História Amada por um Vampiro - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amor, Drama, Problemas, Revelaçoes, Romance, Vampiro, Vampiros
Exibições 37
Palavras 1.352
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência, Visual Novel
Avisos: Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 10 - Momentos Intensos


Estávamos discutindo sobre como iríamos eliminar os caçadores, Hazel - acostumem-se com isso - já havia planejado tudo. 

- Então começaremos com os originais? - pergunto com a minha voz visivelmente insegura. Das três raças, os originais eram os mais difíceis de matar, seria praticamente impossível. Nossa chance de matar todos era mínima.

- Sim, mas não do jeito que você está pensando. - ela fala enquanto analisa minha expressão. Com certeza eu sempre fora um livro aberto, era simples saber o que estava em minha mente. - Irei, somente eu, matar os primeiros. E os primeiros claro, serão os mais velhos; todos suspeitarão que a morte fora de velhice e os mais velhos, são os mais sábios, será uma força enorme a menos para eles. - ela explica o que tinha em mente calmamente. 

- Mas por que você sozinha? - falo com a preocupação saltando em minha voz. 

- Por que, como eu havia dito antes, eles podem sentir a presença de vocês. Será um ataque silencioso e imperceptível. - ela me encara cínica. Isso acontecera outra vez, Hazel tem um lado  frio e calculista. Apesar de tentar esconde-lo ao máximo, ela fraqueja as vezes. 

- Tem razão... - Mattew murmura me encarando, apreensivo. Desde que começamos com isso, não havia tido tempo para conversar com ele, coisa que eu estava desejando à eras. Também tínhamos pausas, mais precisamente quando Hazel dormia. Nesses momento caçávamos, logo, não havia tempo para lazer.  

- Então, vocês podem descansar e namorar enquanto eu planejo a primeira parte. - ela fala com um sorriso de canto. Espero o ardor em minhas bochechas vir, mas, apenas não veio. Outra vez esqueci que eu não tinha sangue realmente circulando em meu corpo, logo, não poderia subir à minhas bochechas. 

O único sangue que eu mantinha em meu corpo ficava no estomago, é o que me dá energia e me mantem de pé todos os dias. Sem ele, a consequência é morte. 

Hazel gargalha dispersando meus pensamentos obscuros. A olho, procurando o motivo do bom humor. 

- Vocês formam um casal lindo. 

Enfim, o único ruído ouvido na sala após isso foi o dos passos dela e, logo depois, esse som também cessou. Meu olhar pousou em Mattew. Estava insegura, preocupada com Hazel e sem esperança de que realmente conseguiríamos matar todos. Tudo em mim ansiava seu abraço - estranhamente - seguro, o único lugar onde poderia esquecer meus problemas. 

Com certeza, eu deveria estar o encarando de forma intensa no momento. Porém, fiquei feliz ao ver que seu olhar estava tão intenso quanto eu imaginava que o meu estivesse.

Subitamente sinto aqueles braços - nem tão - familiares me abraçarem e a sensação de segurança me invadir gradativamente. Seu rosto havia pousado em meu ombro, graças a sua grande quantidade de centímetros a mais que eu. 

- Sabe - ele começa a falar. A curiosidade me atingiu uma vez que não conseguia ver sua expressão - Você é muito especial para mim. - sussurra em meu ouvido e como resposta meu corpo se eriça.

- Posso dizer o mesmo. - minha voz saiu mais falha do que eu queria, contudo, eu tinha certeza de que ele entendeu a profundidade de minhas palavras.

Talvez tenha sido um momento de insegurança, talvez tenha sido verdade. Mas aquele momento rodou em minha mente por um longo tempo, juntamente de várias perguntas. 

Escuto passos vindo. Em seguida o cheiro da pequena Hazel. Eu me mexo um pouco. Não queria sair dos braços de Mattew, mas tanto eu quanto ele sabíamos a reação de Hazel ao nos ver assim.Com toda certeza algo do tipo "awn que fofos!". E passar por isso não era uma opção. Assim, fui obrigada a sair do seus braços aconchegantes.

Quando ela finalmente pisa no chão da sala. Olha diretamente para nós, frustrada. Em seguida sinto os braços da pequena envolverem minha cintura. A olho, preocupada com sua ação.

Seu olhar encontra o meu e pude ver, claramente, a insegurança ali. Ela estava com medo. E assim finalmente me lembrei que mesmo sendo extremamente inteligente, ela ainda era apenas uma criança. Aperto o abraço e escuto seu coração se acalmar gradativamente. Me senti estranhamente materna, fazendo-me lembrar dos momentos de lágrimas por Melanie. Por alguns momentos, senti que poderia chorar muito mais pela garotinha que estava com os braços envoltos à mim, apreensiva. Mesmo eu não sendo capaz de derramar uma lágrima sequer. 

- Ela é bastante passional - Mattew solta nos encarando.

- Sim, é uma boa palavra para ela. - concordo a observando. Vi lágrimas escorrerem pelas bochechas da mesma. Por mais que ela escondesse seus sentimentos, sempre era guiada por eles. Irônico, não? 

- Lexa. Eu não vou conseguir. - sua voz saiu fraca e insegura. Mattew começa a se aproximar e suspiro de alívio ao sentir seus braços envolverem à nós duas. Por um momento, não me senti deslocada, como se tivesse nascido para estar ali, em seus braços, ao lado de Hazel. 

- Claro que vai, pequena. - ele deposita um beijo na testa dela. Os encaro com um sorriso em meus lábios. Hazel, que antes estava abraçada à mim, lança seus braços sobre Mattew. A olho, um pouco desnorteada por estar fora do abraço, aquilo estava me segurando de pé, afastando minhas preocupações. O abraço dela tinha o mesmo efeito em mim, que o de Mattew. 

Hazel me encara e abre um sorriso. Logo em seguida mostra sua mão e começa a mexe-la. Como se estivesse me chamando. Sinto um sorriso em meus lábios e me aproximo deles outra vez, entrando no abraço. 

~*~

- Você vai agora? - questiono sua ação, com a preocupação eminente em minha voz. Três dias depois dela ter fraquejado e mostrado a grandeza de seus sentimentos, aqui estava ela, dizendo que iria agora, neste exato momento, ir à caça de caçadores. 

- Claro! Eu dormi o dia inteiro me preparando para ir agora, ataca-los. Enquanto eles dormem. - fala com seu sorriso intimidador e sua personalidade calculista. Com a convivência aprendi que quando ela se encontra nesse estado, está sempre certa e ninguém vai conseguir fazer muda-la de ideia. 

- Então. Por favor, tome cuidado. - falo a encarando seriamente. Ela apenas sorri, joga o cabelos para trás e solta: 

- Eu sempre tomo cuidado. 

Começo a rir.

 Mattew se aproxima ás gargalhadas também, com certeza havia ouvido nossa conversa. Após nossas gargalhadas cessarem um silêncio desconfortável predomina. Hazel respira fundo e solta o ar em seguida. Ela se aproxima e me abraça, em seguida faz o mesmo com Mattew. 

- Não se preocupe. Amanhã mesmo já estou aqui. - me garante apertando minha mão. Pude sentir a reação do seu corpo com minha pele fria. Ela ignorou, ou talvez simplesmente já estivesse acostumada. 

- Eu sei que eu já disse isso. Mas tome o máximo de segurança o possível. - falo ainda apreensiva. Hazel solta uma gargalhada enquanto joga a cabeça para trás. 

- Você se preocupa demais Lexa, eu sei me virar. Aliás, eu sei até dar aulas para um bando de velhos que nem vocês. - fala juntamente de uma risada nasal. 

- Sim, tem razão. - falo com um sorriso de canto. Seu olhar se exalta e em seguida, a vejo se recompor. 

- Estou indo - fala com olhar sério. Foi impossível encontrar uma gota de insegurança em seu olhar, por mais que eu soubesse, que ela estava ali. Assim que a porta se fecha sinto como se ela tivesse fora à anos. 

A saudade me invadiu e eu respirei fundo. O ar nunca fora necessário, mas, ele me ajudava a relaxar. Em seguida solto o ar, como se ele fosse levar todas as minhas preocupações. 

- Vamos relaxar. - Mattew coloca seu braço ao redor de minha cintura. - que tal alguns filmes? - fala com um sorriso. Aqueles filmes entendiantes? Não por favor. Fiquei em silêncio esperando que entendesse que não estava com humor para filmes. Mas, para minha frustração ele não entendeu; ou talvez simplesmente tenha ignorado. 

De qualquer modo, eu não estava apta para negar nada. 


Notas Finais


Espero que gostem. Já estou terminando de escrever o capítulo 16 dessa história :v

Escrever a história de Alexia me deixa ansiando por ter um Matt em minha vida ;-

Mas enfim, espero seus comentários <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...