História Amanhecer - Jikook. - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 30
Palavras 1.480
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Luta, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem!

Capítulo 6 - Sol incomparável e a preguiça de sair na neve.


JIMIN

    Bomi, irmã de Jeon Jungguk, suspostamente saiu da cidade para morar em outro lugar por brigas com a mãe, relacionadas ao seu comportamento. Park Bom, não ousava dizer o nome de seus familiares, assim como Namjoon e Jimin, era cautelosa e tomava cuidado com o que fazia, até que alegou estar cansada disso e então meter o pé para fora da cidade. É claro, Jimin não poderia ter diretamente perguntado “Park Bom, esse é seu nome inteiro?”, soaria ridículo e intrometido, mas é claro, poderia juntar fatos de sua ficha, com o que Jeon lhe disse. Tudo nesse lugar é motivo para desconfiança.

Nome: Park Bom
Data de nascimento: 3 de outubro 1993.
Idade: 24 anos.
Sexo: Feminino.
Preferência Sexual: Hétero.
Status social: Nível médio leviano, normal.
Faculdade: Desconhecido.
Turma: Desconhecido.
Endereço: Desconhecido.
Cidade: Seoul.
Telefone: (82) 88294756
Nome da mãe: Desconhecido.
Nome do pai: Desconhecido.

 

    Sua ficha está desatualizada, faz um ano desde que Jimin falou com a mesma, mas mesmo assim, as informações são mínimas, impossível fazer uma comparação que vá dar certo, tudo que Jimin pode ter certeza é que agora ela está com – provavelmente – vinte e cinco anos de idade.

- Namjoon? – Disse após o amigo ter atendido o celular.
- O que foi? Espero que seja importante, sabe que só tenho esse horário de sono. – Ranzinza como sempre.
- Você tem o contato da Bom? – Foi direto ao ponto, odiava ter que armar uma grande história para fazer uma simples pergunta.
- Eu não sei, tenho que olhar minhas gavetas. – Suspirou. – Por que quer o contato dela? Ela foi clara quando disse para que ninguém a incomodasse.
- Se achar me fale, eu te explico depois. – Suspirou, se jogando na cama novamente.
- Ok. – Riu. – E você fez um bom trabalho.
- Eu sempre farei um bom trabalho. – Disse sarcástico ouvindo a risada de Namjoon, desligou o celular e o colocou ao lado da cama.

Jimin olhou para sua janela, não queria sair para fazer nada hoje, estava nevando e com certeza, frio demais, era possível ver a borda de sua janela com o começo da geada. Encarou então suas vestes, apenas uma calça moletom, enquanto o aquecedor em seu quarto estava ligado, com certeza não sairia hoje.

Levantou de sua cama, indo enfim até seu piano, uma coisa que lhe acalmava, sempre. Sentou no banco a sua frente, se preparando para tocar uma música não muito conhecida por ai, eram poucos que sabiam de sua existência.

Fengsuo naxie piao xue de huiyi
Eu bloqueio as frias lembranças
Huibi shi yong lai baohu ziji
Eu evito elas para me auto proteger.
Dang jianqiang bian wuqing zai bian juli
Eu me torno forte, cruel e outra vez distante
Wo de yanlei he weixiao tongshí jie bing
Eu congelo as minhas lágrimas e o meu sorriso
Zai ye buxin tiamei de aiqing
Eu já não acredito mais no doce amor
Tong cai jieshile ai de suming
A dor só fez explicar o destino do amor
Nai de langman reqing sha dao buxing
O seu entusiasmo romântico é inútil e tolo
Dan que la wo zou shangle qimiao luxing
Mas ele tem me levado a uma maravilhosa viagem...

 

    Cantava cada palavra com o mais puro sentimento que podia transparecer aquele momento, por mais que quisesse desviar seus pensamentos – por alguns segundos, pelo menos – sua cabeça continuava reproduzindo a imagem de Jeon sorrindo, com suas bochechas coradas.

- Você tem me levado a uma maravilhosa viagem. – Sussurrou baixinho, fechando os olhos, e voltando a dedilhar o teclado, porém antes que pudesse continuar a canção, alguém fez isso para si, uma voz maravilhosa e calma começou a cantar em sintonia com o seu toque no piano.
- Dang bu zhu de taiyang buguan wo dikang, sa zai wo xiongkou zui an di difang. Bi wo ba yinying du shifang, ma man ba xin jiedong zhihou bian de guntang…

Nada pode tapar esse sol por mais que eu resista, ele ilumina a parte escura do meu coração, e me força a libertar minha sombra, ele aquece lentamente o meu coração, que era frio.

Jimin parou de tocar o piano, caminhando até sua janela e a abrindo, sabendo que a voz vinha de lá. E para sua surpresa, ao abri-la pode ver um moreno apoiado na janela vizinha, sorrindo abertamente, mas com toda certeza, com muita vergonha.

- Eu escutei você cantando. – Disse alto, para que Jimin pudesse lhe ouvir claramente. – Desculpa. – Sorriu.
- Eu gostei. – Falou no mesmo tom, passando as mãos pelo cabelo. – Sua voz é linda.
- A sua também. – Riu. – Desculpe por te atrapalhar, eu vou entrar agora, está frio demais aqui. – Acenou para Jimin.
- Espera! – Gritou por impulso, pela segunda vez na vida Jeon o fez agir por impulso, sem nem mesmo ter o que falar. – Podemos conversar? – Perguntou, por impulso, por não ter o que falar, por que queria o ver...
- Não quero sair de casa, pode vir aqui? – Deu uma leve risada, esfregando as mãos uma nas outras.
- Estou indo. – Disse e o viu assentir, fecharam as janelas, mas antes disso, Jimin pode ver as coxas fartas de Jeon desnudas, já que o mesmo trajava apenas um moletom largo e grande, infelizmente não teve a sorte de ver sua bunda.

    É, Jimin não queria sair de casa, mas Jeon  o tirou de lá, impressionante. Pegou uma calça Jeans em seu guarda roupa e a vestiu, colocou uma blusa de frio fina e um moletom por cima. Desceu as escadas de sua casa, pegando o tênis e as meias que estavam jogados na sala e o vestindo, logo saindo do local, trancando a porta e guardando as chaves no bolso do moletom.

    Em poucos passos estava na frente da casa de Jeon, que o esperava com a porta aberta, infelizmente agora vestindo uma calça de moletom, mas tudo bem.

- Desculpa estar vestido assim. – Como sempre as bochechas vermelhas. – Eu estou com muita preguiça mesmo.
- Eu também estou. – Sorriu e entrou, trocando o tênis por um chinelo casual. – Eu espero não estar atrapalhando.
- Não está. – Guiou o ruivo pelas escadas. – Normalmente nesse horário eu fico bem solitário em casa, minha mãe sai para trabalhar e meu pai vive viajando a trabalho. – Suspirou, abrindo a porta de seu quarto, fazendo um sinal com a mão para que o outro entrasse. – Minha mãe chega sempre um pouco antes de eu chegar da faculdade.
- Meus pais também eram assim. – Disse involuntariamente, Jimin não gostava de falar dos pais. – Mas hm... Viu que cancelaram as aulas hoje por conta da neve?
- Sim eu vi. – Sorriu animado. – Eu agradeço muito, hoje eu realmente não acordei nada disposto a sair nessa neve, nem mesmo para comprar o meu maravilhoso café americano. – Se jogou na cama, e Jimin se sentou na pontinha dela. – Sobre o que queria conversar? – Perguntou olhando para o ruivo.
- Na verdade... – Sorriu envergonhado por que iria mesmo dizer aquilo. – Eu não tenho nada para falar com você, apenas queria te ver. – Suspirou o olhando, e ouviu sua leve risada ecoar pelo quarto.
- Você é sincero, isso é bom. – Sincero. – Hm, acho que eu não gosto muito de admitir isso, por vergonha, mas eu também queria te ver, você é diferente.
- Diferente? – Perguntou, se ajeitando na ponta da cama.
- É. – Jeon o puxou, fazendo o mesmo tomar um susto, mas então se ajeitar deitado ao lado do moreno, o olhando de relance. – Diferente de algumas pessoas sabe, hm... Digo. – Ruborizou novamente. – Deixa pra lá.
- Por quê? – Se virou de lado olhando para o menino, que também se encontrava de lado, agora muito mais ruborizado que antes. – Eu quero saber, me fala.
- Ah... – Suspirou entre cortado, como se Jimin lhe causasse sensações estranhas, de fato causava. – Você, é diferente de alguns outros garotos que eu conheci. – Disse baixo. – Você me trata diferente. – Desviou seu olhar do ruivo, mordendo o lábio em seguida, algo que fazia quando estava apreensivo, ansioso, bravo ou com ciúmes de algo. – Eu não entendo.
- Isso é bom? – Perguntou mesmo sabendo a obvia resposta, Jimin agora pensava que já não estava mais fingindo ser quem não era para Jungguk, achava que agora estava apenas sendo o que deveria ser.
- Isso é bom. – Respirou fundo, topando novamente os olhares. – Eu gosto.
- Que bom. – Levou uma de suas mãos até o rosto do moreno, acariciando sua bochecha, que estava um tanto quente, mas agora não estava muito avermelhada. Aproximou seu rosto, colando as testas e deixando as respirações se juntarem, enquanto Jeon pressionava os lábios numa tentativa de ficar calmo, o ruivo encostou os narizes, sorrindo ao ver que as bochechas de Jungguk voltavam a corar. O moreno levou uma de suas mãos e a colocou por cima da de Jimin, que abriu um sorriso ainda maior. – Eu queria muito te beijar agora.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...