História Amigos e segredos - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 2
Palavras 544
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 8 - Fofoquinhas.


Independentemente do que os outros estavam falando de mim e do Carlos, eu não ligava pra nada que eles estavam falando da a gente. Simplesmente eu aceitava e ria junto com ele. Mas nem tudo podemos segura, as fofocas já estavam sendo izageradas por muitos da ali, eu continuava sem ligar, mas o Carlos não gostava r ficava com raiva, nesse momentos que ele tá assim, prefiro fica na minha e sendo eu mesmo. Tinha duas irmãs que se chamava A Nojenta e a Intojada. Elas eram as dores de cabeça do Carlos, a sorte que o Carlos não bate em mulher. E eu acho que é por isso que ele desconta a raiva dele em mim. No início eu não gostava disso; não tenho culpa ser estão falando disso de nos, mas alguns tempos eu fui e entrei no jogo dele; toda vês que ele me batia... Fazia o mesmo, mas bem forte...pra deixa marcas vermelhas nele e em mim ele fazia o mesmo, mas deixava dores muitos fortes em mim que acabou aparecendo rochuras no meu corpo, onde ele batia, ficava roxo em mim. Ao longo desse tempo fui conhecendo outras pessoas de outras sala. Fui conhecer um menino que ser chamava "Austin". Na verdade eu não sabia o nome dele, o pessoal até o Carlos tava chamando ele assim. E o Austin era sempre acompanhando pelo seu fiel escudeiro Cavalcanti. Ao meu ver? Eu pensei que os dois estavam namorando. Mas me enganei, até que o Cavalcante é bonito, eu ficava com ele. E quando eu e o Carlos voltamos pra sala e todos os olhares se voltaram contra nós. Mais eu entrei sem olha pra ninguém, mas o Carlos voltou pra fora de novo e eu não quis ir atrás dele. Minutos depois, o Carlos ne chama; já como não tinha professora(o) desde das 08:00 então eu fui ao encontro dele. Fomos até a praça e ficamos lá, nem percebi o tempo voar. Quando eu to com ele, nem percebo que existe tempo. Chegou a hora do almoço, eu disse que ia pegar a minha mochila para ir almoça. Então eu subi as escadas em direção à sala. Eu fui de novo na Praça! Pra ver se ele tava lá ainda. Mas não estava e fui almoça na cantina com os colegas da minha sala.

-Oi gente? Tudo bem?

-Oi Gabriel, senta ai que queremos fala uma coisa pra ti?

-Pode fala!

Eu até sabia o que era a tal "conversa", mas fingir de idiota e deixei o pessoal fala.

-Eu queria...não...todos nós queria-mos sabe de uma coisa. Tu e o Carlos? Estão namorando?

Fiquei espantado com a pergunta, tão direta assim, nem pra me pedir respira um pouco. Mas decide fala, não tinha opção, era fala ou deixa que a fofoca continue.

-Olha...Eu e o Carlos não estamos namorando e nem ficando e nem transamos, como eu ouvir alguns de vocês falaram. Eu só gosto dele como um amigo. Como eu gosto de todos vocês.

-Mais vocês fazem um belo casal, tu foi a primeira pessoa a fala com ele. E em pouco tempo. Vocês já são amigos, quem olha. Pensa que tu e ele são amigos a bastante tempo.

-Isso é Bom ou Ruim?

CONTINUA NO PRÓXIMO CAPÍTULO...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...