História Always? Okay! - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Draco Malfoy, Harry Potter, Hermione Granger, Ronald Weasley
Tags Draco, Drarry, Harry
Exibições 450
Palavras 999
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


boa leitura meus amores.

Capítulo 25 - Love Me Like You Do.


Harry POV -

Semanas já haviam se passado desde a guerra, desde a morte de Voldemort, desde a quase morte de Draco, desde que eu larguei os conjuradores, muita coisa houve em duas semanas.

Nossa formatura foi perfeita. Na noite dela a estátua de Dumbledore, deus conjurador da sabedoria, foi erguida na frente do castelo, em homenagem a ele.

Segunda feira, início de semana, descobriríamos hoje se passamos ou não na profissão que queríamos. Eu estava ansioso!

- Amor? Vamos. - Draco estava no andar de baixo da casa de Sirius.

Eu desci as escadas correndo e pulei em seus braços. Draco vestia um paletó preto, bem formal eu diria. Eu estava com uma simples calça e uma blusa da Grifinória.

- Assim me sinto envergonhado. - Ele riu disso.

- Tenho uma reunião com um amigo, depois de pegar as notas! - Explicou.

Sorri. Dei a mão a ele, giramos no ar e reaparecemos na estação de trem 9 ¾.

- Está vendo Rony? - Perguntei.

- Ali amor, no canto! - Olhei no canto esquerdo, lá estava ele de mão dadas com Hermione.

Corri até aquele canto, antes de chegar Hermione pulou para um abraço para mim.

- Que saudades! - Gritou praticamente.

- A gente passou duas semanas sem se ver. - Ri.

- Mais comparado há anos juntos! - Ok, ela ganhou. Como sempre.

- Vamos entrar? - Perguntou Rony.

Todos sorrimos. Peguei a mão de Draco, Hermione pegou a de Rony e entramos no trem. Era tão estranho como aquela era a penúltima vez que entravamos naquele trem (A última seria na hora de voltar). Aquela seria provavelmente a última vez que víamos Hogwarts, então aproveitaríamos bastante aquele dia.

Dentro do vagão do trem, víamos conversando sobre como foi essas duas semanas separados. Rony idiota como era, perguntou como era viver dois homens em uma casa.

- Quem é a mulher?

- Ronald, está louco? - Brigou Hermione.

- Não, é que tipo, um deles vai trabalhar e outro cuida da casa. - Riu.

- Nós dois vamos trabalhar e fazer as coisas, quem cuida da casa é o elfo! - Respondi.

- Agora, pare de perguntas bobas, estamos chegando.

Estávamos perto, já podíamos avistar a estação de trem e Hagrid lá parado. O trem parou e o apito soou. Andei de mãos dadas com Draco até lá fora, quando sai soltei sua mão e pulei para um abraço no meu gigante preferido.

- Harry, que saudades! - Riu ele.

- Também estava morrendo! - Respondi.

- Vamos, vamos. Vocês têm um jantar formal com a diretora! - Hagrid começou a andar e todos o seguiram.

Resolvemos ir a pé com Hagrid o caminho todo, foi cansativo mais foi bom.

- Hagrid, agora quem é o vice-diretor? - Perguntou Hermione.

- Professor Slughorn. Diretora McGonagall está fazendo um perfeito trabalho, preparando os professores e o castelo para os alunos desse próximo ano.

- Espero que sim. Hogwarts não é a mesma sem Dumbledore.

- E Dumbledore não seria o mesmo sem Hogwarts. - Aquela foi a última frase de Hagrid, depois nos separamos.

Minutos depois já estávamos todos os ex-alunos no salão principal. Diretora Minerva estava como sempre, radiantemente severa (Para mim pelo menos).

- Podem pegar suas profissões! - E com essa ordem dela, corujas voaram entrando no salão jogando nossos exames na nossa frente.

Depois de vários envelopes serem abertos, ouvia-se risos e muitas comemorações, abraços e beijos. Também se via choros, abraços de consolo, envelopes queimados por feitiços e etc.

Rasguei o meu de uma vez e a única coisa no que prestei atenção foi: “PARABÉNS VOCÊ FOI ACEITO NA ACADEMIA NACIONAL BRUXA DE AURORES”. Deixe-me explicar: De acordo com nossos testes finais, as faculdades e academias nos aceitavam. Se uma academia te aceitasse, dê glória a Deus.

- Passou amor? - Perguntei a Draco.

- Sim! Fui aceito na academia bruxa de criação tecnológica bruxa! - Pulei em seu pescoço.

- Parabéns meu amor! - E nos beijamos.

- Harry, eu não passei na academia de Aurores. - Se entristeceu Rony.

- Eu passei na faculdade de direitos bruxos. - Gritou Hermione! Pansy chegou.

- Passou? - Perguntei.

- Parabéns você foi aceita na academia de Aurores! - Quase tive um treco.

- Você estudou para Auror? - Gritei e a abracei.

- Sim! Você acha que uma caçadora vai querer ser o que? Auror! - Rimos.

Depois de um tempo, a atenção foi chamada para a diretora.

- Muito obrigado a todos, pelo ano maravilhoso ao qual passamos aqui. A guerra foi apenas um detalhe em que passamos. Perdemos amigos, familiares, amores e outras pessoas. Essas pessoas não morreram em vão, o coração deles bate por cada um de vocês. Muito obrigado a todos e jamais se esqueçam desta escola, que por muitos anos foi a casa de vocês.

Então todos nos levantamos e cantamos o hino de Hogwarts.

- Por Hogwats! - Com o grito de Pansy, todos correram do salão para fora, onde começou o maravilhoso show de fogos de artificio.

Depois de um certo tempo, percebi que Draco havia sumido. Então ouvi um barulho no céu e lá estava ele voando.

- Harry? - Gritou e eu olhei para ele. Em suas mãos havia um saco, ele jogou para o alto e fogos de artificio de fizeram formando: CASA COMIGO?

Eu queria morrer, me enterrar, gritar, pular, beijar, abraçar e tudo o que eu teria direito nessa hora. Quando me dei de mim, todos estavam gritando: ACEITA, ACEITA, ACEITA!

- Claro que sim seu louco! - E mais fogos explodiram no ar. Ele desceu e veio até meu beijo.

Dois cavalos alados, trazendo uma carruagem pousaram no meio do jardim. Draco me puxou até lá, entramos e continuamos a nos beijar. Senti um impulso forte e os cavalos voltaram a se pôr em voo.

- Saímos com estilo! - Murmurou.

- Com certeza. - E voltamos para o beijo.

“PELA PRIMEIRA VEZ O QUE PASSOU, PASSOU”.


Notas Finais


Gente sério, sinto saudades dos comentários de vocês.
A fic ta pronta até o último capitulo, mais da um desanimo, sério.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...