História Loving can Hurt- jolari - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias João Guilherme Ávila, Larissa Manoela
Tags Jolari
Exibições 380
Palavras 725
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura!

Capítulo 28 - " Pode contar, eu não ligo"


Fanfic / Fanfiction Loving can Hurt- jolari - Capítulo 28 - " Pode contar, eu não ligo"

P.O.V Lari:

   Quando estávamos voltando para o colégio, escutei uma voz me chamar. Gelei na hora, reconheço essa voz de qualquer lugar. Se ela contar ao meu pai estou frita.

- O que está fazendo aqui dona Larissa? Era pra você estar na escola. -era a bruxa perguntando.

- Pois é, pena que ninguém te perguntou. -respondi.

- Olha a boca, seremos mamãe e filhinha futuramente.

- Você nunca vai substituir a minha mãe.

- Nem quero ficar com uma criança pentelha como você.

   Revirei os olhos e continuei andando.

- Eu vou contar... -ameaçou.

- Pode contar, eu não ligo.

   Ficamos o caminho da volta em silêncio, o João ficou tipo: "O que está acontecendo?". Uma coisa que ela falou e tem razão, nos seremos da mesma família. Só pensar em tê-la com madrasta e a oxigenada com meia-irmã, me dá arrepios. Vou viver num ninho de cobras todo dia.

- Quem era aquela mulher que parou a gente? -João perguntou.

- A minha futura madrasta. -respondi fazendo cara de nojo.

- Por que tem tanta raiva dela?

- Tudo que ela quer é dinheiro, dês do começo. Não sei como não envenenou a minha mãe pra ficar com o meu pai.

- Hum... situação difícil.

- Pra ver como a minha vida não é mil maravilhas.

   Pulamos o muro de volta e demos de cara com a inspetora (que dia de sorte, ser pega no flagrar duas vezes). Dei aquele sorriso de quem não tinha feito nada.

- O que os dois faziam pulando o muro? -perguntou, colocando a mão na cintura.

- Pulando muro??? Não... deve ter visto errado. -João tenta enrola-la.

- Vocês acham que sou cega? Eu sei o que vi.

- Libera essa? Fingi que não viu nada. -implorei.

- Não.

- Eu te dou aqueles cremes que adora, trouxe uns ontem. -subornei.

- Desta vez passa, sumam logo antes que desista.

P.O.V João:

  Pelo jeito a Lari não gosta mesmo da madrasta, eu no lugar dela também não gostaria. O passeio foi incrível, foi um dos programas que gostei de fazer.

  Quem diria que eu João Guilherme Àvila ficaria com uma garota, o destino brincou comigo legal. Fala a verdade, nem sair direito com os amigos e saio (só querem pegar e largar). Eu definitivamente era um babaca, nem sei como fazia aquelas coisas com eles.

  Terminamos de pular o muro e a inspetora pegou a gente, eu sou azarado mesmo. Lembro uma vez que fui expulso de uma escola por me pegarem fazendo uma escada para fugir, hoje eu fico rindo mais era de se chorar.

  Com minha cara de pau, tentei enrola-la. Não deu muito certo, quem conseguiu foi a Lari. A subornou com um creme, COMO ASSIM??? Vou precisar desse creme pra escapar também.

   Levei-a até a porta do quarto.

- Boa noite, princesa! -falei.

- Boa noite!

  Quando ia fechar a porta, resolvi brincar.

- Que creme é esse que conseguiu subornar a inspetora? Eu quero pra mim.

- é um importado, meu pai traz sempre para mim. Se acha que eu escapo como?

- Kkkkkkkkkkk, me dá também. -comecei a rir.

- Depois.

  Fomos dar só um beijinho, quando vimos já estávamos nos engolindo e a Mha e a Gio olhando.

- Atrapalhamos? -perguntaram juntas.

- Não. -Lari respondeu toda vermelha, parecia um tomate.

- Se quiserem se comer vão para outro lugar. Não é a primeira vez que vejo essa cena. -Gio falou.

- Qual foi as outras vezes? -Mha perguntou curiosa.

- Nenhuma, agora vamos dormir porque está muito tarde. -empurrou-as tudo para dentro do quarto.

  Essa garotas... Nunca mudam, agora eu iria para o meu quarto dormir. Passei em frente a cantina e não tinha ninguém, mais estava aberta. Acho que não darão falta de uma comida ou outra.

  Ataquei tudo, bolo, salgado, refrigerante... Sentei tudo e fui comer.

- Ops, acho que alguém descobriu meu horário secreto para ir comer. -uma garota falou entrando na cantina.

- Ninguém me contou, eu vi e não resisti.

- Posso sentar com você? -perguntou, com uma bandeja de comida na mão.

- Claro. -respondi.

- Essa torta está DIVINA. Olha onde foi para a minha educação, prazer Bia Jordão! -se apresentou.

- João Guilherme.

 

 

 

 

 


Notas Finais


Quem será essa Bia? Terá ciúmes nessa relação?
bjs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...