História Amar-te - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Steven Universe
Exibições 8
Palavras 1.446
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 15 - 15


            - Eu sou mesmo necessária?

            Peridot estava com sua constante cara de tédio, de pé na grama verde em frente ao celeiro.

            Ela estava exatamente como eu me lembrava, a única diferença eram as estrelas douradas no lugar onde ficavam os losangos de Homeworld.

            A pequena gem verde viera a Terra para reportar a Steven a situação na base lunar, o que não significava que ela estava realmente livre de qualquer responsabilidade. Com a iminência cada vez maior de que um confronto contra as diamantes restantes acontecesse, todas as legiões de Steven estavam se mobilizando novamente.

            Meu encontro com Peridot fora no mínimo estranho. Ela agira como se eu apenas estivesse de volta de longas férias, e se recusara a fazer mais perguntas de como eu misteriosamente voltara da morte.

            Era estranhamente reconfortante.

            Agora estávamos nós três – Jasper, eu e Peridot – de volta ao celeiro.

            Jasper relutara a me ensinar a lutar, mas eu insisti corajosamente. Eu precisava saber me defender, e mesmo ela dizendo que não sairia do meu lado, era essencial que eu não fosse um peso na hora do confronto. Mas toda a minha insistência não fora completamente vitoriosa. Ela se negara a me ensinar a luta corporal, alegando que ninguém nunca encostaria a mão em mim para eu ter necessidade de aprender a tal defesa. Então ela me ensinaria a usar algumas armas.

            - É sim. Já que está aqui, vai ajudar. – a voz grave de Jasper não estava amigável, e ela estar contrariada só piorava seu temperamento violento.

            Eu estava parada em dentro de um circulo de pequenas pedrinhas, com um arco na mão e uma aljava com flechas de ponta de ferro atada as costas.

            Jasper arrumara o arco eu não sabia aonde, e havíamos treinado tiro ao alvo a manhã toda. Agora seria a vez de alvos móveis.

            Eu não me saíra exatamente ótima, mas nem fora muito mal. Conseguira acertar os círculos coloridos mais próximos do centro, e poucas vezes errara o alvo.

            Uma profusão de peças de metal – latas, peças de carro e outras coisas – estavam espalhadas ao redor de Peridot, que estava a uns bons vinte metros de mim.

            - Não ultrapasse o limite do círculo. – Jasper dizia enquanto prendia firmemente a aljava em meu corpo – E tente acertar o alvo o mais longe possível.

            Ela detera as mãos em minha cintura e me encarara. Por um momento eu perdi a noção da realidade e mergulhei em seus olhos dourados.

            Meu coração parecia um tambor quando ela sorrira levemente e tocara meu colar, espalmando a mão imensa em meu peito.

            - Eu já disse que você fica absurdamente linda corada? – ela sussurrou, com a voz rouca, e se afastou rapidamente, deixando-me fraca e vermelha.

            - Estamos prontas! – Jasper gritou, a alguns passos de mim, e Peridot lançou uma lata de metal pelo céu azul de verão.

            Com uma mão, puxei uma flecha de minhas costas e encaixei no arco. Enquanto retesava a corda, mirei no objeto que voava em minha direção.

            Deveria soltar no intervalo de uma batida do meu coração.

            Estreitei os olhos e a flecha voou pelo ar, quase errando a lata, mas acertando a lateral e entrando profundamente no metal, que caiu com um baque surdo na grama.

            - Muito bem – Jasper voltara para o meu lado, e tocara meu ombro - Mas agora vamos dar uma dificultada.

            Ela caminhou até onde Peridot estava e disse alguma coisa que eu não pude ouvir por conta da distância.

            Ninguém me avisara quando quatro objetos voaram na minha direção.

            Sem pensar, disparei uma flecha após a outra, e um por um cada alvo caiu na grama.

            Mas Peridot não me dera tempo para me recuperar.

            Um após o outro, um objeto voou pelo céu. E um após o outro, o metal encontrou o chão, com uma flecha cravada firmemente.

            O treinamento seguira até o sol se por, e eu estava exausta e com os músculos em fogo bem antes de Jasper encerrar o dia.

            Estávamos sentadas no alto da colina, vendo o crepúsculo brilhar dourado no oceano.

            Eu estava acabada, e com regata branca encharcada de suor, com cabeça apoiada no colo de Jasper.

            - Você não foi tão mal assim – Peridot disse, sentada ao lado de Jasper – Considerando que é uma humana estúpida.

            Eu rira levemente. Peridot havia mudado muito desde que se tornara uma Crystal Gem, mas ainda possuía a mesma personalidade estridente.

            - Bem, acho que eu agradeço. – respondi olhando as primeiras estrelas que surgiam no céu violeta.

            Ficamos em silêncio por um minuto, Jasper acariciando preguiçosamente meus cabelos negros e revoltos, e eu lutando contra o sono.

            - A propósito, Lazuli – Peridot disse – Fico feliz que tenha voltado para nós.

            A voz dela falhara no final da frase, e eu fora subitamente tomada pelo carinho que eu sentia pela gem verde que era uma grande amiga.

            - Eu também, Peri. – sussurrei e envolvi a mão de Jasper que descansava sobre minha barriga.

            Ela apertou minha mão e eu encontrei seus olhos. E soube que tudo ficaria bem.

 

 

 

 

            Havíamos voltado ao templo há duas horas quando a notícia chegou.

            Eu estava preparando um macarrão – que ficara parecendo cimento – na cozinha. E Jasper estava com Peridot na sala, analisando um holograma e discutindo porque White Diamond havia deslocado todas as suas sentinelas do setor noroeste de Homeworld quando o barulho do transportador me assustara, fazendo com que eu quase derrubasse uma colher cheia de molho.

            Estavam todas as gems com Steven.

            O garoto ostentava uma expressão que eu nunca vira em toda a minha vida.

            Ametista nem olhara para nós, fora direto para o templo, sumindo em seu quarto.

            O clima estava tão pesado que eu poderia segurar o ar a minha volta. Desliguei o fogo e corri para o lado de Jasper, que se levantara e caminhara até o Quartzo.

            - Pérola, chame a equipe Índigo imediatamente – ele dera a ordem e Pérola correu para o transportador.

            - Meu senhor, o que houve? – Jasper perguntara, visivelmente abalada.

            - Garnet – o garoto se virara para a general – Em quanto tempo?

            A fusão estremecera.

            - Doze horas. – ela respondera fracamente.

            Steven andara até a janela e olhara o céu. A lua brilhava lindamente, e a brisa quente do verão estava carregada do perfume das flores, mas a careta que tomou as feições do menino – não, ele já era um homem – não era nada suave.

            - White e Blue Diamond atacarão ao amanhecer. – ele respondera friamente.

            O chão sumira de meus pés.

            As diamantes atacariam novamente. E todos que eu amava estariam em perigo. Meus pais, as gems e Jasper.

            - Peridot, vá agora à base lunar e organize a ofensiva no hiper espaço. Quero os caças de Espinela na linha de frente. Vá agora!

            - Sim, meu Quartzo. – a gem nos deu olhar assustado e correu para o transportador.

            - Steven, me diga o que fazer. – Jasper praticamente implorara, e eu me agarrei a ela como se a gem fosse desaparecer a primeira palavra dita pelo menino.

            Steven nos olhou com um olhar cansado que suportava o peso do mundo. Seu olhar encontrou o meu e ele hesitou momentaneamente.

            - Você ficará aqui. White virá pessoalmente enfrentar-me, e preciso dos meus melhores soldados comigo.

            Eu estremecera. Estava tudo começando de novo, e eu vi toda a minha existência se desenrolar na minha frente.

            Tudo o que eu passei me levara até Jasper, e eu não permitiria que nenhuma ameaça roubasse nosso futuro juntas.

            - Jasper, organize a base junto com Garnet. Deixem-me com Lápis.

            Ela tocara brevemente meu nariz com sua pedra, e sumira dentro do templo.

            Steven emitiu um som fino e agudo, e imediatamente o leão rosa surgira magicamente de um portal brilhante no meio da sala.

            O garoto caminhara até o felino e retirou a espada que pertencera a Rose Quartz da juba do animal.

            -Meu pai adorava brincar comigo, quando eu era criança. – ele sussurrara, enquanto sua pedra brilhava e sua forma era engolida pela luz.

            Quando ele se estabilizara novamente, eu ofegara e perdera o equilíbrio.

            Ele estava com no mínimo um metro e noventa de altura, e possuía tantos músculos quanto Jasper.

            Uma armadura rosa cobria todo seu corpo, com uma brilhante estrela dourada reluzindo no peito, e sua pedra brilhando logo abaixo.

            Em uma mão segurava a espada e na outra a bandeira com o símbolo da revolução. Suas feições eram brutas e másculas, e uma sombra de barba era visível em seu rosto.

            - Talvez seja por isso que eu me recusei tanto a crescer, mesmo após a morte dele. – ele dissera, com a voz grave e intimidante – Mas é chegada a hora de lutar novamente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...