História Amami - Pernico - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Afrodite, Annabeth Chase, Apollo, Ares, Artemis, Atena, Bianca di Angelo, Calipso, Clarisse La Rue, Connor Stoll, Dionísio, Frederick Chase, Hades, Hazel Levesque, Hylla Ramírez-Arellano, Jason Grace, Leo Valdez, Nico di Angelo, Percy Jackson, Piper Mclean, Poseidon, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Sally Jackson, Thalia Grace, Travis Stoll, Will Solace, Zeus, Zoë Nightshade
Tags Nico Di Angelo, Percico, Percy Jackson, Pernico, Yaoi
Visualizações 124
Palavras 1.330
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Minhas provas começam segunda e as aulas de piano voltaram, quase me esqueci que já era quinta.

Capítulo 18 - Amami - 18



~Nico


 – Por que eu estou completamente apaixonado por você? 

Com os olhos arregalados assisti o silêncio reinar.

Por um momento eu pensei que não estava raciocinando direito por conta da bebida, mas Percy parecia tão chocado quanto eu, então imaginei que fosse real.

"Bêbados são tão sinceros quanto crianças"

Será que havia alguma possibilidade disso ser verdade, como já disse que não iria mentir, adoraria que fosse válido.

Mas... Como assim apaixonado por mim? Ele namora e tipo, eu? Eu sou um merda, por que ele se apaixonaria por mim? Não faz sentido.

As pernas do bêbado a minha frente cambalearam e ele acabou caindo em cima de mim, se eu não estivesse bêbado e fraco, talvez tivesse tido forças para segura-lo, mas como esse não é o caso, fomos os dois ao chão.

Ele passou a me encarar fixamente enquanto eu pensava em alguma forma de me levantar sem ter que jogar Percy no chão, ele levou uma de suas mãos até o meu rosto e começou a traceja-lo com as pontas dos dedos, eu corei com a sua atitude e levantei a minha própria mão e toquei a sua, por um momento ficamos parados apenas apreciando o momento. Percy começou a aproximar seu rosto do meu, e foi nesse momento que eu aproveitei para sair rapidamente de debaixo de si, foi rápido o bastante para vê-lo beijar o chão.

–Você está precisando de um banho frio. - disse no momento que ele se levantou.

Eu posso estar bêbado, mas Percy está em outro nível de embriaguez.

–Nem preciso. A não ser que você esteja nele comigo! - o ignorei e fui até as escadas com Percy logo atrás. –Eu acho que já passou da hora de te contar o que falam por trás de você. - o olho confuso e ele não demora a me olhar de cima para baixo. –"Bela bunda!" - reviro os olhos corando e volto a subir. –Ei Nico! Eu sei que você está corado e esse pensamento abençoa o meu cérebro. - não me atrevo a olha-lo. –Já que eu preciso de um banho, eu quero que você seja o meu sabonete e se esfregue em todo o meu corpo. - apreço os passos para chegar logo ao quarto de Percy antes que ele continuasse com essas coisas.

Quando finalmente chegamos, eu peguei a minha garrafa de vodka antes, no banheiro fui direito para ligar o chuveiro, assim que o fiz olhei para trás em busca de Percy dando um último gole na garrafa.

Ele estava parado no batente da porta me encarando tão intensamente que me sentia nu.

–Nico, tire a minha roupa? - neguei com os olhos arregalados. –Por favorzinho! - ele cruzou os braços e bateu um pé como uma criança birrenta. 

Revirando os olhos porém sem conseguir negar, fui até ele com o rosto vermelho e tirei a sua camiseta ficando nervoso ao ver o seu abdômen definido, por um momento tive vontade de passar as mãos por ele, e Percy, parecendo ler os meus pensamentos pegou a minha destra e a colocou sobre o seu abdômen. Ia perguntar o que ele estava fazendo mas ele começou a levantar a minha blusa, e então a pergunta voltou.

–Ei! O que diabos você está fazendo? - tirei a minha mão de onde estava e abaixo a minha blusa.

–Você tem que tirar também, bobinho! A cada roupa que você tirar de mim, eu tiro a mesma de você, é regra do jogo! - comecei a negar e perguntei se ele estava louco. –Então eu não vou tomar banho. - cruzou os braços, as vezes acho que ele tem seis anos.

Com muita vergonha levanto os braços para que ele não tenha dificuldades em tirar a blusa de mim, escuto um "muito obrigado!" E com os olhos fechados, sinto as mãos de Percy irem até a barra da camiseta a levantando devagar enquanto ele passava as mãos pelo meu tronco.

–Assim está melhor... Agora é a hora da calça! Estou tão animado. - ele diz a última parte tão baixo que quase não escuto.

Me abaixo receoso até estar cara a cara com o volume em sua calça, engoli a seco e levei as mãos até os botões da sua calça e os abri junto com o zíper, abaixei a sua calça com os olhos fechados sentindo Percy começar a acariciar o meu cabelo.

–Agora você chupa o meu pau! - assim que ele proferiu a frase me levanto com rosto mais vermelho, se é que é possível. 

–V-vamos com calma Perseu. - então foi a vez dele de revirar os olhos sussurrando um "você sempre para nas melhores partes"

Percy se abaixou desabotoando a minha calça com uma mão e com a outra ele já começava a abaixa-la por trás, eu fingi que não estava gostando da mão dele onde estava, mas só de olhar para o meu rosto ele saberia que era mentira. Assim como a blusa, ele foi tirando a minha calça acariciando as partes que eram descobertas aos poucos.

–Agora eu chupo o seu pau? - Percy perguntou aparentemente confuso, acho que nunca falei um não tão rápido. –Então está na hora das cuecas, né? 

–Chega, Percy, hora do banho. - o empurrei para água lamentando pela quantidade de água que foi para o ralo.

Antes que ele tivesse a oportunidade de dizer algo, corri até a cozinha procurando alguma bebida, porque se continuar como está, eu quero me divertir.

Acho uma latinha no fundo da geladeira e começo a bebê-la em goles grandes, quando voltei para o banheiro para ver como Percy estava, escutei sons abafados.

Abri a porta devagar e arregalei os olhos com o que vi.

Percy já estava sem a cueca.

Ele estava apoiado na parede e sua mão masturbava o seu membro com agilidade, senti uma fisgada na região abaixo do meu estômago quando escutei ele gemer o meu nome.

Percy Jackson estava gemendo o meu nome.

Tropecei no meu próprio pé e ele percebeu a minha presença, as suas bochechas se avermelharam mas logo se recompôs e desligou o chuveiro.

–Por que você saiu aquela hora? - ele veio na minha direção. –Nem havíamos conversado direito. 

Antes que ele estivesse totalmente próximo a mim, peguei a toalha e coloquei sobre a sua cintura, ao terminar de amarrar a toalha lá com cuidado para não tocar onde não devia, olhei para Percy que tinha um sorriso totalmente malicioso.

–Sabe o que eu fiz hoje, Nico? - ele me perguntou enquanto caminhava em minha direção, eu ia dando passos para trás a cada passo que ele se aproximava. 

–V-você encheu a cara.

–Fora isso... - ele revirou os olhos. –Eu fui até a casa dos Chase e terminei com Annabeth. 

"Terminei com Annabeth"

–Você o que? - parei estático.

–Terminei com ela, não poderia continuar com ela enquanto gosto de você. 

Enquanto tentava processar as últimas informações que ele disse, cai sentado na cama e senti Percy se aproximar ainda mais, ele colocou uma de suas mãos na minha cintura e a outra no meu rosto, antes que pudesse analisar a situação, Percy cola os seus lábios nos meus me fazendo paralisar.

Aos poucos relaxei um pouco e levei os meus braços para entrelaçar o seu pescoço, a essa altura os meus olhos já haviam se fechado, ao ver que eu já estava bem com a aproximação, Percy começou a movimentar os lábios e eu apenas o seguia.

Mesmo sem música, após as nossas línguas entrarem em contato, parecíamos em uma dança intensa que nenhum de nós dois ligava para hora que terminaria.

–P-percy! - arfei quando senti um aperto na minha bunda.

–Você é um anjo, como aqueles idiotas tem coragem de te machucar? - ele tinha um feição brava, então percebi que ele olhava para os hematomas pelo meu corpo. –Vou mata-los.

Entrelaçando a minha perna pelo seu quadril, o empurro para me sentar sobre ele e voltei a beja-lo, mas dessa vez, parecíamos ainda mais apressados.

–Cala a boca, você não queria jogar? Então vamos, mas nesse jogo, são necessários dois jogadores.


Notas Finais


Desculpa aí gente, eu sei que grande parte de vocês querem me matar agora, eu deixo :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...