História Amianto - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Styles, One Direction
Tags Dove Cameron, Drama, Harry Styles, One Direction
Visualizações 125
Palavras 2.408
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olha eu voltando rapidinho com Amianto para vocês? EU SOU MUITO AMORZINHO SIM (mesmo minha bff dizendo que não)
MAS EU VOU COMEÇAR ISSO AQUI AGRADECENDO QUE BATEMOS 100 FAVORITOS!!!! GENTE?????? EU TO APAIXONADA EM VOCÊS, REAL! CADA COMENTÁRIO E CADA FAVORITO ME DEIXA CADA VEZ MAIS FELIZ E ANIMADA COM ESSA HISTÓRIA!!! AMO ESSE FEEDBACK QUE ESTOU TENDO COM AMIANTO!!!!

Ok, respirando fundo e contando de 0 à 10, eu posto esse capítulo e peço para segurarem as emoções! É DAQUI PARA FRENTE QUE AS COISAS COMEÇAM A ANDAR ENTRE SKY E HARRY, RS

Sem mais spoiler e enrolação, vejo vocês nas notas finais 💋

Capítulo 6 - Friendship


Fanfic / Fanfiction Amianto - Capítulo 6 - Friendship

Meus dedos insistiam em apertar os botões do controle remoto, zapeando os canais da TV, completamente no tédio por não achar nada que me interesse. Deixo no canal de culinária quando ouço minha campainha soar, Lucy não desceria para atender mesmo se ela soubesse que fosse para ela. Então, com má vontade, me arrasto até a porta.

Mas todo meu mau humor e tédio se esvai quando vejo Matthew sorrindo para mim enquanto balança as chaves do seu novo carro, que está estacionado perfeitamente na entrada de minha casa.

Me encosto na porta entreaberta e observo meu melhor amigo. Ele usava uma blusa branca por baixo da xadrez, que estava aberta. O sorriso era encantador e feliz, como uma criança que acaba de ganhar seu brinquedo favorito.

- Quem quer dar uma volta de carro? – Seu sorriso se alastrou mais ainda, não evitei sorrir junto. Matt era realmente lindo.

Antes de responder, ouço um barulho no pé da escada e quando me viro para checar o que houve, minha boca se abre lentamente.

A imagem de um Harry vestindo apenas uma calça de moletom cinza invade meus olhos e não consigo desviar o olhar. Ele me pega no flagra, olhando seus pequenos ramos desenhados um pouco abaixo da barriga. Havia uma borboleta também, na boca do estômago, linda e grande. Seu físico não era tão malhado como o de Matt, mas isso não excluía o fato de que ele era muito sensual.

O cabelo ficou ainda maior molhado, os pequenos cachos começavam a se formar, conforme as gotas iam caindo pelo seu torso e molhando sua pele. Seus olhos acompanhavam os meus, até que parei em sua boca e vi ali nascer um sorrisinho de canto.

- Scar? – Ouço a voz de Matt e suspiro ao sair de meus devaneios. Arregalo os olhos completamente envergonhada e me viro para meu melhor amigo.

- Me desculpe... – Peço e dou espaço para que entre.

Lucy não havia descido com Harry, e começo a dar graças a Deus por isso.

- Oi, Matthew. – A voz branda de meu cunhado soa pela sala, fecho a porta atrás de mim e caminho ao lado de Matt. Harry mantinha um semblante fechado, como se analisasse o loiro.

- Oi Harry. – Matt sorri e lhe estica a mão, para cumprimenta-lo. Não sei dizer o clima que se instalou na sala, mas ambos se entreolhavam firmemente.

Eu estava quase entrando no meio dos dois e separando suas mãos, mas meu cunhado fez primeiro.

- O que faz por aqui? – Percebo que em sua voz há um pouco de sarcasmo, ele me olha rapidamente e eu desvio o olhar.

- Vim chamar minha loirinha para dar uma volta. – Suas mãos passam pela minha cintura e me aproximam cada vez mais de si. Percebo um sorriso de vitória nos lábios de Matt.

Harry não expressa emoção. Apenas balança a cabeça concordando com o que ele disse.

- Cunhadinho... – A voz manhosa de Lucy percorre meus ouvidos e instintivamente eu me aproximo mais de Matt. Levanto o olhar e a vejo no topo da escada, usando uma saia tão curta que eu jurei ter visto seu útero. Os saltos faziam um barulho irritante conforme ia descendo os degraus.

Sinto as mãos de Matt apertarem minha cintura com mais força.

- Como é bom te ver aqui. – Sorri maldosa, enquanto suas mãos passeiam pelos ombros de Harry. Como se em desespero, ele a puxa para si e lhe dá um beijo selvagem. Abaixo a cabeça, como se o chão fosse fascinante.

- Hã... vamos, loirinha? – Matt me chama a atenção. Olho em seus olhos azuis e vejo o quão constrangido está, igualmente eu.

- Mas já? – Ela separa seus lábios dos de Harry e deita a cabeça em seu ombro, sorrindo para nós dois. Suas bocas estavam borradas num vermelho fraco, devido ao batom que estava usando poucos segundos atrás. – Eu acabei de chegar. Vamos conversar um pouco. – Provoca.

- Vamos. – Digo amargurada, segurando a raiva que estou sentindo, não sei porque.

- Tudo bem então, divirtam-se e usem camisinha. – Gargalha. Reviro os olhos e seguro as mãos de Matt, o puxando para fora de casa.

Quando bato a porta com força, dou um gritinho e fecho os punhos. Minha irmã consegue estar mais insuportável que o normal.

- Lucy consegue me irritar. – Fecho a cara. Com as mãos ainda em punho, Matt sorri para mim e me abraça forte.

- Se acalma. – Eu o abraço de volto. – E você sabe... nós temos juízo, não iríamos transar sem camisinha.

- Matt! – Grito e lhe dou um soco no ombro, me desvencilho de seu abraço momentâneo. Ele está gargalhando, não consigo não o acompanhar e me permito rir também.

- Ei, calma garota. Sua irmã é um porre e super inconveniente, o máximo que podemos fazer é rir também, não acha? – Me dá um beijo na testa e me puxa para seu carro.

Os pais de Matthew lhe prometeram que se ele passasse na autoescola, eles lhe dariam um carro novo. Observo o modelo zerado e brilhoso, Matt sempre teve bom gosto e agora eu posso afirmar com mais certeza.

- Esse carro é lindo. – Observo o interior quando olho pelo vidro transparente.

- Eu sei. – Pisca. – Vamos. – Ele destrava o carro com sua chave e as portas se destrancam. Entra e me acomodo, passando o cinto de segurança em volta de mim.

- Emily me ligou hoje. – Diz assim que liga o carro e da partida. Observo os olhos de meu amigo e semicerro os meus.

Eu não gostava muito de Emily. Ela era a namorada de Matthew e a exatamente um ano atrás ela terminou com ele, sem mais nem menos, dizendo que não suportaria um namoro à distância, já que iria se mudar de Nova York. Eu não quis muito saber para que lugar do mundo ela foi, porque para mim, ela nunca fez inteiramente meu amigo feliz, o relacionamento dos dois eram péssimos, viviam brigando, era mínimo os momentos em que realmente estavam felizes.

- Não me diga que você...

- Atendi. – Ele me cortou complementando minha frase. Mesmo que no fundo eu soubesse com certeza que ele faria isso.

- Matthew! – Repreendo. Eu tenho o direito de ficar brava sim, por inúmeras vezes eu curei seu coração partido, porque em todos os momentos que eles brigavam, em seguida ele me ligava, ou aparecia na minha janela, mesmo que de madrugada.

- Eu sei, ok? Ela não me merece e blá, blá, blá. – Revira os olhos e aperta o volante. Sei que está irritado.

- Mas não mesmo. Poxa, Matt. – Lhe dou meu olhar mais compreensível. Por mais que eu não gostasse dela, ele infelizmente gostava, e muito.

- Ela disse que... – Respira fundo, puxando todo o ar para si, antes de voltar a falar comigo. – Que está voltando para Nova York. – Me olha de relance.

Fecho os olhos. Sei que isso iniciará outras madrugadas acordada ouvindo Matt reclamar de si e de como é um idiota por sempre ceder à Emily.

- Wow... – É o que eu consigo dizer no momento. As ruas gélidas de NY nunca me pareceram tão grandes e distantes. Olho para Matt ao meu lado e percebo o quão nervoso está. – Que tal um sorvete? – Pergunto aleatoriamente, o fazendo me olhar sorrindo.

- Você é impressionante. – Ri.

- Me agradeça depois. – Pisco para ele que me dá a língua.

Matt estaciona em frente à sorveteria. Desço do carro e espero que ele esteja ao meu lado, para entramos. Ouço o carro ser travado e ele me estende seu braço para eu me segurar. Entrelaço nossos braços e entramos.

Haviam milhares de sabores diferentes à serem escolhidos. Eu sempre escolhia morango ou baunilha, eu sei, muito previsível. Mas dessa vez, eu queria algo diferente.

- O que vai ser? Morango ou baunilha? – Ele desliza o indicador pelo meu nariz e eu abro um sorriso desafiador.

- Nenhum, nem outro. Hoje nós dois iremos provar algo... diferente. – Arqueio uma sobrancelha e ele também.

- Desafio aceito. Irei escolher um para você e você para mim, me surpreenda, Miller. – Pisca. Pego uma casquinha e deslizo os olhos pelos diversos tipos de sabores... sei que o favorito de Matt era chocolate, não havia uma segunda opção, ele sempre pedia o mesmo sabor. Sempre.

Decidida a lhe dar um novo gosto para o paladar, me estico para pegar uma bola de sorvete de banana. O olho de relance e o pego sorrindo para mim, apontando à casquinha em suas mãos. Reviro os olhos e coloco cobertura de caramelo, com alguns granulados coloridos. Ele vem até mim e eu olho para sua casquinha. Franzo o cenho.

- Que sabor é esse? – Faço biquinho. Matt passa o dedo no sorvete e lambuza meu nariz, acabo rindo de sua ousadia e faço o mesmo em sua bochecha.

Ele segura em minha mão e me leva até ao caixa, para pagar pelo sorvete.

- Eu pago, loirinha. – Ele começa quando me vê mexer no bolso da calça jeans, para pegar alguns dólares pordidos.

- Ah... hoje é por conta da casa. – A morena de cabelos enrolados nos olha sorrindo abertamente. – Impossível não notar o amor entre vocês, estamos felizes em servir dois jovens apaixonados. – Complementa.

Olho para Matt que me devolve o olhar. A moça pensou que nós éramos namorados. Contenho um riso antes de lhe explicar.

- Na verdade, nós não...

- Obrigada. Eu realmente amo essa baixinha. – Matt me corta, puxando minha cintura para próximo de seu corpo. Dou o meu melhor sorriso para a atendente.

- É possível ver isso em vocês. Obrigada por virem, voltem sempre. – Ela sorri simpática e nós dois retribuímos, saindo logo em seguida.

- Eu não acredito que fizemos isso. – Solto uma gargalhada.

- Então namorada, prove seu novo sabor de sorvete. – Encaro a casquinha em sua mão e torço o nariz. Não me agrada a cor extremamente vermelha, sei que aquilo não era morango.

- Só se você provar o seu primeiro. – Lhe estico o sorvete. Ele pega com cuidado examinando e dando uma cheirada. Sua língua passa ao redor da massa gelada.

- Banana? – Arregala os olhos para o sorvete em sua mão. – Isso é bom... isso na verdade é muito bom. – Nessa vez, ele crava os dentes.

Consigo exibir um sorriso vitorioso nos lábios. Meu amigo me estica a casquinha, mostrando que agora é minha vez de provar o sabor que escolheu. Me sinto um pouco arrependida de propor esse desafio.

Pego de sua mão e continuo olhando, até cheiro para tentar identificar, mas nada me vem à cabeça.

- O que é isso? – Faço uma careta.

- Experimenta logo. – Diz impaciente, devorando seu sorvete. Fecho os olhos e levo o meu até a boca.

Abro um sorriso.

- Isso é bom. – Olho para Matt.

- Viu como é fresca? Óbvio que você gostou. – Pisca para mim.

- O que é isso? – É bom, mas ainda não consegui saber o que era de fato.

- Amora. – Dá de ombros. Balanço a cabeça concordando e levando mais do meu sorvete à boca.

Depois de terminarmos os sorvetes, damos mais uma volta pelas ruas de Nova York e finalmente voltamos para casa. Eu amava passar um tempo com Matt, além do mais ele sempre sabe como me distrair, e por horas eu não pensei em Lucy ou em Jenna.

Um som familiar soava, eu me lembrava a letra, mas fazia tempo que não escutava, certamente era uma música de infância. Fecho os olhos e começo a cantar.

- Ainda conhece essa música? – Ele me pergunta, sorrindo.

- “I’m With You” da Avril é meio impossível de esquecer. Cresci ouvindo isso.

- Verdade. – Ele joga sua cabeça para trás, encostando no banco. Observo seus traços delicados e abro um sorriso.

Sem permissão, o moreno de olhos verdes se torna protagonista dos meus pensamentos. Isso estava ficando cada vez mais frequente, Harry invadir meus pensamentos sem qualquer aviso prévio estava virando rotina. Com a música soando, tudo ficava ainda mais intenso. Minha mente volta à madrugada de ontem, em mim e ele, dançando na enorme Times Square, como se apenas estivesse nós dois lá.

- Do que está rindo? – Matthew me tira dos devaneios.

- Eu não... – Olho em seus olhos azuis. Ele tem um sorrisinho nos lábios.

Rapidamente eu me inclino e beijo seus lábios. Posso ver que ele foi pego de surpresa quando ainda mantém a boca aberta, mas como se caísse a ficha, ele desce os braços para minha cintura e me dá passagem para a língua.

Nós nunca, em todo esse tempo de amizade, tínhamos feito isso. Nos beijado. E também não sei o que deu em mim, ou o que me levou a tal ato. Só sei que no momento nossas línguas traçavam um único objetivo, explorar nossas bocas. O gosto do sorvete ainda estava fresco e eu dou uma risadinha durante o beijo. Matthew sabia o que estava fazendo e me beijava com maestria.

E como se minha sanidade voltasse para meu corpo, eu me afasto, por conta da falta de ar e por me dar conta de que estou beijando meu melhor amigo. Tento regularizar minha respiração enquanto olho assustada par Matt.

- Ok... sei que a moça da sorveteria disse que somos namorados, mas... era de brincadeira. – Sorri. Ainda sem graça, também sorrio de sua piada idiota.

Dou um soco de leve em seu ombro e me aconchego no banco do passageiro, arrumando os fios de cabelos que ficaram bagunçados.

- Mas... eu quero mais um beijo, só para ter certeza de que você beija bem. – Ele se inclina para me beijar, mas eu o impeço.

- Tchau, Matthew. – Por fora eu posso até estar tranquila, mas por dentro eu morro de medo que esse meu ato impensado, ferre nossa amizade. Abro a porta do carro e saio.

- Até amanhã, namorada. – Posso ouvir sua risada do lado de dentro e reviro meus olhos.

Assim que Matt arranca com o carro, me viro para entrar em casa, mas algo me impede de continuar meu caminho.

Harry está parado na varanda, me olhando, enquanto fuma seu cigarro tranquilamente. Meus pés congelam e eu não consigo me mover. Sinto meu coração acelerar, sem saber exatamente o porquê, e rezo do fundo do meu coração para que Harry não tenha visto meu momento com Matt, por que se ele contar para Lucy, ela não iria largar do meu pé.


Notas Finais


E
ENTÃO
????

Estou ansiosa para os próximos capítulos hehehe, vocês vão saber mais de Lucy e nossos pombinhos, Scarlet e Harry! O que vocês acharam da suposta ex-namorada de Matt? 🤔🤔

Vejo vocês nos comentários 💋❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...