História Amigo imaginário - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kris Wu, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Amigos|fantasmas|amor|morte
Visualizações 45
Palavras 2.289
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, voltei com mais um cap!
Sim, eu sei, eu já postei hoje, porém o outro cap eu achei que ficou um lixo por isso resolvi recompensar vocês com esse!!

E também eu só iria postar esse cap dependendo da resposta da @Loba_Clara e como ela me respondeu hoje, nada mais justo que postar hoje!!
Eu espero que gostem desse cap, eu já estava pensando nele antes, mas aí aconteceu uma coisa que eu tive certeza que deveria postar!!

Capítulo 34 - Como ele virou a morte


 [Dois dias depois, na escola]

Estávamos prestes a sair para o recreio, Somin, Hoseok e eu. 

Somin: Depois eu quero falar com você, Sun.-- Falou ela seria.

--De novo a história da morte? Não, não elas tô interessada!-- Falei um pouco grossa. Ela bufou. O sinal tocou, e antes que ela me viesse com mais asneiras, sai correndo rumo a sala dos professores. Bati, e entrei.  Como sempre, só o Suga estava lá.-- Olá.-- Falei sorrindo.

Suga: Ah; Oi,  Sun hee!-- Falou sorridente.-- Temos aula nos dois últimos períodos, não?!-- Assenti.--Hmm... Então, poderia falar com a Somin, e pedir para vir aqui?-- Perguntou sorrindo fofo.

--Claro, então vou até lá agora mesmo, até depois!-- Mandei um beijo pelo ar e sai saltitante. 

《♡¤||Somin narrando||¤♡》

Entrei na sala dos professores e vi só o Suga ali.

--Mandou me chamar, professor?-- Perguntei educada.

Suga: Suga**-- Corrigiu-me. Me segurei para não bufar e revirar os olhos. Me sentei na cadeira a sua frente.-- Bom, sim, eu mandei lhe chamar.-- Falou sério.-- E foi pra poder perguntar: Por que mandou aquele seu amigo fantasma vir falar comigo?-- Perguntou indo direto ao ponto. Franzi as sobrancelhas. Eu não mandei o Kris vir aqui, ele veio aqui porque quis.

--Eu não mandei, ele veio por si só, Kris não é meu amigo e nem me obedece.-- Falei dando de ombros. Acho que tive uma idéia... Esta na hora de jogar. Me inclinei e fitei seus olhos.-- Porém, ele me contou algo...-- Falei de modo que desse a entender que sabia sobre algo.

Suga: Mesmo depois de ter dito para não falar? Hmm... corajoso ele. Pois bem, o que ele disse?-- Perguntou em tom desafiador. Melhor arriscar.

--Ele disse que... Você era a morte, senhor Min Yoongi.-- Falei séria. Ele sorriu de canto.

Suga: Você sabe jogar, Somin.- Riu. Franzi o senho confusa.-- Mas infelizmente, eu tenho anos e anos de experiência.-- Falou fingindo frustração. Bufei.-- Mas eu vou te contar, tudo bem? Sim, você está certa.-- Mesmo já sabendo, deixei meu queixo cair.-- Mas ao mesmo tempo errada, pois eu nem sempre fui a morte.-- Agora eu arregalei os olhos.

--C-como?-- Perguntei confusa. 

Suga: Vou contar, espera, nossa que apressada!-- Falou rindo.

《♡¤||Suga narrando||¤♡》

[FlashBack] 

Eu era filho do imperador da Coréia, um príncipe que dedicava todo o seu tempo à aprender e aprender. 

Eu era totalmente solitário, não tinha amigos e nem sair do palácio direito eu podia. Eu também só tive uma pessoa que me amou. Essa pessoa era minha Omma, e depois que ela morreu, ninguém mais. Meu Appa passou a ser grosso e rude comigo. Gritava por tudo, e como eu sempre fui um pouco rebelde, ele mandava seu braço direito dar ordem para que eu levasse umas chibatadas com os animais. 

-×-×-

Hoje meu Appa disse que queria falar comigo, e era importante. Se eu ousasse me atrasar, sabia que hei de estar encrencado. E como na noite passada já apanhei por uma vida toda por ter tentado fugir a noite para ir a um dos clubes da cidade... Não estava disposto a apanhar mais hoje. Por isso, quando deu 17:30, sai de meu quarto para ir de encontro ao de meu pai.

{...}

"Yoongi, eu sei que você ainda é novo, e vive dizendo que não pretende se casar ainda, porém, sou seu pai e acima de tudo, seu rei. E como rei tenho que prezar pelo bem-estar do povo e do reino, que está passando por necessidades. Por isso, acho que está na hora de te arrumar uma noiva. E essa noiva é a princesa Mei, filha do imperador da China." Falou ele calmo. Ele quer que eu me case? 

"Não, Appa." Suspirei. " Você não está e nunca agiu feito meu pai. Você não me vê como seu filho, e sim como alguém que vai assumir seu lugar um dia." Declarei triste. 

"Mas é isso que você é, meu filho e meu sucessor." Falou como se os se óbvio.

"Não... eu não queria ser seu sucessor... e não quero e nem vou me casar com alguém que não amo e não conheço. Ninguém pode me obrigar a isso." Antes que ele pudesse dizer algo, me apressei em sair daquele quarto. Desci as escadas afoito e cheguei enfrente aos portões. Eles se negaram a abrir. Então eu sai correndo para o jardim. O terreno do palácio é grande, e na parte do jardim não tem demarcação e tem livre assesso para um vale, o vale solitarius. Eu nunca entrei ali, por medo, é um vale vazio,  e isso me da medo. O vazio. Porém, é esse vale que vai me salvar. 

Sem tempo de pensar, entrei correndo ali. Quando olhei para trás, pífia ouvir o barulho dos cavalheiros gritando por mim. Apressei o passo.

Desviei de mil galhos, pulei troncos e raízes até que já estava tudo escuro e muito silencioso. Sei que logo eles vão me achar, Appa nunca iria desistir assim, tão fácil. Por isso, não importa o quanto eu corra... Eles vão me achar. Por isso, me encostei em uma árvore e esperei. 

Eu não tenho saída mesmo, vou ter que me casar, e o pior é a surra que vou levar, certamente. Ou talvez... Talvez eu tenha uma saída, uma única saída.

Não faria diferença mesmo, eu pelo menos iria me livrar de toda essa dor que sinto e poder rever minha amada mãe. 

"É... a minha única saída, é a morte." Falei para mim mesmo. Eu não vou, e nem preciso me casar com quem não amo e continuar sofrendo. Eu sempre carrego comigo, uma adaga que minha mãe me deu em seus últimos instantes de vida. A pressionei contra meu pulso, sobre minha veia. Fiz um único corte, profundo. Uma linha que jorrava muito sangue. Pendi a cabeça para trás, e fechei os olhos com força para deixar a morte chegar aos poucos.

Um curto FlashBack da minha vida sofrida, de todas as minhas mágoas se passou em minha cabeça. Eu realmente não vou sentir falta disso. 

E então uma única lágrima solitária saiu de meus olhos. Essa lágrima ficou presa dentro de mim por muito tempo, já que nunca havia chorado em toda minha vida mesmo passando por tudo que passei. 

Quando abri os olhos, vi meu corpo deitado ali, ao meu lado.  Sem vida. 

Eu realmente morri? 

Me rastejei até ele, e tentei o tocar. Mas minha mão o atravessou.  

E então escutei uma voz me chamar, era uma voz feminina, doce e melodiosa. 

"Yoongi... eu entendo seus motivos de se suicidar, mas você não pode voltar atrás. Esta na hora de ir, querido." Falou a moça. Me virei para ela. Era uma moça bonita, com um corpo com curvas, ela vestia um vestido fino de seda e ele era branco e longo. Seus cabelos eram escuros feito a noite, ondulados e ela tinha olhos verdes feito esmeraldas. Sua pele era quase tão clara feito a minha. Ela sorria do mesmo jeito que minha mãe, porém percebi que esse sorriso apesar de doce, era triste. Ela estava triste.

"Você está triste." Afirmei. Ela me olhou confusa. Então sentou-se ao meu lado e suspirou.

"Eu sou triste." Falou ela calma. Tentei sorrir de forma doce para ela se sentir melhor. Queria perguntar o porque de uma moça tão bonita ser rap triste. E como comoque adivinhando meus pensamentos, ela continuou: "Sou triste pois... eu sou sozinha, não tenho amigos, nunca amei ninguém é também nunca fui amada. Eu nem sequer tive uma vida, sou a morte em pessoa." Falou com voz mansa. 

Ela era mesmo a morte? Eu sempre temi a morte, porém, não tem porque! Ela é só uma moça solitária, que quer ter amigos. Exatamente como eu. 

"Qual é o seu nome?" Perguntei depois de um tempo em silêncio.

"Achei que já soubesse..." falou surpresa. Sorri.

"Estou falando do seu nome de verdade, você não pode se chamar apenas de 'morte' esse é o nome que lhe deram, mas qual o seu nome de verdade?" E agora, ela sorriu de verdade. Não era um sorriso triste, e sim de felicidade.

"Meu nome é Clara."  Sua voz saiu melodiosa. "E você é Min Yoongi, e agora você tem que ir para o reino dos céus, vamos." Falou se pondo de pé ainda sorrindo, mas com voz seria.

"Não, clara." Me pus também de pé." Digo, será que não tem um jeito de... a senhorita não ser mais solitária?" Perguntei roceoso. Eu fiquei com pena dela, ela me lembra a mim mesmo.

"Sim, tem. Porém, eu teria que encontrar alguém louco o bastante pra tomar conta do meu lugar,  digo, me substituir para que eu tenha uma vida humana. Mas esse alguém, por já ter sido humano não poderia fazer uma troca, e se fizesse, ele teria sérias consequências." Falou triste. Sorri.

"Eu seria esse alguém completamente louco." Ela me olhou assustada. Tive vontade de rir, mas fiquei com medo de ela achar que eu estava brincando e não estou. Ela merece ser feliz.

"Não, Suga, não posso fazer isso com você." Negou prontamente.

"Suga?" Perguntei curioso. Era um apelido bonito. Ela ficou vermelha, que fofa.

"Sim, você tem um sorriso doce e uma pele clarinha." Apertou minha bochechas. Mas logo as soltou e me olhou com um olhar duro. " Mas eu não vou trocar de lugar com você." Falou seria.

Foi aí que eu comecei com a minha lista de argumentos, tentando a convencer. Disse que não me importava, eu já havia morrido mesmo. Até que finalmente, ela cedeu.

"Mas você tem que estar ciente que: se você for refazer a troca, você vai voltar até a sua idade de agora, é dependente do tempo que você demorar para fazer isso, pode ser fatal. Seus anos iram voltar, você irá envelhecer a cada hora e se tornará pó." Tentou me por medo. E  realmente conseguiu, mas não por mim, e sim por ela.

"Isso vai acontecer com você?" Perguntei preocupado.

"Como eu nunca fui humana... Não." Falou despreocupada. Suspirei aliviado." Temos um acordo, Min Yoongi?" Era incrível como sua voz ia de doce para fria. Me estendeu a mão para que eu apertasse. E assim fiz.

-×-×-

E foi assim que eu me tornei a morte. Ela se tornou humana, e era a única que podia me ver. Por esse motivo, nos acabamos virando amigos. Porém, com o tempo, eu acabei me apaixonando por ela. Ela nunca soube enquanto estava viva. Ela envelheceu, eu continuei o mesmo, mas ainda a amava mesmo quando sua morte chegou. Ela tinha 87 anos. Morreu de velhice. Concordou em vir comigo sem hesitar, agradeceu por eu ter dado a chance de ela poder viver. E então eu senti coragem, e disse que sempre a amei. Ela me respondeu com um sorriso doce e um último carinho. 

Eu pensei que ela ia reencarnar, porém ela nunca reencarnou, até agora.

[FlashBack Off] 



Contei toda a história para a Somin que ouviu tudo sem falar uma palavra.

Somin: Me desculpe, Suga. Eu não sabia, eu achei que... Não, sei, achei que você era frio e sem sentimentos. E eu estava enganada.--Abaixou a cabeça. Sorri.

--Não precisa se desculpar, Somin. Só peço que ainda não conte essa história para a Sun hee; eu gostaria de conta-la.-- Falei e ela assentiu.

[Mais tarde, em casa]

Entrei no meu quarto, e me olhei no espelho. Analisei meu cabelo. Quando disse pra Sun hee sobre a minha "amiga imaginária" me referia a Clara, e eu lembrava sim dela. Ela não tinha o cabelo verde, eu pintei o meu de verde por conta dos olhos dela. Os mais lindos de todos. 

Me joguei na cama e fitei o teto sorrindo. Estava feliz. 

Como que pra me atazanar, no momento em que me deitei, a luz apagou. Só a do quarto, o que indicava que a lâmpada queimou.

--Saco!!-- Me levantei em burrado, o jeito é ir ao mercado comprar outra.

Peguei as chaves do carro, a carteira e dirigi rumo ao mercado.  

Quando ia passar na porta do mercado, uma garota passou por mim rumo a saída, ela tinha o cabelo comprido, escuro e ondulado com as pontas azuis, olhos verdes, a pele quase tão clara quanto a minha, um corpo com curvas, ela vestia uma saia de cós alto com a cor vermelha, uma blusa branca, uma jaqueta de couro preta, uma meia calça preta também, que tinha alguns rasgos, e usava uma botinha preta cano curto. Reparei em tudo isso em questão de segundos, pois a garota passou por mim sem nem me olhar e eu paralisei. Era ela. Sem pensar duas vezes, eu voltei e corri atrás da garota e a puxei pelo braço, ela se virou assustada e ia gritar, porém, quando olhou meu rosto pareceu se perder. Depois, pareceu despertar. Puxou seu braço.

?(não sei qual é o nome dela nessa vida): Aí,  seu louco, eu nem te conheço!-- Falou visivelmente irritada. Igualzinha.

--Qual o seu nome?-- Perguntei e ela ficou confusa. 

?: pra que quer saber? Eu pretendo nunca mais te ver na minha vida!-- Falou. Grossa que só ela.

--E-eu gostaria muito de ver você outra vez... eu achei você bonita.-- Falei um pouco inseguro. 

?: Ah, sim, eu sei, sou linda, mas não sou pro teu bico!-- Falou jogando o cabelo, mas logo caiu na gargalhada.-- Brincadeira, obrigado. Eu também achei você bonito.-- Sorri.-- Prazer, meu nome é Clara.-- Falou sorrindo.

--Eu sou Yoongi.-- Falei alargando ainda mais meu sorriso. Ela continua tendo o mesmo nome... Talvez porque ela não tenha sido humana antes, não sei.

Clara: Eu vou te chamar de Suga, porque seu só isso é doce e você tem uma pele tão branquinha.-- Falou com voz fofa. 

--Esse... Já é meu apelido.-- Falei meio bobo, ela riu.

Clara: Ah, eu leio mentes!--Brincou.-- mas agora eu tenho que ir, Suga, é uma pena que não vou te ver de novo.-- Falou sorrindo e saiu andando. Fiquei vendo ela se afastar e agradeci mentalmente por a lâmpada ter queimado. Ah, sim a lâmpada! 


Notas Finais


Ooi de novo! Espero ter recompensado vocês, e agora estou ainda mais feliz!!
Quem aí gostou da Clara? Eu amei ela, Suga parece que também...
Bom era isso que eu falei que dependia da resposta da @Loba_Clara !
Eu fiquei com pena de deixar o Suga sozinho na fic, então fiquei pensando em fazer uma personagem pra fazer par com ele, aí eu conversei com a Clarinha e decidi dar essa personagem pra ela em forma de agradecimento por uma coisa aí que ainda não posso falar... Bom, é isso, beijos de luz!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...