História Amar-te - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Steven Universe
Exibições 8
Palavras 1.091
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - 10


- Então, de alguma forma, você recuperou sua memória. – Garnet falara suave e pausadamente, como se temesse assustar-me.

            - Sim – eu respondera em um fio de voz e encarara o restante de meu chá frio na xícara de super-homem.

            Estávamos todas nós – e Steven, com um misto de felicidade e preocupação em sua expressão – sentadas na mesa de alvenaria da casa das Crystal Gems. Pérola fizera-me um chá doce e calmante, e todas – bom, quase – sentaram-se em silêncio a minha volta para encontrar em minhas palavras a explicação para tal milagre que ocorrera.

            Jasper permanecera ao longe, perto da entrada para o templo, apoiada em uma parede e me fitando com intensidade.

            Enquanto narrava toda minha vida as gems, sentira frequentemente meu rosto corar perante o olhar de Jasper.

            - Não temos ideia do que houve, Lápis, mas de alguma forma – Pérola franzira as sobrancelhas ao falar – Quando sua mãe encontrou o pedaço, hum...quebrado de sua pedra na praia, de alguma forma você...reencarnou como humana.

            - Ao que parece – completou Garnet, atraindo todos os olhares para ela – Algo desencadeou as lembranças dentro de você.

            Um silêncio pesado se instaurara entre nós.

            - Que loucura, não? – Ametista, que até então permanecera em silêncio, se manifestara. – Porque, caraca, a gente viu você morrer! Aí do nada você surge aqui em casa com uma dona loira dizendo que é sua mãe, para jogar cartas e confraternizar conosco...

            De repente, lembrei-me de que meus pais com certeza deveriam estar desesperados me procurando.

            - Meus pais! – eu exclamara e me levantara, gerando um movimento satélite em Jasper, que se colocara em uma posição de alerta. – Eles não sabem onde estou, devem estar desesperados...

            - Não se preocupe. – Steven se manifestara pela primeira vez, levantando-se da cadeira e tocando em minha mão. – Aperfeiçoei meus poderes mentais enquanto você esteve...fora...seus pais estão no hotel, dormindo, e não se lembrarão de sua filha tão cedo.

            Eu havia recuperado minha memória, mas não significava que eu havia me acostumado com a situação. Eu ainda era Lápis-lazuli, a filha de um corretor de imóveis de Jersey, ao mesmo tempo em que eu também era uma gem, que se reencontrara com suas amigas e com seu verdadeiro amor. Era tudo tão confuso! E o fato de que as mentes de meus pais estavam sobre o controle do líder de uma raça alienígena não era reconfortante. Ao mesmo tempo eu sabia que necessitava de um tempo para assimilar tudo e tentar concertar minha vida, sem deixar minha mãe desesperada e meu pai em choque. Eu vivia um paradoxo.

            Só percebi as lágrimas silenciosas escorrendo por meu rosto quando senti os braços de Steven me envolvendo. Ele continuava pequeno, então pude envolvê-lo com meus braços e acariciar sua cabeça.

            - Que bom que você voltou, Lápis. – ele fungava delicadamente – Senti muito a sua falta.

            Eu o abracei, e, quando menos percebi, estava sorrindo com ele. Depois que o garoto me soltara, cada uma das gems me abraçara com força. Sussurrando palavras felizes e de conforto, as Crystal Gems me receberam novamente em seu grupo rebelde.

            Jasper não veio até mim. Uma parte de minha era grata, pois temia não suportar seu olhar e derreter em uma poça no chão. Mas eu ainda era humana, e inevitavelmente senti rejeição e entristeci-me.

            - Bem, temos algumas coisas para resolver – Steven dissera – Jasper, por que não caminha com Lápis pela praia? Nos vemos mais tarde.

            Jasper passara por Steven, e algo em sua postura indicara que ela estava desconfortável com algo em relação ao garoto.

            Meu coração dispara quando ela segurara minha mão e olhara profundamente em meus olhos.

            - Vamos? – ela perguntara.

            - Sim. – consegui balbuciar e desci as escadas de madeira com Jasper ao meu lado.

 

 

 

 

            A noite na praia era realmente linda, e percebi que vinha mais a praia de madrugada do que de dia.

            Estava sentada na areia, olhando as ondas brincarem em meus pés e morrendo de calor. Jasper estava ao meu lado, silenciosa e solene, imensa, mesmo sentada.

            A tensão entre nós era palpável.

            - O mar é bonito, não é? – Burra, burra! Xinguei-me mentalmente. Estava tão nervosa que não pensara em nada para falar.

            - Sim. – ela me respondera sem desviar o olhar das ondas.

            - Olha, Jasper, eu... – ela me encara e as palavras fugiram de minha mente. – Eu estou confusa. Até ontem eu era só uma garota normal, estranha, mas normal. Tudo aconteceu muito rápido, eu recuperei minhas lembranças, mas...

            Eu não pude terminar, fechei os olhos e apertei a ponte de meu nariz com força.

            - Eu entendo. – ela dissera tristemente. – Você não sabe se ainda sente o mesmo. É outra pessoa, com outra vida. Vou entender se me quiser afastada.

            Eu estava em choque. Nunca, jamais, me passara pela cabeça a possibilidade de afastar-me dela. Eu a conhecia em menos de um dia, é claro, mas havia acabado de me lembrar de uma vida inteira a seu lado. Realmente tudo era muito confuso, mas não existia a possibilidade de eu ficar longe dela. Eu, Lápis-lazuli, humana e gem, a amava com toda minha alma.

            - Não! – eu gritara, assustando Jasper. – Não – acalmei-me e abaixei o tom de voz. – Não quero que se afaste de mim. Eu quero...eu quero...

            Não sabia o que queria. Só sabia que precisava dela a meu lado.

            - O que você quer, Lápis? – Jasper me encarara com um olhar magoado.

            Ah, que se dane tudo!

            - Escute, eu estou muito confusa mesmo, mas me afastar de você não é uma possibilidade concreta. – um brilho de felicidade começara a surgir no fundo de seus olhos dourados. – Vamos devagar, sim? Vamos nos conhecer primeiro. Eu vivi toda uma vida, e você deve ter feito várias coisas durante o tempo em que eu fiquei...uh...ausente.

            Ela sorrira delicadamente, e meu estômago explodira com borboletas.

            - Meu nome é Jasper. Sou uma gem de Homeworld, natural da terra. Atualmente comando o Império Amarelo para meu Quartzo, Steven Universo.

            Ela deslizara os dedos quentes por meu rosto, arrancando-me o ar e a linha de pensamento. Eu capturara seus dedos e segurara sua mão, que engolira a minha.

            - Sou Lápis-lazuli Ryswell. Meu pai é jogador de vôlei aposentado e corretor de imóveis em Jersey, uma cidade barulhenta e poluída. Minha mãe é geóloga, e eu herdei dela a obsessão por pedras, bom, eu acho que herdei dela, mas...enfim, tenho dezoito anos e acabo de formar no ensino médio...

            Eu contara minha vida humana para Jasper durante toda a noite, e, quando amanhecera, eu havia adormecido em seus braços.

            



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...