História Amagoi Uta - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Vocaloid
Personagens Gakupo Kamui, Kaito, Len Kagamine, Luka Megurine, Miku Hatsune, Rin Kagamine
Tags Lenxrin, Lukagakupo, Mikuxkaito
Exibições 30
Palavras 1.121
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Hentai, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Não vou me prolongar muito desta vez mais só avisando que a história já voltou ao "normal" e um "Olá" aos novos leitores !!

Capítulo 23 - Perguntas e Certezas


Miku on

 

Acordei mais cedo que o normal, levantei e aproveitei para me olhar no espelho e pela primeira vez admirei meus cabelos, agora curtos depois do meu “surto” de realidade e no final nem ficou tão ruim assim?! Embora eu prefira eles como estavam antes, talvez por nunca ter cortado, fico feliz deles curto me faz parecer uma nova pessoa e por falar em pessoa...o que eu tinha na cabeça quando propôs aquela aposta para aquele maluco azulado? Eu sei que o jogo já está ganho, eu não vou me apaixonar por alguém como ele ainda mais depois de ter sido maltratada daquela forma, meu corpo ainda tem as marcas da surra e alguns hematomas que talvez sumam com o tempo, mas de alguma forma eu não consigo acreditar nas minhas próprias palavras quando eu digo: “ Não vou me apaixonar por ele”  

Me joguei naquele chão e comecei a encarar o teto pensando em toda essa aposta...

- Devo estar ficando louca...- Murmurei ainda encarando aquele teto branco

- Tem razão deve estar ficando louca de amor por mim Miku! – Falou uma certa criatura azul que nem sei quando chegou ao meu lado me dando um susto daqueles

- Você é mesmo muito convencido achando mesmo que vou me apaixonar por você primeiro, pois fique sabendo que eu não te amo e te odeio, prefiro morrer sem nunca amar alguém do que amar uma pessoa como você – Falei jogada ao lado dele no chão

- Você é mesmo muito marrenta, eu já disse é só uma questão de tempo até você está caindo de amores por mim – Ele disse frio como sempre – Agora o que acha de um beijo de bom dia para começarmos bem um dia do nosso jogo?

Iria rebater com outro comentário este “pedido” mais já era tarde o cretino já estava em cima de mim me prensando em outro beijo roubado. Me debati, mas não adiantava então resolvi morder seus lábios com força e como consequência o beijo antes doce começou a ter um gosto que estava se tornando muito comum para mim...sangue. Sem demora nos separamos e ele uma das mãos até o sangramento enquanto a outra me segurava firmemente.

- Não pensei que você fosse tão selvagem assim para retribuir meus beijos, apesar de não gostar muito do gosto até que não me importo com essa sua agressividade mais não acho justo você me ferir e não me agradar como desculpas....

- Está louco por acaso?! Você simplesmente me prendeu com o seu corpo e me agarrou como se eu fosse alguma coisa sua e ainda por cima contra a minha vontade e quer desculpas da minha parte? Pois fique sabendo que me recuso a pedir desculpas porque eu te mordi com toda a intenção de te machucar – Falei olhando em seus olhos, que por sinal eram azuis como o meu e me lembraram o oceano...desde quando eu reparo tanto na aparência dele?? – E poderia sair de cima de mim quero tocar um pouco de piano se não se importa seu louco

Quando terminei de falar percebi um brilho estranho nos seus olhos antes frios, seria ansiedade aquilo ou estou ficando louca? Aaaaaa são tantas perguntas em tão pouco tempo e tudo por culpa dele

- Vamos, você tocar piano servirá como um pedido de desculpas pela mordida – Ele falou e sem nem esperar uma resposta agarrou meu pulso e me arrastou para a sala ao lado e com a mesma velocidade me lançou no piano

- Comece! Agora “minha” Miku – Ele falou com um sorriso sedutor e um pouco sádico e isso me assustou um pouco mais não deixei que ele percebesse

- Vou tocar, mas não porque você quer, mas sim porque isso me ajudará a pensar em uma estratégia para acabarmos com esse jogo logo e eu sei que vou vencer como sempre – Falei vitoriosa e sem demora comecei a tocar

Como sempre minha mente foi esquecendo de todos os problemas e a sala ia se colorindo, mas desta vez era uma melodia diferente, era mais suave e delicada que a primeira porque era sobre ela, era sobre aquela colina, aquelas flores e inclusive todas as lembranças boas que tivemos juntos.

Mesmo com os olhos fechados eu podia sentir as lágrimas se formando, mas mesmo assim preferi esvaziar novamente a cabeça e pensar sobre a minha estratégia e se eu tentasse descobrir coisas sobre ele como o que gosta, a comida preferida, ou até mesmo se toca algum instrumento...ainda não é um “plano” mais já seria um começo para a minha vitória....

Não demorou muito e terminei de tocar e finalmente abri os olhos e novamente ele me encarava, mas a sua expressão era diferente...parecia que estava me analisando de alguma forma, como se procurasse respostas para perguntas que só ele soubesse

Sem nem percebe resolve pergunta já que isso já estava me incomodando pela segunda vez

- Porque fica me encarando sempre que estou tocando? – Perguntei, mas ele ainda parecia perdido em pensamentos e me ignorou – Eii o gato comeu a sua língua idiota, vai continuar me ignorando?? – Desta vez ele pareceu me ouvir e logo se recompôs

- Porque estava quase chorando na metade da música?

- O-o que você está falando eu não estava chorando seu louco – Como ele tinha percebi eu não deixei nenhuma lágrima cair

- Você não me engana Miku eu não sou cego, eu percebi a mudança de melodia ela se tornou mais delicada e as feições do seu rosto mudaram por alguns segundos – Ele falou meio sério me deixando em choque

- Desde quando você se importa se estou chorando ou não?! Eu toquei o piano como você queria então me deixe em paz, nosso acordo tem a ver como o amor o meu passado não é da sua conta – Falei séria desta vez e percebi ele ficando irritado com minha audácia até que ele se aproximou e me agarrou pelos meus cabelos, agora curtos e me aproximou dele

- Eu não disse que estava me importo só fiquei curioso com esse pequeno detalha e tenho todo o direito de pergunta e não se esqueça que você ainda é minha, independente dos nossos jogos então se coloque no seu lugar ao falar comigo “minha” cadela – E sem excitar me deu um tapa tão forte que me corpo foi ao chão e sua risada enquanto escoava pela sala, que antes estava colorida pela melodia deliciosa do piano agora estava sem cor, pálida e fria como os olhos dele, preenchia o ambiente quando o mesmo se dirigia a saída me deixando pela segunda vez naquele dia com um gosto de sangue na boca e a certeza que vou ganhar este jogo

 

Miku off

 

Continua...

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...