História Amante Indócil - Larry Stylinson - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~MikaDeppStyles

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Ação, Drama, Harry, Larry, Liam, Louis, Niall, Nouis, Romance, Zayn
Exibições 23
Palavras 2.198
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Lemon, Luta, Romance e Novela, Slash, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Capitulo 3


 

No começo do verão em que faria 17 anos, Louis soube pela primeira vez o que era ficar gamado por alguém. Um novo empregado fora contratado para treinar os valiosos cavalos árabes do Major, um perito em prepará-los para se exibirem. O nome do homem era Liam Payne

Alto e musculoso, com cabelos escuros lisos e olhos castanhos luminosos, tinha um encanto natural e o sorriso fácil. Aos olhos de Louis , era um deus grego que criara vida. O filho do patrão nunca era ignorado, mas ele se botou em campo para fazer com que Liam o considerasse muito mais do que isso. Flertava com ele, e ele retribuía, mas sempre com ar indulgente, como se a considerasse uma simples criança. Ficava frustrado porque ele não o enxergava como o homem  que ele sentia ser.

O aniversário de Louis  foi num dia quente no final de Dezembro . Fez pouca diferença dos outros que comemorar anteriormente. Sophie preparar o seu bolo favorito, como de praxe, é enfeitará-o para o jantar. Niall  fizera, laboriosamente, um chaveiro de couro com as iniciais dele.

Taylor  viera visitá-lo, à tarde, para dar-lhe um chapéu novo é que esperava o primeiro filho. E Louis escutou os planos de Taylor  para o quarto do bebê. O dinheiro que havia economizado durante dois anos para reformar e modernizar a cozinha estava agora sendo guardado para as coisas do bebé, contas de médico e hospital que apareceriam. Louis  deu os parabéns que a outra esperava, mas perguntou-se intimamente por que Alan e Taylor não tinha esperado mais alguns anos antes de dar início a uma família. Não achava que já estivessem em condições de fazer isso.

À noite, na hora do jantar, o Major presenteou-a com a habitual variedade de presentes de aniversário. Louis usou a sua mais nova calça  de festa para a ocasião e soltou exclamações com a ênfase adequada de felicidade, ao receber os presentes. Com apenas os dois sentados à mesa, ignorando Sophie, que simplesmente ocupava uma cadeira, Louis não estava com disposição para festas.

Mais tarde, foi para a varanda e se apoiou na grade para olhar as estrelas lá em cima,tomando cuidado para que nenhuma farpa entrasse na sua calça  branca. Louis tocou nos botões da frente da camisa  e ficou desejando que Liam estivesse ao seu lado.

O olhar dirigiu-se desejoso para os alojamentos dele. Não havia luz na unidade que ele ocupava, mas o seu furgão estava estacionado do lado de fora. Foi então que Louis  viu uma luz na sala de equipamentos do estábulo. Teve uma ideia súbita que fez com que prendesse a respiração.

Antes que o orgulho ou a discrição a afastasse, entrou às pressas na casa. O pai trabalhava no escritório, e Sophie já se isolaram no seu quartinho nos fundos da casa. Louis entrou na cozinha e cortou um pedaço do bolo de aniversário.

Enrolando-o num guardanapo, levou-o até o estábulo. Louis  fingiu  se de surpreso ao entrar na sala e encontrar Liam limpando os equipamentos.

- Ah, é você. Vi a luz e pensei que Harry  estivesse aqui - acrescentou, como explicação.

- Verdade? - perguntou, olhando para ela com ceticismo irônico.

- É, verdade - retrucou ele, com um olhar provocante de desafio.

- O que tem aí na mão? - quis saber Liam, olhando para o guardanapo.

-.Uma fatia do meu bolo de aniversário. Como já disse, vi a luz e pensei que era o Harry.Estava trazendo um pedaço do bolo para ele dar ao Niall. Louis adentrou mais pela pequena sala, dando de ombros.

-Mas, já que ele não está aqui, e você está, pode comê-lo.

O sorriso dele dizia que ainda não estava acreditando na história, mas fingiria que acreditava.

- Não gostaria de ficar com a guloseima do Niall.

- Não há problema. - Ofereceu-lhe o bolo envolto no guardanapo.

-Dou o pedaço do Niall  amanhã. Sophie fez um bolo grande. Vai ficar velho antes que eu e o Major possamos comê-lo todo.

A verdade é que gosto de coisas doces admitiu Liam , com um brilho nos olhos que fez o pulso dele se acelerar. Um leve tremor de excitação percorreu-a quando os dedos dele o tocaram, ao tirar o bolo da sua mão.

-Quer dizer que hoje é o seu aniversário, hem?

- Hã-hã - replicou, vendo-o desenrolar o guardanapo e dar uma mordida no bolo.

- Quantos anos está fazendo? - indagou, entre uma mordida e outra. Louis  teve vontade de mentir, mas ele provavelmente já sabia quantos anos tinha

-.Dezessete.Depois de alguns minutos, terminou de comer .Que bolo gostoso. Limpou o farelo das mãos.

-Gostaria de ter sabido que hoje era o seu aniversário.

- Por quê? - murmurou, um tanto sem fôlego.

- Teria comprado um presente pra você.- Não esperaria que o fizesse.Mas não teria sido maravilhoso se o tivesse feito?, perguntou-se Louis sonhadoramente.

- O que foi que o seu namorado lhe deu?

- Não tenho namorado.

- Mentiroso. Um garoto lindo assim, todos os garotos e garotas  da escola devem ser malucos por você.

O coração quase parou quando ele disse que era lindo  especialmente quando o olhar ecoava as suas palavras.

- Todos eles parecem tão imaturos.

Louis  tentou parecer muito adulto ao responder. Quando ele deu uma risadinha abafada, ele se virou, magoada porque o acharam engraçado.

Que calça  bonita comentou. Imagino que o Major tenha dado uma grande festa, lá nacasa grande.

-Não. Tivemos apenas um jantar sossegado.O tom de voz indiferente indicava que não esperava outra coisa.

-Os aniversários devem ser comemorados com mais do que apenas um jantar, um bolo é alguns presentes falou Liam, com ar reprovador.É? lançou-lhe um olhar de esguelha.

E como você comemora os seus aniversários?

- Com alguns drinques e um pouco de dança, e, com sorte, a companhia certa. Manteve os olhos fitos nos dele.

- Não é lá um grande aniversário, sem essas três coisas.

- então o meu não foi lá um grande aniversário - suspirou Louis  porque não tinha mesmo sido.

Já que não lhe comprei um presente, vou ver se posso fornecer os ingredientes necessários para uma comemoração. - Liam piscou o olho e foi até o canto mais próximo, onde havia vários pequenos baús de guardados empilhados. Levando o dedo à boca, num breve gesto de quem pedia segredo, esticou a mão por trás deles e tirou de lá uma garrafa de uísque.

Hesitou antes de servir a segunda dose, olhando para Louis .

-Bebe álcool? Não quero ser acusado de estar corrompendo um menor.

- Já bebi álcool sim.

Só uma vez em toda a sua vida, mas não ia admitir isso para ele. Quem sabe que, se pensasse que era mais um pouco mundano do que na realidade, poderia tratá-lo como o homem, ao invés de como criança.

Adicionou a bebida ao segundo copo, e entregou-lho, erguendo o dele num brinde.

-Para um moço muito lindo. Feliz aniversário, Louis. Quando engoliu a bebida, ele fez o mesmo. O fogo queimou-lhe a garganta, tirando-lhe o

fôlego. Louis  tentou não tossir, e conseguiu manter a sua reação ao nível de um arquejo sufocado.

-Faz mesmo a gente se aquecer, não é? riu, a voz rouca.Faz, sim concordou Liam, e voltou a encher o copo. E também ajuda a gente a relaxar.

 

- Prometi-lhe que haveria dança, não foi? Vamos. Pegou-o pela mão e saiu com ele da sala de equipamentos.

No largo corredor do estábulo que se estendia ao comprido para dividir as baias, Liam ligou o rádio que o Major instalara ali para acalmar os cavalos.

Uma balada instrumental romântica saía dos alto-falantes. A única iluminação provinha da luz da sala de equipamentos.

Ele se virou, lançando-lhe aquele sorriso sedutor e fascinante.

 

 

-Quer dançar comigo? - perguntou, como se estivessem num clube noturno, e não num estábulo.

Quero respondeu Louis  e pareceu flutuar para os braços dele.

Ele era forte. Podia sentir os seus músculos possantes enquanto a abraçava. Moviam-se ao ritmo lento da música. Louis  jamais dançaria  assim antes; podia sentir a pressão das coxas dele contra os seus quadris, e a mão espalmada no meio das suas costas.

-Que está achando desta comemoração de aniversário? - O belo rosto parecia estar a poucos centímetros de distância. - Bebida, dança...

-e a companhia certa - completou Louis , dando o último ingrediente.

- E a companhia certa - concordou Liam. O seu olhar varreu o rosto que se erguia para ele.

- É uma pena que eu não estava aqui no seu último aniversário. Os doces dezesseis anos.Imagino que não esteja chegando ao décimo sétimo aniversário sem ter sido beijado.

- Já fui beijado algumas vezes - disse ele, fazendo as palavras soarem como se fossem uma atenuação da verdade. Ficou olhando para os  cabelo dele, com vontade de tocá-los e de correr os dedos por entre eles.

- Hoje? indagou ele. -Não.

Nenhum aniversário é completo sem um beijo de aniversário falou Liam.Já fora beijado antes, mas quando a boca do rapaz moveu-se sobre a sua, o beijo não se

pareceu com as prévias experiências desajeitadas. Tomou conta dos lábios com uma habilidade de perito. O efeito relaxante da bebida que ingeriram permitiu a Louis deixar o instinto dirigir a sua reação.

Nada mau para um amador comentou ele, quando o beijo acabou.

 

Venha. Afastou-se, tomando-o pela mão e arrastando-a atrás de si enquanto se dirigia para a extremidade oposta do corredor do estábulo. A cabeça girava, sem se dar conta direito do que estava acontecendo, ou por quê. Havia um monte de feno macio empilhado contra a parede. - Vamos ficar mais confortáveis aqui.

 

Não se preocupe com ele, boneco falou. Os dois estavam deitados na palha, a boca do rapaz logo acima da sua.

Algo dizia a Louis  que aquilo estava errado…

Ah, Deus, boneco. Respirava pesadamente, enquanto os lábios se moviam de leve sobre a face dele, dirigindo-se para a curva do pescoço.

-Você é demais.

Dirigiu-se para a orelha, lambendo-a é Louis  estremeceu ante os arrepios deliciosos que correram sobre a sua pele. A mão deslizou pelo quadril do mooa, puxando-o, mais para junto de si, depois foi subindo. Louis tentou afastar a mão dele, mas parecia perder as forças. As carícias estavam-se tornando íntimas demais. A cabeça ordenava-lhe que o fizesse parar, mas seus músculos conseguiam apenas oferecer uma resistência simbólica.

Liam estava beijando de novo os lábios dele,   levando a mão para cima da sua calça Tudo parecia estar bem de novo, até que Louis  deu-se conta de que ele estava desabotoando a sua camisa . Tentou livrar-se do beijo.

Não! arquejou, zangado, e tentou juntar as partes da blusa quando ele as afastou, mas seus esforços foram completamente ineficazes.

- Não lute contra mim, boneco.

 

Os dedos dele rodearam o pulso cabeludo do rapaz, mas não pôde deter a mão que se enfiou dentro da sua calça. as mão para pela a sua bunda já que a calça tinha sido a baixadas.

tem a bunda bem firme. disse Liam com uma voz rouca. - é bem firmes.

Liam, não quero que faça isso sussurrou num pânico entremeado com um pouco de raiva

.Claro, boneco, claro.Porém ignorou os protestos dele.

Tentou fugir com o corpo, socando-lhe a cabeça e os ombros, chutando-o enquanto Liam tentava baixar ainda mais sua cueca.

-Pare com isso! Largue-me!

-Seu provocadorozinho dos diabos rosnou ele, e rolou para cima dele, imobilizando-o com o seu peso

.Abriu a boca para gritar, mas ele o cobriu com a dele, abafando o som. Agarrou um punhado do cabelo.O medo que ele sentia estava sendo substituído por uma raiva intensíssimo, uma fúria por ele ousar violentá-lo .Louis pensou que era alguma coisa que ele tivesse feito, ao ver Liam se pôr depé.

-Dê o fora daqui, Harry! resmungou. Isto não é da sua conta... a não ser que queira ser o próximo, depois de mim.

Os olhos de Louis  fitaram a segunda figura, diante de Liam. De todas as pessoas que gostaria que viesse salvá-lo, Harry Styles  era a última que teria escolhido.

-Deixe isso pra lá, Liam  foi a resposta mortalmente serena.

-Deixo, uma ova!Na penumbra, Louis  viu Liam lançar um soco no rosto de Harry, que tocou de raspão no braço esquerdo erguido. No mesmo instante em que Harry bloqueou o primeiro golpe, enfio um soco na virilha de Liam. Este se dobrou em dois, caindo de joelhos, a boca aberta, os olhos vidrados e arregalados de dor. Louis esperou com ansiedade selvagem pelo golpe seguinte, mas este não ocorreu. Harry deu um passo para trás, os braços abaixados.

Ele se pôs de pé, resolvida a não deixar Liam se safar com tanta facilidade, depois de quase tê-lo estuprado. Havia um forcado espetado no canto da pilha de feno. Ele o agarrou e correu na direção da figura ajoelhada, soluçando de desejo de vingança.

-Filho da mãe! gritou, com voz rouca. Vou...

Louis  estava tão concentrada em Liam  que não viu Harry se interpor no seu caminho até que os dedos dele se fechassem no cabo da madeira do forcado para arrancá-lo da sua mão.Lutou para reaver a posse da sua única arma, porém Harry arremessou-a no monte de feno...


Notas Finais


Obrigada por ler bjs de chocolate <3 <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...