História Amigos inseparáveis - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Vida Escolar
Exibições 7
Palavras 1.486
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Escolar, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shounen, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Espero que gostem.
E uma coisa que esqueci de falar, mas os gêneros: magia, aventura, fantasia, shounen, mistério e sobrenatural vão demorar aproximadamente mais 8 capítulos para acontecer, então por favor tenham paciência.

Capítulo 6 - Um pouco sobre Oliver e sorvete.


Três dias depois do ocorrido no recreio, Oliver havia acordado depois de ter dormido muito, por ainda estar cansado depois de tudo o que tinha acontecido a três dias atrás. Ele se levantou da cama e foi para a cozinha, ver as horas no relógio de parede na cozinha.

— Droga! Estou muito atrasad... Ah, esqueci que fui suspenso. - suspirou o moreno, e voltou para o seu quarto, triste por não poder ir á sua escola. -

Ele estava muito triste por não poder ir á escola, mas ele apenas queria ir para ver Leo. Ele havia se apegado muito a seu novo amigo desde que se conheceram. Oliver sempre sentia a necessidade de falar com ele, não aguentava ficar nem um dia sem ele. O moreno pensou em ligar para o garoto de cabelo alaranjado, mas não ia fazer isso, ele já devia estar á caminho da escola. Em vez disso, ele iria para aquela árvore perto da escola para esperar Leo. O moreno pensou que o seu amigo havia gostado de vê -lo esperar por ele.

Sua mãe havia chegado do trabalho, e viu seu filho ainda deitado na cama. Ela não sabia que ele havida sido suspenso da escola, pois ela estava trabalhando fora da cidade e não soube de nada que estava acontecendo por 6 dias, o pai do moreno que estava cuidando dele mas não tinha se importado de seu filho ter ficado suspenso, até sentiu orgulho do filho por ter enfrentado aqueles garotos.

— Filho, o que está fazendo aqui ainda? E cadê seu pai?

— Ele foi comprar alguma coisa mas não voltou até agora. Só passou trinta minutos, nada demais.

— Tudo bem, mas por que está aqui ainda?

— Ah... Sabe, mãe, não que tenha sido culpa minha, mas... - dizia o moreno, cortando as palavras. Estava com medo de sua mãe lhe bater ou ficar com raiva. -

— Diga logo. - ficou preocupada. -

— Uns garotos mecheram com meu melhor amigo, e eu briguei com eles, eles foram expulsos, e eu fui suspenso.

— Como é ? - ficou furiosa.-

— Calma mãe, não é culpa minha. - levantou da cama, com o braço enrolado num pano branco. - 

— E além de ter sido suspenso, você ainda se machucou? - ficou mais nervosa ainda. -

— Sim... 

Eles tiveram uma longa conversa, a mãe de Oliver não brigou tanto com ele, só ficou chateada por ele ter se envolvido em uma briga, mas logo tudo se resolveu. 

— Okay, você não está muito errado, filho. Mas vai ficar parado aí sem fazer nada? 

— Claro que não, vou para a rua.

— Tudo bem, mas toma cuidado.

O garoto saiu de casa com uma blusa branca e calça listrada. Ele passou pelo caminho que se encontrou com Leo. O moreno observava os pássaros nas árvores, os cachorros latindo, via que o tempo estava ótimo para tomar um sorvete, até teve a ideia de chamar seu amigo para uma sorveteria próxima dali, na outra rua.

Ele passava no caminho para os pedestres e logo conseguia ver a escola. O garoto atravessou a rua olhando para os dois lados e se sentou em baixo da árvore, que sempre tinha uma sombra ótima. Colocou a nuca no tronco da árvore, e observava como a escola era bonita, pintada de beje. O moreno então olhou para cima, para ver a janela que Leo sempre ficava. Ele tinha uma boa visão então conseguia ver, seu amigo estava sentado lá do lado da janela. Oliver ficou feliz de ver ele concentrado na aula, e decidiu sair do local que estava para seu amigo não o ver, para não se distrair com ele. 

O moreno foi fazer outras coisas, como andar pelo bairro, observar as coisas, escutar os animais, pois naquele lugar realmente havia muitos pássaros. Ele gostava dos sons que as maritacas faziam, mesmo sendo barulhentas, o moreno gostava de seus sons. Oliver passou um tempo olhando os cachorros de uma loja de animais, era o seu animal favorito desde que era bem pequeno. Ficou tempos lá, quando o vendedor perguntou se ele desejava comprar o cachorrinho que estava ali. Ele tinha vontade de comprá -lo, mas ele não tinha dinheiro pra isso e mesmo se tivesse, os seus pais não iam gostar de ter um animal peludo em casa, pois o seu pai, Tomas, era alérgico a pelos de animais. O moreno disse ao vendedor que não tinha dinheiro, e logo saiu da loja. Oliver atravessou novamente a rua, desceu o morro e voltou para sua casa, por um caminho diferente. Ele entrou pelo portão de sua casa, e foi recebido pela sua mãe.

— Já voltou, filho? Não passou quase nada

— Sim, não tem muita coisa pra fazer na rua

O moreno entrou em seu quarto e pegou seu celular. Para ele, uma das melhores coisas era o celular dele, pois ele não tinha muita coisa para fazer na vida real. Ele queria ir viajar, se aventurar, subir montanhas e mais um monte de coisas, mas ele não pode, por ser muito jovem e ter que ir com seus pais, e ele preferia uma viagem de amigos, mas, ele não tem amigos, o seu único amigo de verdade é o Leo, as outras pessoas que ele conversa são só conhecidas, ele não tem uma grande amizade com elas. O moreno acabou ficando um pouco triste, o garoto de cabelo laranja era seu único amigo de verdade, que ele realmente tinha uma ligação, mas resolveu ignorar sua tristeza e se botar para cima, entrando no YouTube em seu celular, e assistindo vídeos engraçados até ficar feliz.

Ele tinha ficado mais ou menos 1 hora em seu celular, quando algo o lembrou de sua mesada, que seus pais prometeram lhe dar, quando ele tivesse 13 anos. Ele sabia que eles não iam lhe dar, mas não custava tentar. O moreno saiu de seu quarto, passou pela cozinha e chegou na sala, vendo sua mãe fazer alguma coisa na mesa.

— Mãe, e minha mesada?

— Por que lembrou disso agora? Você ainda não tem 14 anos. 

— Mas você disse que era com 13

— Sim, mas não podemos te dar dinheiro ainda, desculpe, filho.

— Tudo bem mãe, eu espero.

Oliver vazia 14 anos só em novembro, e era maio. Faltava muito para seu aniversário, mas o moreno resolveu não insistir no dinheiro, em vez disso, ele abriu a gaveta de seu guarda- roupa. O garoto pegou 14 reais que estavam ali, e botou no bolso. Ele queria chamar seu amigo para tomar sorvete, quando se ligou que já estava quase na hora de Leo sair da escola. O garoto de cabelo preto saiu correndo, saiu pela porta de sua casa e chegou na rua. Ele foi correndo para a escola, sem nem notar o que havia no caminho. Oliver chegou na porta da escola, e pouco tempo depois, aproximadamente 15 minutos, o sinal para os alunos saírem da escadas havia tocado. 

Os alunos desceram correndo, inclusive Leo, que foi um dos primeiros a chegar no portão, e viu seu amigo ali, segurando o portão. O garoto de cabelo alaranjado saiu pelo portão, e cumprimentou Oliver, que estava ofegante por ter corrido muito até ali.

— O que aconteceu?

— Eu corri, para chegar aqui cedo antes de você ir embora. - dizia, ofegante. - 

— Pensei que não ia vir, tem 3 dias que nem aparece por aqui.

— É, mas cheguei agora. - dizia o moreno,  respirando rápido. -

— Pra que correu isso tudo? - perguntava Leo. -

— Para te ver, "ué". - dizia Oliver, enquanto colocava a mão no bolso. — Tem dinheiro para dois sorvetes, quer? -sorria o moreno. -

— Siiim. - dizia Leo, feliz. -

— Vamos lá na rua de baixo, tem uma sorveteria ótima.

Eles foram juntos, e conversando muito, tinha três dias que não se viam. Os dois chegaram na sorveteria, e olharam os sorvetes que tinham. Leo pediu um sorvete de morango, e Oliver, de baunilha. Logo depois que colocaram o sorvete no copo e pesaram, pagaram e se sentaram na cadeira.

Os dois tomaram o sorvete, felizes da vida, e conversando, e quando acabaram, foram juntos até um certo caminho, e depois se despediram. Cada um foi por um lado, e chegaram em casa. Eles chegaram em suas casas, e se deitaram em suas camas.

Ambos estavam felizes, e a amizade dois dois aumentava a cada dia. De noite, Oliver comeu dois pratos de comida, ele não tinha tomado café da manhã e nem almoçado, estava com muita fome. Leo comeu apenas um prato de comida, que era arroz, feijão, frango e tomate. Logo após jantar, o garoto de cabelo laranja se deitou em sua cama, tentando dormir, ele teve um dia longo e cansativo, e logo depois de e virar umas cinco vezes na cama, adormeceu. Oliver ainda estava acordado, mechendo em seu celular, mas o sono havia chegado nele, e ele dormiu, depois de algumas horas, pois raramente ele dorme cedo.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...