

- Bom, vou começar a explicar. Diferente dos testes de admissão, agora vocês poderão escolher uma dupla. Vocês têm 5 minutos e depois continuarei com as instruções. Mexam-se! - ao comando do professor, os alunos começam a andar de um lado para o outro se organizando em duplas. Minha cabeça está bem longe e por isso acabo tendo dificuldades para achar alguém.

- Teruko - Kento coloca a mão no meu ombro sorrindo como se não tivéssemos brigado hoje mais cedo - Vamos ter nossa revanche?

- Claro! - falo com um olhar desafiador e ao mesmo tempo animada por conseguir lutar com ele de novo.

- Não pegue leve, ok? - ele debocha.

- Seu...

- Hey, Pikachu, temos umas contas para acertar - Sora diz puxando Kento pela gola da camisa.

- O que pensa que está fazendo?! Eu já tenho uma dupla - Kento se irrita.

- Eu sei, sou eu - Kento range os dentes e me olha como se tivesse desistido de resistir. Apenas concordo com a cabeça e sorrio enquanto Sora o puxa sem olhar para mim. Que ótimo, agora quem pode ser minha dupla? Olho para Naomi e a vejo de cabeça baixa em um canto. Yusuke se encontra atrás dela apoiando as mãos no bastão que ele havia ganho.

- Você fará comigo, certo? - Naomi pergunta sem olhar para Yusuke.

- Com quem mais eu faria? - ele responde como se a resposta fosse óbvia.

- Obrigada - Naomi com um olhar vazio força um sorriso um tanto quanto macabro e torna a abaixar a cabeça.

- O que você tem, Nao? - Yusuke pergunta entediado.

- Eu sempre chego tarde - Não me diga que ela está falando do Sora....

- Que bom que não deu certo - Yusuke diz rindo.

- Sim... Que bom para você.

- Eu te disse que não ia te perdoar se me trocasse - Yusuke abraça a Naomi sem vida, envolvendo seu pescoço por trás. Eu não devia estar prestando atenção nos outros... A curiosidade matou o gato Teruko...

- Y-Yamada - ouço alguém chamar minha voz e olho para trás. É Murakami, a garota que sempre está desenhando.

- Sim?

- Você... Teria alguma dupla? - ela pergunta olhando para os pés.

- Não - respondo com um ar de decepção a mim mesma.

- Então! - ela aumenta a voz de repente como se tivesse de animado - P-podemos fazer dupla? - ela termina a pergunta voltando a abaixar a voz.

- Por que não? - eu sorrio e sou surpreendida ao receber o sorriso dela de volta.

- Muito bem! Já estão todos prontos?

- Sim! - a turma diz em uníssono.

- Então a primeira dupla será a de Yamada e Murakami. Aproximem-se de mim e o resto de vocês se afastem, explicarei as instruções - como ordenado, somente nós duas somos deixadas no meio do campo de treinamento - Então! Quero que vocês duas lutem como rivais, mas sem a intenção de se ferirem. Quando acharem que vão acertar cancelem o golpe. Entendidas?

- Sim, senhor - eu digo, mas algo parece incomodar Murakami.

- Professor, se eu perder o controle e sem querer ferir a minha oponente? - ela pergunta parecendo realmente preocupada.

- Isso não acontecerá, já que estarei aqui para parar qualquer coisa e caso não consiga impedir a tempo... - uma garota com cara de sono e um capuz negro aparece atrás dele.

- Sou Hara Mizutani - a garota diz tirando o capuz. Seu rosto é familiar... Parece com...

- MIZUTANI?! - Yusuke grita parecendo incomodado.

- Tsc, cala a boca, Azulão - Definitivamente é a irmã dele.

- POR QUE ESTÁ AQUI?!

- Sou contratada como inspetora.

- O QUÊ?!

- Mizutani é a responsável pelas lutas que ocorrerão entre os alunos a partir de hoje. Sempre que ela achar que não dará certo, Mizutani irá reverter ou parar o tempo - Smithus explica.

- Então meninas, podem começar - Mizutani dá a ordem e se afasta do centro.

- Quer começar? - pergunto para Murakami.

- Sim... Deixa eu ver - ela parece tentar pensar em algo e o fone dela pisca, fazendo aparecer uma arma de fogo.

- Tente pensar em algo mais específico, seu pensamento é muito vago - Smithus adverte e ela parece entender. Novamente o fone pisca e dessa vez aparece uma katana assim como as minhas duas.

- Então... Eu vou começar - digo sacando as duas katanas. Não sei direito como manuseá-las, mas irei me virar do jeito que achar necessário.

Abaixo dos meus pés crio um pilar de pedra para dar um impulso no meu salto. Murakami defende minhas duas katanas com a dela e faz força para me afastar tentando acertar um golpe no meu braço, mas eu defendo com a katana da minha mão esquerda. Noto o fone de Murakami brilhar novamente e em sua outra mão aparece uma kunai. Batendo lâmina com lâmina permanecemos assim sem dar tempo a ela de pensar. Com minha concentração não consigo pensar em nada, apenas agir. Em um golpe desferido por Akai eu me jogo para trás e caio no chão ao mesmo tempo que usa minha perna para tirar o equilíbrio da minha oponente. Quando a vejo caída me levanto e ergo a katana morando em seu pescoço, mas não pretendo finalizar. Ela é boa, mas se distrai fácil.

Dando a chance para ela se levantar recuo e me afasto um pouco. Akai se levanta e vem para cima de mim sem hesitar.

"Você pode cortar o ar com as katanas"

Obrigada, Kami. Você me deu uma ideia. Com a katana em minha mão esquerda me concentro enquanto luto com a direita. O ar sempre causa uma pequena dor no lado esquerdo do neu corpo já que não tenho controle e faz as bandagens incomodarem. Como Smithus disse, passo o máximo de energia possível para a katana inativa. Enquanto a outro está pegando fogo enquanto luto. Ainda bem que eu consigo controlar o fogo em qualquer situação. O fone dela está brilhando, mas não vejo nada ser criado.

- Ei, o que é aquilo? - escuto Tae perguntar. Apenas vejo uma sombra e Akai para de atacar. Olho para cima e...

- Um meteoro?! - Smithus se desespera - Mizutani!

- Acalme-se.

Eu respiro fundo e com a energia que eu concentrara nas duas katanas enquanto lutava, libero uma reta de fogo, como uma explosão e com a outra katana libero uma ventania intensa. Apenas sinto meu cabelo voar freneticamente e o meteoro é de algum jeito empurrado para o espaço novamente com a pressão inimaginável do ar e com a ajuda do fogo.

- Isso não é possível... - Sasaki deixa escapar a admiração e assim como os outros, está boquiaberta. Eu fico respirando pesado e começo a sentir uma dor no selo, me fazendo cair de joelhos.

- Você está bem? - Akai se abaixa perto de mim.

- Sim.

- Sinto muito por isso...

- Não se preocupe.

- Muito bem, meninas. Precisam ir para a enfermaria? - Smithus pergunta.

- Não, eu estou bem - digo.

- Eu também.

- Então. Murakami, aprenda a se concentrar mais e por favor, não pense em coisas catastróficas assim. Yamada, ótimo controle dos elementos, mas acho que o elemento vento está lhe prejudicando um pouco. Concentrou além do limite na katana, mas mesmo assim conseguiu impedir uma catástrofe. Muito bem.

- Obrigada, senhor - digo me levantando com a ajuda de Akai.

- Agora, venham Yamoto e Nagai.

Akai me leva para uma árvore próxima e eu me apoio em seu tronco e me sento ao pé dela.

- Você está bem mesmo?

- Sim, não se preocupe.

- Teruko - Sora e Kento se aproximam - Está se sentindo bem? - Kento pergunta.

- Estou. Não se preocupem.

- Aquilo foi incrível. Você rebateu o meteoro como uma heroína - Kento se anima.

- Realmente foi - Sora sorri - Você também foi - ele diz olhando para Akai - Se tivesse sido uma luta contra um vilão a ideia teria sido ótima e você tem ótimos reflexos. Realmente me surpreendeu.

- O-obrigada... - o rosto de Akai fica vermelho.

- Sora, pode levar a Murakami para a enfermaria? - Kento pede.

- Eu estou bem...

- Não acho que esteja - Sora diz limpando o sangue que saía do nariz dela - Mesmo sendo um pensamento, gasta energia - ele se levanta e estende a mão - Vamos. Irei te deixar lá para não ter que ir sozinha.

- Mas você deveria se preparar para a sua luta...

- Não diga isso, tenho certeza que irei ganhar desse idiota - Sora faz um olhar mortal para Kento.

- Iludido - Kento ri. Sora leva Akai para a enfermaria e eu volto a tocar no selo em meu pescoço - Teru... Não devia ter usado isso assim.

- Eu não pensei na hora.

- Eu percebi, mas é assim que um herói age.

- Não precisa me reconfortar.

- Mas eu estou sendo sincero - eu sorrio quando o escuto dizer isso, mas abaixo a cabeça novamente.

- Kento... O Sora...

- Eu sei, eu vi no dia - Kento diz de cabeça baixa - Mas... - ele se ajoelha ficando frente a frente comigo - Se você gostar dele eu vou te apoiar, mesmo odiando ele.

- Mas eu não queria aquilo.

- Eu também sei disso - Kento sorri - Eu ia fazer a mesma coisa no dia que saímos para comer torta e provavelmente seria a mesma coisa já que você não tem ninguém pelo qual sente algo especial.

- Obrigada por entender.

- Mei e Tanaka - Smithus chama. Que droga... Eu não prestei atenção nas...

- Ah cara, conversei tanto com você que não conseguir ver nada da luta - Kento diz interrompendo meu pensamento - Que pena, não? - ele mostra a língua e abre o sorriso de criança dele. Quando Kento se levanta sinto meu corpo agir sozinho igual no dia que fomos comer torta - O que foi? Quer dizer mais alguma coisa? - Kento pergunta e quando vejo estou segurando o casaco dele.

- Boa sorte! - eu dou meu melhor sorriso e digo com toda minha sinceridade.

- Se você sorrir assim terei que fazer algo a respeito disso - ele sorri de volta e eu me levanto ainda apoiada na árvore.

- Agora, sério. Boa sorte - eu me aproximo dele e beijo sua bochecha.

- Você me paga depois disso - Kento diz.

- Vai logo, Pikachu - eu rio e Kento se direciona para o centro, ficando de frente com Sora.

- Ei, múmia, não quer que eu a leve para a enfermaria? - Yusuke aparece acompanhado de Naomi.

- Não... Eu quero ver essa luta.

- Mas Teru... - Naomi parece estar preocupada.

- Está tudo bem, só fiquem aqui comigo.

- Ok - Naomi se senta ao pé de árvore e eu me senti novamente. Yusuke se encosta ao lado de Naomi e Smithus dá início ao treinamento.

Boa sorte...


Notas Finais


Ora pra amiguinhos, obviamente sou aquela autora que para na melhor parte pq a gente adora suspense não é mesmo? Próximo capítulo vai ter 2 lutas e uma intrusão a mais gente ao grupo da Teruko que logo não será mais da Teruko pq vai rolar um bagulho aí (teorias são aceitas pq gosto de ler)

Enfim até sexta/sábado ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...