História Amante Indócil - Larry Stylinson - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~MikaDeppStyles

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Ação, Drama, Harry, Larry, Liam, Louis, Niall, Nouis, Romance, Zayn
Exibições 23
Palavras 1.024
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Lemon, Luta, Romance e Novela, Slash, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Capitulo 2


Entrando na casa um passo atrás do pai, acompanhou-o através da sala de estar até a sala de jantar adjacente. O mobiliário da casa era austeramente masculino, arrumado numa ordem precisa. Tudo era confortável, mas muito prático. A mesa estava posta para o café da manhã, uma rotina diária na casa dos Tomlinson

Enquanto o Major puxava uma cadeira à cabeceira da mesa, a governanta chegava da cozinha, trazendo um bule de café recém-coado e um prato de rosquinhas feitas em casa. Sophie  era uma mulher emaciada e sem atrativos. Embora tivesse apenas 30 e poucos anos, o cabelo castanho era cheio de fios loiros , e penteado num estilo severo,uma coroa de tranças no topo da cabeça. Sem filhos, nos últimos seis anos morará na estância como governanta do Major. Era uma pessoa insípida, fazia o seu trabalho sem chamar a atenção.

Louis  sentava-se na cadeira à direita do pai. Até onde a sua memória alcançava, sempre o acompanhará nessa refeição matinal, bebendo café desde a idade dos oito anos. Pai e filho compartilhavam de quase tudo. Esta não estava sendo uma das vezes em que Louis apreciava a situação. Ainda estava perturbado porque o Major não o informaram  da contratação do novo empregado. Também estava aborrecido pelo modo como ele não dera importância à antipatia dele por Harry Styles.

O café fumegava na xícara do Major, enquanto Sophie enchia a xícara diante de Louis. O Major desdobrara o guardanapo e colocara-o sobre as calças vincadas. Olhou para o prato de rosquinhas, e sorriu para Louis.

- Chocolate, seus favoritos, Louis - comentou, e recebeu em resposta um aceno desinteressado de cabeça.

- Sophie as fez especialmente para você.

A insinuação sutil fez com que Louis  saísse do seu mutismo contemplativo.

- Obrigado, Sophie.Falou as palavras com indiferença, por sobre o ombro, e a governanta retribuiu-as com um leve sorriso, pois já aprendera a não esperar mais nada de Louis.

Para Louis , Sophie não passava de mais uma de uma série de governantas que tinha entrado e saído da sua vida. Sophie simplesmente durará mais do que as outras. A maioria delas não gostará do isolamento da estância, que as impedia de ver família e amigos. Como Sophie não tinha família, e aparentemente poucos amigos, o emprego lhe agradava.

Louis  não se interessava por governantas. Sua vida girava em torno do Major. As governantas eram figuras sem rosto que trabalhavam para ele. Só seu pai existia. O que interessava  o Major  interessava ele. No momento, ele demonstrou um interesse incomum pelo novo empregado. E Louis  não estava gostando.

Durante as semanas que se seguiram, sua primeira impressão de Harry Styles  não se alterou. Ele o tratava com cortesia, com o respeito devido ao filho do patrão, porém jamais com a afeição indulgente que os outros empregados da estância expressavam. Para os outros, ele podia ser o queridinho, o mascote da estância, mas não para ele.

Quanto ao Niall, transformara-se virtualmente na sombra dele quer Louis  quisesse, quer não. Geralmente não queria, embora houvesse momentos em que a sua atitude quase de adoração fizesse bem ao ego.

Este não era um desses momentos. Enquanto caminhava rapidamente para os cercados dos garanhões, com Niall nos calcanhares, desejava fervorosamente que ele sumisse da vida dele.. permanentemente.

-Posso montar com você, por favor? Repetiu o pedido que ele recusará, segundos atrás.-Estou ficando bom. Você mesma falou.

-Não! Vou exercitar os garanhões. Ele fazia isso, com regularidade, na arena, a uma distância segura das éguas reprodutoras e de quaisquer encrencas. Já lhe disse um milhão de vezes que não pode montar a égua ao meu lado quando estou montando um dos garanhões.

- E porque não?.Louis  lançou-lhe um olhar irritado.

- O seu pai ainda não lhe contou os fatos da vida?Niall enrubesceu furiosamente, e ficou calado, mas não saiu do lado dele.

No cercado, ficou

olhando por entre as tábuas enquanto Louis pulava a cerca, os arreios jogados sobre o ombro. O garanhão baio veio saltitando para junto dele, conhecendo a rotina, ansioso para esticar as pernas.

- Se quiser ser útil, Niall - havia um tom levemente irritado na voz enquanto colocava o'freio na boca do animal - vá apanhar a sela no depósito para mim enquanto faço Shetan andar um pouco na ponta da corda.

Tudo bem disse, e se mandou, ansioso para obedecê-lo.

Quando voltou, não trazia a sela, e nem vinha sozinho. Louis  olhou e viu Harry Styles caminhando atrás do filho pálido. Lançou-lhe um olhar de indiferença e virou-se para Niall.

-Pensei que tinha mandado você trazer a cela.

- Eu…

- O que acha que está fazendo, Sr.Tomlinson?Havia algo na maneira serena com que fez a pergunta que a deixou irritado.

Fez parar o baio que dava voltas em torno dele, a meio-galope, na ponta da corda, e enfrentou-o. Era integralmente a filho do patrão olhando para um simples empregado.

- Não creio que seja da sua conta.

- Niall me disse que está pretendendo montar esse garanhão.

- Estou.

-E o Major sabe?

- Claro que sabe - retrucou ,  ele indignado

-.Ele deve estar maluco para deixar um fiapo de garoto como você... Não teve oportunidade de completar a frase, quando Louis  interrompeu,furioso.

-Monto melhor do que praticamente qualquer um neste rancho, talvez no condado.

- Isso não quer dizer grande coisa. - Abriu o portão do curral e entrou, trancando-o atrás desi.

- Passe-me uma ponta da corda com que exercita o cavalo

.- Por quê? perguntou, desconfiado.Digamos que estou fazendo um teste - respondeu. Louis pressentiu um desafio, e não pôde recusar. Passou-lhe uma das pontas, e ele recuou. Cerca de um metro os separava.

- Segure firme - advertiu Harry. - Não deixe que eu a arranque das suas mãos.

Enrolando a longa corda de couro na mão, deu um puxão firme. Louis enfiou os calcanhares no chão e resistiu, com êxito. Um repelão forte e repentino fez com que caísse aos trambolhões, de encontro ao peito dele. Ele o segurou pelos ombros para escorá-lo, a sua força superior dando-lhe um choque como o de um aguilhão de gado. Louis afastou-se bruscamente.

.Não prova nada….


Notas Finais


obrigada por ler :)
<3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...