História Amaranto - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Chanbaek, Jikook, Kaisso, Mpreg, Namjin, Sulay, Taeyoonseok, Xiuchen
Visualizações 176
Palavras 2.729
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Gente lá vai mais um cápitulo que vcs precisam prestar atenção nos detalhes

Capítulo 19 - The friend


"Eu te manterei trancado na minha cabeça até nós nos encontrarmos novamente até nós, até nós nos encontrarmos novamente e eu não te esquecerei, meu amigo O que aconteceu? [...]  Aquele último beijo, que eu apreciarei até nós nos encontrarmos novamente e o tempo torna tudo mais difícil eu queria poder me lembrar,mas eu mantenho sua memória você me visita em meus sonhos meu querido, quem diria? - Pink, Who Knew

Flashback ON Dezembro de 2011 

As ondas do mar arrebentavam contra as rochas com uma força avassaladora por conta do vento forte da praia, este que atingia o pequeno omega em pé apoiado nas barras do píer daquele pequeno paraíso particular onde ele passava as ultimas duas semanas antes da formatura momento que o pequeno Park não tinha ideia do quanto iria destruir sua vida, Park olhou para a única casa/mansão presente naquela ilha e pensou em tudo que viveu até ali nos braços da pessoa que amava e pensava ser correspondido, relembrou as noites que passou com o alfa na suite daquela imensa mansão em meio aos lençois se amando durante toda a noite Park foi despertado dos seus pensamento quando os braços do alfa circundaram sua cintura e Jimin segurou as mãos de Jungkook que estavam na sua cintura fazendo um carinho singelo 

no que tanto pensa ? - Jeon perguntou apoiando a cabeça em meio aos fios avermelhados de Park que sorriu se virando de frente para Jungkook ficando com o rosto contra o torax musculoso do alfa, abraçando Jeon tentando sentir um pouco mais do calor que o corpo alfa lhe proporcionava 

-nada de especial kookie, somente em quanto eu sou feliz por ter você - Jimin falou um pouco abafado por estar com a cabeça contra o peito de Jeon que sorriu ladino, em algum momento seu rosto exibiu um lampejo de culpa ou talvez seja somente a mente da velha altora 

-sabe que é a primeira  vez que venho tão perto do oceano? mesmo tendo nascido em Busan nunca gostei de praia ou água - Jimin se lembrou das lembranças do seu afogamento e se apertou ainda mais contra o copo de Jungkook como se ele fosse seu porto seguro em meio aos seus medos e angustias 

-é a primeira vez perto do oceano? - Jungkook perguntou surpreso e Jimin riu

-eu nunca tinha vindo a praia ou ficado perto do oceano, eu nunca me sentei próximo a orla sob o sol com meus pés na areia, assim como também nunca viajei de barco porque não entendo como eles conseguem flutuar e eu tenho medo do que não intendo, mas eu estou tão feliz que você tenha me feito vir porque agora eu me sinto livre e eu sei que só é tão bom porque você esta comigo, obrigado por me resgatar dos meus medos e me fazer ver um novo horizonte, um novo começo - Jimin falou ainda grudado a Jeon tão baixo como um segredo, Jungkook apertou ainda mais o omega, porém continuou sem dizer uma palavra, ele não sabia como ou o que falar diante daquela pequena declaração de amor e o que o alfa poderia dizer no final de tudo? que amava Park? não seria verdade se ele falasse isso e naquele momento com o pequeno omega em seus braços diante da visão do grande oceano gelado e azul ele decidiu não contar outra mentira a Park, aquele momento era especial para estragar proferindo mentiras que só machucariam ainda mais quando fossem descobertas 

O silêncio foi cortado pelo toque do telefone de Jeon que a contragosto se desvencilhou do omega pegando o celular que brilhava um nome na tela: Nam Joon Hyuk 

-terei que atender é o Hyuk - Jeon falou e Jimin assentiu

Ligação ON 

-Alo Hyuk? Hyung? - Jeon perguntou visivelmente irritado pelo silencio do outro lado da linha que foi cortado pelos soluços longos do seu amigo de anos 

-K-kookie s-saeng - a voz tão doce de Nam Joon Hyuk se perdeu no meio da frase com soluços longos 

-Hyung o que esta acontecendo? esta chorando? o que o desgraçado do Jackson fez dessa vez? - Jeon perguntou visivelmente preocupado com o estado do amigo gravido 

-eu só quero que me escute saeng por favor, eu te amo sempre te amarei você é um irmão para mim, mas eu não posso continuar com isso e fingir que esta tudo bem, não consigo mais esconder as cicatrizes, quero que nunca pense que eu te abandonei,  por favor não esqueça de mim nem do meu pequeno nenê, não culpe o Jackson nem Heochul não suportaria ver as pessoas que eu mais amo brigando - o soluço impediu o termino da frase e Jeon sentiu uma onde de desespero abate-lo, do que Hyuk estava falando? 

-se acalme Hyung, do que esta falando? - Jeon perguntou e Nam rui soprado pelo telefone

-eu estou liagando para dizer adeus, não quero que fique triste mais eu preciso ir, quero viver longe de tudo isso e criar meu filho com amor, não quero que o Hyung Sik presenciei as mesmas coisas que você presenciou quando criança - Nam Joo Hyuk falou e foi como se tudo se encaixasse na cabeça de Jungkook, os hematomas que Hyuk tentava esconder, as blusas compridas em tempo de calor, a forma como sempre parecia cansado e dolorido

-Jackson esta batendo em você não esta? me fale a verdade Hyuk ele fez alguma coisa contra a sua vontade? ME FALA -Jeon gritou e o choro do outro lado da linha se intensificou 

-sim ele nunca me amou Kookie, quando ele estava zangado ele me batia e depois...ele me levava para o quarto e... ele fazia aquilo comigo junto ao Heochul, mas eu não queria, ele me obrigava a usar uma peruca vermelha e me chamava de Jimin.... - a essa altura Nam Joon Hyuk soluçava alto relembrando das mãos e toques que os dois alfas faziam em seu corpo, cada hematoma e cada dor deixava uma sequela eterna na mente do pequeno omega Hyuk 

- Desgraçado, eu juro que eu vou voltar agora para Seul e eu vou mata-lo com as minhas próprias mãos - Jeon falou socando a estaca de madeira presente próximo ao píer assustando Jimin 

- alô Hyuk? Hyung o que esta acontecendo? - Jeon perguntou ao perceber uma movimentação estranha durante a ligação, e gritos do seu amigo foram ouvidos juntos a voz de Heochul 

-terei que desligar Kookie, eu te amo 

-Hyung? - Jeon gritou e ninguém respondia a ligação havia caído 

Ligação OFF

-Aconteceu algo Kookie? - Jimin perguntou e Jeon suspirou, ele não queria tocar no nome de Jackson desde a ultima vez que teve o desprazer de encontra-lo junto a Jimin tentando abusar do pequeno que chorava, o trauma havia sido recente então ele não tocaria no nome do Wang 

- o Nam esta com problemas - Jeon foi o mais sucinto possível no assunto fazendo Jimin chegar mais perto do alfa e fazer um carinho singelo no rosto dele 

-se quiser podemos voltar amanhã para Seul para que você se certifique de que ele esta bem - Jimin falou e Jeon segurou as mãos de Park puxando o corpo do omega para junto do seu 

-já que temos só essa noite aqui quero aproveita-la contigo - Jeon falou beijando o pescoço desnudo do omega que se arrepiou

-vá para casa e se vista para o daddy sim? - Jeon falou autoritário e Jimin assentiu, ele sabia o quanto Jungkook era bravo e ditador no quesito sexo, ele sabia das manias e fetiches que o alfa tem

-use suas palavras baby - Jeon falou ainda colado ao corpo do omega apertando a bunda farta 

-sim daddy - Jimin falou fraco com as pernas bambas e Jeon soltou o pequeno omega que cambaleou ainda um pouco zonzo pela aproximação anterior 

Assim que Jimin estava bem longe Jeon pegou o celular novamente teclando uma mensagem para seu guarda costa pessoal Leetuk pedindo que vigiasse seu amigo, se dirigindo logo em seguida para a casa onde sabia que Jimin aquela altura o esperava deitado na cama com meias seis quartos, sem que ele soubesse aquela noite traria grandes conseguencias para um futuro próximo

FLASHBACK OFF 

Jeon Jungkook ON Cede da SM Eletronic em Seul 

Assim que sai daquele hospital me dirigi para a SM Eletronic mas deixei quatro seguranças da minha equipe na porta do quarto de Park e seis no quarto de Baekhyun, todos treinados para matar se necessário e não deixar ninguém que não seja médico ter acesso a eles, porém mesmo assim não sentia que eles estavam em segurança. Escutei leves batidas na porta e respondi um entre vindo os cabelos castanhos da minha secretaria entrar pela porta 

-senhor Jeon, devo enforma-lo das noticias que circulam de que o senhor tentou matar um homem...-antes que ela terminasse eu olhei com a sobrancelha arqueada, Sana trabalhava para mim a anos para saber que não gosto de ser incomodado com assuntos bobos como esse 

- Sana eu pensei que soubesse o que fazer desde a morte do senhor Park Jinhyong - falei olhando para ela que se mostrou intimidada 

- eu sei senhor, porém dessa vez o juiz Kim disse que não iria se envolver - Sana falou e eu olhei para ela 

- então ligue para ele e faça com que ele se lembre bem de quem mantem o padrão de vida dele - falei e Sana assentiu 

- os policiais também estão sendo pressionados pela população e o sargento Lee ligou para dizer que se as coisas continuarem assim ele terá que intervir com prisão - ela disse e eu ri ou melhor gargalhei 

-quem Lee pensa que é para me ameaçar? ele esqueceu que sou que sustento ele? ou será que ele quer voltar a viver com o salário "honrado" de policial em um bairro de classe media pobre como ele vivia antes de aceitar minha ajuda? - perguntei para Sana e ela abaixou a cabeça 

- não sei senhor - ela disse e eu revirei os olhos 

-ficarei surpreso quando houver algo que você saiba Minatosaki - falei e ela corou 

- ligue para o chefe da guarda nacional e mande que ele demita o sargento Lee e assuma o meu "caso", quero que ele arquive por falta de provas - falei e Sana assentiu com a cabeça 

- era só isso Sana? - perguntei e ela negou 

- o hospital ligou a pouco e disse que a cirurgia realizada no senhor Park Jimin para o implante de um marca-passo no coração foi um sucesso - ela disse e eu suspirei fundo me sentindo aliviado mas não demostrei 

-ótimo, agora se retire da minha sala - falei e ela se virou para sair da sala, mas antes de tudo ela se virou como se tivesse esquecido algo 

-senhor o internato na Australia onde Park Hyung Sik estuda ligou para comunicar a expulsão do garoto - Sana me disse e eu suspirei

-compre uma passagem para ele, quero que Park volte para Coreia, depois dos acontecimentos acho que ele estara mais seguro perto de mim - falei e Sana assentiu, me levantei da mesa 

-cancele todos os meus compromissos para hoje Sana, irei sair - falei simplista e ela assentiu, me dirigi ao elevador, saindo da empresa, assim que me viram do lado de fora meus seguranças me seguiram porém com um gesto com a mão despensei eles, para onde eu vou quero estar sozinho 

...............................................................................................................................................................................................

Parei a minha ferrari preta em frente ao local e peguei o buque de violetas azuis e o outro de lírios brancos e fui em direção a entrada do local, comecei a passear entre o amplo espaço de grama verde quando eu achei o que finalmente estava procurando, a lápide estava ali bem feita e conservada, todos os anos eu mandava que fizerem uma reforma para que aquilo continuasse belo como ele merecia. 

-"A quem chora por mim lembre da minha alegria, aos que sofrem pela minha ausênsia estarei em seus sorrisos, Nam Joo Hyuk de 22 de fevereiro de 1994 até 17 de dezembro de 2011" - li em voz alta a frase que estava na lápide e me lembrei de quando ele havia me falado aquela frase ao brincar de que queria que aquilo estivesse na sua lápide, deixei o buque de violetas azuis ao lado da foto e me lembrei do funeral, o quanto quis chorar ao perder o meu melhor amigo, meu irmão, me abaixei e toquei a foto 

-faz tempo que não veio aqui Hyuk, faz tanto tempo desde que tudo aconteceu, faz 6 anos que não poso mais te pedi conselhos ou te abraçar irmão - falei e senti algumas lágrimas vindo até meus olhos mais tratei de limpa-las 

-sinto tanto sua falta Hyung, sabia que tenho um filho agora? Baekhyun é o nome dele, descobri que engravidei o Park na época do colégio, ele esta doente mas tenho certeza que Baek ficará bem, você amaria conhece-lo, seu filho Park Hyung Sik ainda me dando tanta dor de cabeça irmão, agora mesmo ele foi expulso, mas ele não é de todo ruim só puxou esse seu lado bagunceiro - falei e sorri sentindo as lágrimas limpei elas e suspirei olhando para o seu - ele senti sua falta,mesmo que não tenha te conhecido por mais de 4 horas antes que você morresse, mas ele senti sua falta, sei que não deveria falar contigo sobre isso mas eu atirei nele, atirei no desgraçado pai do Hyung Sik , mas ele não morreu, ainda não, esta entre a vida e a morte mas logo logo ele estara no inferno assim como o outro desgraçado que ousou te fazer mal 

-eu queria ficar aqui contigo porém não posso irmão, tenho que visitar outra pessoa ainda, mas eu prometo voltar mais vezes- falei e me levantei indo em direção a uma outra lápide próximo a anterior 

- "A luz dos nossos caminhos deixaste lembranças lindas em nossos corações que nunca iremos esquecer. Obrigado por tudo que fizeste por nós como uma boa mãe e boa esposa. As flores murcham, as lágrimas evaporam, mas a saudade que sentimos de você nem a morte consegue apagar, Lee Yejin de 30 de maio de 1980 até 27 de setembro de 2007 " - li novamente em voz alta e sorri me sentando no chão de frente para a lápide como uma verdadeira criança 

-oi mamãe - falei olhando para a foto onde minha mãe usava o hambook classico e sorria para o fotografo, percebi que havia uma flor no tumulo porém relevei o fato visto que em vida minha mãe foi cantora, aquilo poderia ser de qualquer fã que admire o trabalho da minha mãe 

-sei que faz tempo que não visito esse lugar, porém ando sem tempo, sinto tanto sua falta mamãe - falei acariciando a foto que existia ali, dessa vez não pude impedir as lágrimas de se derramarem 

-faz tanto tempo desde a ultima vez que te vi mamãe, queria que me perdoasse pelo tempo que passei sentindo raiva de você por ir embora, hoje eu intendo o que aconteceu, mas antes doia tanto pensar que ficaria sem você - falei e solucei no fim da frase -ainda doi tanto não te-la aqui, eu não acredito em Deus, mas eu sei que se ele existe você deve estar com el, porque você era um anjo em foma de mãe 

-eu te amo mamãe, sempre amarei - falei deixei meu buque em cima do tumulo e minha mão raspou na flor estranha que encontrei e por pura curiosidade peguei ela nas mãos, assim que vi de que flor se tratava larguei ela sobre o tumulo e levei a mão até a minha cicatriz sobre o torax, por alguns segundos voltei a ter 12 anos e estava escondido no closet da mamãe chorando a sua morte, revivi cada uma das sessões de tortura que os acessos de raiva dele faziam

Senti novamente a dor de cada chicotada sobre a minha pele, do fogo, e dos chutes e pontapés que eu tomava para proteger HyeJin, eu sabia quem tinha colocado aquilo ali, a rosa vermelha com manchas brancas era o simbolo da família Jeon

De algum jeito Park Jinyoung estava de volta, e eu me sentia uma criança assustada de novo 

 

 


Notas Finais


oi amoras, espero que gostem desse capitulo
PS: CONTEM PARA MIM SE VCS TEM ALGUMA TEORIA FORMADA OU ALGO DO GÊNERO, BEIJOS ESPERO QUE VCS TENHAM INTENDIDO UM POUCO MAIS DA HISTORIA TODA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...