História Amando uma sereia? - Capítulo 11


Escrita por: ~ e ~hannahlily

Postado
Categorias Fairy Tail
Tags Aventura, Comedia, Fairy Tail, Romance
Exibições 77
Palavras 865
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Hentai, Magia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência, Yuri
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


euuuuuu voltei de verdade!

minhas provas acabaram e eu voltei...
sentiram minha falta ne? eu tambem...

Capítulo 11 - Uma dor suportável...


Autora on

“A despedida é um momento de tristeza, em que corações se preparam para viver uma saudade”

Mais um dia longe de casa, mais as garotas não se importavam elas sofriam pelos pais não entenderem e não apoiarem, mais elas descobriram que poderiam ser livres para viver o que elas queriam se hesitar sem pedir permissão e sempre ser negado...

- mais um dia longe... – murmurou cana – será que eles estão felizes ou tristes? Ou pelo menos se incomodam?

- nunca saberemos, pelo jeito deles já devem-te vários outros filhos para compensar as renegadas – disse levy forçando um sorriso;

- talvez por um tempo... eles sintam nossa falta... – disse mira e todas a olharam – amor de pai e melhor coisa no mundo...

- mais aqueles que deixa os filhos irem... – retrucou cana – não podem nem ser considerados pais...

- cana... – disse erza e cana negou segurando as lagrimas – eles nos ama, porem eles foram criadas para entender o destino traçado como reis e rainhas...

- mesmo assim, se eles não tiverem  juntos da gente, não importa... – disse juvia – estamos juntas de novo e isso que importa...

Todas sorriram e assentiram mais Lucy saiu do local e começou a andar para fora da casa, a cada passo uma lagrima cai. Ela não consiga entender como poderão não se importa? Com o que sentia?

- eu não consigo entender por que... – disse voltada para o mar – como podem não se importa? Eu queria entender...

- talvez um dia você vai entender que isso foi o melhor para vocês... – disse o mar e Lucy se assustou – não e por que não amamos vocês, ao contrario... mais foi o melhor...

- melhor? Nos deixar presa todos esses anos e depois nos deixar ir embora? – ela disse não conseguindo entender – ISSO NÃO E O MELHOR, E A PIOR COISA QUE UMA MAE FARIA!

- me perdoe... – sussurrou com a voz a cada vez mais distante – só quero que me perdoe...

- eu nunca vou te perdoa... – respondeu tentando parecer calma – eu nunca mais vou te perdoar...

A voz sussurrou uma ultima palavra – eu sempre amarei vocês, mesmo que signifique vê-las do mundo dos mortos...

A loira se assustou e olhou o mar com gotas de sangue e não entendeu mais logo sentiu uma dor em seu peito e um sussurro em seu ouvido...

- eu posso estar morrendo Lucy, mais sempre estarei olhando vocês... – sussurrou a voz – eu serei o mar que sempre te levara para casa...

- isso significa... – ela disse e olhou para o lado vendo suas irmãs na praia juntos dos garotos, ela olhou para as irmãs e correu para a agua, as garotas a seguiram a loira pulando na agua e correu ate o fundo nadando.

- isso não pode ser verdade... – disse cana olhando a cena de sua mãe atravessada por uma arma de caçador – mamãe!

- por que estão aqui? Fujam! E perigoso... – ela disse deixando suas lágrimas caírem e seu sangue se misturarem.

- não! Por favor... – pediu Lucy chorando – nos não podemos perde você, eu prometo que voltaremos...

- não quero que voltem nunca! Seu pai esta louco, por favor... Não chore eu sempre estarei ao lado de vocês – ela disse – tirem elas daqui dragão...

As garotas foram bruscamente puxadas para cima vendo sua mãe ser levada para longe a um barco que sumiu. Elas foram colocadas na areia chorando intensamente gritando pela mãe, natsu se aproximou de Lucy e abraçou.

- isso doi eu sei, mais eu não tive escolha... eu não queria que vocês fossem pegas... – ele disse e lucy o apertou mais chorando – não chore, eu sempre estarei aqui com vocês...

- mais ela... – ela tentava falar mais suas lagrimas a impediram.

- ela estará com vocês... – disse o rosado segurando firme o rosto da loira – chorar, não combina com você... Você e Lucy heartfilia, a mulher que me fez olhar diferente para as sereias... Então não chore...

Ela assentiu e o beijou, aquela dor havia diminuído mais ainda estava ali, mesmo que ela estava fina ainda dói, ainda despedaçava... Ainda provocava lagrimas...

 

No dia seguinte.

“eu sinto dor, sinto tristeza... por que queria voltar no tempo e ter dito que eu te amo antes de te perde”...

- prontas? E o primeiro dia de aula... – disse Gray e elas assentiram – não se esqueçam de nada de poderes, nada de ciúmes violentos capazes de matar – ele olhou para Lucy que bufou - nada de machucar as inimigas com a magia – olhou para cana que sorriu - nada de me perseguir ate o banheiro – olhou para a ajulada – e serio... Nada de palavras de mil anos atrás para suspeitarem – olhou pra a pequena que assentiu – e por fim, nada de assustar os humanos...

- já sabemos dessas regras já estudamos o mundo humano uma vez... – disse levy – o ciúmes foi novo, mais o resto já sabemos...

- então estamos prontos... – disse o rosado saindo e em seguida as garotas. Lucy parou e olhou para a janela e se lembrou de sua mãe, e sorriu seguindo as garotas.

 

 

”Sorria mesmo que seja um sorriso triste, pois mais triste que um sorriso triste é a tristeza de não saber sorrir”

 

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...