História Amar-ABO Universe. - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~TaeilGermes

Postado
Categorias Block B
Personagens B-Bomb, Jaehyo, Kyung, P.O., Personagens Originais, Taeil, U-Kwon, Zico
Tags Taepyo, Ubomb, Zikyung
Visualizações 19
Palavras 1.596
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Nunca nem vi.

Capítulo 4 - Capitulo 3:Coisas quentes tendem a permanecerem quentes.


Sorri enquanto ouvia sua história maluca, olhei-o e sua expressão satisfeita me fez rir soprado, voltando a gargalhar com força, naquela praça vazia.

-Eu não acredito que você teve coragem de empurrar seu irmão no lago...-Murmurei depois de me recompor.-Só porque o namoradinho de infância estava molhando os pés... Você é louco...

-Ele me disse que queria uma maneira de começar um assunto, nada melhor que fazer o ômega ajudar ele...-Riu e eu assenti rindo baixinho, vendo seu sorriso lindo.

Suspirei alto e ele me olhou, voltando a expressão serena que sempre tem. Estava à noite e a ideia de caminhar depois do jantar me fez cogitar loucura, mas retirei tal pensamento quando nos sentamos num dos bancos da praça, quando Jihoon começou a falar, e começamos a rir feito dois loucos.

-Vou me lembrar de nunca pedir ajuda para me aproximar de ninguém a você...-Ri e ele deu de ombros, seu polegar fazendo um carinho no dorso de minha mão entrelaçada à sua.

-Como foi a sua semana?-Perguntou depois de um tempo em silêncio.

-Essa foi a primeira semana desde que nos casamos que eu não me senti sozinho...-Falei e apertei sua mão com a minha, me aproximando ainda mais de si no banco.-Te conhecer melhor, sair mais, rir com você... Foram coisas maravilhosas, eu... devia ter feito isso antes.-Completei e ele me olhou, sorrindo compreensivo.

-Talvez aquela não fosse a hora certa...-Murmurou.-Talvez eu tenha me precipitado quando pedi sua mão e, que agora fosse a hora de nos aproximarmos...

-Eu devo parecer um louco quando te olho depois de uma ou outra frase que você diz...-Sussurrei ganhando ainda mais sua atenção.-Você tem mexido comigo Jihoon, de uma maneira que eu achei que ninguém fosse capaz de mexer.

Sua mão livre tocou meu pescoço, enquanto se aproximava ainda mais, beijando minha boca devagar. Eu me sentia flutuando, enquanto mergulhava em seus lábios e desfrutava de seu beijo maravilhoso. Minhas mãos foram para seu peitoral, segurando sua camisa como uma maneira de não me deixar cair...

Suspirei abrindo os olhos devagar, sorrindo enquanto puxava Jihoon para roubar-lhe mais beijos. Seu riso acompanhado de suas mãos segurando as minhas me fez parar, enquanto via-o morder o próprio lábio inferior, me olhando com cuidado.

-Não faz isso...-Murmurou e selou-me devagar.-Essa semana tem sido um desafio para mim...

-Por que?-Perguntei preocupado, franzindo o cenho.

-Te tocar... Não tocar... Fazer tudo devagar, quando tudo o que eu mais quero, é fazer tudo rápido...-Sussurrou fechando os olhos, apertando minhas mãos, respirando fundo.

Arrepiei e engoli seco. Era sua voz me dizendo aquilo, era a sua sinceridade e era o meu maior impasse. Alcancei-lhe os lábios, sugando-lhe o inferior, beijando-o com vontade. Minhas mãos em seus ombros e meu corpo quase em cima do seu, naquele contato necessitado, afoito, enlouquecedor...

As mãos de Jihoon invadiram minha camisa, tocando minha pele com força, transmitindo aquele calor alucinante, suspirei em meio ao beijo, fazendo-o sorrir, enquanto mordia meu lábio inferior.

-Eu acho melhor a gente ir para casa...-Murmurei quando a falta de ar se fez mais forte que a vontade de permanecer no beijo.

-Tudo bem...-Suspirou enquanto me olhava com força.

Nos levantamos e eu agradeci mentalmente por não haver ninguém no local. Meu corpo estava num estado de transe onde eu sentia meu calor transbordar, sentia a minha excitação ao máximo e estar ao lado de Jihoon, estar perto dele só fazia que tudo piorasse, pois foi ele quem fez isso comigo.

Andamos de mãos dadas por todo o caminho, o silêncio como aliado e minha boca louca para encontrar a semelhante de meu marido. Passamos pelo jardim florido de nossa casa e eu abri a porta, encontrando a escuridão.

Dei um passo e senti a pélvis de Jihoon em minha bunda, enquanto seus braços circulavam-me e sua boca sugava meu pescoço. Arrepiei e gemi em antecipação, sentindo meu baixo ventre esquentar-se.

-Jihoon...-Chamei baixinho, ouvindo a porta se fechar.-Querido... O que está fazendo?

-Não pude me conter...-Sua voz era excitada, rouca, enlouquecedora... Arfei.

Virei-me de frente para si, sendo atacado pelos lábios carentes de meu marido, suas mãos na minha bunda e um gemido meu, alto e cheio de tesão. Eu estava ficando maluco... Isso é melhor que qualquer livro, melhor que qualquer discrição de sensualidade.

Jihoon me pegou no colo, andando enquanto me beijava com força, me deixando ainda mais carente por seus toques. Gemi quando fui posto contra a parede, sentindo suas mãos invadirem minha camisa, apertando minha carne, me fazendo gemer ainda mais entregue. Apertei suas costas, arranhando-o por cima de suas roupas, gemendo em seu ouvido, sentindo sua excitação tocar-me.

-Jihoonie...-Falei manhoso, ouvindo-o rosnar em prazer, me pegando com mais força, andando novamente.

Fui colocado contra o colchão, sentindo seus beijos descerem por meu pescoço, enquanto suas mãos levantavam o tecido que me cobria. Ajudei-o a tirar minha camisa, segurando a barra da sua com as duas mãos, puxando-a para cima, fazendo-o tirá-la também. Meu membro latejava com força, me fazendo gemer baixinho, enquanto sentia os lábios selarem minha pele devagar.

Sentei-me e toquei o cinto de Jihoon, desafivelando-o, enquanto beijava o peitoral quente. Minhas mãos tocaram sua cueca e eu gemi baixinho, sentindo sua mão apertar minha bunda, enquanto puxavam meu moletom devagar.

Jihoon fez questão de tirar o que restava das minhas roupas, me deitando novamente e beijando cada centímetro da minha pele, enquanto murmurava o quão lindo eu era. Eu arrepiava e me desfazia em gemidos, segurando seu braço enquanto beijava sua boca, sentindo sua mão tocar meu falo devagar.

Ele subia e descia numa velocidade que me era perturbadora, gemi, tombando minha cabeça para trás, sentindo minha lubrificação natural escorrer por minhas pernas, sentindo minha mente girar e sentindo seu dedo roçar a minha glande.

Era tudo tão intenso que eu não entendia exatamente o que estava acontecendo. Tudo veio como um tsunami, Jihoon abriu minhas pernas e sua língua tocou-me intimamente, gemi engasgado, sentindo meu corpo todo entrar em estado de combustão.

-Eu...-Tentei formular uma frase, mas eu não funcionava direito.-Jihoon!

Gritei com força, sentindo seu dedo me invadir, sentindo a enxurrada de sentimentos e sentindo tudo me derrubar com força, me desfazendo tão rápido e desesperado. Meu peito subindo e descendo com força e os beijos de Jihoon subindo por meu corpo, arrepiando-me ainda mais.

Seus lábios tocaram os meus e eu o beijei de volta, abraçando seu corpo com força, enquanto tentava assimilar qualquer informação.

-Você é ainda mais doce do que eu imaginei...-Murmurou e eu senti minhas bochechas esquentarem, sorrindo envergonhado, me escondendo em seu corpo.

Jihoon deitou-se ao meu lado e eu subi em cima de seu corpo, sentando em seu colo, sentindo sua ereção, arfei. Nossos olhos estavam grudados e eu me permiti descer meus beijos por seu corpo, assim como ele fez comigo. Beijei seu pescoço, seu peito, sua barriga, chegando em seu baixo ventre.

Segurei o cós de sua cueca com as duas mãos, abaixando o tecido, vendo seu falo. Engoli seco, tentando não parecer um idiota enquanto via-o todo nu. Levei minha mão até seu membro, massageando-o devagar, enquanto ouvia Jihoon suspirar pesado. Abaixei meu rosto e lambi a base, ouvindo um gemido baixo. Suguei a ponta e Jihoon gemeu rouco, afundando sua mão em meu cabelo.

Chupei com vontade, sentindo seu sabor e movimentando minha mão no seu comprimento. Jihoon gemia forte e frequente, me arrepiando ainda mais, gemi quando sua mão apertou meu couro cabeludo com um pouco de força, fazendo-o gemer mais alto, ditando a velocidade dos meus movimentos.

Foi incrível vê-lo chegar ao seu ápice, seu corpo tenso se relaxando e sua expressão em deleite, fantástico. Olhei-o enquanto deitava-me ao seu lado, sentindo seu abraço me prender, sentindo-o me beijar com vontade.


 

§§§


 

Estava tudo aconchegante, eu fazia um carinho leve nos seus cabelos e ganhava beijos calmos no meu ombro de volta. Sorri, no escuro de cortinas fechadas, num frio de ar condicionado e num calor de Pyo Jihoon.

-Nós... Fizemos...-Murmurei sorrindo frouxo, sentindo um beijo ser dado na minha boca com calma, me calando.

-Nós só brincamos... Você sabe...-Murmurou de volta, bati em seu peito.

-O que fizemos ontem à noite foi muito mais que uma “brincadeira” Jihoon!-Falei emburrado e ele riu.

-Se você acha isso íntimo, vai se assustar quando eu estiver dentro de você...-Sussurrou me arrepiando, bufei e fiz cara feia.

-Você gosta de acabar com a minha felicidade...-Murmurei.-Ontem foi a primeira vez que eu...

-Que você gozou.-Me completou e eu mordi o lábio.-Você é a pessoa mais pura que eu já conheci... Eu acho que é por causa disso que eu amo tanto essa carinha emburrada e esse narizinho empinado que você tem...

-Você devia considerar fazer amor comigo...-Falei quando seus lábios selaram meu nariz.

-Me diz o que eu quero ouvir, sinta o que eu sinto por você...

-Jihoon... Eu me sinto acabado quando você fala essas coisas, eu gosto de você... Não é suficiente?-Perguntei fazendo bico.

-Não...-Respondeu subindo em cima de mim, nossas peles se tocando, nossas intimidades juntas, respirei fundo.

Jihoon investiu contra mim, roçando seu falo no meu, me provocando. Puxei seu corpo e beijei sua boca, numa tentativa de provocá-lo de volta, e ele voltou a investir devagar, me deixando mole.

-Filho, hoje eu vou levar o Taeil para o mé...-Minha sogra entrou, acendendo a luz e olhando diretamente para nós.

Me assustei e me escondi no meio de Jihoon, que ficou parado em cima de mim. A ômega estava estática nos olhando e tudo piorou quando Jaehyo e o senhor Pyo entraram no quarto, nos olhando tão assustados como a mulher.


Notas Finais


Reviso logo mais.~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...