História Amigos, Fracassados e Youtubers - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carrossel
Tags Ciriquina, Daléria, Marilina, Paulicia
Exibições 243
Palavras 2.296
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Preparados pra mais um episódio? Lá vai, ein!

Capítulo 13 - EP05 - Aquele que eles têm que se esconder da síndica (Pt.1)


APARTAMENTO 2F - SALA - MANHÃ

Mário está sentado na poltrona de madeira, mexendo no celular.

Valéria está sentada no sofá, com o notebook no colo.

VALÉRIA: Eu ainda não acredito que a gente tá fazendo tanto sucesso.

Mário continua mexendo no celular, concentrado.

VALÉRIA: Você ficou sabendo que o pessoal amou a intro nova que você fez pro canal?

Ele continua sem dar bola para o que ela diz.

Valéria joga uma almofada na cabeça de Mário.

MÁRIO: (Passando a mão na cabeça) Au!

VALÉRIA: Acorda, ow! Vai me deixar falando sozinha mesmo?

MÁRIO: Desculpa, é que eu tô ocupado aqui.

VALÉRIA: E desde quando usar o Tinder é desculpa pra não me dar atenção? Você tá tão carente assim, Mário?

Mário desliga o celular, nervoso.

MÁRIO: Tinder? Do que você tá falando? Não tem ninguém aqui usando o Ti... Tinder...

VALÉRIA: Anram. E esse seu dedo indo pra direita e pra esquerda o tempo todo é o que?

MÁRIO: (Envergonhado) Ah... Isso é... Outro app que tem agora, muito famoso... É o...

Valéria o encara com olhar de desconfiança.

MÁRIO: (Se dando por vencido) Tá bom, vai. É o Tinder mesmo. Eh que eu tava só vendo se...

VALÉRIA: Se a Marcelina aparecia pra você.

MÁRIO: (Assustado) Como você sabe disso?

VALÉRIA: Porque você é bobinho demais pra marcar um encontro pela internet.

MÁRIO: Ei! Isso não é verdade!

Ele fica todo vermelho.

VALÉRIA: Ah é? Então porque você nem sequer falou com nenhuma das meninas que deu match com você?

Mário se levanta.

MÁRIO: COMO VOCÊ...

VALÉRIA: Dava pra ver pela sua cara de empolgação.

Mário vai até a cozinha e enche um copo com suco de maracujá.

MÁRIO: Nossa. Deve ser impossível esconder alguma coisa de você...

VALÉRIA: Hahaha. Mas e aí? Nenhuma gatinha interessante pelas redondezas?

MÁRIO: Até que sim mas... Você sabe como eu sou né. Eu ia ficar todo nervoso na hora e ia acabar estragando tudo como sempre.

VALÉRIA: Deixa de bobeira, Mário. Anda. Abre logo esse Tinder e deixa eu ver o que temos aí.

Ele passa o celular para as mãos dela.

Ela fecha a tampa do notebook, cruza as pernas em cima do sofá e começa a passar o dedo para a direita na tela do celular dele.

MÁRIO: EEEEI! O que você tá fazendo?

VALÉRIA: Dando like em todo mundo. Vamo ver quantas menininhas tão a fim de você nessa cidade.

Mário tenta tomar o celular das mãos dela mas ela se afasta para o lado e o impede.

A porta se abre e dela surge Maria Joaquina e, mais atrás, Alícia, carregando uma grande caixa de papelão.

Valéria deixa o celular em cima do sofá e se levanta, assustada.

VALÉRIA: Epa, epa, epa. Que troço é esse que ces tão trazendo pra dentro do MEU apartamento.

Alícia solta a caixa no centro da sala.

ALÍCIA: Adivinha só... Mais roupas da Maria Joaquina.

VALÉRIA: (Alarmada) MAIS ROUPA? Mal cabem as que já tão aqui!

MARIA JOAQUINA: Ai, Valéria. Deixa de ser exagerada. Você queria o que, que eu deixasse elas mofando lá em casa? É melhor trazer tudo pra cá logo de uma vez.

ALÍCIA: Do jeito que você fala até parece que você pretende morar aqui pra sempre.

MARIA JOAQUINA: É bem isso mesmo. Agora, se vocês me dão licença, eu vou arrumar as minhas coisas.

Ela arrasta a caixa até o lado da cama dela e começa a tirar as roupas de dentro.

VALÉRIA: E por acaso eu posso saber onde essas roupas vão ficar?

Maria Joaquina se levanta com três vestidos enrolados em seu braço.

MARIA JOAQUINA: No seu guarda roupa, é lógico.

Ela entra no quarto de Valéria e Alícia. 

VALÉRIA: HÃ? Negativo! Volta já aqui com essas suas tralhas.

Valéria entra no quarto.

Alícia vai até a geladeira e enche um copo com água. Em seguida olha para Mário, mexendo no celular, concentrado.

ALÍCIA: E aí? Quantas matchs até agora?

MÁRIO: (Assustado) VOCÊ TAMBÉM! Como vocês fazem pra saber quando a gente tá usando o Tinder, pelo amor de Deus?

ALÍCIA: (Voltando para a sala) É simples. Basta olhar pra cara de bobo que vocês homens fazem quando dá match com alguém.

MÁRIO: (Envergonhado) Eu não tenho cara de bobo...

Alícia senta no sofá.

ALÍCIA: E aí? Tá conversando com quantas ao mesmo tempo?

MÁRIO: (Passando o dedo compulsivamente para a esquerda) Nenhuma. Tirando... Você sabe quem... Nenhuma menina me atrai...

ALÍCIA: (Desconfiada) Sei...

Mário arregala os olhos.

MÁRIO: (Bastante alterado) Eh ela! Eh ela! Eu achei. Ela tá solteira, ela tá solteira!

Ele se levanta da poltrona e começa a dançar no meio da sala.

ALÍCIA: (Com medo) Gente, o que deu nesse menino?

MÁRIO: A Marcelina! Ela tá no Tinder!

Ele pega nas mãos de Alícia e puxa ela para dançar.

ALÍCIA: (Sendo conduzida por ele em uma dança improvisada e esquisita) E daí?

MÁRIO: E daí que se ela tá no Tinder é porque não tá mais ficando com o Jorge. Ou seja, o caminho tá livre pra mim!!!!

Nessa hora, Paulo entra no apartamento e flagra os dois dançando.

PAULO: Eeeei! Eu quero dançar também, posso?

Ele pega na mão esquerda de Alícia e na direita de Mário, fazendo um pequeno círculo.

Mário se cala na mesma hora.

PAULO: O que vocês tão comemorando, eu posso saber?

ALÍCIA: Não. Eh que o Mário tá...

MÁRIO: (Interrompendo) Eh que eu acabei de descobrir que a semana de provas foi adiada e agora eu tenho mais uma semana livre. É isso.

PAULO: Ah tá...

Valéria sai do quarto puxando os vestidos das mãos de Maria Joaquina.

VALÉRIA: Você não vai encher o meu guarda roupa com essas porcarias. Se você quiser que compre um pra você!

MARIA JOAQUINA: (Segurando os vestidos na outra ponta) Deixa de ser egoísta, Valéria. Ainda tem um monte de espaço sobrando lá dentro.

As duas param de discutir e olham para os três de mãos dadas no centro da sala.

VALÉRIA: Que ritual é esse que vocês tão fazendo? É pra expulsar a Maria Joaquina daqui? Porque se for eu tô dentro.

ALÍCIA: Eh que o Mário...

MÁRIO: (Interrompendo mais uma vez) Eh que eu descobri que a semana de provas da escola foi adiada. Só isso...

VALÉRIA: Ah tá...

As duas voltam a brigar pelos vestidos.

MARIA JOAQUINA: Solta isso, Valéria. Você vai acabar rasgando os meus vestidos caríssimos!

VALÉRIA: Eu quero é que eles rasguem mesmo que aí fica mais fácil na hora de jogar no lixo.

Alícia volta a sentar no sofá e Mário na poltrona de madeira.

Paulo vai até a cozinha e pega um cookie dentro da geladeira.

PAULO: (De boca cheia) Não é querendo estragar o momento de vocês não mas a Dona Mirtes... Quer dizer, Dona Mortes, tá lá embaixo e disse que vem já aqui.

Valéria solta os vestidos na mesma hora, fazendo Maria Joaquina quase cair para trás.

MARIA JOAQUINA: (Se recompondo) Quem é Dona Mirtes?

PAULO: A Dona Mortes, você quer dizer? Ela é a síndica do prédio.

ALÍCIA: (Irônica) Eh, e ela adora a gente, sabe?

PAULO: Ô... Ama...

MÁRIO: E aquele cachorrinho fofo? Ela ainda tem?

ALÍCIA: Qual? Aquela coisa horrorosa com os olhos esbugalhados?

PAULO: (Rindo) Tem sim. Inclusive tentou me morder umas três vezes só enquanto eu falava com ela. Coisa de, sei lá, dois minutos.

VALÉRIA: (Em choque) Eu esqueci que hoje é dia de pagar o aluguel! (Olha para Paulo) E agora?

PAULO: Agora a gente paga, ué. Que pergunta mais boba.

ALÍCIA: Por acaso você esqueceu que o Cirilo ainda não chegou com a nossa grana?

VALÉRIA: Não é só isso. A gente não pode deixar ela ver as coisas da Maria Joaquina. Se ela descobrir que tem mais alguém, além de nós três, morando aqui, a gente tá ferrado.

Todos olham para Maria Joaquina.

MARIA JOAQUINA: Ué? E por acaso isso é proibido?

ALÍCIA: O contrato diz que só pode ter no máximo três inquilinos por apartamento.

PAULO: É, e com você nós agora somos quatro.

MARIA JOAQUINA: (Sarcástica) Nossa, é mesmo? Quem diria que o Paulo Guerra aprendeu a tabuada de somar.

ALÍCIA: Haha! Tá vendo só, Paulo. Até a Maria Joaquina já aprendeu a tirar onda com a sua cara.

Paulo faz cara feia para as duas.

Maria Joaquina estende os vestidos cuidadosamente na cama e senta, nervosa.

MARIA JOAQUINA: E agora? Eu não posso voltar pra casa. Os meus pais não me deixam continuar com o canal. O que vai ser dos meus fãs?

VALÉRIA: Eu sugiro que você esconda todas as suas coisas e desapareça.

MARIA JOAQUINA: Hã? Mas como eu vou fazer isso?

Alguém bate na porta.

Mário se levanta para atender.

MÁRIO: Eu acho melhor você pensar em alguma coisa rápido.

Valéria pega Maria Joaquina pelo braço e leva ela até o banheiro.

MARIA JOAQUINA: (Sendo puxada pelo braço) AAAAi!

VALÉRIA: Você fica aqui.

Ela fecha a porta com força e volta para a sala, ficando bem na frente da cama de Maria Joaquina.

Alícia se levanta do sofá e fica ao lado de Valéria.

VALÉRIA: (Cochichando para Mário) Não deixa ela entrar!

Mário abre uma brechinha da porta.

MÁRIO: Oi? Como vai, Dona Mirtes?

Dona Mirtes, uma senhora de óculos pontudos, coque no cabelo e vestido preto, põe a cabeça pela brecha da porta.

DONA MIRTES: Eu vim cobrar o aluguel. Por acaso a Valéria está?

Valéria, Alícia e Paulo ficam em silêncio.

MÁRIO: É que ela acabou de sair.

DONA MIRTES: E a Alícia - ou até mesmo o traste do Paulo Guerra - onde estão?

Paulo faz menção de que vai gritar alguma coisa mas Valéria e Alícia o impedem colocando a mão na boca dele.

MÁRIO: Eles foram no mercado e só voltam à tarde. A senhora precisa de alguma coisa?

O cachorro de Dona Mirtes, que está em seus braços começa a ladrar.

CACHORRO: RRRRRRRH!

Mário se afasta um pouco para trás, temeroso, mas continua segurando a porta.

DONA MIRTES: Eu vim cobrar o aluguel mas, como não tem ninguém em casa, eu volto outra hora.

MÁRIO: Tudo bem então. Passar bem.

Ele fecha a porta na cara da síndica e olha para os amigos com uma expressão de alívio.

PAULO: A véia já foi?

ALÍCIA: Shhhiu! Ela pode tá escutando atrás da porta!

Paulo senta no sofá e estica as pernas na mesa de centro.

PAULO: Isso aqui tá um silêncio né... Nem parece os outros dias.

Valéria e Alícia se olham.

VALÉRIA E ALÍCIA: A Maria Joaquina!

Valéria vai até o banheiro e abre a porta para Maria Joaquina sair.

MARIA JOAQUINA: Ufa! Eu achei que ia ficar trancada ali dentro pra sempre.

ALÍCIA: Seria o meu sonho?

Valéria ri.

PAULO: Será que se eu pedir isso pro papai noel ele realiza? Tipo, mandar a Maria Joaquina pra beeeem longe?

MARIA JOAQUINA: (Triste) Muito bom saber que vocês me amam tanto.

Ela senta na cama e começa a guardar as roupas de volta na caixa.

Alícia senta ao lado dela.

ALÍCIA: Foi mal, Maria Joaquina. A gente só tá zoando com a sua cara. No fundo, láaaa no fundo, a gente gosta de ter você aqui.

PAULO: Eh, contanto que você pague o aluguel, tá tudo certo.

ALÍCIA: Paulo, deixa de ser imbecil!

PAULO: Ui, ui, ui... Mi mi mi...

Mário senta de volta na poltrona.

A porta bate novamente.

MÁRIO: Ah não! Aí já é sacanagem!

Valéria leva Maria Joaquina pelo braço outra vez até o banheiro.

MARIA JOAQUINA: Argh! Até quando isso?

Paulo se levanta.

PAULO: Deixa que eu falo com a véia.

ALÍCIA: Tá maluco! Ce esqueceu que o Mário falou que a gente saiu?

PAULO: Ué. A gente já voltou.

ALÍCIA: Como? De helicóptero?

Paulo fica congelado pensando em uma boa resposta.

Valéria volta do banheiro e senta na cama ao lado de Alícia.

Mário se levanta, sem vontade, e vai até a porta.

MÁRIO: (Cansado) Posso abrir?

Valéria faz que sim com a cabeça.

Mário abre a porta e do outro lado aparece Cirilo com um sorriso enorme no rosto e um envelope nas mãos.

CIRILO: SURPRESA!

Paulo, Alícia e Valéria correm para cima dele e o derrubam no chão.

Mário se afasta, assustado.

MÁRIO: O que vocês tão fazendo?

Paulo se levanta apressado, com o envelope nas mãos.

PAULO: É meu! É meu!

Alícia sai de cima de Valéria e Cirilo e agarra Paulo pelas costas.

ALÍCIA: Sai fora, Paulo, isso daí já tem dona!

Valéria finalmente sai de cima de Cirilo e percebe que ele está sem ar.

CIRILO: (Olhos fechados) Eu morri?

Valéria e Mário ajudam Cirilo a levantar enquanto Alícia continua agarrada nas costas de Paulo tentando tirar o envelope das mãos dele.

ALÍCIA: Solta, Paulo!

PAULO: Solta você! Eu peguei primeiro.

Os dois caem em cima do sofá.

MÁRIO: Tá tudo bem, Cirilo?

CIRILO: Mais ou menos. Por que eles tão brigando?

VALÉRIA: Por causa do dinheiro. Você sabe que a gente não vê nada parecido faz um bom tempo.

CIRILO: Mas... O dinheiro tá no meu bolso. Dentro do envelope só tem o contrato da Network pra vocês assinarem.

Nesse momento, Paulo e Alícia levantam do sofá e se afastam um do outro.

Paulo chega bem perto do esqueleto, que ainda continua na sala, e toma o maior susto. Em seguida ele corre para cima da cama de Maria Joaquina.

Todos riem.

PAULO: (Ofegante) Eu não sei o que é pior. Tomar uma surra dessa monstra aí ou esse esqueleto ridículo que vocês insistem em deixar no meio da sala.

Alícia mostra os músculos para Paulo.

ALÍCIA: Hahahah. Vem monstro!

Ele afunda a cabeça no travesseiro, com medo.

CIRILO: Ué. Cadê a Maria Joaquina?

Valéria, Mário e Alícia se olham.

ALÍCIA: Ops...

VALÉRIA: (Rindo) Deixa ela lá mais um pouquinho...


Notas Finais


E aí, curtiram?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...