História Amarrado ao Amor, Preso aos Amigos - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Capitão América, Homem de Ferro (Iron Man), Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Clint Barton, Dr. Bruce Banner (Hulk), Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), James Buchanan "Bucky" Barnes, Natasha Romanoff, Pietro Maximoff (Mercúrio), Sam Wilson (Falcão), Steve Rogers, Thor
Tags Stony
Exibições 67
Palavras 2.353
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu particularmente gostei muito do que escrevi, espero que vocês também gostem! :)
*Mel

Capítulo 16 - Só Quero Você Pra Mim.


Fanfic / Fanfiction Amarrado ao Amor, Preso aos Amigos - Capítulo 16 - Só Quero Você Pra Mim.


-Bom dia meu amor! – O loiro falava enquanto acariciava meu rosto. –Dormiu bem?
-Bom dia! Sim, dormi. E com a visão que eu tenho, acordei melhor ainda. – Falei, realmente era uma visão maravilhosa. Steve estava com os lábios inchados, com cara de sono e com o cabelo bagunçado. –E você? Dormiu bem?
-Sim, dormi.

Nós ficamos ali, se encarando. Eu só conseguia pensar na sorte que tinha de tê-lo. Na sorte que eu tinha por ama-lo.


-O que nós vamos fazer hoje? – Perguntei.
-Não sei, o que você quer fazer? – Ele disse, fechando os olhos. – Nós podemos sair, ir a qualquer lugar, desde que não seja nada muito agitado. Até porque você não está muito bem fisicamente.
-Quem disse que não? Eu estou ótimo! Passar a noite com você me curou completamente! – Falei brincando. –Tenho certeza que seus beijos deram certo.

Steve deixou uma gargalhada escapar, deixando amostra seus dentes perfeitamente alinhados.


-Tenho certeza que deu certo. Até porque eu sou Steve Rogers! – Ele disse franzindo o cenho e levantando os ombros.
-Convencido. – Falei junto de uma tosse forçada. – Mas então, eu quero ir a uma festa, algo com bebidas, essas coisas.
-Meu Deus! Quem é você e o que fez com o meu Tony? –Ele disse colocando a mão no peito.
-Aquele robô estava gravemente danificado, então resolvemos trocar. –Falei, forçando uma voz fina.
-Não acredito que eu beijei um robô! Alguém me leve para longe desta máquina que não tem sentimentos! –Ele disse enquanto gargalhava.
-Senhor. Sou uma máquina, mas eu sinto, às vezes. – Falei, envolvendo sua cintura e o puxando para mais perto de mim, selando nossos lábios.
-Amor, precisamos levantar. – Steve falou. – Não é tão cedo assim.
-Ta bem. Vamos levantar.

E assim fizemos, levantamos. Seus pais não estavam em casa. Nós tomamos o café, que já estava pronto. Acredito que Laura tenha deixado tudo preparado para nós comermos quando acordássemos. 


-Sua mãe é incrível! – Falei, ainda com a boca cheia.
-Realmente, sua sogra é fantástica! –Ele disse, sorrindo.

Quando acabamos o café fomos tomar um banho, juntos. Era a primeira vez que fazia isso. Talvez tenha sido um momento ruim, já que meu corpo estava cheio de hematomas.
A água era fria, doía quando entrava em contato com a pele.


-Desculpe, eu, eu não queria que você me visse assim. –Falei, envergonhado.
-Tony, isso não é culpa sua. Você não fez nada disso! –Ele falou, segurando meu rosto, fazendo cm que eu olhasse para ele. –Essas marcas vão sumir, com o tempo não estarão mais aí!
-Mas agora elas estão Steve! Agora qualquer um pode velas! –Eu disse, com os olhos marejados. –Agora você pode vê-las. –Falei, deixando algumas lagrimas saírem junto com as palavras.
-Mas eu não me importo em vê-las! Elas mostram a coragem que você tem! – Ele disse, me puxando para um abraço, um abraço carinhoso e apertado. –Ainda dói?
-Um pouco.
-Logo vai passar, meu amor! – Ele afagou minha nuca, selando nossos lábios.

***

Já estava de tarde, e eu ainda não tinha convencido Steve de irmos a uma festa.


-Amor por favor! Eu preciso sair um pouco. Vamos? Nós chamamos a galera.
-Mas Tony, você está machucado. Eu fico com medo de acontecer alguma coisa com você. –Ele falou enquanto me fitava.
-Mas não vai acontecer nada! E se acontecer, você estará comigo Steve, e tudo ficará bem.
-Ta bem! Vamos sair.
-Aeee, finalmente. –Falei, beijando seu pescoço.

Mandei mensagem para galera, perguntei a Nat se sabia de alguma festa. Foi uma pergunta muito idiota, claro que ela sabia. Natasha nunca foi de ficar por fora de nada, sempre sabe das coisas, sempre é convidada para participar de algo. Ela me falou de uma festa que podíamos ir, começaria as 21h.


-Steve, temos uma festa as 21h! – Falei empolgado. –O pessoal vai com a gente, todos eles!
-Sério? Até Bruce vai? Nossa, essa eu não posso perder. –Ele disse, debochado.
-Sim, é sério. – Falei, virando os olhos.

Ele andou até mim, me abraçando apertado.


-Eu só vou nessa festa porque tenho que cuidar de você. –Ele falou baixo, com a boca encostada de leve em minha orelha.
-Eu sei, obrigado! – Falei, afagando sua nuca.

***


-Steve? Você já está pronto? Nós já estamos atrasados! –Falei, indo até seu quarto.

Quando ia abrir a porta ele saiu, dando de cara comigo. Eu o olhei de cima a baixou, ele estava lindo, como sempre!


-Sim. Nós já podemos ir. – Ele disse passando na minha frente indo em direção a porta.

Nós descemos e fomos para o taxi. O local da festa não era tão longe. Cerca de 30 minutos de carro. Foi uma viagem silenciosa. Não se ouvia nada além do barulho dos carros na estrada. Então peguei meu celular e vi que tinha uma mensagem de Bruce.


Bruce: Anthony? Queria falar com você. Pedir um conselho sabe.
Tony Stark: Oi Bruce. Desculpe a demora, não tinha visto a mensagem! Pode falar amigo, estou aqui.
Bruce: Então, eu vou encontrar alguém nessa festa. Sabe, alguém que eu venho conversando a alguns dias. Algum conselho de como devo agir na frente dele?
Tony Stark: Não acredito, Bruce Benner me pedindo um conselho? Espere, “dele”?
Bruco: Sim Tony, é um cara! Mas o que é que tem? Para de brincadeira e me ajuda por favor!
Tony Stark: Ta bem, ta bem. Só porque pediu com carinho! Eu acho melhor nós falarmos sobre isso pessoalmente. Depois que eu ver como é o tal ‘cara’.
Bruce: Ta bem!

 

Eu estava feliz com a ideia de Bruce conhecer alguém. Bruce sempre foi quieto, sempre foi reservado, mas sempre o considerei uma boa pessoa. Eu e ele temos muito em comum.


-De que está rindo tanto, Tony? – O loiro falou enquanto fitava meu celular.
-O-o que? –Falei, demostrando estar confuso. Estava tão distraído que nem percebi que estava sorrindo. –Nada. Só fiquei feliz com uma notícia.
-E eu posso saber qual é a notícia? –Ele disse, franzindo o cenho.
-Em breve você saberá! Tenha certeza disso. – Falei, afagando sua coxa.
-Está bem então. – Falou arqueando as sobrancelhas.

Logo chegamos na festa. A galera estava do lado de fora, provavelmente nos esperando. Bruce estava junto deles, sua expressão deixava amostra seu nervosismo.
Assim que nos viu Natasha nos fuzilou com os olhos, nós sabíamos que estávamos alguns minutos atrasados, mas não sabíamos que eles estariam nos esperando para entrar.


-Vocês demoram né?! Achei que você fosse pontual Tony! –Ela disse cruzando os braços.
-Foi culpa do bonitão aqui. Eu não demorei, apenas esperei ele. –Falei olhando para Steve.
-Ta, ta. Vamos entrar logo! –Ela disse, indo em direção a porta que deixava escapar todo o barulho alto e exagerado. E bom, todos nós fomos atrás dela.

O local estava cheio, a fumaça quase não permitia que víssemos as pessoas que ali estavam. Luzes coloridas por todos os lados, música alta demais. Era um ambiente bem diferente da última festa que frequentei com eles. Natasha com certeza me surpreendeu, como a ruiva conhecia pessoas que fazem esse tipo de festa?


-Tony, o Thor está bem ali, olhe! –Bruce gritou para que eu pudesse escutar.
-Que diacho de nome é esse? Você está conversando com algum personagem de Gibis? –Gritei para ele. Gritar era a única forma de se comunicar naquele lugar.
-Para de graça Tony! O que eu faço?
-Acho que seria uma boa você ir lá e cumprimenta-lo, sabe, ser você mesmo.
-Mas Tony, e se ele não gostar do meu jeito?
-Você está disposto a agir como outra pessoa pelo resto da vida?  
-Não, mas...
-Então acho melhor você agir como você mesmo! –Falei, finalizando a conversa.

Bruce foi até Thor, que o abraçou apertado.

Steve estava encostado na parede, como sempre, com os braços cruzados. Eu sabia que ele não queria estar ali, mas ele não precisava agir daquela forma.
Fui até ele o tirando da parede, arrastando-o para pista de dança.


-Tony, eu não quero dançar agora! –Tive que ler seus lábios, pois ele estava falava baixo.
-O que aconteceu Steve? –Falei, no mesmo tom de voz que ele. Eu sabia que ele entenderia.
-Nada, só me deixe quieto. Ta? –Ele disse, se virando para voltar para parede, mas eu o segurei.
-Não! Não tem essa de querer estar quieto, ainda mais em uma festa! Da para me explicar o que aconteceu? –Falei, levantando a voz de forma que ele pudesse escutar.
-Eu fiquei preocupado com você! Eu chorei pelo que aconteceu. E você escolhe vir para uma festa? Como consegue ser egoísta assim Anthony? –Ele disse, com os olhos marejados.
-Não foi só você que sofreu pelo que aconteceu, Steve! Eu não sou egoísta. Só achei que estava te prendendo em casa. Eu só queria fazer algo diferente, e queria que você estivesse junto. –Falei.
-Eu queria ficar só com você, não com a turma toda! Eu só queria sentir você de novo!
-Nós podemos fazer isso quando chegarmos em casa, mas agora, vamos só, se divertir. Pode ser? –Falei envolvendo sua cintura e o puxando para perto.
-Sim, pode ser! – Ele disse, afagando minha nuca e selando nossos lábios.

Enquanto o beijava não ouvia nada, era como se estivessemos em outro lugar, era como se estivéssemos a sós. Nossos corpos roçando um no outro. A “barba” de estive passando por minha pele. Não ouvia nada, só conseguia pensar na sensação que o beijo de Steve me trazia. Mãos inquietas que passeavam pelo corpo um do outro. Algo tão intenso, tranquilo e agitado ao mesmo tempo. Algo que nem todas as palavras do mundo descreveriam perfeitamente. Então o ar faltou, e nos separamos para poder respirar.


-Prometo que continuo mais tarde, agora, vamos dançar. –Falei no ouvido de Steve.
 

Estava tocando uma música agitada, então eu comecei a dançar. Falhei na tentativa de imitar quem também estava dançando. Steve me acompanhava com seus passos desengonçados. Eu não estava me importando com nada, estava esbanjando felicidade. Não tinha visto mais o resto da galera, mas sabia que Bruce já estava em casa, eu o vi sair com Thor. Natasha estava com Bucky, então não tinha com que me preocupar. Clint e Sam eram homens, então sabiam se virar sozinhos, mas mandei uma mensagem para eles só para ter certeza.

 Eu e Steve fomos para casa, não demoramos muito para chegar.
O prédio estava silencioso, com certeza por causa do horário. Os pais de Steve já estavam dormindo, então fomos direto para seu quarto.


-Tony, por favor não faz muito barulho, se meus pais verem a hora que chegamos eles vão nos matar.
-Tudo bem meu amor, não farei barulho nenhum. –Falei me aproximando dele. –Mas eu te prometi uma coisa, e bom, não sou de quebrar minhas promessas.

Eu o beijei, guiando seu corpo até a cama. Nossas línguas brigavam por espaço, nossas mãos passeavam por nossos corpos. Coloquei minhas mãos em sua cintura, a apertando com força, fazendo com que Steve soltasse um baixo gemido. Steve tirou minha blusa, e eu fiz o mesmo com ele. Meus lábios desceram até seu pescoço. Estava dando leves mordidas no pescoço de Steve, fazendo com que o mesmo arfasse. Ele estava com a mão eu meu cabelo, as vezes puxava os fios de leve.
Fui descendo devagar, beijando cada centímetro de seu peito. Steve estava desabotoando sua calça. Então eu subi e comecei a beija-lo.


-Devagar. –Falei com meus lábios contra os dele. – Deixa eu fazer do meu jeito.
-E-esta bem.

Fui descendo devagar, até que cheguei ao cos de sua calça. Abri os botões e tirei a calça de Steve, deixando somente a cueca. Comecei a beijar o membro de Steve por cima da cueca, fazendo com que o mesmo arfasse.


-Assim vai ser difícil não fazer muito barulho, Tony. –Ele disse, em meio a leves gemidos.
-Quer que eu pare? –Falei provocando.
-O que? De jeito nenhum!
-Então só fiquei ai e relaxe.

Tirei a cueca de Steve, vendo seu membro em pé bem na minha frente. Abocanhei o mesmo, fazendo leves movimentos com a mão e com a boca. Senti Steve se contorcer de prazer. Seu membro estava pulsando, sabia que ele estava chegando em seu ápice, então pare.

Steve levantou a cabeça e me olhou com um olhar de reprovação.


-Você só pode estar brincando Tony!
-O que? Eu não fiz nada! –Falei, me fazendo de desentendido.
-Anda logo.
-É assim que se pede as coisas Steve? Seus pais não te deram educação?
-Não me faça implorar Tony!
-Bom, então já podemos ir dormir né?
-Porra Tony! Me chupa! Por favor!
-As suas ordens senhor Rogers!

Abocanhei seu membro mais uma vez, fazendo movimentos rápidos com a boca. Steve colocou a mão em minha cabeça, segurando meu cabelo, me fazendo colocar uma vez ou outra tudo na boca. Enfim, ele se desfez, gozando dentro de minha boca.

Subi beijando todo seu abdômen, até finalmente chegar a seus lábios. O beijando de forma selvagem. Mordi o lábio inferior de Steve, fazendo com que o mesmo soltasse um leve gemido. 


-Tony? –Ele falou arrastado.
-Diga, meu amor.
-Faça amor comigo até cansarmos.
-Com muito prazer, meu capitão!

Steve começou a desabotoar minha calça, e a tira-la. Quando finalmente fique nu, coloquei devagar meu membro dentro de Steve. Comecei com movimentos lentos, fazendo com que Steve gemesse. Minhas mãos foram até as suas, entrelaçando nossos dedos. Comecei a dar estocadas fortes em Steve, o mesmo estava mordendo meu ombro e arranhando minhas costas. Palavras sem nexo ecoavam pelo quarto. Eu sentia a respiração pesada de Steve em meu pescoço. Coloquei minhas mãos em sua cintura par que pudesse acelerar meus movimentos, acertando a próstata do maior.


-A-ah Tony... é.... isso... mais rápido.

Atendi a seu pedido, dando fortes estocadas na próstata do maior, até que me desfiz dentro dele.

Joguei meu corpo exausto para o lado, ficando com a cabeça sobre o braço de Steve, que olhava para mim.


-Isso foi, incrível! –Falei arrastado.
-Foi mesmo. –Ele disse afagando minha nuca.
-Eu te amo! Eu te amo muito!
-Eu também te amo Anthony! Você não sabe o quanto!

Ficamos ali, se olhando, se dando carinho, até que pegamos no sono. 


Notas Finais


GENTE FOI ISSO
Espero de coração que tenham gostado.
Beijão e até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...